Em vez de batom, é dinheiro na cueca, mas Rodrigues confia na cumplicidade dos senadores

Chico Rodrigues e o dinheiro na cueca - Nando Motta - Brasil 247

Charge do Nando Motta (Arquivo Google)

Eliane Cantanhêde
Estadão

A semana passada começou com a canetada do ministro Marco Aurélio, que soltou o líder do PCC André do Rap, e terminou com uma outra liminar monocrática, do ministro Luís Roberto Barroso, afastando o “senador da cueca” do mandato e abrindo uma crise entre Judiciário e Legislativo. O presidente do STF, Luiz Fux, tem ou não razão em mirar o excesso de decisões individuais?

Marco Aurélio já beneficiou 79 presos com base na mesma lei que usou para André do Rap e, segundo levantamento do Estadão, o governo e os cidadãos brasileiros estão consumindo fortunas para recapturar 21 desses presos soltos na leva marcoaureliana.

MANDAR A CONTA – O governador João Doria (SP) calcula gastos de R$ 2 milhões só para André do Rap e desabafa: “Dá vontade de mandar a conta para o ministro!” E não é que dá mesmo?

Aliás, o traficante ofereceu R$ 8 milhões de propina para os policiais que o prenderam, o que é um agravante. Imaginem a irritação desses policiais com todo seu esforço jogado fora e um sujeito deste tipo solto por aí, no bem-bom.

De útil, esse erro serviu para acordar a opinião pública para decisões idênticas que vinham se repetindo; ratificar a posição de Fux ao derrubar a liminar de Marco Aurélio; avisar ao mesmo Fux que presidentes não estão acima dos demais e só agem assim em casos excepcionais; abrir o debate sobre a avalanche de decisões individuais num tribunal de 11 votos.

PRESOS ILEGALMENTE – O efeito prático, porém, foi jogar luzes no artigo 316 do Código Penal. Ao contrário do que se imagina, e até com boas razões, a intenção do legislador não foi beneficiar corruptos e bandidos como André do Rap, mas sim trazer uma solução para um problema crônico: os mais de 200 mil brasileiros que neste momento estão presos provisoriamente, muitos indevida ou até injustamente. O objetivo foi evitar que provisório se eternize.

Não deu certo. Em vez de beneficiar pobres, negros e desvalidos, o artigo 316 é usado por bandidos cheios de dinheiro, como André do Rap. Por isso, o nonsense de Marco Aurélio serviu também para o plenário limitar a abrangência do artigo: ele não obriga a soltura do preso, só abre o questionamento sobre a manutenção da prisão.

DINHEIRO NA CUECA – Assim como soltar André do Rap causou uma comoção nacional, os R$ 33 mil na cueca do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) mobilizaram mídia, redes, chargistas e gozadores em geral. E assim como Marco Aurélio não titubeou em botar um em liberdade, Barroso também não ao afastar um senador do mandato. Nova confusão!

O ministro explica que sua decisão – que só chegou ao Senado na sexta-feira à noite, obviamente para dar tempo a um acordo – não foi por causa da cueca, mas sim porque Rodrigues era simultaneamente (até então) da comissão do Senado sobre recursos da covid e investigado por desvios na Saúde em Roraima. O fato é que isso dividiu o Senado e o STF.

UM SENADOR FORTE – Rodrigues tem a cara do Professor Raimundo do Chico Anísio, mas não é fraco, não. Além da “união estável” com Jair Bolsonaro e da vice-liderança do governo no Senado, é amigão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que depende do Supremo e dos senadores para uma missão que, se não é, deveria ser impossível: a reeleição para o cargo.

Os dois são senadores do Norte e do DEM e Rodrigues liderava as articulações para as ambições continuístas de Alcolumbre, que quebra a cabeça, com a Advocacia do Senado, para sair da enrascada. Uma coisa é certa: com ou sem dinheiro na cueca – que é só a parte pitoresca da história –, o senador não será cassado pelo Senado, nem pelo STF. Se licenciou e vai esperar o tem passar.

Há três anos, a corte decidiu que só Câmara e Senado têm poder para suspender ou cassar deputados e senadores e, vamos combinar, nenhum dos dois tem pressa em julgar colegas, mesmo presos ou de tornozeleira. Não é, deputada Flordelis?

5 thoughts on “Em vez de batom, é dinheiro na cueca, mas Rodrigues confia na cumplicidade dos senadores

    • No vale tudo para soltar bandidos de alta periculosidade para a sociedade quem paga o pato é a própria.
      Ela é roibada pelo bandido, deppis paga para prender, mais adiante, paga para mamtee preso, aí bem um Marco das orelhas grandes ou um Gilmar beiçola e solta o bandido, depois pagamos novamente à justiça parabse reunir em plenário para decidir o contrário, aí tem que prender o cara que sw evadiu.
      Nem em novela mexicana tem tanto drama e trapalhada.
      No entanto que ganha mesmo é o ladrão e os funcionários públicos que percebem altos salários para para prestar serviços desnecessários produzidos pela própria incompetência e corrupção.
      Todos sabemos que isso tudo acabará muito mal porque os que verdadeiramente produzem são im número cafa vez menor e menor ainda é produtividade.
      Portanto se não dá para pagar todo o prejuízo dado pelo estado, lança-se mão de empréstimos através dos títulos da dívida pública que já passou dos seis trilhões de reais.
      Enquanto perdurar essa irresponsabilidade do pessoal do estado, com rarissimas exceções, esse déficit vai aumentar, inclusive com a desindustrialização que é o setor que melbor poderia aguentar esse tranco, pois esse mesmo não tem mais fôlego.
      O campo e o setor de serviçosnão aguentam esse arrocho, então vamos para o vinagre como se.diz na gíria, se não tivermos uma guinada rápida através de uma reforma administrativa que corte pela metade os gastos do estado, começando pelos salários doa funcionarios públicos, militares e de estatais que são incompatíveis com a produtividade do setor produtivo brasileiro.

  1. Dinheiro no brioco não tem explicação!
    Simples assim.

    Vamos nos fud… esborrachar com força!!

    Cordialmente.

  2. OS TRAPALHÕES: Todos os dias no Brasil, 24 horas por dia, trapalhadas das mais diversas, oferecidas ao povo pela política bandida,canalha e mal intencionada que tomou conta do País, desde que o Cabral (o do descobrimento),aqui aportou em 1500.
    Obs ‘: As trapalhadas não tem a menor graça para o povo brasileiro, mas servem de chacota para mundo inteiro, na desqualificação cada vez maior deste lugar despedaçado chamado Brasil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *