Entenda como o comunismo da China se aliou ao capitalismo mais selvagem

A ideologia do coronavírus

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Newton

A humanidade paga um preço tão alto pelo desenvolvimento que muitas vezes chego a duvidar se vale a pena. Essa pandemia vinda da China dá margem a reflexões sobre os efeitos do acelerado consumismo que reina no mundo, em contraste com a exasperante lentidão da defesa ambiental, que está atrasadíssima e deveria ter começado quando houve a Revolução Industrial, nos séculos XVIII e XIX.

Nesse sentido, é sempre bom lembrar a velha teoria do imperador francês Napoleão Bonaparte (1769-1921): “O dinheiro não tem pátria. Os agentes financeiros não têm patriotismo nem decência, seu único objetivo é o lucro”.  E o filósofo alemão Karl Marx (1818-1883) emendou essa reflexão, ao afirmar que “o operário (proletariado) também não tem pátria”.

ELES TINHAM RAZÃO – A História veio provar que os Bonaparte e Marx tinham razão. Os capitalistas investem onde for mais lucrativo e os operários emigram para o país onde conseguem emprego. E nenhum dos dois – capitalistas ou proletários – jamais se preocupou com o resultado paralelo que hoje chamamos de poluição, até ser provocado o estranho fenômeno da “chuva ácida” .

Esse termo “chuva ácida” foi criado pelo químico e climatologista Robert Angus Smith (1817-1884), contemporâneo de Marx, ao descrever as precipitações que ocorreram na cidade de Manchester na Revolução Industrial.

A água da chuva tinha cheiro e era impura, destruía as plantações, ao invés de revigorá-las. O pesquisador inglês Robert Angus Smith foi o primeiro cientista a se preocupar com o gravíssimo problema,

SMOG LONDRINO – Por incrível que pareça, a preocupação  coletiva com a Mãe Terra na verdade só começou muito depois, em meados do século XX, quando se agravou na Europa o fenômeno da “chuva ácida”.

O sinal de alerta surgiu em 4 de dezembro de 1952, quando um denso nevoeiro se formou em Londres. Nos dias seguintes, o “smog” tornou-se amarelado, devido à queima de carvão para aquecer as casas, e os hospitais ficaram sobrecarregados com pacientes de doenças respiratórias. Acredita-se que tenham morrido, pelo menos, 8 mil pessoas em consequência da poluição atmosférica.

A partir daí, a chuva ácida passou a ser identificada como um dos maiores problemas da Europa e começaram a surgir as primeiras leis contra poluição.

LEGISLAÇÕES RIGOROSAS – Como os empresários não se preocupavam com o meio ambiente, o problema da chuva ácida foi se agravando e a partir da década de 70 as leis foram se tornando muito rigorosas, a ponto de inviabilizar as indústrias mais poluentes.

Como Napoleão previra, o capitalismo então mostrou que não tem pátria. Ao invés de alterar os processos industriais, instalar filtros ou reduzir a produção, as multinacionais simplesmente desmontaram as fábricas obsoletas e as reinstalaram na China Comunista, que lhes ofereceu as condições ideais, pois não havia leis trabalhistas nem antipoluição, e isso, para os capitalistas, era o paraíso na terra.

O resultado agora todos sabem. A China está poluindo o planeta de uma forma devastadora, e se tornou a segunda maior potência, exportando tudo o que se possa imaginar, até mesmo perigosos vírus, que se acredita serem provenientes dos imundos mercados de animais vivos, uma tradição no país para consumo pelas populações mais carentes.

###
P.S. – Esse episodio do coronavírus mostra que a ditadura chinesa se transformou numa ameaça para o mundo, porque não se pode confiar nas informações oficiais de Pequim. Seus governantes dizem ter conseguido debelar a gravíssima pandemia antes mesmo que atingisse as principais cidades do país, como se o resto do mundo fosse formado de idiotas e pudesse acreditar nesse tipo de lorota. E a ONU não diz nada, tudo normal. Como diz o cantor Silvio Brito, parem o mundo que eu quero descer… (C.N.)

30 thoughts on “Entenda como o comunismo da China se aliou ao capitalismo mais selvagem

  1. E daí, fazer o que com a China e os seus 1,5 bilhão de habitantes ? Boicote total à China e chineses para que morram de fome e desapareçam do mapa, como convém aos EUA, o QG mundial do capitalismo selvagem ? Guerra nuclear ? E a Índia, com os seus 1,3 bilhão de habitantes ? E quem somos nós para medirmos força com a China, ou EUA, com que roupa, com que inteligência, com que arma, com que povo ? Só nos resta duas coisas a fazer: seguir como eterna colônia de ambas pedindo-lhe de joelhos e com o pires na mão que comprem os nossos produtos, ou nos reinventarmos, nos reorganizarmos dentro do nosso próprio território, sob uma nova perspectiva de política, de estado e de desenvolvimento caseira, democrática, vanguardista, que, na moral e no jogo limpo, consiga se impor naturalmente ao mundo como algo mais civilizado, digno , viável, e passível de ser seguido. Nós, devemos ser a mudança que queremos ver acontecer no mundo, inclusive porque o bom exemplo deve começar em casa. É possível isso ? E se não parecer possível, lembre de que o impossível é o possível nunca tentando antes de maneira eficaz e bem-sucedida. RPL-PNBC-DD-ME, saudações.

  2. Fazendo coro com as palavras de nosso editor Dr. Carlos Newton, até um certo ponto, também digo que ” Como os empresários não se preocupavam com o meio ambiente, o problema da chuva ácida foi se agravando e a partir da década de 70 as leis se foram se tornando muito rigorosas, a ponto de inviabilizar as indústrias mais poluentes.

    Como Napoleão previra, o capitalismo então mostrou que não tem pátria. Ao invés de alterar os processos industriais, instalar filtros ou reduzir a produção, as multinacionais simplesmente desmontaram as fábricas obsoletas e as reinstalaram na China Comunista, que lhes ofereceu as condições ideiais, pois não havia leis trabalhistas nem antipoluição, e isso, para os capitalistas, era o paraíso na terra.

    O resultado agora todos sabem. A China está poluindo o planeta de uma forma devastadora, e se tornou a segunda maior potência, exportando tudo o que se possa imaginar, até mesmo perigosos vírus”, todavia acrescento que os operários que trabalham na China são especialmente os próprios chineses, as fábricas do ocidente, principalmente do Ocidente, foram sucateadas e levadas para lá porque os chineses trabalham em regime de semi-escravidão, em número de horas incompatível com as necessidades humanas de descansar,gozar férias, conviver tempo razoável com suas próprias família, e recebem salários ínfimos, muito inferiores ao que o Ocidente, e principalmente os EEUU pagam aos seus operários industriais. E os empresários e industriais dos países ocidentais entregaram a produção de bens industrializados para a China, por ser mais lucrativo para o capitalismo e os proprietários das indústrias, sem estes se darem conta que estavam entrando na armadilha de dependerem dos produtos feitos na China para abastecer o ocidente, desde manufaturados a maquinaria pesada. Tudo é comprado da China, que com isso chegou a ser a segunda potência econômica do mundo. Não levaram em conta a brutalidade da ditadura chinesa, e, em especial, as ambições de controle do mundo, agora em mãos chinesas, conduzidas com a mão de ferro desumana do ditador chinês Xi Jinping, cuja história de vida vou mostrar no vídeo o youtube logo abaixo.

    A obsessão de Xi Jinping, que conseguiu ser proclamado no último congresso do PCC como Secretário Geral Perpétuo do PCC , isto é, o líder do Poder Executivo da China até sua morte, é a obsessão de transformar o mundo, o Ocidente inclusive, em uma espécie de pensamento único, distorcendo, como vem acontecendo desde Mao Tsé Tung, as teorias marxistas. Deseja dominar o mundo e que o mundo seja uma espécie de colônia da China, e várias destas táticas e artimanhas para tal fim são reveladas no vídeo internacional, feito em vários países, inclusive na própria China, que coloco abaixo. Deseja colocar o mundo sob seus desígnios, o que nada tem a ver com a filosofia de Marx.

    Como sua obsessão não tem escrúpulos, não tenho certeza de que seja verdade que o paciente zero tenha sido um acidente como consta da versão chinesa de que o coronavirus infectou o paciente zero num  mercado de animais vivos, e como consta do informe oficial chinês. É uma resposta que omite, ou não sinaliza,como foi que  na China que a pandemia começou. A China não explicou devidamente ao mundo (o que é a sua obrigação), ou à OMS, o que de fato aconteceu com o paciente zero, qual animal (se foi isso que aconteceu) mordeu o paciente zero, e se este animal morreu com Covid-19..

    Além disso, a China retardou em meses a comunicação aos organismos de Saúde internacionais, como a OMS ,  que esta pandemia havia começado em Wuhan e estava se espalhando entre os chineses. Os médicos chineses que tentaram divulgar isso ao mundo foram executados, e não está claro se realmente a pandemia se iniciou no paciente zero por picadura de animal ou foi criada propositadamente no laboratório de virologia situado justamente em Wuahn, com poder de destruição das populações de diversos continentes mais eficaz de que dezenas ou centenas de bombas atômicas.

    Desconfio que a intenção de Xi Jinping foi, como está acontecendo, é a de matar a população do Ocidente, especialmente a dos Estados Unidos e da Europa, do Japão, e mesmo dos países pobres como o Brasil, em todos os continentes, para dar lugar aos chineses, em seu projeto de dominar o mundo, e tornar o mundo uma única China de pensamento único, com sede em Pequim e a seu comando.

    Uma confirmação do que estou falando pode ser notada no vídeo abaixo, feito a várias mãos, no youtube , que é intitulado: “Quem é Xi Jinping”.

    https://youtu.be/EeeQHj65v-s

  3. Caro Carlos,

    Nao ha quase nem um lider de pais ou religioso que aponte os erros chineses! A imprensa por sua vez nao trata do assunto – vc é exceção! Por outro lado, se tais numeros forem verdadeiros, como o virus contaminou o varios paises distantes e nao contaminou o resto da China? Vejamos o caso da Amazonia ano passado como um simples comparativo, no tocante ao carnaval feito por varios lideres governamentais e ambientais. Agora, estranhamente nao ouço qualquer condenacao a China por seus atos! Por que sera?

  4. A China de comunista passou para o socialismo fascista, menos violento, porém mantendo o controle do estado sobre tudo e todos como aqui no Brasil, que vive essa desgraça implantada por Getulio em 35 com o Estado Novo. É uma ditadura.

    Contudo, a China entendeu que o melhor socialismo é o capitalismo, inclusive o selvagem, desonerando totalmente a produção com impostos quase zero, acabando com a farra de sindicatos e regulamentos que falsamente protegem trabalhador como aqui no Brasil , mas que só servem para espantar investimentos na produção e com isso não criar empregos.

    O resultado é que, com este capitalismo selvagem, a China se tornou a segunda economia do planeta.

    Bem melhor que todo o socialismo onde ele foi implantado, e este nosso país é a prova cabal disso, com o estado tomando quase 50% em impostos do povo, com leis trabalhistas absurdas, 17 mil quadrilhas sindicais, etc, e tudo isso em nome da tal justiça social. Pasmem.

          • Pelo contrário … há uma intensa meditação dentro do MP sobre o que lhe cabe 🙂 🙂 🙂
            Os integrantes dos 3 Poderes são eleitos direta ou indiretamente, certo???

            Os do MP são concursados … entram pelo Mérito pessoal … e são como que Sovietes kkk KKK kkk

            Dr. Ednei escreve sobre Mao … foi ele que mudou a China para o Comunismo Popular … após vence, quando antes era República Soviética da China!

            Foi Mao que aceitou o Capitalismo, lembra?

          • Não sou especialista em Marx … porém, sei que Lenine, que, como Mao, não foi proletário, implantou Sovietes, que seria a maneira dos trabalhadores exercerem poder, né???

            Os Sovietes iam de baixo para cima … … … o mesmo é com nosso MP kkk KKK kkk

            Só que os sovietes não exerciam Poder, que ficava com os filiados no PC.

            Em Pindorama, o MP tem PODER!!

          • Não foi Deng Xial Ping que mudou a economia da China para o capitalismo selvagem, tornando a China a segunda potência do planeta?

            Até por isso, a turma de Mao, inclusive sua viúva quiseram reagir contra Deng, mas foram derrotados e perderam os privilégios que tinham antes?

          • Mario Jr., meu prezado … os republicanos são verdadeiras Esfinges kkk KKK kkk

            www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2205201108.htm …
            CRÍTICA ENSAIO

            Kissinger explica China-potência ante ansiedade americana

            INTERLOCUTOR DE MAO, ELE EXPLICA ASCENSÃO CHINESA E SUGERE COMO EVITAR CONFLITO … RAUL JUSTE LORES … EDITOR DE MERCADO

            Em 1971, Henry Kissinger visitou secretamente Pequim, no início do restabelecimento de relações entre EUA e China.

            Sinólogos reclamam que Kissinger traz pouca novidade para quem já estudou muito a China. Mesmo os encontros de Kissinger com Mao Tse-tung e Chou En-lai foram descritos em obras anteriores.
            Aos recém-chegados no mundo China, o livro é uma minuciosa introdução ao país e a suas idiossincrasias.
            Como o autor trabalha de consultor no eixo Washington-Pequim, suas críticas à discutível ética do capitalismo chinês são brandas.
            Ao contrário de biografias recentes, que ao demonizar Mao não conseguem explicar a fascinação que despertou em milhões, Kissinger diz que Mao deixou a China unificada como não fora por séculos e que eliminou vestígios do regime agrário imperial, “permitindo as reformas posteriores, jamais pretendidas pelo grande timoneiro”.
            No epílogo, ele trata do temor americano à desafiante e autoritária China. Kissinger admite que falta um inimigo comum a uni-los hoje (na Guerra Fria, a ameaça soviética aproximou Nixon e Mao), mas sugere criar uma Comunidade do Pacífico, que ambas as potências teriam interesse em estabilizar e desenvolver, como EUA e Europa na Otan do século 20.

      • Prezado Marcos,

        A solução para frear o capitalismo selvagem seria a de que os empresários e industriais brasileiros, que desmontaram suas indústrias, desde os manufaturados até ao maquinário pesado, repensassem, ante os fatos expostos, e procurassem retirar da China suas indústrias, e as remontassem no Brasil. A ideia de montar indústrias na China e desmontá-las no Brasil, pelo que demonstram os fatos atuais, foi um péssimo negócio.

        Os empresários, brasileiros, norte-americanos e outros, que foram atrás de operários chineses que trabalham mais horas e por pouco dinheiro, está revelando agora que foi um passo errado. Enriquecer a China de Xi Jinping está se mostrando um suicídio para a humanidade não chinesa.

        Os operários brasileiros estão desempregados, e aceitariam trabalhar até por um salário mínimo (um salário de dar vergonha) , e os executivos e demais administradores de indústrias brasileiros, que têm salários maiores, mesmo assim, se contratados no Brasil, dariam lucro muito bom aos industriais brasileiros, não sendo necessário o lucro exacerbado obtido com a mão de obra semi-escrava da China, que dá mais lucro, mas o preço pode ser a extinção dos humanos não chineses, na gestão de Xi Jinping,cujo país foi guinado, pelo dinheiro desses negócios, à segunda potência comercial do mundo. Então, vamos boicotar a China,

        Que o Brasil não venda fontes de petróleo do Pré-Sal a firmas chinesas, não venda empresas aos chineses, e que nosso país só compre (da) ou venda (para) a China, em caso de extrema necessidade.

        Negociar com a China de Xi Jinping é como negociar com Hitler, enriquecendo-o, em pleno 3º Reich.

        Se a China não quiser ou já não mais puder comprar carne bovina, suína, soja, etc. do Brasil, que procuremos outros mercados para vender nossos produtos.

        Temos que boicotar a China de Xi Jinping.

        Terceiro Reich

  5. 1) Até então, muita gente boa repetia o bordão: “É a Economia estúpido ! ”

    2) Este vírus veio para mostrar que não se pode só privilegiar um lado da vida. O Corona está dizendo: “É a espécie humana, estúpido, é o Todo, a Natureza, o Ecossistema ou outro sinônimo que queiram”.

    3) Já li alguns textos de pessoas ligadas à Ciência e explicam que talvez os reflexos dessa pandemia se prolonguem por dois anos…

    4) Até lá o ser humano de qualquer lado (esquerdas, direitas, centros) “vai ter que baixar a crista” como se dizia antigamente.

    5) Vai precisar ser mais humilde, mais simples, menos egoísta, menos arrogante.

    6) Boa sorte para todos nós !

  6. Creio que a China seja o maior poluidor do meio ambiante da Terra, mas todas as grande potências também poluem. É a ganância pelo lucro a qualquer custo que está destruindo o planeta.

  7. Respeitosamente vou discordar do caro editor.

    Tudo começou a mudar quando chegou-se ao consenso de Whashington, com sua receita de bolo. Tatcher na Inglaterra e Reagan nos EUA a seguiram e até a aprofundaram. Os países da AL e também da África logo copiaram tal receita liberal (ou neo-liberal, como alguns denominam).

    Os países do leste asiático (com um Estado forte) não seguiram tal consenso e se beneficiaram enormemente dessa consequente globalização.

    Ao contrário, os países africanos e da AL, a partir da perda de proteção às suas indústrias, começaram a declinar economicamente. Dependendo fortemente da exportação dos seus produtos primários.

    Outro efeito dessa política, foi que o setor financeiro tornou-se protagonista em desfavor da produção. O que resultou? Numa maior concentração de renda.

    Países como a Alemanha não aderiram a tal consenso e também se beneficiaram, mantendo sua produção e não migrando para serviços, preponderantemente.

    Hoje, ao constatarmos as consequências de tais políticas, percebemos que as políticas implementadas foram desastrosas aos países que as implementaram, sem planejamento.

  8. Caro Vidal … chegando nos States para apresentar a política econômica do governo Collor … dona Zélia, a que tentou corrigir sem tocar nos pobres (pois esses não possuem nem poupança) ouviu o figurão dizer que Collor caçava marijuana kkk KKK kkk e a corajosa retrucou com – vamos pagar e tem de modo que possamos pagar, lembra?

    e Malan negociou até ser viável.

    • Caro Lionço, não lembro disso. Mas lembro que eu trabalhava em uma indústria quando se começou a implementar tais políticas. Terceirização do trabalho, com o achatamento dos salários foi uma. Abertura das importações, sem planejamento, foi outra. E depois continuou.

      • http://almanaque.folha.uol.com.br/brasil_26jan1990.htm

        Banqueiro confunde ‘marijuana’ e marajá

        David Rockefeller, presidente do Conselho das Américas e maior acionista do Chase Manhattan Bank (um dos principais credores do Brasil), disse que “a impressão geral do (do desempenho de Collor) foi muito boa”

        A economista Zélia Cardoso de Mello vibrava ao final do almoço. “Foi ótimo, foi ótimo”, repetia. Cortejada por empresários brasileiros como a mais forte candidata ao Ministérios da Economia, ela foi, em parte, responsável pelo sucesso do presidente eleito. Zélia escreveu o discurso – lido por Collor em português – junto com o ministro Gelson Fonseca, do Itamaraty, que faz parte da comitiva.
        A receita para o sucesso collorido foi uma posição enérgica de combate à inflação, um violento ataque ao gigantismo estatal, uma postura favorável ao investimento estrangeiro no Brasil e uma retórica moderada em relação à dívida externa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *