Em ritmo de inrcia, o ano termina sem oramento de 2021, reformas e projetos contra a crise

CHARGE-DO-DIA-Cayton-Congresso-Nacional | Pdua Campos

Charge do Clayton (O Povo/CE)

Luiz Calcagno e Jorge Vasconcellos
Correio Braziliense

A falta de entendimento entre o governo e o Congresso est levando o Brasil a terminar 2020 sem a aprovao das reformas e de outros projetos importantes para a recuperao econmica. Em um cenrio marcado por crises entre os dois Poderes, obstrues na Cmara e eleies municipais, nem mesmo a votao do oramento do prximo ano est garantida.

As reformas tributria e administrativa, fundamentais para o pas sair da crise, dificilmente sero votadas at o recesso de fim de ano do Legislativo. Uma recente e breve trgua entre o presidente da Cmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a alimentar expectativas em relao ao avano dessa agenda. Porm, h poucos dias, o parlamentar e o ministro voltaram a trocar farpas publicamente.

BRIGA COM SALLES – Como se no bastasse, o clima tambm esquentou entre Maia e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, depois que o parlamentar foi chamado de “Nhnho” em uma postagem no Twitter oficial do ministro.

A situao se complica ainda mais com as sucessivas obstrues do Centro bloco parlamentar de apoio ao governo s votaes na Cmara. H um ms que nenhuma matria apreciada no plenrio da Casa.

O movimento do grupo, cujo lder o deputado Arthur Lira (PP-AL), feito em protesto contra o impasse em torno da presidncia da Comisso Mista de Oramento (CMO) da Cmara. Mesmo com prejuzos para a tramitao de projetos importantes para o governo, o Planalto no tem se movido para buscar uma soluo.

BLINDAGEM POLTICA – Para o cientista poltico Andr Pereira Csar, da Hold Assessoria Legislativa, esse cenrio leva a crer que a aproximao do presidente Jair Bolsonaro com o Centro, atravs da oferta de cargos ao bloco, visava mais a blindagem poltica do presidente no Congresso do que a aprovao de uma agenda de recuperao econmica para o pas.

Em razo disso, observa o especialista, deixam de ser apreciadas, alm das reformas, matrias importantes como a PEC emergencial, a lei do gs, a anlise do veto presidencial desonerao da folha de pagamento, entre outras.

“Se voc pensar em retomada do desenvolvimento do Brasil, ela passa por tudo isso. um cenrio muito ruim, desolador. O Brasil j sofria antes, mas a pandemia piorou tudo, e a classe poltica no est conseguindo um mnimo entendimento. E isso se mostra nessa dificuldade de se avanar em uma agenda consensual”, afirmou Andr Pereira Csar.

MAIS COMPLICAO O analista conclui lembrando que a situao se complicar ainda mais em janeiro de 2021, vspera da eleio para a presidncia da Cmara. “Ser um clima de guerra entre Rodrigo Maia e o Centro”.

J o lder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), considera que as eleies municipais so o principal fator desfavorvel ao avano das pautas legislativas como um todo. Mas ele discorda que projetos importantes no estejam tramitando.

O parlamentar assegurou que os motores voltaro a se aquecer j na prxima semana, quando o Senado se reunir virtualmente. Acrescentou que, embora ainda no exista acerto sobre a ordem do dia da prxima plenria, antecipou uma lista de pautas importantes que podem entrar no debate.

A pauta econmica ser retomada na prxima semana com Banco Central e lei de falncias. Aps as eleies, deveremos avanar com pelo menos oito importantes iniciativas no Senado. Entre elas, destaco a lei do gs, a concesso ferroviria, o marco legal do setor eltrico e o relatrio do senador Marcio Bittar (sobre o Renda Cidad), garantiu.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG claro que o lder do governo teria de fornecer uma viso amenizada da crise, mas acontece que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, est dedicado 24 horas por dia a costurar um acordo inconstitucional que possa permitir sua reeleio ilegal para presidir o Senado por mais dois anos. O resto folclore, como gosta de dizer nosso amigo Sebastio Nery. (C.N.)

3 thoughts on “Em ritmo de inrcia, o ano termina sem oramento de 2021, reformas e projetos contra a crise

  1. Olha s que interessante: no Dirio Oficial desta quarta-feira (11) saiu uma portaria do Ministrio da Defesa que institui o calendrio de vacinao militar.

    Pargrafo nico: as vacinas e os perodos estabelecidos sero OBRIGATRIOS

    Tambm no Dirio Oficial de hoje saiu uma resoluo da Anvisa que dispensa a apresentao de cpias autenticadas e reconhecimento de firma em documentos apresentados ao rgo

    https://twitter.com/SamPancher/status/1326368342383464448

  2. D nojo esta tal de reeleio !!!
    Os ratos de todas as esferas s pensam nisto…
    Os vagabundos, canalhas,trambiqueiros de toda sorte e sabidamente inteis e incompetentes, j assumem os cargos pensando em serem reeleitos…
    E continuar a farra com o dinheiro alheio roubado, na maior cara de pau…
    E ficam estes trastes desavergonhados a pedirem votos, como pedem esmola, com estas caras lavadas, simulando honestidade,apenas para encherem mais os prprios bolsos, com dinheiro pblico e irem se reelegendo at quando der…
    Cumprir com a obrigao dos cargos e trabalhar honestamente nem passa pela cabea destes bandidos cretinos que tanto envergonham esta Nao.
    Credo !

  3. Felipe Quintas (via Facebook)

    Bolsonaro, quando ameaa fazer guerra contra os EUA, quer transformar a Amaznia nas Malvinas brasileiras. Nada mais conveniente para legitimar a internacionalizao da Amaznia do que declarar uma guerra contra uma potncia muito mais forte, na qual obviamente o Brasil ser DERROTADO e HUMILHADO e ainda perder a Amaznia sem que possa dizer que foi roubado. Nada mais conveniente para demonizar todo nacionalismo verdadeiro do que apostar em um pseudo-nacionalismo anti-patritico que, em vez de defender o Brasil, fornece o pretexto e a ocasio para que seja ATACADO e ESPOLIADO. Nada mais conveniente para desmontar as Foras Armadas brasileiras do que envolv-las em uma guerra suicida que resultar apenas na desmoralizao definitiva das foras militares, que, gostando ou no os liberais e os progressistas, so responsveis por parte considervel do que ainda temos de pesquisa (ITA, IME), indstria (So Jos dos Campos, INB, IMBEL, LFM, LAQFA, Helibrs, engenharia militar, entre outros) e proteo aos ndios (vacinao, entrega de medicamentos etc.) e floresta amaznica (combate s queimadas, ao garimpo ilegal, ao contrabando de madeiras e espcies, pelo menos o que temos de tudo isso).

    Da mesma forma que a Junta Militar entreguista e subserviente que governava ditatorialmente a Argentina desacreditou o nacionalismo argentino e os legtimos reclamos desse pas sobre as Malvinas, e ainda forneceu o pretexto para desmontar a corporao castrense, Bolsonaro, igualmente entreguista e subserviente, quer fazer o mesmo em relao ao nacionalismo brasileiro, Amaznia e aos militares brasileiros.

    O verdadeiro nacionalismo brasileiro, como afirma o Conde de Affonso Celso em seu belssimo, importante e justamente por isso esquecido e ridicularizado livro “Porque me Ufano do Meu Pas”, no fornece pretextos e ocasies para o Brasil ser invadido, mas procura fortalecer o vigor moral do pas para ele ser respeitado e se manter altivo e independente. Tudo o que Bolsonaro procura desfazer.

    https://www.facebook.com/felipe.quintas.1/posts/1456253151238601

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.