Empreiteiras vão admitir que participaram da corrupção

Mônica Bergamo
Folha

Empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras já estudam fazer um acordo de leniência, admitindo irregularidades em troca de penas mais brandas para seus executivos. Por esse acordo, as empreiteiras se comprometeriam a devolver o dinheiro desviado da estatal para o pagamento de propinas a vários partidos políticos – já foram citados nomes de PT, PMDB, PP e PSDB.

Antes de avançar na ideia, as empresas esperam a definição, em primeiro lugar, do magistrado que tocará o caso. Elas já apresentaram pedidos para que o juiz Sergio Moro, do Paraná, deixe de comandar o processo. Alegam que as irregularidades não ocorreram no estado, e sim no Rio e em SP.

GRANDE ABRAÇO

O acordo de leniência dependeria também de uma grande “costura” envolvendo Polícia Federal e Ministério Público.

Donos e acionistas majoritários de algumas das empreiteiras temem que alguns de seus diretores, se pressionados, resolvam fazer, por conta própria, uma delação premiada, seguindo o exemplo de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras. Com o acordo de leniência, manteriam ao menos certo controle sobre o processo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O acordo de leniência é uma espécie de “delação premiada” beneficiando os corruptores e será um fator fundamental no combate à corrupção. O país vai ser virado pelo avesso. Grande número de políticos (parlamentares, governadores, prefeitos) serão atingidos, num processo que fará com que o mensalão seja considerado uma brincadeira de crianças. Vai ser muito interessante, e os réus não terão grande possibilidade de defesa, pois estarão senado acusados pelos próprios corruptores. Nada mal. (C.N.)

7 thoughts on “Empreiteiras vão admitir que participaram da corrupção

  1. Para mim, a jornalista Monica Bergamo, merece confiança. Neste caso, é só a Mensageira de fatos que estão acontecendo, e mereceram do jornalista Carlos Newton, o nosso Moderador, uma Nota da Redação que diz o essencial. Permita-me:

    “NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O acordo de leniência é uma espécie de “delação premiada” beneficiando os corruptores será um fator fundamental no combate à corrupção. O país vai ser virado pelo avesso. Grande número de políticos (parlamentares, governadores, prefeitos) serão atingidos, num processo que fará com que o mensalão seja considerado uma brincadeira de crianças. Vai ser muito interessante, e os réus não terão grande possibilidade de defesa, pois estarão senado acusados pelos próprios corruptores. Nada mal. (C.N.)”
    Sei não…
    Imaginem… isso, ocorrendo, após as eleições…

  2. Acho muito gozado que Dilma, Empreiteiras e outros só começaram a reconhecer os desvios na Petrobras depois que souberam que a SEC (CVM Americana) iniciou uma investigação sobre as denuncias sobre corrupção na Petrobras. Começaram com as fornecedoras americanas da Petrobras.

    Pintaram e aprontaram só esqueceram que empresas com ações em Bolsa Americana tem de seguir as leis americanas de contabilidade e corrupção.

    Todos, na realidade, estão com medo de ficar numa posição igual a do Maluf, não poder sair do país por estar sendo procurado/a pela Interpol.

    Fonte: Valor Econômico/Cláudia Schüffner | Do Rio

    “SEC apura denúncias contra a Petrobras
    Terça, 21 Outubro 2014 00:08

    Fabio Fuzetti, do Antares Capita l, que administra aplicações de investidores minoritários da Petrobras, enviou um email para a presidente da Securities and Exchange Commission (SEC), Mary Jo White, se oferecendo para ajudar nas investigações sobre corrupção na Petrobras por parte de empresas fornecedoras. A base são as denúncias feitas pelo ex-diretor de Abastecimento da companhia, Paulo Roberto Costa, em acordo de delação premiada firmado com a justiça brasileira.

    “É um sonho tornado realidade para nós brasileiros ter a SEC finalmente nos ajudando com o problema Petrobras!”, escreveu Fuzetti na carta.

    Na correspondência para White, o investidor afirma que os brasileiros estão “precisando desesperadamente de ajuda da SEC para lidar com a corrupção na empresa (de longe, a maior da história do Brasil) e a fraude criminosa e falsidade ideológica perpetradas pela administração da Petrobras e seu acionista controlador, o governo brasileiro representado pela administração da presidente Dilma [Rousseff].”

    Mais detalhes:
    http://portosenavios.com.br/geral/26562-sec-apura-denuncias-contra-a-petrobras

  3. Dillma, ao reconhecer que existem problemas, abriu uma porta que Aécio está usando muito pouco.
    A Petrobras está na mira de tiro. A maior empresa brasileira – uma das maiores do mundo, precisa ser “saneada” moralmente.
    Só um governo novo para retirar todos os “gatos” do barril.
    Com tudo que lá ocorreu, desde sabe Deus quando, tendo a atual presidente e ainda candidata a reeleição tomado parte em todo o período (Chefe da Casa Civil, Presidente do Conselho e Presidente – falta mais algum cargo?), depois de anos vai fazer algo?
    Se algo ele deve fazer é devolver o que recebeu e ajudar a cobrar dos demais!
    Não há uma só ação dos governos Lulla/Dillma anticorrupção.
    Todas as denúncias partiram de dentro do governo e não há qualquer controle/fiscalização que identificou o mínimo malfeito.
    Assim, agora ella quer punir, afastar, recuperar o que foi roubado?
    Deixa dilsso Dillma.
    Faz o que o Padilha já fez: vai para casa!

  4. As empreiteiras estão no olho do furacão desse processo que denigre a imagem de todos os envolvidos, principalmente da nossa maior empresa. Não por acaso, os representantes dela almejam tirar do juiz Sérgio Moro, o controle do processo. A alegação da incompetência de foro significa o medo dos fatos virem a tona com toda a carga dramática contida no maior roubo da história do Brasil. Reputações de algumas vestais serão destruídas inapelavelmente. E não adiantará jogar a sujeira para debaixo do tapete.

    Meus parabéns, ao jovem corajoso magistrado paranaense, que honra a verdadeira justiça brasileira.

  5. BRASÍLIA — Na primeira sentença de processo desencadeado pela Operação Lava-Jato da Polícia Federal, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou nesta segunda-feira Renê Luiz Pereira a 14 anos de prisão em regime fechado por tráfico internacional de drogas. A polícia chegou até Pereira a partir do rastreamento de movimentação financeira dele com o empresário Carlos Habib Chater, ligado a Youssef. No mesmo despacho, Chater foi condenado a 5 anos e 6 meses de prisão, e André Catão de Miranda a quatro anos de reclusão em regime fechado, ambos por lavagem de dinheiro para o tráfico.

    Youssef foi inocentado nessa ação. O juiz acolheu os argumentos do advogado do doleiro, de que Youssef apenas cedeu seu escritório para recebimento e entrega do montante, sem conhecimento de que provinha do tráfico de drogas.

    Leia mais: http://oglobo.globo.com/brasil/na-primeira-sentenca-da-lava-jato-juiz-condena-traficante-14-anos-de-prisao-14312587#ixzz3GqWzxP9r

    E ainda há inocentes neste país que acreditam nos justiceiros. Podem até ser, mas por qual partido ?

  6. O JUIZ MORO, TEM MOSTRADO COMPETÊNCIA E HONRADEZ NESSE CASO DO ROUBO DE 10 BILHÕES, PODERIA NEGOCIAR UNS 100 MILHÕES PARA SEU BOLSO, MAS “AMA OS POSTULADOS DA “JUSTIÇA QUE FAZ JUSTIÇA”, E QUE RUI BARBOSA, O INSPIRE E PROTEJA DOS MALFEITORES QUE ESTUPRAM A Srª. JUSTIÇA.
    SE AS EMPREITEIRAS, CONSEGUIREM TIRAR O JUIZ MORO, PARA COLOCAR UM APANIGUADO, O BRASIL SE AFOGARÁ NESSE OCEANO DE LAMA, E FICARÁ NO SALVE-SE QUEM PUDER.
    DEUS, PROTEJA ESSE JUIZ QUE É JUIZ E SERVIDOR FIEL DA JUSTIÇA DOS HOMENS.
    QUE OS PATIFES NÃO SAIAM VENCEDOR DESSA PODRIDÃO QUE NOS AVASSALA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *