Embaixada dos EUA disse em 1976 que Geisel tentaria controlar as execuções

Resultado de imagem para geisel

Telegramas da CIA detalham os objetivos de Geisel

Rubens Valente
Folha

Um telegrama norte-americano reforça trecho do memorando da CIA de 1974 no qual o então diretor da agência, William Colby, disse que o general e então presidente Ernesto Geisel (1974-1979) buscaria ter o controle sobre o principal órgão de repressão do Exército, o CIE (Centro de Informações do Exército).

O telegrama, enviado ao Departamento de Estado em 1976, integra o mesmo lote de documentos liberados pelo governo dos EUA em dezembro de 2015 no qual o professor da FGV e colunista da Folha Matias Spektor localizou o memorando que informava que Geisel avalizou assassinatos de adversários do governo.

DIREITOS HUMANOS – Assinado pelo então embaixador dos EUA em Brasília, John Crimmins, o telegrama diz que o novo chefe do CIE, general Antonio da Silva Campos, “está no cargo há menos de um ano e parece ser a escolha do presidente Geisel para apertar o controle sobre a agência-chave de segurança no Brasil que atuou no passado com considerável autonomia e foi associada a algumas violações de direitos humanos”.

Diz ainda que, apesar da “determinação de Geisel de encerrar os maus-tratos, [o CIE] ainda não perdeu, ao olhos do público, sua associação com os antigos abusos aos direitos humanos”.

O telegrama discutia a possibilidade de o governo norte-americano convidar Campos para uma visita secreta aos EUA. Mas o embaixador disse aos seus superiores que não estava muito confortável para fazer o convite porque o Brasil participava naquele momento da “Operação Condor”, uma associação entre ditaduras latino-americanas para localizar e matar opositores fora de seus países e na Europa.

OPERAÇÃO CONDOR – Segundo o embaixador, a visita do chefe do CIE poderia ser interpretada por países-membros da Operação Condor como um aval dos EUA à operação.

O telegrama corrobora o entendimento de parte de historiadores e jornalistas que pesquisaram o período segundo os quais Geisel trabalhou para a abertura do regime militar, mas ao mesmo tempo tinha conhecimento de assassinatos extrajudiciais e manteve a repressão, agora sob controle mais estrito do Palácio do Planalto.

Em outro documento que integra o mesmo lote de papéis liberados em 2015 há mais um memorando produzido pela CIA que novamente indica uma proximidade com figuras-chave do governo, os generais João Baptista Figueiredo, então chefe do SNI (Serviço Nacional de Informações), e Golbery do Couto e Silva, então chefe do gabinete civil de Geisel.

ABERTURA – O documento não aponta a fonte da informação, mas sugere que podem ter sido os próprios generais. “Eles [Figueiredo e Golbery] expressaram o seguinte: que a política de ‘descompressão’ (permitindo uma atividade política mais ampla) é um objetivo do governo e está próxima. Ela será cautelosa e medida. A oposição e outros [atores] terão que se comportar de maneira responsável.”

O papel foi assinado pelo general Vernon Walters (1917-2002), então vice-diretor da CIA, que tinha contatos estreitos com os principais militares brasileiros e foi um ativo conspirador no golpe de 1964 no Brasil, onde trabalhara como adido militar da embaixada norte-americana.

O telegrama de Walters é de 25 de julho de 1974, três meses depois do memorando da CIA revelado na semana passada, no que o então diretor da agência, William Colby, informou ao secretário de Estado Henry Kissinger os detalhes de uma reunião que envolveu Geisel e Figueiredo.

MONOPÓLIO DA PETROBRAS – O documento assinado por Walters mostra que a CIA continuou tendo acesso a dados da alta cúpula da inteligência militar da ditadura. O militar aparenta ter discutido com Figueiredo e Golbery tema econômico de interesse imediato dos americanos, a exploração de petróleo.

“O Brasil percebeu que o monopólio da exploração do petróleo pela Petrobras não vai gerar novos campos. Em cerca de um ano eles vão alterar a legislação em vigor de forma a permitir que os EUA e a Europa ocidental participem, pois só eles têm a tecnologia necessária. Essa é uma ruptura com um duradouro mito nacionalista e levará um ano para que jovens oficiais e outros sejam educados a fim de aceitar a necessidade fundamental de permitir a participação estrangeira na prospecção de petróleo. Este é um passo muito expressivo”, escreveu Walters.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Nossos irmãos do Norte controlavam tudo e insistiam em derrubar o monopólio do petróleo, uma meta que já conseguiram parcialmente, com a colaboração vassala do PSDB e do PT. Se deixarem Pedro Parente lá na Petrobras, ele entrega até as chaves aos americanos. (C.N.)

20 thoughts on “Embaixada dos EUA disse em 1976 que Geisel tentaria controlar as execuções

    • Concordo, com vc, o temer tem de se fuder, e tem de ter gritaria sim, esse cara compactuou com tudo durante os governos do pt não pode sair ileso não.

  1. É trágico e cômico essa discussão sem fim, sabemos de todos os mal feitos dos militares de 30 anos atras, mas ainda estamos discutindo isso até hoje, qual o sentido, empurrarmos para daqui a 30 anos os malfeitos da esquerda de hoje? é esse o sentido? ha, então na verdade é só cortina de fumaça pra esconder os malfeitos da atualidade?
    Mas já que estamos falando do passado cruel dos milicos das atrocidades desses nazistas desalmados, que tal falarmos também das atividades dos benevolentes caridosos democratas que lutavam bravamente pelo nosso pais.
    Me falaram que o nazismo nasce na verdade no partido trabalhista Alemão isso é verdade?

  2. Pergunta, quem começou com atos terroristas em solo brasileiro os militares ou os dissidentes?
    Alguém com conhecimento de causa pode me responder?.

  3. Governo americano não se mete em assuntos ou problemas de empresas.
    Petróleo naquela época, praticamente não existia no Brasil.

  4. em relação aos militares não adianta falarem mal… eles fizeram o que todos esperavam que fosse feito… quiseram brincar de guerrilheiros e a máquina do exercito não perdoou… era e é muito mais forte até hoje… alguém ousa duvidar do poder? quanto à petrobras, quebrar ela para o pt, mdb e psdb roubarem pode?

  5. Sim, o petróleo preocupa tanto os americanos que eles nem exploram o deles. Esta fobia quanto a Petrobrás só é boa para as empreiteiras e os políticos corruptos.

    • E o Ciro branquinho Gomes disse que vai nacionalizar todas as indústrias…. Por isso está buscando acordo com o que é de pior, na verdade é o Ciro branquinho o que é de pior.

  6. Só quem não aceitou a queda do muro de Berlim , que ainda hoje vive rancoroso do passado. O pseudo vitrinismo é quase impossibilidade ter cura.

  7. Ué qual o espanto?

    Provavelmente teremos milhões (não só milhares _) de elogios de politicos do PT, PSol, PCB, PC do B etc para Fidel, Lenin, Mao, Ceaucescu, Pol Pot, Ahmadinejad, Chavez, Maduro, Hoxva, Che , etc……

    Isto pode claro , porque são heróis…

    Andar o dia todo com camiseta do Che ( executor mor de paredon) pode

    Vamos parar com esta enrolação.

    Deixa a população decidir sobre um capitão que elogia militares e um condenado que é elogiado por seus fanáticos.
    Isto claro se não surgir nada melhor

    Ja disse : chega de cair na armadilha da esquerda ditar a agenda.
    Deixe-os falarem sozinhos….
    Quando a grana vai acabando, vai diminuindo a imprensa amiga então o caminho é infetar a internet.

    Não vamos cair nesta armadilha….
    Vamos discutir os planos do futuro e ai vamos ver que 15 anos para eles foi muito pouco para implantar a revolução.

    Pelo amor de Deus, vejam e ouçam os depoimentos da delegação do Grêmio que esteve na Venezuela e imaginem como alguém pode defender algo parecido….

    Isto que os EUA ao contrario do “monstruoso e asfixiante bloqueio Econômico de CUba” (razão de todos os males) compram e pagam muito petróleo da Venezuela.

    Saudosista de 64 é duro de aguentar e esquecistas de 2003 a 2015 pior ainda.

  8. O ódio dos Estados Unidos a Geisel é consequência principalmente do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha e ao rompimento do Acordo Militar Brasil EUA em 77 por Geisel. Isso explica a “preocupação” do Governo Carter com os “direitos humanos” no Brasil. Estados Unidos ridículos. Doze anos antes o Partido de Carter derrubou Jango, depois mandou Dan Mitrione e outros professores de tortura para o Brasil e aí em 77 vem cobrar respeito aos direitos humanos no Brasil. Cinismo e hipocrisia maior só os da Globo.

  9. Esse bla bla bla já encheu o saco. Chega, caras, são poucos os idiotas que torcem pelos comunistinhas daquelas décadas. Quiseram bancar o Ché Guevara e sentaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *