Enquanto Jair Bolsonaro já está de saída, o bisneto de JK decide entrar na política

Foto: Tony Oliveira

André Kubitschek quer seguir o exemplo de JK na política

Vicente Limongi Netto

E agora, Jair? Ficou sem discurso. Está sem o carinho do povo. O Brasil agoniza. E agora, Jair? Você quer brigar, infernizar e demonizar ministros do Supremo. Delira. Xinga. Ninguém tem paz. A troco de quê, Jair? Acabou o riso, Jair. Fim da linha chegando, Jair. Não tem mais alegria nas famílias. Faltou vacina. Você debochou delas. Acabou-se, Jair. Milhares de famílias destruídas pela covid.

Você foi omisso, Jair. Perdeu a compostura. O voto ano que vem escasseou. As esperanças do brasileiro fogem pelo ralo. E agora, Jair? Tudo vai acabando para você e serviçais. Ninguém aguenta mais sua intolerância. Seu ódio. E agora, Jair? 

MINISTRO-CAPACHO – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, já é crescidinho, não devia ser tão capacho. Volta e meia aparece na mídia, vacinando figuras públicas contra a covid-19. Francamente. Agora, Queiroga vacinou o deputado Eduardo Bolsonaro, que, há pouco tempo, vociferou palavrões contra a importância do imunizante. Tal pai, tal filho.

Não demora gênios palacianos montarão palanque para ver o serviçal Queiroga vacinar Bolsonaro. Não se sabe se contra covid ou contra raiva. Queiroga deveria vacinar brasileiros simples, trabalhadores, idosos, cidadãos que merecem todo o apreço dos governantes. Que ralam pelo sustento da família. Assim mereceria aplausos. 

PAULO OCTÁVIO E FILHO – Notícia alvissareira da colunista Denise Rothemburg (Correio Braziliense-25/08) destaca que o empresário ex-deputado, ex-senador e ex-governador Paulo Octávio não descarta a possibilidade de candidatar-se ao Senado, além de garantir apoio do PSD a reeleição do governador Ibaneis Rocha.

A informação salienta que André Kubitschek, filho de Paulo e de Anna Cristina, também esquenta as canelas para ingressar na vida pública. Do céu, JK, o bisavô amado, respeitado e saudoso, saúda e estimula a decisão do bisneto. A rinha política ficará valorizada e grandiosa com a participação de Paulo Octávio e filho.

13 thoughts on “Enquanto Jair Bolsonaro já está de saída, o bisneto de JK decide entrar na política

  1. Isso é pra comemorar, ou é pra chorar ? Como se não bastasse a cagada do bisavó denominada Brasília, agora vem o bisneto, tem mais jeito não, com o partidarismo e o militarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, o Brasil não tem mais jeito, vai continuar massa falida, desgraçado, desbundado e sem futuro.

  2. Falar bem de paulo octávio é apostar na memória curta da população. No mínimo!

    Relembrando:

    1) paulo octávio, ao lado do ex-senador luiz estevão, há vários anos preso na Papuda, penitenciária de Brasília, por ROUBO – avalizou a farsa da “operação Uruguai” com o intuito de salvar o mandato do “onesto” ex-presidente collor;

    2) eleito vice-governador do LADRÃO arruda, quando arruda foi preso devido a “operação Pandora”, o que fez paulo octávio? Deveria assumir o cargo de governador mas, igualmente enrolado nas falcatruas – RENUNCIOU!!!

    Obs. Quem se der ao mínimo trabalho de pesquisar arquivos da época vai ficar estarrecido com as loas que o articulista ora faz a um dos maiores cânceres da política brasiliense.

  3. Vicente eu não vou vaiar que você aplaude e espero não ser vaiado na minha opinião.
    Mas gostei das lembranças que provocou no poema do Carlos Drummond de Andrade, o mineiro de Itabira.
    Queiram ou não JK está na nossa história recente, agora não sei dizer se estava certo ou errado ao construir Brasília, pelo que sei havia um projeto antigo que considerava localização estratégica, capital em litoral é mais vulnerável que no interior em tempos de guerra.
    Quanto aos bisnetos acho que tem direitos como todos cidadãos.
    Sou descendente de Abraão e por isso me considero também um filho do dono.

  4. Ué! Por que esse artigo em particular não está aceitando duas postagens que fiz
    com links do jornal “O Globo” e outro
    relatando investigações policiais do envolvimento de paulo octávio com o escândalo de corrupção que culminou com a prisão do ex-governador do DF, josé roberto arruda?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *