Em meio ao “deserto de homens e ideias”, Rodrigo Maia realmente se destaca na política atual

Rodrigo Maia Charge de Clayton | Marcelo Auler

Charge do Clayton (Site Charge Online)

Carlos Newton

A realidade da política brasileira é muito dura, jamais se viu uma escassez de líderes como a que se registra agora. Se ainda estivesse vivo, o grande estadista gaúcho Oswaldo Aranha não saberia o que dizer, depois de ter afirmado, há mais de setenta anos, que “o Senado é um deserto de homens e ideias”. Em comparação com o dia de hoje, pode-se dizer, sem medo de errar, que naquela época as lideranças políticas era incomparavelmente melhores do que as atuais.

E isso faz lembrar também o grande Ulysses Guimarães. Quando alguém reclamava do baixo nível do Congresso, ele avisava que a próxima formação seria ainda pior.

LIDERANÇA ÚNICA – É impressionante que o maior líder do atual Congresso seja o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que desde 2016 está na presidência da Câmara. É um orador bisonho, que fala virando o pescoço de uma forma estranha, como se o colarinho estivesse sempre incomodando, num cacoete que deixa o telespectador meio mareado, mas sempre acaba transmitindo sua mensagem.

Assim como Ulysses Guimarães, o deputado Rodrigo Maia não é um líder de massas. Apesar da enorme exposição na mídia como presidente da Câmara, na última eleição teve apenas 74 mil votos, foi o 13º colocado no Estado do Rio, teve menos votos do que Flordelis, mostra-se incapaz de mobilizar multidões, mas sabe fazer política como poucos.

Sua prioridade hoje é se reeleger presidente da Câmara, um pretensão inconstitucional, já aventada e descartada por Ulysses Guimaraes, porque depende de aprovação de emenda ou de “interpretação” do Supremo.

NÃO É CANDIDATO? – Rodrigo Maia diz publicamente que não é candidato e tem plantado informações de que pode apoiar algum outro pretendente. Com isso, deixa a responsabilidade da reeleição exclusivamente com Davi Alcolumbre (DEM-AP), que segue à risca as orientações do deputado carioca.

Assim, fica totalmente preservado. Se o Supremo não se mostrar compreensível e julgar que a iniciativa ultrapassa os limites do pacto entre os Poderes, e se a emenda for rejeitada, a derrota será de Alcolumpre e não de Maia.

Enquanto isso não ocorre, o presidente da Câmara segue soberano, comandando e modificando as reformas tributária e administrativa, dando ao luxo de desprezar diálogo com o ministro da Economia, Pulo Guedes, que assim deixa de ser o autor das reformas.   

24 thoughts on “Em meio ao “deserto de homens e ideias”, Rodrigo Maia realmente se destaca na política atual

  1. Caro Newton,

    Tu sabes que sou avesso ao parlamento, um crítico veemente de políticos, e considero o legislativo um poder corrupto, inútil, perdulário, incompetente e vagabundo!

    Excluindo a minha opinião sobre o antro de venais, o tal congresso, o teu artigo é verdadeiro.
    Maia tem uma característica interessante como deputado federal:
    Discrição.

    O cara não vive na mídia; seus pronunciamentos não são agressivos; mostra uma sensatez rara para um parlamentar; calmo, educado, não se envolve em escândalos; tem um comportamento pessoal e político muito superior à maioria absoluta de seus colegas tanto na Câmara quanto no Senado.

    Olha, se a Constituição é desobedecida até pelo Judiciário, pouco se me dá se, em nível parlamentar, o raio do regulamento interno deixar de ser cumprido e Maia seja reeleito.

    Agora, o cacoete de virar o pescoço é irritante, concordo.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  2. Enquanto isso no Planeta da Tucanolândia, os MInistros do Supremo Tucanal Federal comem lagosta, caviar, costeletas de faisão, regado ao bom vinho e champagne francesa.
    Mas ainda tem o melhor de todos, o famoso Vampiro Sanguessuga rouba, ops, errei, toma vinho de 21 mil contos á garrafa.
    Pode isso , Arnaldo.??

    Confira a reprodução da planilha com os anos em que Serra foi presentado:

    Aniversário de 2007
    6 garrafas Alma Viva Primeira safra 1997 Valor unitário: total: R$ 2.380
    6 garrafas Sena 2001 Valor da unidade: R$ 1.680

    Natal de 2007
    12 garrafas Chadwick
    Valor médio unidade: R$ 1.613

    Aniversário de 2008
    12 garrafas Don Melchor 2003
    Valor unidade: R$ 720

    Aniversário de 2009
    6 garrafas Léoville Las Cases
    Valor unidade: R$ 1.600

    Natal de 2009
    6 garrafas Romanée Conti Grands Echezeaux
    Valor unidade: R$ 21,5 mil

    Aniversário de 2010
    6 garrafas Carmin de Peumo
    Valor unidade: R$ 954

    Natal de 2010
    6 garrafas Chateau La Mission
    Valor unidade: R$ 5,8 mil

  3. Quem vê cara não vê coração.
    Agora só falta nos convencer de que o “Luladrão” é o cara mais honesto do planeta. Agora os canalhas são bem vistos por pessoas que perderam a visão de mundo real.
    Isso é quimera, sonho, devaneio, fruto do imaginário humano.
    Tem gente que gosta viver no mundo da fantasia.

  4. Patética tentativa de levantar a bola de um político conspirador e corrupto. O pai foi condenado, logo será a vez do filho; basta perder a imunidade, pois, sendo um imprestável, não será eleito deputado. Daí o desespero para comprar a reeleição.

  5. Não costumo dar muita atenção à opinião dos outros. Não porque não as respeito, nem porque acho que apenas as minhas estão corretas, mas porque sei que a maioria dessas opiniões está contaminada pelos próprios sentimentos do opinador.
    Isto possui até um nome técnico: heurística de afeto.
    É uma variante do chamado viés de disponibilidade. Este caracteriza-se pela tendência que temos de considerar mais verdadeiro aquilo que mais facilmente emerge para a nossa consciência. Isso explica porque, por exemplo, as pessoas ficam mais alarmadas com uma doença que tem o índice de letalidade baixa, do que com pegar estrada com seu carro, onde as chances de morrer são bem maiores. Como as imagens e notícias sobre a doença vêm mais facilmente à cabeça, pois estão sendo alimentadas diariamente pela mídia, elas acabam parecendo mais importantes, mais sérias e até mais mortais.
    Neste caso, é a tendência que temos de valorizar as coisas conforme o sentimento que elas despertam em nós. Assim, quando a pessoa pensa em algo, imediatamente este algo lhe desperta alguma sensação. Como e esta sensação que surgiu com mais facilidade (viés de disponibilidade), então é ela que passa a ser considerada a verdade. Com isso, a pessoa não faz uma análise objetiva da coisa, mas emite sua opinião baseada no sentimento que aquela coisa despertou nela.
    Hoje em dia, a grande maioria das opiniões que vemos por aí são contaminadas pela heurística de afeto. E é por isso que é tão fácil enganar os trouxas. Você pega, por exemplo, uma ideologia genocida e reveste-a com as palavras mais bonitas, com as intenções mais belas, vinculando-a aos melhores sentimentos, omitindo o mal que fizeram. Pronto! As pessoas são adestradas a, toda vez que ouvir sobre ela, associá-la com sentimentos positivos. O resultado: mesmo pessoas que não concordam com o genocídio começam a defender a ideologia genocida.
    Basta elogiar um político mau caráter que sabemos não merecer. Pronto.
    Por isso, prefiro manter-me no meu ceticismo e na minha auto-vigilância. Dá mais trabalho, mas me afasta, em alguma medida, da idiotice reinante.

  6. Carlos Newton, a parte do artigo em que escreves a frase pronunciada pelo saudoso Oswaldo Aranha “o Senado é um deserto de homens e ideias”, após a mudança da capital para Brasília a situação piorou de modo exponencial.

    Aliás, Oswaldo Aranha, gaúcho nascido em Alegrete, faleceu no Rio de Janeiro, 27 de janeiro de 1960, poucos meses antes da transferência da capital para Brasília. Não teve tempo de degustar as delícias morais e intelectuais de Brasília, construída em terras habitadas por ratos, naqueles idos, ratos de quatro patas.

    Quanto ao também saudoso Ulysses Guimarães. quando alguém reclamava do baixo nível do Congresso, é fato que ele dava um verdadeiro aviso-alerta no sentido de que os componentes da próxima legislatura seriam ainda piores.

    Diga-se que Ulisses Guimarães foi favorável a mudança da capital para Brasília e até trabalhou na distribuição dos apartamentos funcionais para os políticos.

    O destino foi cruel com relação a Juscelino Kubitschek e a Ulisses.Guimarães.

    Juscelino, o que construiu Brasília, faleceu em um desastre rodoviário e Ulisses em desastre aéreo.

  7. O BRASIL nas mãos do “Botafogo” da Odebrecht, não obstante em guerra contra a corrupção, posando de bom moço e líder político, é brincadeira, né, C.N. Fala sério, Bussunda. É bonito isso, Lilico ? Que país é este, Renato Russo ? O saudoso Oswaldo Aranha, há 70 anos, disse que o problema maior do Brasil é a seara política, o carro-chefe do conjunto da sociedade, que, infelizmente, é um deserto de homens e ideias. Daí surgiu um HoMeM com uma grande ideia, na verdade, uma Revolução completa, redentora da política, do país e da população, com nome sobrenome, começo, meio e fim, tal seja a RPL-PNBC-DD-ME, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, cujo potencial e pretensão é a transformação do Brasil numa Nova Europa Brasileira, há 20 anos na estrada, e o pessoal da mídia, da direita, da esquerda e do centro, ao invés de se comportarem como jornalistas e noticiarem o fato histórico inédito no Brasil, ficam ai só na militância de direita, de esquerda e de centro, gastando velas boas com os defuntos ruins do sistema podre, o velho que já morreu. O que é que há irmãos, por acaso vocês estão proibidos por vossos patrões de noticiar o fato histórico, enquanto dependentes do erário e dos favores dos governantes de plantão, eleitos via sistema podre ? Que raio de jornalistas são vocês ? Vamos lá irmãos, coragem, deem uma chance para o Novo de Verdade, ninguém quer favores de vocês mas apenas que honrem a profissão, que noticiem os fatos, como manda o bom jornalismo profissional. http://www.tribunadainternet.com.br/em-meio-ao-deserto-de-homens-e-ideias-rodrigo-maia-realmente-se-destaca-na-politica-atual/?fbclid=IwAR0WgV0LNTQ7fOe2oqhGe2HiGAv13iP_qoGgkvelIBNihe-igwHv18yKYGs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *