Em propaganda, Bolsonaro atende a ligações de “brasileiros” com fotos de bancos de imagens

“Alô, presidente”: Mais uma bola fora da Secom em campanha

Daniel Carvalho e Ricardo Della Coletta
Folha

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgou nesta quarta-feira, dia 1º, uma propaganda em que ele conversa, por telefone, com populares cujos rostos estão disponíveis em bancos de imagens. Uma das fotos, inclusive, já ilustrou outra campanha do governo.

Quando “Dona Maria Eulina”, de Penaforte (CE), pergunta como está a transposição do rio São Francisco em seu estado, aparece a foto de um sorridente senhora que, no site iStock, está sob a legenda “Mulher idosa feliz que sorri feliz na idade adulta – Imagem em Alta Resolução” e pode ser adquirida por R$ 45.

OBRAS – A campanha cita obras tocadas pelo Executivo federal. “Governo federal: milhares de obras e ações por todo o país. Você fala com o governo, o governo fala com o Brasil”, diz o vídeo, que estimula o espectador a mandar vídeos pelo Whatsapp. Depois de “Dona Maria Eulina”, quem pergunta é “Francisco Valmar”, de Parnamirim (RN), que questiona se há “alguma notícia boa” em relação a trem urbano.

A foto que aparece está no Shutterstock sob a legenda “retrato de trabalhador na fábrica no fundo” e, segundo o site, pode ser baixada gratuitamente. O “trabalhador na fábrica no fundo” já estrelou outra campanha do governo, “O Brasil não pode parar”, criada pela Presidência em março para respaldar o discurso de Bolsonaro de reabertura do comércio.

FAKE NEWS – Após a veiculação, descobriu-se que a foto que identifica Maria Eulina no vídeo não é dela, mas de Célia Rossin, 81, moradora de Sertãozinho (a 333 km de São Paulo). O retrato de Célia foi tirado pelo seu neto, Mailson Pignata, 32, que mora na mesma cidade. Ele fotografa para colocar as imagens em plataformas como iStock e Shutterstock, nas quais agências de propaganda costumam comprar o direito de usá-las em campanhas.

Célia diz que não se importa de aparecer na campanha e que a divulgação pode ser positiva para o neto. Ela afirma que o presidente tem deixado a desejar, especialmente na Saúde. “Ele não é especial, não. Deixa a desejar em muita coisa. A Saúde tá feia. Se tivesse socorrido em tempo teria sido melhor”, diz, sobre a crise do novo coronavírus. Ela afirma que não vota há quatro eleições.

RECUSA – Célia diz que não a viu ainda, mas que qualquer mérito que exista em sua presença nela se deve ao neto. “Nunca pensei que ele fosse tirar uma foto minha e rodar mundo afora.” Perguntada se, como na campanha, ela gostaria de receber uma ligação do presidente, ela recusou. “Não quero, não. Ah, porque não”, diz, repetindo o “não” mais três vezes.Ela aproveita para criticar a remuneração que as plataformas para os fotógrafos. “Bom para o Mailson, mas paga muito pouco.”

No iStock, por exemplo, Mailson diz que recebe cerca de 20% do valor de uma foto quando ela é comprada por um assinante. No caso da foto de sua avó, receberia R$ 9 do total de R$ 45 (no caso de compra por um não assinante, já que para assinantes o valor é ainda mais baixo). Mas ele não sabe, até o momento, em qual plataforma o governo federal adquiriu a foto. Ele só terá conhecimento em agosto, diz, quando chegarem os balanços.

CAMPANHA DE CERVEJA – Ele lida com naturalidade com o uso da fotografia de sua avó, e acrescenta que uma imagem da mesma sessão com Célia já ilustrou uma campanha da cerveja Skol. “Todas as agências usam, tanto do governo como multinacional. Tenho muita foto de plantação industrial e eles usam bastante, por exemplo. É muito mais barato e rápido pegar em um banco do que deslocar uma equipe para fazer isso”, afirma Mailson, que diz não ver problema no uso de suas fotografias pela gestão Bolsonaro.

“Não tenho implicância, não. Estão tentando fazer o trabalho deles e acharam uma maneira de fazer. Cada um tem a consciência do que faz”, afirma. Sobre o fato da imagem de sua avó ter sido usada como ilustração para as falas de Maria Eulina, Mailson também vê com tranquilidade. “Não é a primeira vez, isso acontece nas campanhas mesmo. A partir do momento que a pessoa coloca a fotografia em um banco de imagens, ela está sujeita a qualquer coisa. É como uma atriz. Aceita qualquer papel”, explica. A Secom (Secretaria Especial de Comunicação) ainda não respondeu à Folha sobre a campanha publicada pelo presidente.

RESPOSTA DA SECOM – Em nota, a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) afirmou que “o vídeo publicado no dia de hoje, 1° de julho, nas redes sociais pessoais do presidente Jair Bolsonaro, trata-se de uma peça piloto inacabada que não deverá ser veiculada, não possuindo, portanto, caráter oficial. De todo modo, a fim de sanar qualquer tipo de distorção dos fatos, o vídeo foi retirado do ar”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
No início da gestão de Bolsonaro, já recheada de gafes e tropeços, em uma conversa particular com o ator Osmar Prado, ele previa que, em muito pouco tempo, a trupe presidencial, incluindo o trio de filhos fantásticos, começaria a disparar contra os próprios pés. E não deu outra. A sucessão de gols contra é incontável. Nem precisam de oposição. Inoperância, discursos na contramão, ministros escolhidos a dedo para envergonhar o País internacionalmente, e muita desinformação. Com o “Alô, presidente”, a conversa ao pé do ouvido entre Bolsonaro e frutos da imaginação da Secom. Conforme questionado nesta Tribuna, o que neste (des) governo não é fake? Daqui a pouco dirão que essa gestão também é “piloto” e ainda está em fase de testes. (Marcelo Copelli)

22 thoughts on “Em propaganda, Bolsonaro atende a ligações de “brasileiros” com fotos de bancos de imagens

  1. Este governo é um “Fake News” da cabeça aos pés. Qual humorista poderia imaginar tal cena? Já são tantos barracos que estão perdendo a graça. E ainda faltam dois anos!

  2. Copelli, você é desagradável.
    Você usa esta TI para dar a sua opinião, e não informar os leitores.
    Como digo e reconheço, há erros. Pode e vão sendo corrigidos.
    Mas, daí a desgoverno e tudo é fake, convenhamos. Isto não é a verdade.
    Comentário próprio de petista, empedernido, que espera que o Brasil se arrebente.
    Chato, desagradável e mentiroso.

  3. O que mais teremos que aguentar?
    Que M de governo.
    É o governo das milícias, puxadinho do Rio das Pedras e Muzema.
    É tenebroso o que está acontecendo.
    A milícia tem que ser apeada do poder!
    O brasil corre o risco de ficar secuelado pro resto da vida na mão desta gente.

    E, ainda tem a história do cachorrinho, que em vez de procurarem seu dono como faria qualquer pessoa decente que encontra um animal perdido, o que vimos, foi uma adoção imediata, troca de nome do bichinho com direito a página no Facebook. (Augusto bolsonaro), qualquer semelhança, é mera coincidência.
    Um disparate!!
    PROCURAR PELO SEU DONO ERA FUNÇÃO ZERO!!
    Seria o normal de qualquer família honrada.
    Este era o exemplo a ser dado pelo chefe de família.
    Mas a familícia preferiu adotar um cachorrinho que estava com coleira.
    PQP!!!

    O Sr. Marcelo Copelli não mente, ao contrário, vê o que todo brasileiro normal está percebendo.
    A desonestidade e o mau caratismo está até nos mínimos detalhes.
    Estamos passando pela maior vergonha mundial.
    O mundo dá gargalhadas, graças a familícia.
    Que lixo de gente!!
    Que gente de M!!

    Aclaro que votei no CRÁPULA.
    Nunca mais!!
    Atenciosamente.

    • Detesto mostrar-me polêmico ou exagerar na crítica mas sou obrigado a concordar inteiramente com seu comentário, Sr Espectro. Creio entender a maioria dos apoiadores do Presidente, eles continuam aferrados à idealização que o elegeu e para não assumirem a decepção e por falta de argumentos concretos para defender as posturas, por Ele assumidas, ficam aferrados às táticas anti esquerdistas que o levaram à vitória, numa prática eleitoreira extemporânea, sem novos fatos positivos para argumentação.

  4. Ver o que está sendo feito, numa ampla visão, e não ficar empedernido desta maneira.
    Visão ampla, para dizer a Verdade, tão somente.
    Se não quer, nada se pode fazer.
    Também nada mais direi para não perder o meu tempo.

  5. Esquerdismo = Vitimismo + Hipocrisia.

    Todos, em algum momento de nossas vidas, já assumimos o papel de vítimas em situações dolorosas ou traumáticas, já que nos sentimos vulneráveis e desprotegidos e precisamos que nos protejam e cuidem de nós. Porém, a cultura do vitimismo reforça esse comportamento fazendo com que a pessoa que assume o papel da vítima se sinta eternamente uma dependente. Quando sentimos o cuidado e a proteção das pessoas ao nosso redor, descobrimos que é prazeroso ter a atenção dos outros. Acontece que algumas pessoas assumem esse papel como identidade e se tornam vitimistas crônicos. Essa identidade é envolta pela cultura do vitimismo em que nos encontramos: A esquerda pós-moderna não se preocupa com o conteúdo, o que realmente interessa é a forma.
    Todo o seu discurso vitimista não vai te ajudar quando você for pra vida real. Pelo contrário, vai te atrapalhar. Se sentiu ofendidinho(a)? Ninguém se importa. Você só vai se ofender se você se deixar ofender. Se você escolher o vitimismo, você será vítima de você mesmo. O vitimismo é fundamental, principalmente nessa era da “revolução das vítimas”, em que basta posar de coitadinho para chamar a atenção e, quiçá, levar algum privilégio para casa. Só tem um problema: se todos bancarem a vítima juntos, ninguém se destaca na escala de suposto sofrimento. Logo, é crucial apelar para a seletividade, para o duplo padrão, para a hipocrisia. Só as “minorias” que fecharem com a própria esquerda têm o direito de bancar a vítima.

    ESQUERDISTAS deixem de chororô.

    Fernando Luiz sua análise é perfeita.

  6. “FAZ TEMPO que o FHC está tentando dizer que o Brasil está necessitando de uma nova liderança, capacitada, com projeto próprio, novo e alternativo de política e de nação que represente o novo caminho para o novo Brasil de verdade, com estilo próprio, com discurso próprio, com rumo próprio, inclusivo, capaz de unir e empolgar a todos, mostrar que a esperança não morreu e que o sonho não acabou, principalmente à população, que resolva o presente, resolva as velhas heranças malditas que a ditadura militar, ele e o Lula não conseguiram resolver, que descortine novos horizontes, que fomente o progresso consciente e o sucesso pleno do bem comum do conjunto da população, que realize o milagre da multiplicação dos pães, dos peixes e das oportunidades em todos os rincões do Brasil, que conduza o país e a população rumo a um futuro alvissareiro, alicerçado na paz, no amor, no perdão, na conciliação e na mobilização pela mega-solução, e que tudo isso já existe, está na Internet, e que talvez surja na próxima eleição, e chega até a citar alguns nomes, por educação e amizade, mas nos quais não demonstra confiança nenhuma que sejam a nova liderança dos seus sonhos e das reais e urgentes necessidades do Brasil. FHC só faltou dizer: vocês da mídia precisam parar de ser tão xaropes, chatos de galochas, retardatários, facciosos, partidários, ingênuos, ou mal-intencionados, e coloquem logo o Loriaga Leão na cena política porque é ele o cara que veio para fazer as grandes transformações que o Brasil está necessitando há muito tempo, e não tem como fazê-las se vocês não tiverem a humildade, o desprendimento e a boa vontade de mostrá-lo ao mundo, abrindo as suas câmeras e microfones para ele se comunicar com vocês e com a população, sem discriminações e sem preconceitos, porque os outros, são todos boa gente, bons camaradas, alguns até engomadinhos, bonitinhos, mas eles não têm como entregar o produto que o Brasil está necessitando há trocentos anos. O tempo e a marcha da história são implacáveis, e a política tem que dar a eles o que eles querem senão não funciona. No passado, o tempo e a marcha da história pediram intervenção militar, depois abertura democrática, FHC, Lula, e deu certo, funcionou. Agora o tempo, a marcha da história, as demandas e o povo, desde Junho de 2013, estão pedindo projeto novo e alternativo de política e de nação, e a política tem que se render a quem o tem, pois é assim que a coisa funciona bem, e de nada adianta os charlatões temporais atravessarem porque vira tudo só bateção de cabeças e perda de tempo, como estamos vendo com os próprios olhos e sentindo na própria carne. Simples assim. https://www.youtube.com/watch?v=n2FQ10sTowg

  7. Observo comentários criticando Bolsonaro – concordo com seus teores – e textos justificando o presidente, como tem acontecido ultimamente.
    Alguns, apenas calcado na ideologia, sem qualquer argumentação lógica ou válida nessa defesa, lamentavelmente.

    Uma pena que bolsonaristas ou arrependidos eleitores ou opositores do presidente deixem de debater que o Planalto não sabe o que faz, diante das crises atuais e nem sabe o que fazer para debelá-las, ou seja, se põe algo em prática erra e, se não o faz, é porque não tem a menor ideia de como fazê-lo.

    Se a verdade dói, e agora mais do que nunca para o Brasil e os brasileiros, Bolsonaro se mostra neste momento, onde estamos vivendo um caos absoluto, em razão de problemas econômicos, sociais, desemprego e aliados à pandemia, um presidente sem a menor capacidade de liderança e de ter um plano de governo!

    Soma-se a esta constatação, que a sua equipe consegue ser PIOR que o chefe, e isso que dela fazem parte militares consagrados, generais que possuem brilhantes folhas de serviços prestados à nação!

    O que estaria ocorrendo?

    Por acaso os generais pensam que ajudando o ex-capitão irão reforçar a sua reeleição?

    Que não o querem mais no poder, então o abandonaram de certa forma, de modo que ele se desgaste sozinho?

    Mas não consideram que essa omissão – mais uma, diante de tantas outras que as FFAA podem ser acusadas – prejudica sobremaneira o povo e país?

    Ou a situação dos militares atualmente é tão confortável em termos de ganhos, que o Brasil e sua população que se lixem?!

    Definitivamente esse resguardo por parte das FFAA não é democrático, porém irresponsabilidade!

    Permitir que um de seus ex-componente aja dessa maneira, incompetente, insensível, brigando contra tudo e todos, agindo de forma confusa, autoritária, desprezando a pandemia, virando as costas para a miséria e a pobreza, o desemprego e o analfabetismo absoluto e funcional, que Bolsonaro por ser o presidente eleito que dê um jeito, os militares se revelam muito aquém do que podem e deveriam fazer!

    Será que não levam em conta que o desastre dessa administração recairá sobre o conceito que as FFAA gozam por parte da população?

    Não imaginam que, o ex-capitão e atual presidente da República, não os contaminará pela gestão altamente prejudicial ao cidadão e ao Estado?

    O Brasil está à deriva; encontra-se ao sabor das ondas e das correntezas marítimas violentas; sem leme, sem o navio poder ser comandado, pode soçobrar a qualquer momento, bastando um vagalhão nos alcançar de lado, que adernará o navio!

    Portanto, se o Exército e a Aeronáutica não são as armas especializadas para os sete mares, então que a Marinha nos auxilie imediatamente.
    Mas aonde ela se encontra?
    ALGUÉM sabe de algum almirante no governo ou capitão de Mar e Guerra ou até mesmo de Corveta?

    Volto a frisar:
    A sensação é de total abandono.
    Bolsonaro está pendurado no pincel, e não suportará permanecer até o fim de seu mandato.
    A menos que o seu orgulho, vaidade, de se achar adequado à função, o impulsionem até as próximas eleições, que já deve estar sabendo que a sua reeleição está a cada dia mais distante, merecidamente!

  8. Caro Chicão, sempre é muito bom ler o que você escreve. Sempre o faz com muita propriedade.
    De novo, pra variar, acertou no alvo.
    Lembro que você, eu e outros colaboradores da TI, antes das eleições, pedíamos uma intervenção militar por pelo menos dois anos.
    Eu sei que você lembra…
    Vendo agora esse pessoal que se dizem militares, fico pensando que, ainda bem que não nos ouviram. rs
    Não daria certo porque o despreparo destes salta aos olhos. Não entendem de absolutamente nada.
    Nem de logística, fundamento básico para que quaisquer forças armadas funcionem a contento em qualquer país do mundo.
    O que aconteceu? Ficaram burros e despreparados? Ou pegaram cegueira pela grana que o ignóbil tá colocando no bolso deles.
    Caso você tenha um tempinho…
    Fica a vontade…
    Um forte abraço e muita saúde pra aturar toda esta doença.

  9. Meu caro amigo Espectro,

    A bem da verdade, a minha ideia foi complementar o teu excelente comentário, elogiado também pelo F.Moreno.

    Foi com base no que postaste que escrevi o meu texto.
    E, entendo, pelo que deduzo, pelo que observo, pelo que constato, que Bolsonaro tá perdido, não tem objetivo algum, muito menos um plano de ação tanto para esta crise com a pandemia, quanto ao caos instalado nos aspectos econômico, político e social.

    Em outras palavras:
    Mais uma vez o povo paga um preço altamente caro sobre a escolha feita em quem iria nos governar.
    Tá, admito, era a única opção contra o PT. Certamente não haveria outro candidato que derrotasse Haddad, fosse quem fosse.
    Mas, os danos estão sendo muito além do que podemos suportar, e aguardar por soluções mesmo que paliativas.

    Estranho, e esta é a minha perplexidade, que as FFAA não se envolvam prá valer na reconstrução do Brasil, após o ciclone-bomba petista!
    Talvez decepcionados pela conduta nada republicana do ex-capitão, e seus chiliques autoritários, pois agora comanda generais, o presidente é um sujeito impossível de se lidar!

    Mesmo assim, os militares deveriam levar em conta o povo e país, situação que não vejo atitude condizente à importância de uma nação com dimensões continentais, e de FFAA que precisam demonstrar que não só existem para nos defender, como querem o bem de todos nós.

    A menos, Espectro, que também os militares tenham se divorciado da população como sempre foi com as elites, os poderosos, as castas, agora do Judiciário e Legislativo e, nesse momento, com a instituição militar também alheia aos problemas do país!

    Logo, nos resta apenas e tão somente, sobreviver.

    Abração.
    Saúde e paz.
    Te cuida, meu!

    • Penso exatamente isso Chicão.
      Fico lisonjeado em saber que um texto meu te sirva de inspiração.
      Menos, Chicão, menos… rsrs
      Obrigado pela tua gentil e importante opinião.
      Em definitiva, o VIL METAL, COMPRA CORAÇÕES, MENTES E ALMAS.
      A conclusão (sua) é chocante mas verdadeira.
      Fomos esquecidos por todos.

      Respirar é preciso, é só que nos resta. Mesmo que esteja caríssimo, fazer o que?
      Vamos enfrente.
      Um forte abraço,
      Cordialmente.

  10. Espectro, meu guri,

    Tu és um comentarista inteligente, sagaz, observador, um cara atento aos acontecimentos que movem ou não o país, e que prejudicam ou não a vida do povo.

    Lamentavelmente, temos hoje muito mais situações que aumentam nossos problemas que os amenizassem, pelo menos.
    Considerando o descaso do governo pela Educação, Saúde e Segurança, somados ao desemprego, miséria, pobreza e, agora, a pandemia, Bolsonaro teria infindáveis oportunidades de fazer algo por este país, por mais simples que fosse!

    Mas, nega-se a fazê-lo ou não sabe o que fazer, repito.

    Por uma dessas casualidades nocivas e nefastas, acumulou-se à incompetência do Planalto um surto viral de alto teor letal, que mais ainda trouxe problemas ao povo e país.
    Se, em condições normais de temperatura e pressão, o presidente já se encontrava confuso, perdido, atabalhoado, em meio a várias crises Bolsonaro aloprou!

    E,a sua equipe, demonstra à nação que não só é igual ao chefe como pior do que ele!

    Morto por ter cão, morto por não tê-lo, é assim que nos encontramos nesse momento, Espectro.

    Outro abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *