Em sabatina, Haddad repete a falsa acusação de tortura ao general Mourão

Candidato a vice, General Mourão (PRTB) é companheiro de chapa de Jair Bolsonaro (PSL) Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

Mourão diz que Geraldo Azevedo estava de porre…

Deu em O Globo

Durante a sabatina no Jornal O GLOBO , o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad , repetiu acusação equivocada feita no sábado pelo músico Geraldo Azevedo , em show em Jacobina, na Bahia. Azevedo disse que foi preso duas vezes na ditadura e que foi torturado. Segundo o artista, o general Hamilton Mourão era um dos torturadores.

Azevedo acusou o general Hamilton Mourão, candidato a vice de Jair Bolsonaro de ser um dos seus torturadores no período em que foi sequestrado e preso em 1969.

TORTURADO – “Olha, é uma coisa indignante, cara. Eu fui preso duas vezes na ditadura, fui torturado. Você não sabe o que é tortura, não. Esse Mourão era um dos torturadores lá” – declarou o artista, durante show no interior da Bahia.

O senador Lindbergh Farias (PT) compartilhou nesta terça-feira um vídeo do momento em que o artista relata a tortura que sofreu e cita Mourão. “Geraldo Azevedo critica apoio de Bolsonaro a torturadores”, diz o post do petista.

No ano de 1969, no entanto, Mourão tinha 16 anos. “Esse cara (Azevedo) bebeu. Observe que, em 1969, eu estava no Colégio Militar, em Porto Alegre, no 1º ano do 2º grau — disse Mourão ao Globo. E consulta à Comissão da Verdade não mostra citação alguma a Mourão, que entrou para a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) em 1972.

PEDIU DESCULPAS – O cantor reconheceu o erro e pediu desculpas pelo “transtorno causado”. Em nota, a assessoria de imprensa de Geraldo Azevedo destacou que o cantor “foi uma das vítimas da ditadura militar instaurada em 1964”, sequestrado e torturado em 1969 e 1974. Nesta terça-feira, o cantor reconheceu que o candidato a vice não estava entre os responsáveis pela violência.

“Geraldo Azevedo se desculpa pelo transtorno causado por seu equívoco e reafirma sua opinião de que não há espaço, no Brasil de hoje, para a volta de um regime que tem a tortura como política de Estado e que cerceia as liberdades individuais e de imprensa”, diz a nota.

HADDAD INSISTIU – Durante a sabatina, Haddad disse que o adversário Jair Bolsonaro era “figura desimportante no meio militar”, mas representava “o que sobrou dos porões (da ditadura)”. O petista citou Geraldo Azevedo e chamou Mourão de torturador. Mais adiante na entrevista, voltou ao tema e destacou que teme uma gestão presidencial “com um vice torturador”.

— (Bolsonaro) É figura desimportante no meio militar. Mas o Mourão, por exemplo, ele próprio foi torturador. Geraldo Azevedo declarou até em um show que foi pessoalmente torturado pelo Mourão — frisou Haddad.

Confrontado com a negativa de Mourão, após a sabatina, Haddad indicou que Geraldo Azevedo fosse ouvido sobre o caso.

— Entrevista o Geraldo Azevedo — respondeu Haddad.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Desculpa, foi engano, esta é a marca registrada da primeira eleição em que houve real predomínio das redes sociais, infestadas de fake news. Neste clima, para onde vamos? Ninguém sabe. (C.N.)

17 thoughts on “Em sabatina, Haddad repete a falsa acusação de tortura ao general Mourão

    • Nós vamos para onde desejarmos, seu redator. O povo já demonstrou nas eleições o que quer e Bolsonaro demonstra querer o mesmo. Temos que estar atentos para os que querem manter os privilégios e retornar ao poder mais tarde.
      Há vários meios de matar uma cobra, o povo escolheu o meio democrático das urnas. É preciso ficarmos atentos para que as instituições sensíveis á crítica pública, saibam também respeitar o povo. (Viu Celso de Mello, viu Toffoli, viu Lewandowsky, viu Gilmar?)

  1. Não foi nesse contexto que havia uma mala de dinheiro?
    “Segundo a investigação, Flávio de Souza Guimarães foi a Minas escoltado de policiais civis de São Paulo que faziam bico de segurança para trocar dólares com o proprietário dos R$ 15 milhões, Antonio Vilela, de 66 anos. “

  2. Haddad é um pau mal mandado!
    O que tem dito de babaquice mentiras.
    No fundo, bem no fundo, Haddad Malddad é um fascista!
    Depois das eleições, deverá ser internado para tratamento mental.
    Jamais deixa de ser o “bonequinho marionette” e poste de bêbado.

    Fallavena

  3. Haddad e cia, estão tão desesperados, que serão capaz atê de simularem um atentado ou coisa semelhante, para tentar comover a opinião pûblica.

    Desses caras, nada ê impossivel……

  4. Mourão deve ingressar na justiça contra Haddad.
    Se ele não sabe que o “cantor” praticou um ERRO GROSSEIRO, deve estar com problema de assessorias.

    Não dá para deixar passar tudo. É preciso que as pessoas se responsabilizem quando atacam outras e usam mentiras.

    se fosse eu, ingressaria na justiça.

    Fallavena

  5. Podemos aguardar tudo eles tem o respaldo dos “acovardados indignados” que só estão esperando que eles perpetuem mais um de seus crimes . Até domingo esse país vai passar do imponderável, pois o ódio da derrota é tão grande que os acovardados irão proteger em “nome da democracia e do funcionamento das instituições” que os petralhas continue com suas “delinquências fluentes” até reverter na marra um derrota grandiosa, e não vamos precisar de “Var” ,nas ruas o povo tem a certeza e não confiam e nem acreditam nessas “ditas instituições que fingem funcionar”, mas que estão caminhando, como sempre, contra o Brasil, seu Povo e seu Futuro !!!

  6. Eu sim que estou sendo torturado pelo PT. Demiti 15 Funcionários, que não encontram mais colocação.
    Tem Funcionário que trabalhava comigo desde 1981. Estes marxistas que provocaram isto, devem achar que eu agora vou acender charutos com nota de R$100,00 e dar gargalhada sobre a desgraça dos Colaboradores.

    • Mas o que houve para sua empresa estar assim são os riscos do negócio. Época de vacas magras. Ciclo econômico etc.
      A dependência do país em relação capital estrangeiro é que deveria ser a preocupação.

      Somado com o desaquecimento das economias mundiais, redução do valor de commodities, defasados sistemas tributário e fiscal, corrupção no setor público e sonegação de empresas, inclusive, e sabotagem política, pois projetos não foram votados pois a colocação em pauta dependia dos presidentes da mesa da Câmara e do Senado, que só liberavam mediante liberação de verbas de emendas, o que proporciona, na sequência, a conspiração para o golpe.

  7. Desculpem-me. Mas gostaria de ser melhor esclarecido quanto ao assunto, e peço luzes dos sábios leitores e comentaristas desta Tribuna.

    A ditadura brasileira (empresarial-militar) vigorou de 64-1985, correto?

    Então porquê não pode acusar ou insinuar que Mourão, especialmente, considerando que desinformado pela Aman em 1975, ou Bolsonaro, eram torturadores uma vez que um em maior tempo, e outro em menor duração, serviram no regime?

    Agradeço desde já.

    • O acusador deu a data e esta é incompatível com o fato, já que o acusado tinha apenas 16 anos e não havia entrado no Exército.

      Acusar é fácil, não precisa provar nada, desde que as datas sejam compatíveis.
      Nesse caso, o Geraldo Azevedo afirmou o fato, mas foi apanhado pela data do acontecimento.
      Outras acusações são mais bem “gestadas”.

  8. Acusar alguém de um crime grave, que causa ódio ou desprezo, parece não ter importância.
    Isso tem que acabar.
    As pessoas não podem ser levianas.
    Já Haddad, além de leviano, age de má fé. O histórico desse senhor é só baixaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *