Em Montevidéu, Palmeiras escreve com emoção mais um capítulo de sua história

Palmeiras venceu o Flamengo na prorrogação e é tricampeão

Pedro do Coutto

No Estádio Centenário de Montevidéu, onde se realizou a primeira Copa do Mundo em 1930, em frente à Praça Maracanã, em homenagem à conquista de 1950, o Palmeiras escreveu mais um capítulo emocionado e emocionante de sua bela história no futebol. Foi um espetáculo sensacional. O estádio estava quase lotado, torcedores do Flamengo e do Palmeiras se deslocaram ao país, viajando horas a fio, para assistir ao desfecho de mais uma Copa Libertadores da América.

A partida de sábado terminou com um lance inesperado, daqueles que caracterizam as surpresas do futebol. Uma saída de bola equivocada do Flamengo proporcionou o gol do Palmeiras. O erro faz parte do confronto e do improviso sempre presente. O Palmeiras começou a partida recuado. Procurou o jogo de contra-ataque, e deu certo. Na prorrogação, a falha da defesa do Flamengo permitiu o gol do Palmeiras, que conquistou a vitória de forma brilhante.

DUELO TÁTICO – Uma reportagem de Douglas Rocha e Rafael Oliveira, O Globo de domingo, descreve com perfeição o duelo tático e os equívocos que se incorporaram aos planos das duas equipes. Mas essa é outra questão. Não faltaram lances emocionantes, vibração ou paixão. As torcidas marcaram um um capítulo à parte no desfecho da partida. O futebol se ganha no gramado, da mesma forma que a eleição só ganha na urna. Não há vitória na véspera, sobretudo nos gramados do mundo inteiro.

No futebol, a tática pode neutralizar a técnica e até a arte. Na partida, porém, o coração entrou firme de ambos lados. Fica na história do Palmeiras para sempre a vitória que marcou a força do futebol brasileiro no continente e no mundo. Glória eterna aos campeões e o reconhecimento ao empenho do Flamengo.

CAMINHO DO CENTRO – Numa entrevista a Jussara Soares e Natália Portinari, O Globo de domingo, o deputado Baleia Rossi, presidente Nacional do MDB, sustenta que o caminho que o país precisa adotar é o do Centro político, e que só assim será construído o futuro do país. O Centro, na minha opinião, significa uma posição conservadora, mas no Brasil ser conservador é conservar o quê? A fome, o desemprego,a  miséria, a necessidade de ser colocado em prática o Auxílio Brasil de R$ 200 por mês?

É combater o desemprego de 14% da mão-de-obra efetiva, é manter o drama da habitação, do saneamento?  Nada disso. Conservar isso é um retrocesso, até porque a população não para de crescer. O quadro social brasileiro reflete uma realidade dramática; 55% da mão-de-obra ativa do país ganha de uma a dois e meio salários mínimos. Ser conservador é isso? Conservar então significa não solucionar coisa alguma. Portanto, o Centro conservador não é solução para coisa alguma.

AVANÇO DE MORO – Na edição de ontem de O Globo, matéria de Jan Niklas, o ex-governador Ciro Gomes começou a desfechar nas redes sociais ataques contra o ex-juiz Sergio Moro, comprovado a veracidade das notícias que surgiram sobre a ultrapassagem de Ciro por Moro nas pesquisas para presidente da República.

Ciro Gomes erra mais uma vez o alvo e o rumo. Não adianta confrontar contra Moro, mas sim com Jair Bolsonaro. É a única forma de arrebatar votos que ainda estão sob a posse do atual presidente da República.  Ciro Gomes comete novamente um equívoco em sua estratégia.

PATRÍCIA NA OAB – A advogada criminalista e professora Patrícia Vanzolini foi escolhida na última semana, presidente da seccional de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para o mandato de três anos. Ela é a primeira mulher na história da instituição, criada em 1932, a ocupar o cargo. Foi importante a sua vitória, sobretudo porque ela representou a oposição ao atual comando da entidade.

Mas o aspecto que se destaca está no fato dela ter afirmado a Géssica Brandino e Renata Galf, Folha de S. Paulo de domingo, que a OAB-SP estará à frente de um combate, caso o presidente Jair Bolsonaro retorne às novas ameaças contra as eleições de 2022. “Se ele ameaça as eleições novamente, estamos mobilizados para o debate. É importante a presença da OAB na defesa da democracia”, afirmou.

15 thoughts on “Em Montevidéu, Palmeiras escreve com emoção mais um capítulo de sua história

  1. 1) “Minha Terra tem Palmeiras onde canta o sabiá”, foi este belo verso de Antonio Gonçalves Dias, meu xará, que me tornou admirador do Verde e Branco Palmeiras…

    2) E, por extensão, todos os demais Verdes e Brancos do Planeta.

  2. A esquerda não tira votos de Bolsonaro. Ciro e Moro são de esquerda, são os melhores nomes da 3ª via. Tebet, Doria, Mandeta, Pacheco, Alessandro, Bivar são todos figurantes, semchances alguma. Ficarão todos atrás do Cabo Dacciolo.

  3. Todos candidatos são bastante conhecidos, menos Moro.
    Suas ligações com a Disneylândia precisam ser esclarecidas.
    E agora na campanha, sua fonte de recursos.

  4. O Flamengo perdeu por seus próprios erros.
    No primeiro gol, o lateral Felipe Ruis ficou para trás e Bruno Henrique perdeu a corrida contra o ponta palmeirense, que entrou na área e deu o passe para o gol, quase na pequena área.
    No segundo gol, falha do zagueiro Davi Luiz, que pressionado pela linha alta do Palmeiras, ao invés de rifar a bola entregou na fogueira para o meio de campo Andreas Pereira, que escorregou e ainda teve gás para chutar para o goleiro com pouca força, que virou um passe para o Daverson chutar sem chance para Diego Alves.
    O jogo todo do Flamengo foi essa bolinha dos zagueiros para Arão dele para os zagueiros e quando conseguiam furar o bloqueio do meio campo palmeirense, os cabeças de área e zagueiros tomavam a bola e tome contra ataque. Isso desgastou o time rubro negro.
    Faltou ousadia e vontade de atacar o tempo todo, uma característica flamenguista.
    O desgaste físico do lateral, de Bruno Henrique e de Arrascaeta foram fatais para o Flamengo.
    O técnico não tem culpa na derrota. Mas, poderia tirar Arão, que não jogou nada, burocrático o tempo todo e colocar um volante mais agressivo rumo ao ataque.
    O ataque é a melhor defesa.

  5. Pedro do Couto é esse gênio da palavra e da análise, que consegue em poucas linhas, nos ensinar o que é o Centro na política.
    Se é para manter o desemprego, o toma lá dá cá, os juros altos, a inflação galopante, por que apostar no conservadorismo.
    Então, quem quer melhorar de vida, não pode apostar no ideário centrista.
    É isso aí.

  6. Realmente, o candidato do PDT partiu para o ataque contra o Sérgio Moro.
    Também entendi, como um movimento equivocado do tabuleiro da eleição.
    Ciro deveria esperar mais um pouco, pois a tarefa de detonar Moro pertence a campanha de Jair Bolsonaro. É no eleitor de Bolsonaro, que Moro está mirando e vem conseguindo avanços significativos, com apoio na ala Militar e em parcelas do Empresariado e na classe média conservadora.
    Já deverá apontar nas pesquisas em terceiro lugar jogando Ciro para a quarta posição.
    Ciro queimou as pontes com o PT fora de hora. É no eleitor do PT, que Ciro deveria mirar seu holofote. Dificilmente, qualquer bolsonarista migraria para o pedetista. Há na disputa outros candidatos identificados com o conservadorismo, como Dória por exemplo, que venceu as prévias do PSDB, um Partido rachado em várias alas.
    Ninguém no ninho dos tucanos, vai esquecer de Dória abraçado a Bolsonaro na campanha Bolsodoria, cristianizando o candidato Geraldo Alkimim da mesma maneira, que Orestes Quercia, o governador de SP que abandonou o candidato a presidente, Ulisses Guimarães, reconhecidamente o melhor candidato para governar o Brasil. Venceu, Fernando Collor. Por isso, não acredito na união do MDB em torno da excelente candidata, a competente senadora Simone Tebet. O presidente Baleia Rossi pode garantir a união de todos na campanha da única mulher na disputa, contudo, os deputados que concorrem a eleição em seus Estados são pragmáticos e remam rumo a candidatos com chances reais de vitória.
    Não foi o que fez, o governador João Dória, quando olhou as pesquisas e viu Geraldo Alkimim em último lugar. Se mantivesse o apoio ao seu padrinho político, não seria eleito governador de SP.
    Agora vai ter o troco merecido.

  7. Sobre o jogo, minha opinião é que o Palmeiras jogou recuado o tempo todo.Usou de uma retranca dos velhos tempos dos sistema de jogo dos suíços.

    Ganhou o jogo em falhas infantis que o Flamengo cometeu.Faz parte do jogo, dizem.

    Estava torcendo pelo Flamengo, embora não seja flamenguista,porque acho que o elenco do Rubro Negro carioca seja muito mais qualificado do que o do Palmeiras.Aliás o Flamengo, tem no momento, o melhor elenco do futebol brasileiro.

  8. “Me dê um time de 200 milhões, que ganho até o Campeonato Inter-Planetário”,

    A soberba precede a ruína….

    O patrício da Terrinha Além-Mar veio ‘ensinar” aos treineiros retrancas duma figa como se joga futebol.

    Alô Cabral.., cadê as caravelas.!!!

  9. Com certeza, podemos dizer que o Palmeiras ganhou jogando em casa.

    PS: E também que o Flamengo perdeu jogando em casa.

    É o futebol vencendo a rebeldia e unindo os brasileiros de todas as províncias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *