Entenda como o PT enfim se rendeu à Justiça e enterrou a candidatura de Lula

Resultado de imagem para haddad e eunicio

Enquanto isso, Haddad e o “golpista” Eunício se entendiam…

Bernardo Mello Franco
O Globo

O relógio marcava 01h14min de sábado, dia 1º, quando a ministra Rosa Weber fez um desabafo: “Tenho até dificuldade de raciocinar”. A sessão extraordinária do TSE começou em agosto e terminou em setembro. Foram 11 horas e 12 minutos de falatório, com breves intervalos. Tudo para cassar o registro da candidatura de Lula antes do início da propaganda eleitoral.

O veto já era esperado, mas o voto do ministro Luís Roberto Barroso incluiu uma pancada adicional no PT. Além de perder o candidato que lidera as pesquisas, o partido ficaria proibido de fazer campanha até formalizar sua substituição. O tempo da sigla na TV seria ocupado por uma tela azul.

VOTO E RENDIÇÃO – O advogado Luiz Fernando Casagrande protestou. Ele lembrou que há quatro anos um candidato morreu, e seu partido continuou no horário eleitoral enquanto não anunciava a substituta. Cassar o tempo dos petistas, como propôs Barroso, só reforçaria a tese de perseguição judicial. Os ministros pensaram melhor e decidiram recuar. Horas depois, foi ao ar o primeiro programa do PT, já estrelado por Fernando Haddad.

O episódio ganha importância por outro detalhe. Ao contestar a punição extra, o advogado jogou a toalha sobre o essencial. “O PT se rende à decisão”, disse, referindo-se ao veto à candidatura. “Nós perdemos hoje aqui. Lula está fora. Não pode mais aparecer como candidato a presidente”, acrescentou.

A fala indica que o velho pragmatismo petista está de volta. O partido ainda fará barulho, mas não parece disposto a cometer suicídio eleitoral. A indicação de Haddad deve ser oficializada nos próximos dias, depois de mais uma consulta a Lula em Curitiba.

CONFRATERNIZAÇÃO – Enquanto o TSE enterrava a candidatura do ex-presidente, seu afilhado confraternizava com “golpistas” em Fortaleza. Ele posou para fotos com Eunício Oliveira, chefe local do MDB. O senador apoiou o impeachment e comanda um latifúndio de cargos no governo Temer.

Concorde-se ou não com o resultado, a sessão do TSE será lembrada como a maior interferência do Judiciário numa sucessão presidencial desde o fim da ditadura.

No ano passado, o tribunal salvou o mandato de Michel Temer ao arquivar um processo contra a chapa vitoriosa em 2014. O ministro Herman Benjamin definiu o veredicto como um “enterro de prova viva”. A composição do TSE é rotativa, e quatro dos sete ministros que atuaram no caso não estão mais lá. Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira votaram a favor de Temer e contra Lula. Rosa Weber votou contra os dois.

PAIS E FILHOS – Na estreia do horário eleitoral, o filho de Sérgio Cabral pediu voto “em defesa do idoso”. Não mencionou o pai, que já foi condenado seis vezes e pode envelhecer na cadeia.

A filha de Eduardo Cunha não quis disfarçar: até exibiu imagens do ex-deputado. Coragem é isso aí.

17 thoughts on “Entenda como o PT enfim se rendeu à Justiça e enterrou a candidatura de Lula

  1. O Brasil precisa urgentemente acabar com a PEC da bengala. Como pode uma pessoa tal o Toffoli passar quase 40 anos em um tribunal dessa magnitude, um corrupto vagabundo recebedor de mesada, salafrario. Oxalá algum presidenciável lesse esse comentário, o povo não aguenta mais isso. Esse Toffoli era para ser questionado todos os dias sobre sua atuação mas não ninguém fala absolutamente nada. Porquê hem? Porquê? Porquê?

  2. Do O ANTAGONISTA:

    Os presidenciáveis que querem censurar a imprensa

    A Folha publicou um levantamento da Abraji sobre as propostas dos presidenciáveis em relação à liberdade de imprensa ou expressão.

    Entre os candidatos que fazem menção ao tema em seus programas estão Lula/Haddad, Guilherme Boulos, Jair Bolsonaro, Marina Silva e Alvaro Dias.

    O plano de governo do PT, por exemplo, defende “regulação da mídia” para “impedir todo e qualquer tipo de censura” e a “dominação de alguns poucos grupos econômicos”.

    “Regulação da mídia” é o eufemismo petista para a censura.

    O plano de Boulos também defende mecanismos de controle da imprensa e propõe “impedir o controle de outorgas por deputados e senadores” e diz que atuará contra o “monopólio e o oligopólio da radiodifusão”.

    O plano de Bolsonaro se diz contra “qualquer regulação ou controle social da mídia” e a favor da “liberdade de opinião, informação, imprensa, internet, política e religiosa”.

    Os outros candidatos que tratam da liberdade de imprensa não falam em regulação.

  3. Nessa frustração de Lula, com a negativa a sua candidatura, ele provou de dois venenos de sua própria safra: o voto do pupilo petista, Luís Roberto Barroso; e a desqualificação do Comitê dos Direitos Humanos da ONU, de cuja Entidade o Brasil tornou-se signatário pelos punhos do Lula presidente.
    Recentemente, este Blog divulgou um artigo, abordando a indignação do PT, por seus membros entenderem que, dos presidentes tachados de corruptos, “somente o Luis Inácio da Silva fora preso”.
    A figura do “exemplo didático ou jurisprudência pedagógica” parece ser mais uma jubuticaba made in Brazil. Quaisquer Lulas da vida se perguntaria: “Pô, se nenhum presidente infrator foi punido, por que eu tenho de ser o primeiro?”
    O certo seria retroagir a lei a todos os ex-presidentes vivos! Esse tipo de escolha punitiva, para surtir efeito dissuasivo, assemenha-se à tática de caça ao caititu ou queixada: ao se deparar com uma vara, o caçador, na tocaia, atira sempre no último animal da fila. Assim há maiores chances do atirador sair ileso e indene, já que ele não fica tangente aos olhos dos bichos que vão à frente.
    Mas se o propósito do mutirão que “ferrou” o líder petista for mesmo deixá-lo fora do processo eleitoral, não será novidade se alguns dias após a eleição ele seja liberado!

  4. A história da política no Brasil sempre foi uma farsa e sempre se repete como tragédia . Esquerda ou direita neste país , são os olhos direitos ou esquerdos do mesmo corpo . Disputa de poder por ignóbeis , com intuito de fazerem parte do sistema , que dilapida a nação . Sempre foi assim e continuará sendo , enquanto formos ovelhas que nos ajoelhamos , para sermos tosquiados e um povo dominado que esperamos um messias , para nos salvar .Não acredito no homem , acredito no poder dos homens . De poder à um homem e então verás este , mudar de pensamentos , palavras e ações . Todo poder emana do povo , mas , este principio é válido , somente quando o povo tem consciência de sua força , que não é nosso caso .

    • Verdade, Vicente Quinane.

      Vemos hoje AS MESMAS PROMESSAS de eleições passadas.

      E após a apuração, o butim (MINISTÉRIOS, ESTATAIS DIRETORIAS, ETC) é dividido e todos se juntam num só propósito : CONTINUAR ROUBANDO OS COFRES PÚBLICOS.

      saudações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *