Embalada, a seleção parte para nova etapa rumo ao hexacampeonato

Imagem relacionada

De volta à equipe, Marcelo é sempre um show à parte

Pedro do Coutto

Exatamente isso. A seleção brasileira dentro de poucas horas enfrenta a Bélgica e vamos torcer para a vitória que nos aproximará do desfecho da Copa do Mundo de 2018. Estamos na 21ª taça mundial, percurso iniciado em 1930 no Uruguai, e que agora tem a Rússia como grande palco proporcionado pela televisão. Nas vinte copas disputadas até hoje o Brasil foi à final 7 vezes. Praticamente no índice de 30%.  Vencemos cinco copas e perdemos duas finais. Na estrada do esporte prevaleceu a qualidade e a magia de seleções em várias épocas.

Escrevo este artigo na tarde de quinta-feira e sei que o jogo começa as 15 horas. Por isso vou aguardar o resultado para voltar a comentar o tema chamado futebol.

CONFIANÇA – A torcida brasileira, depois das vitórias contra a Sérvia e o México, voltou a confiar em nossa capacidade de chegar mais uma vez ao título mundial. A equipe se reencontrou consigo mesma e com o chamado futebol arte. Porém, futebol não se ganha na véspera e depende tanto de ações ofensivas quanto defensivas.

Nesse ponto ganha importância a reportagem de Camila Matoso, Diego Garcia, Guilherme Garcia, Luis Consenzo e Sérgio Rangel, edição de ontem da Folha de São Paulo, a qual destacou a importância também da tática colocada em prática pelo treinador Tite. A matéria da FSP lembra, com oportunidade, o êxito também do setor defensivo. Em cinco partidas disputadas até agora, a seleção de ouro sofreu apenas um gol. Isso de um lado. De outro, a mobilidade do time, tanto atacando quanto defendendo. Nossa seleção também foi a que menos faltas cometeu.  A reportagem da FSP exibiu o que chamou de radiografia da defesa brasileira. Quadros estatísticos forneceram a comparação. 

EFICIÊNCIA – Realmente, a atuação do escrete brasileiro tem sido tão eficiente ao atacar quanto no defender. Alcança, assim, um patamar de alta importância porque, digo eu, a movimentação veloz da equipe tem apresentado a rapidez tanto no ataque quanto na defesa. O time vai a frente em bloco e em bloco também recua para a defesa. Isso aconteceu nas partidas em que derrotamos a Sérvia e o México.

Essa dualidade positiva finalmente passou a entusiasmar parte da população brasileira, Ainda não chegamos, e talvez não cheguemos ao clima de 70, 94 e 2002, quando as ruas estavam cheias de bandeiras e pintadas, alegria plena e confiança no êxito. É verdade que o desastre tanto do governo federal quanto o do Rio de janeiro, funcionaram para causar profundo desgosto na maioria da população, além de um sentimento de revolta que permanece no caminho para as urnas de 2018.

ENTUSIASMO – Porém o futebol talvez seja um panorama que nos levará ao entusiasmo perdido. Ontem mesmo, na véspera da partida de hoje, mais um escândalo explodiu no Ministério do Trabalho. Nesse caso, as substituições realizadas foram um verdadeiro desastre moral.

Voltando a seleção, vamos aguardar para que Neymar continue jogando de  primeira e participando do expresso da vitória. 

A vitória depende do conjunto e da atuação solidária de todos os jogadores. O Brasil aproxima-se da fase decisiva. Amém.

4 thoughts on “Embalada, a seleção parte para nova etapa rumo ao hexacampeonato

  1. Podem observar, este Marcelo só dá passes para a retaguarda.
    Nunca dá passes para o ataque.
    Observem durante o jogo, quantos ele atrasa e quantos este cara vai ao ataque.
    Para mim é uma decepção. Ou enganação.
    Cheira a dinheiro, interesses.

  2. Não sei …mas to com a pulga atras da orelha, sera que a saida de casimiro e a volta de marcelo vai abrir o caminho para uma derrota hoje? Vou torcer para que o Brasil de TITE seja mais honesto com o povo do que esse governo atual. Nos precisamos de uma Vitoria, ja estamos ganhando tanta porrada do governo que seria bom ter uma alegria.
    Neymar pare de cair e se contorcer de dor, eu acredito em voce, o dia que VOCE parar de fazer teatro o Brasil sera campeao.

    • Luiz,

      O Casemiro não joga hoje porque recebeu o segundo cartão amarelo no jogo com o México.

      Marcelo volta ao time porque sempre foi o titular da lateral esquerda.

      Abração.

Deixe uma resposta para Francisco Bendl Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *