Em entrevistas, não se aproveita quase nada do que Dilma diz

Com a cara fechada, Dilma pede calma aos jornalistas no Qatar

Carlos Newton

É muito difícil entrevistar a presidente Dilma Rousseff. Ela desenvolveu uma técnica criada por Paulo Maluf que funciona bem para o entrevistado e enlouquece o entrevistador – você pergunta uma coisa e ela responde outra. O mais interessante é que a governante não tem o menor pudor em mentir aos jornalistas.

Na entrevista concedida em Doha, no Catar, segundo a repórter Yara Aquino, da Agência Brasil, Dilma comentou a decisão da ministra Marta Suplicy de entregar a carta de demissão na ausência dela, que já havia deixado o Brasil na viagem oficial.

“Ela disse que conversou com Marta antes de viajar e conhecia o teor da carta”, relatou a repórter, embora até a fuselagem do AeroLula saiba que isso não é verdade. O fato é que Marta entregou a carta na ausência de Dilma propositadamente, para poder criticar a falta de credibilidade e confiança no governo. E todos os jornais noticiaram a surpresa da comitiva presidencial ao tomar conhecimento da carta de demissão. Mesmo assim, de uma forma confusa, Dilma insistiu em sua “versão pessoal”:

“Ela me disse o teor da carta antes de eu viajar, mas logo depois que fui reeleita a ministra falou comigo que sairia. Ela não fez nada de diferente, não teve nenhuma atitude incorreta, ela me disse que sairia e eu aceitei. Acertamos que ela me enviaria uma carta, a estrutura de praxe”, disse Dilma.

OUTRAS MENTIRAS

Pela relato da jornalista nota-se que Dilma Rousseff mentiu também sobre as dificuldades de nomear os novos ministros para seu segundo mandato. “Não estabeleci prazo e não vou fazer a reforma [ministerial] imediatamente, vou fazê-la por partes”, disse a presidenta aos jornalistas. Mas até os contínuos do Planalto sabem que a reforma começaria pelo novo ministro da Fazenda, que ela ainda não nomeou porque até agora ninguém aceitou a missão, e essa história de não ter estabelecido prazo é conversa fiada.

Depois, perguntada se há preocupação em relação à investigação sobre a Petrobras nos Estados Unidos, a presidenta respondeu que não.

“Isso faz parte das regras do jogo. Empresas cotadas na Bolsa de Nova York têm de prestar contas segundo as regras da Bolsa de Nova York, que também não são muito diferentes das brasileiras. Além disso, os Estados Unidos têm de investigar se têm cidadãos americanos envolvidos em alguma irregularidade”, avaliou.

PIADA DO ANO

Ao contrário do que disse a presidente, existe uma preocupação enorme sobre a investigação em curso nos Estados Unidos, onde as regras do mercado aberta são muito mais rigorosas do que as brasileiras e é comum o pagamento de vultosas indenizações por empresas que cometem irregularidades. E essa história de inventar que os EUA investigam se há americanos envolvidos deve ser alguma espécie de piada do ano.

Na Holanda, divulga-se que a SBM Offshore, fornecedora da Petrobras, subornou diretores da estatal e já foi multada em US$ 240 milhões. Segundo as investigações do Ministério Público holandês, a SBM gastou US$ 139 milhões subornando dirigentes da Petrobras, mas a apuração interna da estatal não encontrou nenhuma irregularidade.

Traduzindo tudo isso: realmente, é muito difícil entrevistar Dilma Rousseff, sobretudo porque ela não diz coisa com coisa.

15 thoughts on “Em entrevistas, não se aproveita quase nada do que Dilma diz

  1. Grande Newton, acho que destacar tres coisinhas.
    Primeira: ela divaga nas respostas. Embrulha, sacode e solta bobagens, coisas deformadas. Por que? Ela não domina a maioria dos temas. Matemática, geografia, economia, política. Para ela é tudo aos pedacinhos: sabe um pouquinho de cada uma.
    Aliás, quem tiver tempo e boa vontade, assistindo entrevistas, lendo declarações e os debates da campanha, chegará a conclusão de que ela não domina nada de coisa nenhuma.
    Segunda: só afilhado, viciado em PT e acéfalo não consegue ver que ela mente. E mente quase sempre.
    Não adianta dizer que estou perseguindo, faltando com o respeito, sendo machista e outras coisas. Não é verdade. Repare o olhar, as expressões faciais, os olhos perturbados e as mãos tremulas, os gestos sem nexo. Demonstram que ela realmente mente.
    Terceira: como ela vai falar a verdade? Ela está tão enrolada, envolvida e comprometida em tantos episódios como Lulla. Se falar a verdade perde o mandato e ambos vão responder por todos os crimes que cometeram. Eles não tem saída. Quando dizem que não sabem, estão prevaricando. É grave, mas menor do que a verdade.
    Para conseguir respostas razoáveis é preciso saber enfrentá-la. Como? Fácil. Quando uma criança está na escola e precisa gravar algo, o que faz? Repete. Repete. Repete. Se repetir tres, quatro vezes a mesma pergunta ela irá perder a compostura e responderá. Ou será cobrada mais uma vez, com a mesma pergunta.
    Assim se desmascara e se expõe aqueles que se julgam espertos.

  2. Existem várias caras, a de tonto (minha), de paisagem, de pau, de inteligente, etc.
    A cara de pau misturada com a de inteligente nem Jó teria tanta paciência para aturar.
    O desemprego aumentando, mas, a cada mês o índice diminui, muito em breve ele será negativo, talvez pelo crescimento no número de quadrilhas “socialistas” de conselheiros, de assaltos a residências, bancos, saidinhas, explosões de caixas, sequestros relâmpagos, veículos, cargas, cibernética, falcatruas, de colarinho, sem colarinho, drogas, conto do vigário, uma variedade enorme de ocupação.
    Senhor:-( rogai por nós,… esse teste vai durar quanto tempo?

  3. SOL QUADRADO – Não bastasse ter se transformado no alvo principal das investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, a Petrobras agora está na mira das autoridades norte-americanas, que desejam apurar a conduta da companhia nos Estados Unidos. As apurações devem, mais uma vez, causar ENORMES DANOS à imagem da estatal brasileira, que também negocia suas ações na Bolsa de Nova York.

    De acordo com o jornal britânico “Financial Times”, em matéria publicada na edição do último domingo (9), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu investigação criminal contra a estatal. Já a Securities Exchange Commission (SEC) – órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos e equivale no Brasil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – iniciará uma investigação civil contra funcionários da empresa.

    A situação da Petrobras nos Estados Unidos SE DETERIORA com o passar do tempo, pois uma empresa que é vulnerável a interferências políticas, começando por ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO, não pode ter suas ações comercializadas na Bolsa de Nova York, que impõe regras rígidas aos participantes do mercado acionário local.

    A investigação do escândalo conhecido como “Petrolão” poderá arranhar ainda mais a imagem do País e dificultar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais norte-americano.

    Na segunda-feira (10), o vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou a investigação das autoridades dos EUA sobre suspeitas de desvio de recursos na Petrobras. Ele disse que se os EUA abriram a investigação, devem dar continuidade “como o Brasil está fazendo”. “A expressão doa a quem doer é muito correta em relação às investigações que já estão sendo feitas pelo governo federal”, disse Temer.

    É importante destacar que, ao contrário do que disse a presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral, o governo federal tem feito tudo para impedir a investigação do maior escândalo de corrupção da história nacional. A ação da tropa de choque do Palácio do Planalto na CPMI da Petrobras, nesta terça-feira (11), impediu a aprovação de requerimentos, em especial de convocação dos envolvidos no esquema criminoso.

    A posição do governo brasileiro em relação às investigações que já estão em curso nos Estados Unidos é muito delicada, uma vez que para continuar comercializando ações na Bolsa de Nova York a estatal terá de reconhecer as ilegalidades, já explicitadas nas investigações, e submetendo-se, na melhor das hipóteses, a um termo de ajustamento de conduta, como informou um renomado operador do mercado financeiro internacional. Se isso acontecer, ou seja, a petrolífera reconhecendo o esquema de corrupção, O GOVERNO DO PT SERÁ ARRASTADO DE VEZ PARA O OLHO DO FURACÃO, sem direito a desculpas esdrúxulas.

    No caso de negar que o caso de corrupção tenha ocorrido, apesar do cipoal de provas incontestáveis, a Petrobras poderá ser banida da Bolsa de Nova York, o que deixaria a empresa em situação de dificuldade ainda maior. Isso significa que O GOVERNO BRASILEIRO TERÁ DE DECIDIR se salva a Petrobras ou poupa o Partido dos Trabalhadores.

  4. Gente, esse governo está afundando, essa mulher não tem a mínima condição de presidir o país do jeito que os rumos estão sendo tomados. Essa presidência da república ainda vai cair no colo do Temer. Aécio devia agradecer aos céus, não ter ganho essa eleição, deixa essa joça estourar no colo desses ladravazes, só assim o pt poderá ser defenestrado.

  5. Considero que falta muito de assertividade dos repórteres também. Uma certa submissão e condescendência. Por que logo após uma resposta dessas ninguém contesta? Por que alguém não pergunta: a sra. não prefere falar a verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *