Empreiteira alega que só pagou R$ 7 milhões, uma mixaria…

http://www.diariodopoder.com.br/wp-content/uploads/2014/11/julio-camargo-150x150.jpg

Camargo “comprou” barato

Deu no Estadão

“Regra do jogo conhecida por todos”. É assim que definiu o executivo Julio Camargo, em sua delação premiada, o esquema que cobrava propina em troca de contratos bilionários da Petrobras. O executivo da Toyo operacionalizava pagamentos de propina por meio de três empresas abertas por ele (Treviso, Piemonte e Auguri), em especial aos ex-dirigentes da Petrobras ligados ao PT – Duque e Barusco.

Ele e outro executivo do grupo apontaram por exemplo as obras da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná. Para ganhar as obras, participando dentro do Consórcio Interpar – controlado pela Mendes Júnior -, teve que pagar R$ 12 milhões em propina. Um contrato de consultoria foi firmado pelo consórcio com a empresa Auguri Empreendimento e Assessoria Comercial, usada pelo delator para movimentar a propina.

“Houve solicitação de pagamento de vantagem indevida por Renato Duque e Pedro Barusco do valor aproximado de R$ 12 milhões”, revelou o executivo. “O valor foi pago mediante transferências feitas no exterior”, apontou Camargo, indicando a conta de onde saiu, no Credit Suisse, a offshore que controlava a conta, a Drenos, e qual contrato da Auguri, no valor de R$ 40 milhões de comissionamento, respaldou a movimentação da propina.

Nas obras da Refinaria Revap (em São José dos Campos-SP), em 2007, fechado pelo valor de R$ 1 bilhão, a Toyo participou do consórcio que era controlado pela Camargo Corrêa. Ele cita o vice-presidente do grupo, Eduardo Hermelino Leite, preso em Curutiba (PR), como controlador do contrato. Segundo ele, em 2008 a Camargo Corrêa fez um contrato com a Treviso para repassar R$ 23 milhões de comissão para ele.

CONTAS AQUI E LÁ FORA

“Dessa comissão, repassou em propina para a Diretoria de Engenharia e Serviços o valor de R$ 6 milhões, sendo pago a maioria no exterior e parte em reais no Brasil”, afirmou Camargo. Ele apontou ainda a conta no Credite Suisse de onde saiu o dinheiro da propina dos dirigentes ligados ao PT nas transferências feitas no exterior. Ao todo, os executivos apontaram nove obras da Petrobras alvo de propina. Indicou ainda suas empresas usadas para movimentar o dinheiro: Treviso, Piemonte e Auguri. E as contas no exterior, como do banco Winterbothan, no Uruguai, e nos bancos Credite Suisse e Cramer, na Suíça.

“Os pagamentos foram feitos através de contas que os executivos da Toyo mantinham no exterior “para contas indicadas por Duque ou Barusco no exterior, ou em reais no Brasil disponibilizados por (Alberto) Youssef”, afirma o MPF. Os depoimentos de Barusco estão sendo tomados em sigilo e ainda não foram acordados com a Polícia Federal e o Ministério Publico Federal. Depois de fechado o acordo, ele será submetido à Justiça para ser homologado. Para terem direito ao benefício da redução de pena, o que eles dizem devem ser comprovado.

8 thoughts on “Empreiteira alega que só pagou R$ 7 milhões, uma mixaria…

  1. A corrupção é uma via de mão dupla: corruptos e corruptores. Não existe um sem o outro.

    O crime praticado pelo agente público corrompido, é o de corrupção passiva. Ao contrário, quando praticado pelo corruptor, é o de corrupção ativa.

    Independentemente do que poderia ser presumido como sedução ou indução ou ainda de criar dificuldades para vender facilidades, o fato é que existindo o fato, corruptos são os dois lados.

    Irmãos siameses no ato da corrupção, simboliza que agradou aos dois lados.

    A operação e o desdobramento da operação Lava-Jato veio em boa hora.

    Vai que o empresário Julio Camargo, como está aqui, no artigo, topou e pingou a mixaria, de
    7 milhões de reais, deveria ser igualmente informado,que o operador do Mensalão, Marcos Valério, por corrupção ativa e crimes no seu rastro, foi condenado a 40 anos…
    Mais na frente sabe-se lá o que vai na cabeça dos ministros do Supremo quando apreciarem a matéria…

  2. Se todo esse dinheiro pago pela propina à Petrobras e outras estatais que lembram os números do personagem “Tio Patinhas” do Walt Disney contando sua fortuna, fossem aplicados em saúde, educação e segurança viveríamos num país das maravilhas.

  3. Aécio também pagou uma mixaria pelas terras que comprou do parente para construir o Aeroporto de Claudio. Quem disse que a terra tinha sido barato foi foi o governador Aécio, o comprador.

  4. Puxa vida 7 milhões só isso.????
    Quanto as empreiteiras pagaram para financiar a campanha do aético neves e seu vice o famoso aloisio nunes “o mateus” terrorista asssaltante de bancos e trens pagadores.????

    PS. o mesmo terrorista agora está do lado de lá e assaltando os cofres públicos , foi pego no roubo do Metrô Paulista.

  5. PS 2. Quanto as “empresas” que estão atoladas na corrupção do Metrô em São Paulo pagou para financiar a campanha do famoso francês geraldo/covas/serra/thc/ para o governo de São Paulo.???

    • Armando
      Você não percebeu que não adianta mais mentir, a casa caiu na cabeça dos cumpanheiros. Os próximos serão os diretores dos Sindicatos, essa mafia que desvia dinheiro para caixas 2 e campanhas eleitorais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *