Em seu delírio ensandecido, o presidente Bolsonaro pensa que pode fechar os jornais

Resultado de imagem para bolsonaro e imprensa charges

Charge do Lane (Charge Online)

Vicente Limongi Netto

Caramba, estava quieto, lendo as maravilhosas “Confissões”, de Santo Agostinho, quando recebi os jornais com o novo disparate do imbecil. É duro, amigo. A omissão enfraquece o espírito, ao ver o presidente da República dizendo: “O melhor é fechar os jornais”. A alma intolerante, truculenta e rancorosa de Bolsonaro finalmente revelou o sonho antigo do mito de barro, enquanto segue a catástrofe varonil. 

Brasil desgovernado. Com marcas assustadores de perto de 270 mil mortos pela covid e 15 milhões de desempregados.  Escassez de vacinas. Maus gestores. Brigalhada pelo poder. Ânimos exaltados. Militares afrontando o Judiciário. Fabricantes de armas em milionária lua-de-mel com o presidente. O guloso Centrão dando as cartas. Horizontes sombrios. A caneta de horrores palaciana está cheia de tinta. Filme ruim, repetitivo e macabro. Oremos.

HIDRA DE LERNA – Alguns textos merecem destaque. Cativam e energizam esperanças e força espiritual. São magníficos e exemplares pela força que irradiam. Como o recado do leitor Pedro Luiz Bicudo, no Fórum dos leitores do Estadão, do dia 14:

“A imprensa é como a Fênix, a ave imortal que sempre renascerá das cinzas, mesmo quando colocada num subsolo. Já os maus políticos são como a Hidra de Lerna: cortada uma cabeça, nascem duas”. Infelizmente.

“VACINA SIM” – Aplausos para a meritória campanha, “Vacina, sim”, lançada pelo Fantástico. Gente bonita, feliz, esperançosa e cativante. Tomando vacina. Dentro  de camisetas coloridas. 

Destoando do grupo, surgem na tela dois colunistas. Desprezíveis e mais feios do que fratura exposta. A seringa quebra. Não entra na pele da asquerosa dupla. Um do Globo, outro do Uol.  Não percam vacinas com eles.  Vasos ruins não quebram.

CHILIQUE NA GLOBONEWS – Desespero entre os notáveis analistas da Globonews: o Senado norte-americano rejeitou o impeachment de Donald Trump. Prantos e chilique nos bastidores do grupo Globo. Alguns mais radicais ameaçam cortar os pulsos. Não admitem nem permitem que Trump e o partido Republicano continuem fortes e influentes na política norte-americana. Odeiam o contraditório.

Não há vacinas contra o patrulhamento doentio.  A vontade da patrulha tem que prevalecer. Moçoilas e rapazolas da extraordinária GloboNews pensam em fazer vaquinha digital para obter recursos para tentar reverter a decisão do Senado na Suprema Corte norte-americana. A esperança é a última que morre.

9 thoughts on “Em seu delírio ensandecido, o presidente Bolsonaro pensa que pode fechar os jornais

  1. Existem sim vacinas para essa patrulha a que se refere a TI trata-se e será aplicada na reeleição de Bolsonaro em que essa esquerdalha tem tido uma substancial parcela Aguardem 2022, vai ser no primeiro turno e de lavada, Barba cabelo e bigode.
    PS: a matéria com as denúncias da Globo foi convenientemente apagada neste jornaleco eletrônico(TI) afinal ele, a TI faz parte da quadrilha de veículos da imprensa( o dito Consórcio).
    Bem conveniente mesmo.

  2. Esquerdalha enfurecida pois acabaram as mamatas e boquinhas.
    Bolsonaro reeleito em 2022 no primeiro turno.

    Infelizmente a canhota quebrou o país e agora vive falando em democracia querendo replicar o regime cubano no país.

  3. Aguardo ansioso setembro/2022 qdo vence a concessão à Rede Globo (Globolixo somente após 2019).
    Já sei o que vai acontecer: O MITO vai dirigir se aos seus seguidores, fazer um discurso comovente e expor um motivo totalmente espúrio para RENOVAR a concessão.
    É típico de Bolsonaro dizer uma coisa e fazer outra.
    Anotem.

  4. Olha, até que as palavras proferidas pelo presidente podem ser deturpadas, pois Bolsonaro não sabe se expressar.

    Mas, quanto ao seu comportamento, suas atitudes, suas omissões, atos de violência, falta de tato, má educação, arrogância, prepotência, imbecilidade … tem sido o presidente que tem adulterado o modo como deveria se conduzir nesta condição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *