Enfim Dilma comete um crime que justifica o impeachment

Carlos Newton

Ao apresentar o parecer sobre a possibilidade jurídica de afastamento da presidente Dilma Rousseff, encomendado pela direção do PSDB, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. argumentou que ainda não existiriam provas materiais de cometimento de crime de responsabilidade, que possam justificar o pedido de impeachment junto à Mesa Diretora da Câmara.

Ao agir desta forma, Reale cercou-se de um cuidado excessivo e surpreendente, porque há meses já existem razões jurídicas públicas e notórias, capazes de motivar o impeachment, como a tese do jurista Ives Gandra Martins, divulgada pela “Folha de S. Paulo”, baseada em Improbidade Administrativa na gestão da Petrobras, e a tese do também jurista Jorge Béja, sobre Crime Eleitoral com uso de dinheiro sujo na campanha eleitoral, publicada aqui na “Tribuna da Internet” e amplamente reproduzida na internet, inclusive no site da revista “Veja”.

Reale Jr. tem notável saber jurídico, não há a menor dúvida a esse respeito, mas quem o conhece pessoalmente sabe de sua profunda timidez, que o coloca preferencialmente em posição defensiva, sempre se resguardando. Na hora da verdade, Reale saiu pela tangente, como se dizia antigamente, e preferiu se escudar na falta de configuração de crime de responsabilidade. É pena que tenha entregado o parecer na quarta-feira passada. Se tivesse esperado mais dois dias, poderia ter apanhado a presidente Dilma Rousseff em vários flagrantes do tão ansiado crime de responsabilidade, previsto na Constituição e na lei  1.079.

SIGILO DO BNDES

Todos sabem que na sexta-feira a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei 13.126, resultado da aprovação da Medida Provisória 661, que autorizou em dezembro do ano passado o Tesouro Nacional a conceder R$ 30 bilhões ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Nas razões do veto encaminhadas ao Congresso, Dilma cometeu um verdadeiro festival de crimes de responsabilidade. Vamos numerá-los, para facilitar o raciocínio:

1) Dilma argumentou que o BNDES “já divulga em transparência ativa diversas informações a respeito de suas operações, tais como clientes, projetos e, no caso de operações internas, os valores contratados em cada empréstimo“.

Na verdade, essas informações pouco significam, porque não divulgam a taxa de juros, a carência, as garantias e o prazo de pagamento.

2) A presidente também justificou o veto afirmando que “a divulgação ampla e irrestrita das demais informações das operações de apoio financeiro do BNDES feriria sigilos bancários e empresarias e prejudicaria a competitividade das empresas brasileiras no mercado global de bens e serviços, já que evidenciaria aspectos privativos e confidenciais da política de preços praticada pelos exportadores brasileiros em seus negócios Internacionais“.

Não é verdade. A Lei do Sigilo Bancário determina exatamente o contrário, conforme mostraremos a seguir.

3) Dilma ainda alegou que “o dispositivo incorreria ainda em vício de inconstitucionalidade formal”, já que o sigilo das operações de instituições financeiras é matéria de lei complementar.

Pelo contrário, o vício de inconstitucionalidade formal ocorre toda vez que o BNDES se recusa a cumprir a Lei Complementar que obriga o banco a ter transparência, por utilizar recursos públicos em suas operações.

O QUE DIZ A LEI

Confiram agora o que diz a lei mencionada no veto da presidente Dilma, mas que ela, por motivos óbvios, nem teve coragem de citar expressamente. Trata-se da Lei Complementar 105, de 10 de janeiro de 2001, conhecida como Lei do Sigilo Bancário. Ao determinar a privacidade das operações financeiras particulares, a Lei faz uma importantíssima ressalva, que a presidente Dilma insiste em ocultar:

Art. 5º – (…) § 3º – Não se incluem entre as informações de que trata este artigo as operações financeiras efetuadas pelas administrações direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Como se sabe, o BNDES é “uma empresa pública”, conforme está escrito no art. 1º de seus Estatutos. E qualquer estudante de Economia logo aprende que as empresas públicas federais fazem parte da administração indireta da União, estando, portanto, enquadradas expressivamente neste parágrafo 3º do artigo 5º. Como é então que a presidente Dilma Rousseff, que se dizia “Doutorada em Economia”, insista em demonstrar que não tem conhecimento desta realidade jurídico-administrativa.

CRIMES DE RESPONSABILIDADE

Ao tentar desconhecer o fato de que o BNDES é uma empresa pública e ao procurar distorcer a Lei do Sigilo Bancário, para ocultar o esquema de negociatas montado no BNDES sob direção do economista Luciano Coutinho, a presidente Dilma Rousseff está cometendo diversos crimes de responsabilidade, todos eles punidos com cassação do mandato pela Constituição Federal, regulamentada na Lei 1.079, de 10 de abril de 1950.

Os mais flagrantes dos crimes de Dilma no veto sobre o BNDES estão em três dos incisos do art. 9º, que relaciona os crimes de responsabilidade contra a probidade na administração:

* não tornar efetiva a responsabilidade dos seus subordinados, quando manifesta em delitos funcionais ou na prática de atos contrários à Constituição;

* expedir ordens ou fazer requisição de forma contrária às disposições expressas da Constituição;

* proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo.

SUPREMO CONFIRMA

Em julgamento realizado esta terça-feira, em que condenou o BNDES a divulgar os dados sobre seus contratos com o grupo JBS-Friboi, o Supremo confirmou tudo o que temos escrito a respeito dos crimes de Luciano Coutinho da presidência do BNDES.

Para o ministro-relator Luiz Fux, o direito ao sigilo bancário é relativizado quando envolve recursos públicos. “Quem contrata com o Poder Público não pode ter segredos, especialmente se a revelação for necessária para o controle da legitimidade do emprego dos recursos públicos”, disse.

Com isso, fica confirmado também os crimes cometidos por Dilma Rousseff ao vetar a lei que quebrava o pseudo sigilo do BNDES. Mas quem se importa?

11 thoughts on “Enfim Dilma comete um crime que justifica o impeachment

  1. Caro Sr. Newton, o governo PT/PMDB e penduricalhos, transformam LEIS em “letra morta”, com a maior “cara de pau”, invertendo seu teor, nos tachando de imbecis. O resultado é esse que aí está, escravidão de todas as cores da pele, do trabalhador, que se dana, para sobreviver com o fruto do seu trabalho honesto, que já entrega 5 meses e 20 dias de seu miserável salário, e com o o Levy, levará a mais de 6 meses, sem o mínimo retorno dos DIREITOS BÁSICOS: SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, TRANSPORTE, QUE ESTÃO NO CAOS.
    O Filósofo de “antanho”, que buscava com sua lanterna, encontrar um “homem” nesse Planeta machista, se vier ao Mundo, terá que acrescentar à procura de uma MULHER, e como não encontrou um “HOMEM”! não encontrará uma “MULHER”, e o “óleo da lanterna” se acabará.
    Os 3 poderes, estão mais podres que a podridão, o “AMANHÃ SERÁ PIOR QUE O HOJE. Dª ESPERANÇA, ONDE ANDAS!!!!!?
    DEUS NOS SOCORRA, MISTURARAM O SAGRADO COM O PROFANO”, A MOEDA MOSTRADA A 2 MIL ANOS: DAI A CESAR O QUE É DE CESAR, E A DEUS O QUE É DE DEUS” ASS. JESUS, O CRISTO. EM TEU NOME, ESSES FILHOS DAS TREVAS DEITAM E ROLAM, COMO VAMPIROS, A SUGAR O SANGUE DO POVO.
    NO “SEIO DO POVO HUMILDE” DANDO DOR E ANGUSTIA

  2. Que Dilma é uma criminosa todos nós sabemos. Quantos criminosos, tiro surdo, existem naquele antro protegendo uma presidente que ao longo de 04 anos tinha o único objetivo de destruir o Brasil.

  3. Os argumentos apresentados por Carlos Newton são imbatíveis. Mostram os crimes de responsabilidade cometidos por Dilma Rousseff. É um primoroso trabalho. Espera-se que o Dr. Reale Junior e a direção dos partidos políticos, que ingressaram ontem com representação criminal contra Dilma, conheçam este artigo do nosso editor.

    Vetar artigos de lei, ou a lei inteira, não constitui crime cometido por prefeitos, governadores e presidente da república. Todos têm legitimidade e autonomia para o veto. É deles esse poder. Tanto não é crime visto que o veto pode ser derrubado depois, de volta à casa legislativa. No caso abordado por Carlos Newton os crimes de Dilma residem na exposição, por escrito, do que antes estava oculto e que CN denominou de “os mais flagrantes dos crimes de Dilma”. É uma espécie de confissão da prática delituosa. Efusivos parabéns ao nosso editor. Dilma, agora, se encontra em situação indefensável. Nem mesmo a amplitude do Habeas Corpus a salva.
    Jorge Béja

  4. O crime mais evidente a meu ver foi o do estelionato eleitoral, enganou a maioria dos eleitores, prometendo uma coisa e depois de eleita foi contra tudo que prometeu, fazendo tudo que dizia que o seu adversário iria fazer. Sou leigo em direito, mas acredito que ela poderia ser enquadrada no crime de falsidade ideológica. Um vigarista enganar uma pessoa para adquirir benefício é
    crime, mas um candidato a Presidente da República , enganar a maioria da população de um país para se beneficiar é um crime muito maior.

  5. Espetáculo de artigo.

    Como nosso sistema normativo segue uma hierarquia, as normas infraconstitucionais não podem conter dissonâncias com a Lei máxima que é a Constituição. E a constituição não obriga também os entes paraestatais, como no caso do BNDES, a respeitar o princípio da publicidade. Com muito mais força justificada no fato de que o banco de fomento opera com recursos públicos e, por isso mesmo, deve prestar conta do que faz. E é para fazer este trabalho de supervisão que a Constituição designou o Senado com o auxílio do Tribunal de Contas da União.

    E isso não está sob julgo de qualquer lei ou Medida Provisória. Assim como não cabe discricionariedade em relação ao mandamento constitucional.

    Cumpra-se!

  6. Não adianta. Infelizmente teremos que aturar quatro anos com ela no cargo de presidente do Brasil. O Congresso Nacional está comprado pelo PT, o STF está aparelhado com petistas. O impeachment é um desejo inalcançável.

  7. INCRÍVEL CONTINUAR ASSISTINDO TODA ESSA FANTÁSTICA MOVIMENTAÇÃO DE TODOS OS SEGMENTOS POLÍTICOS, FINANCEIROS, DA MÍDIA BRASILEIRA E DA INTERNACIONAL, DOS MEIOS RELIGIOSOS, DE MUITAS AUTORIDADES INTERNACIONAIS, DA ÁREA MILITAR, ETC., E CONTINUAR ASSISTINDO O “SAPO BARBUDO 9 DEDOS” SOLTINHO E TENTANDO INFLAMAR AS IGNARAS MASSAS, COMO SE ELE NÃO FOSSE O TODO PODEROSO CHEFÃO DA QUADRILHA.

    QUANDO ALGUÉM VAI BOTAR AS ALGEMAS NESTE NORDESTINO QUE DESONROU AS TRADIÇÕES DOS HOMENS SÉRIOS DO NORTE E NORDESTE?

    DE FATO ESTAMOS DIANTE DO MAIOR FENÔMENO DE MAU CARÁTER QUE SE POSSA CONHECER.

    MANDEM BUSCAR A MONTANHA DE DOLLARES QUE ELE TEM ESPALHADOS PELO MUNDO.

    QUANDO ALGUÉM LEVANTAR A FORTUNA DESSE FALSO PAU-DE-ARARA, CERTAMENTE VAI SE ESTARRECER.

    FALEI!

Deixe uma resposta para JORGE BÉJA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *