Entenda por que a família Bolsonaro precisa aprender a respeitar o trabalho dos jornalistas

Resultado de imagem para bolsonaro e a imprensa chargesCarlos Newton

O maior erro da família Bolsonaro é julgar que as redes sociais já se tornaram mais importantes do que a imprensa tradicional, que estaria destinada à extinção. Diversas vezes o próprio Bolsonaro já fez afirmações nesse sentido aos jornalistas que aguardam suas performances diárias diante dos fanáticos que se aglomeram na portaria do Palácio da Alvorada.

“A profissão de vocês vai acabar”, diz o presidente da República, ao repetir antigas previsões que jamais se concretizaram, e são feitas sempre que surgem novidades na área da mídia, que desde seu surgimento com os arautos dos reis vem incorporando novas tecnologias, para que o serviço básico – a informação – seja cada vez acessível.

COMEÇOU COM GUTENBERG -Depois que o alemão Johannes Gutenberg criou no Século XV a tipologia, invenção que possibilitaria o surgimento de jornais, revistas e livros, causando desemprego de copistas, a imprensa floresceu embelezada pelas fotografias, cuja técnica era desenvolvida simultaneamente em vários países, mas a primeira foto conhecida foi exibida em 1826 pelo francês Joseph Nicéphore Niépce.

Pouco depois, em 1844, o norte-americano Samuel Morse criou o telégrafo com fio e levou à informação à distância, inclusive com cabos submarinos, mudando os rumos da comunicação.

Em seguida, os irmãos franceses Auguste e Louis Lumiére criaram o cinema em 1895 e depois a foto colorida. Com a popularização do cinema mudo e falado, logo apareceu que dissesse que o teatro ia se acabar…

NAS ONDAS DO RÁDIO – Simultaneamente, o italiano Guglielmo Marconi inventou a telegrafia sem fio e fez a informação cruzar o Canal da Mancha em 1899, e ninguém sabia que dali logo se derivaria o rádio, que até o advento do celular era o mais popular meio de comunicação.

Naquela época, com as rádios fornecendo informações de graça e em tempo real, disseram que a imprensa ia se exaurir, mas a profecia era uma bobagem.

Mais adiante, em 1918, o escocês John Logie Baird começou a transmitir imagens e surgiu o milagre da televisão, repetindo-se as velhas profecias de que o teatro iria se acabar…

NA ERA DIGITAL – E agora, no novo milênio, a internet traz a informação em tempo real, com textos, fotos, filmagens e tudo mais, e logo surgem as velhas visões apocalípticas de que desta vez a grande mídia não vai conseguir escapar.

Deslumbrada com o sucesso das redes sociais nas eleições, a família Bolsonaro embarcou nessa canoa furada e abriu uma guerra contra a imprensa, com apoio de milhões de fanáticos que também acreditam nessa bobajada.

Acontece que não mais que de repente, como diria Vinicius de Moraes, surgiu do nada a primeira pandemia deste milênio, assustando para valer a população mundial, que literalmente está se vendo pela famosa hora da morte.

ONDE SE INFORMAR? – E onde as pessoas foram buscar as informações sobre o coronavírus? Nas redes sociais? Ora, ora, isso “non ecziste”, diria padre Quevedo, enfrentando as bruxas da comunicação. As redes sociais são coisas de amadores. Nos momentos cruciais, é preciso consultar os profissionais, que mantêm na grande mídia o comando das informações concretas e confiáveis.

Pouca gente entende que a imprensa é como a medicina e sempre funcionará como uma espécie de “clínica geral” da sociedade, apontando seus males e tratamentos.

É sabido que não se deve falar mal dos médicos, porque a qualquer momento você pode precisar deles. Da mesma forma, é bom respeitar os jornalistas, porque a gente continua precisando desesperadamente deles.

Resultado de imagem para COMBATE À CORONAVIRUS###
P.S.A grande diferença entre o noticiário da grande mídia e as informações que circulam nas redes sociais são as chamadas fakes news. É impressionante a irresponsabilidade desses falsos jornalistas, que inundam a internet com bobagens e asneiras. O jornalismo precisa ser respeitado. Pense sobre isso. (C.N.)

45 thoughts on “Entenda por que a família Bolsonaro precisa aprender a respeitar o trabalho dos jornalistas

  1. Por que estes jornslistas também não respeitam o governo? Pois, muitos de alguns órgãos da imprensa são os mauores propagadores de mentiras. Só para citar: a foice de São Paulo, globo, globo news, são verdadadeirad fábricas de fake news.

  2. Aproveitar-se de uma pandemia para criar pânico na população e com isso derrubar o governo que timidamente tenta acabar com os corruptos de todos os setores inclusive na imprensa.
    Agora o JN que sabe sim usar de táticas subliminares está eufórico com tudo isso.
    E tem também os verdevaldeanos.
    E tem mais os esquerdistas corruptos PT , PSOL , PCdoB , PSB , PDT. Todos loucos para voltarem à época do LULADRÃO.
    É realmente essa imprensa está prestando um grande serviço ao Brasil.
    Só a verdade nos salvará.

  3. É isso CN, ótimo artigo.

    A mídia tradicional está fazendo um papel muito importante e essencial nestas horas de crise, informando sobre a situação. Claro, como sempre, há os que a odeiam, porque não gostam de ouvir críticas aos seus escolhidos (ungidos).

    É verdade que alguns jornalistas se excedem, mas faz parte do jogo e o povo gosta disso (coisas irrelevantes, mas que dão assunto).

    Ontem eram uns que criticavam, hoje são outros que criticam a mídia.

    Mas o que interessa mesmo é que a mídia tem de ser livre. Com a mídia amordaçada, a gente não fica sabendo de muitas coisas que acontecem. Eu prefiro saber. E quantas mais informações de fontes diferentes, mais ficamos próximos da realidade.

    • SERÁ QUE NOS TEMOS UMA VERDADEIRA LIBERDADE DE IMPRENSA SENDO QUE EMPRESAS DE COMUNICAÇAO COM SEUS INTERESSES PRIVADOS DOMINAM O AO DEBATE FOI UM DISCURSO UNICO.NOTICIARIO UM EXEMPLO FOI A REFORMA DA PREVIDENCIA EM QUE NINGUEM TE TINHA PROPOSTA DIFERENTE TEVE O DIREITO NA MIDIA DE EXPOE SUAS IDEIAS NEM A COBERTURA DA CPI NO SENADO QUE TERMINOU EM NOVEMBRO DE 2017 FOI DIVULGADA.O JORNALISTA TEM QUE COMEÇAR A QUESTIONAR O PAPEL DAS EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO PARA NÃO SEREM TÃO ATACADOS.

  4. E rede globo incitando o “nós contra eles”, divulgando gato pingado batendo panela é informação que ajuda a solidariedade e união?
    Pelo amor de Deus, CN!
    Eu pesquiso na internet sobre o corona em sites do mundo todo e sou muito melhor informado do que o sujeito que assiste JN, jornal da Band (China media group associada), etc.
    Jornalista deixou de ser hegemônico. É isso que é preciso entender. Agora você CHECA , CONFERE a notícia que quiser em diversas fontes. Em vários idiomas sem ser refém, muitas vêzes, de um estagiário recém formado em uma faculdade absurdamente ideológica que prega que o jornalista é ativista.
    Grande mídia é uma parte. E não é a maior parte da informação hoje.

    • “””José Augusto Aranha 22 de março de 2020, 09:12 at 09:12.

      E rede globo incitando o “nós contra eles”, divulgando gato pingado batendo panela é informação que ajuda a solidariedade e união?
      Pelo amor de Deus, CN!”””

      O Carlos Newton está com a doença do jornalista.
      Mas, parece que tem cura. Ele esta tomando o remédio; que é ler e liberar comentários de opiniões contrarias.

      Resumindo : Ele está sendo medicado, a doença é grave, vai ser curado, mas o tratamento é longo.

  5. Excelente artigo.
    Vacina de cachorro antirrábica deveria ser obrigatória para quem expele raiva e agressividade.
    Um governo que dá fortes motivos absurdos para a mídia publicar e não respeita ninguém, não pode exigir respeito dos jornalistas que cumprem seu papel profissional de informar.
    Quem derruba o governo é o próprio Presidente da República com seus erros e suas opiniões chulas e absurdas. Foi assim com a Dilma, Collor e Jânio Quadros.

  6. “A imprensa é tão séria, que se pagar bem ela até publica a verdade”

    Vamos aos fatos:

    1 essa tal nossa ‘imprensa’ bateu em Bolsonaro descaradamente antes da eleições com o fim de seus candidatos Ciro e Haddad vencê-las . Até armaram pesquisas FAKES com ele sendo derrotado pelos dois concorrentes.
    O editor parece que não quer enxergar este fato.

    2 Eleito presidente, Bolsonaro fechou a imoral torneira que sustentava a desonestíssima mídia que faturava quase 20 bilhões do dinheiro do povo para sustentar sua malandragem, para não dizer que muitos nela praticavam mesmo a criminalidade.
    O editor não quer ver também este fato.

    3 O presidente já mandou dezenas de medidas provisórias ao congresso que trazem benefícios imediatos ao povo, mas aquela casa chefiada por alguns criminosos as engavetam em vez de colocá-las nas pautas de votação, deixando-as caducar e, o FATO é que a “imprensa” apoia essa gente com aquela conversinha de cretinos de que ele, o presidente, deveria negociar com os bandidos.

    Ora editor, vc precisa se medicar. Mas não procure aquele “doutor” seu vizinho aí do Rio, que agrediu Guarabira por declarar que não iria votar em Dilma, porque vc pode ficar mais biruta do já está.

  7. Bom dia , leitores (as):

    Senhor Gregório Abrantes de Lacerda , bem que O Presidente Jair Bolsonaro poderia mandar seus filhos e assessores pararem de fugir e irem prestar esclarecimento ás ” AUTORIDADES POLICIAIS DO RJ / FEDERAL e aos MINISTÉRIOS PÚBLICOS do RJ / FEDERAL ” quanto a seu envolvimento em diversos crimes e falcatruas , e pararem de obstaculizar e paralisar na justiça com decisões sob medida e fraudulenta , ao invés de se defenderam através dessa mesma imprensa que eles dizem abominar , esse gesto seria visto pela população como prova de que o Presidente Jair Bolsonaro realmente é contra a corrupção ” POLÍTICA / JURÍDICA INSTITUCIONAL “, o que até o presente momento ele não o fez e pelo jeito não o fará .

    • Mas se , ao que parece ser sua turma, que já devidamente julgada e condenada, como Zé Dirceu e Lula entre outras dezenas de criminosos da quadrilha do Mensalão e Petrolão estão aí livres, leves e soltos, como exigir que, suspeitos ainda, devam ir para a cadeia já?

  8. Exageradas e sem nexo, porradas no Newton porque fez bom texto cumprindo seu papel de cidadão por inteiro e jornalista isento. Não leram direito ou estão com sintomas do coronavírus. Parece clichê, mas é verdade e precisa ser salientada; não existe democracia sem jornalismo responsável. Os maus e falsos profissionais(aliás, em todos os segmentos) se destroem com o devido tempo. vão direto para o inferno.

    • Prezado colega desta, vc não se lembra do caso de Collor, que foi cassado por uma manobra ilegal, pois ele havia renunciado antes, com o apoio maciço da imprensa?

      Ora, Collor perto de Lula e Dilma é aprendiz, no entanto, um está aí se refestelando com o nosso dinheiro em viagens internacionais e a outra, o stf numa vergonhosa manobra condenou sua cassação pela metade.

      Enfim, nossa imprensa tem alguns jornalistas honestos, mas não passam de meia dúzia, para confirmar que toda regra tem exceção.

    • VICENTE NÃO ME PARECE QUE O JORNALISTA VENHA A SER O PROBLEMA ENQUANTO EMPRESARIOS COM OS SEUS INTERESSES PRIVADOS CONTRLAREM O NOTICIARIO NADA MUDARA POIS SO SE DIVULGA O QUE LHES INTERESSA .

  9. Newton e Limongi Netto
    O texto do Newton está intocável, É isso mesmo. Em qualquer regime a imprensa é fundamental.
    Quanto a credibilidade, cada um conquista ou joga fora a sua. Temos visto seguidamente acontecer.
    Quanto ao modo de ver as coisas,…cada um tem o seu.
    A mentira, a tergiversação, o ocultamento da informação, a insinuação maldosa, a manchete não comprovada, o enxovalhamento de pessoas honestas, a mentira não corrigida….isso sempre ocorreu. O interesse econômico e político é uma constante nos meios de comunicação.
    Este é um canal de debates, respeitemos os debatedores,…faz parte do jogo democrático.
    E, finalizando, vale a velha máxima…” cada povo merece o governo que tem”!
    ,

    • Seus princípios estão corretos, mas esconder que neste país a imprensa não é séria, para dizer o mínimo?
      Aqui temos apenas uma meia dúzia de jornalistas que honram esta condição. O resto está contaminado ideologicamente e isto anula todo o sentido desta atividade

  10. Bom dia , leitores(as):

    Senhor Mario Jr. , não se condenar por antecipação , mas sim o fato de os filhos e assessores do Presidente Jair Bolsonaro pararem de fugir e irem prestar esclarecimento ás ” AUTORIDADES POLICIAIS DO RJ / FEDERAL e aos MINISTÉRIOS PÚBLICOS do RJ / FEDERAL ” quanto a seu envolvimento em diversos crimes e falcatruas , e pararem de obstaculizar e paralisar na justiça com decisões de sob medida , fraudulenta e até mesmo criminosa .

  11. Concordo com o artigo de Carlos Newton em gênero, número e grau.

    Há uma enorme distância entre a imprensa tradicional, dos veículos de comunicação, para um pessoal que surge diariamente no Youtube com “canais”, e se apresentam como porta-vozes em favor ou contra Bolsonaro.

    Más informações, tendenciosidade, críticas desonestas, “apresentadores” medíocres, que não conseguem ler palavras mais extensas … compõem as redes sociais de forma a ser menos confiável que a Folha de São Paulo, em se tratando de Bolsonaro.

  12. Uma coisa percebi aqui, mas que nem é do assunto da pauta, foi o fenômeno da Síndrome de Estocolmo, ocorrido nos dois lados opostos depois de um atrito passado entre duas pessoas .

    Assim, depois dos violentos atritos entre elas, com o tempo e sem que nenhuma das duas se retrate com a outra, elas acabam até por se tornarem amicíssimas, podendo até chegar às vias de fato. Eu, hem?!!

  13. Carlos, não dê pérolas aos porcos. Bolsonáricos não leem e tem raiva de quem lê. Deixe-os se deleitarem com os tuítes servidos ao gado, em generosas porções diárias, sua ração.

  14. A única diferença entre a mídia tradicional e a internet, é que se você garimpar (procurar muito), na internet você consegue achar informação verdadeira. Mas, na mídia tradicional, você só dever ir para se distrair e/ou perder tempo.

  15. Carlos Newton, parabéns pelo artigo. Muito bom. Vou guardar para meus netos.

    Peço permissão para lembrar apenas um fato, o da primeira iluminação do Cristo Redentor, realizada por Marconi, ou seja, na sua inauguração.

    No dia 12 de outubro de 1931, dia da inauguração do monumento, um verdadeiro show de tecnologia foi consumado. A iluminação do Cristo foi acionada a partir da Itália, de onde o cientista Guglielmo Marconi, a convite do jornalista Assis Chateaubriand, fundador dos Diários Associados, emitiu um sinal elétrico: fez-se a luz!

    Assim foi marcada, para sempre, a grandiosidade do evento.

    Um grande abraço do Celso.

  16. Se pelo menos metade da imprensa fizesse a mesma pressão ao congresso para votar medidas que favoreçam o país, que faz a Bolsonaro apenas por razões estéticas, sem relevância política, como criticar seu linguajar chulo ou o botão do seu paletó que não está na casa certa, o Brasil já teria conseguido dar alguns passos à frente.

    O problema da imprensa é que ela é partidária política e não partidária da verdade como deveria ser.

  17. A impren$a faz um trabalho mediocre. Ao invês de informar a população a respeito do vírus, fica noticiando como o presidente coloca máscara, o que ele come, quem ele visita, etc. Pífio!

  18. “NAS ONDAS DO RÁDIO – Simultaneamente, o italiano Guglielmo Marconi” O primeiro a fazer transmissão foi um brasileiro gaúcho.

    PS: Só a esquerda é contra a imprensa (querendo controla-la com a lei dos médios e da internet).
    O que nós defendemos é mais canais de comunicação livres, para que a vagabundagem vendida fique no ostracismo.

    Esse seu exemplo, é mais um exemplo de uma imprensa que não existe, e que sumiram com muitas informações. https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Landell_de_Moura

  19. A grande imprensa está desacreditada no mundo inteiro. Nos Estados Unidos, as pesquisas de opinião mostram a imprensa com baixíssimos índices de confiança. Quantas pessoas ainda duvidam que a grande imprensa não serve a interesses megaempresariais, quando em todo o planetas os jornais e revistas se tornaram propriedades de megacorporações e super-ricos? Amazon, Disney, Viacom e um punhado de grupos poderosos controlam a mídia dos Estados Unidos, e abastecem a mídia do mundo. Eles falarão realmente em novo do povo? A grande imprensa está tão desmoralizada que já tem dificuldade até de influenciar as pessoas presumivelmente liberais e esclarecidas. O New York Times de Carlos Slim endossou os nomes de Elizabeth Warren e Amy Klobuchar para candidatas democratas a presidente dos Estados Unidos, e isso não rendeu nada a elas em votos nas primárias. As pessoas viram como a mídia americana bombardeou incessantemente Bernie Sanders como inelegível (apesar dos números favoráveis nas pesquisas), na atual eleição e na de 2016, e como sempre manipulou informações para prejudicar outros candidatos que não convinham aos grandes interesses – Ron Paul, Howard Dean, e outros, e como se associou acriticamente não só aos interesses do grande capital, mas também do estado ianque, o que ficou óbvio em 2003, quando toda a imprensa dos Estados Unidos, ressalvadas algumas mídias alternativas, não só aceitou, mas endossou entusiasticamente todas as alegações pra lá de duvidosas, pra dizer o mínimo, do governo George W. Bush para justificar a invasão ao Iraque, e que se revelaram mentirosas anos depois. Ainda hoje, a ordem na mídia americana é demonizar todos os países que contrariam interesses americanos, e aceitar como verdade tudo que se diz contra seus dirigentes. A exceção notável agora é a China, poupada porque a mídia ianque não gosta de Trump, que se elegeu à revelia dos jornalões.
    Aqui no Brasil, vimos a grande mídia fazer a caveira de Leonel Brizola, manipular o noticiário para eleger Collor, endeusar FHC enquanto a economia naufragava, heroicizar um empresário encalacrado num megaesquema de corrupção e grande comprador de publicidade que pretendeu ajudar a depor um presidente, e, num enorme arroubo de pretensão, tentar transformar um apresentador de TV em grande líder político e candidato “fortíssimo” à presidência. A imprensa brasileira perdeu tanto crédito que nas últimas cinco eleições presidenciais venceram candidatos francamente hostis à grande mídia. O lulismo, ressentido com razão desde as manipulações a favor de Collor por parte da mídia, que quis repetir a dose com a Roseana Sarney transformando-a num Collor feminino para barrar a ascensão do chefão do PT, cunhou a expressão “partido da imprensa golpista” para desqualificar as críticas – algumas até corretas – da imprensa a seu exercício do poder, e procurou criar seu aparato paralelo de comunicação na internet, a chamada “blogosfera independente”. Por fim, com o descrédito do lulismo, ascendeu Bolsonaro, escalado pela mídia como o candidato para perder pra qualquer um, e que ganhou porque os candidatos que gozavam do respeito da mídia não o tinham por parte do eleitorado. O bolsonarismo, como o lulismo, ascendeu à revelia da grande mídia e não tem confiança nela.

  20. Me atenho aos fatos.
    Jornalistas estudaram jornalismo e não estão qualificados como psiquiatras que estudaram psiquiatria para diagnosticarem que Bolsonaro é doido.
    Jornalista tem que informar a notícia, não tem que interpretá-la e me vender como se eu fosse um cretino que precisa ser domesticado.
    Jornalista incensada como ícone e defendida por seu pares, não conheço a grade curricular, deveria estudar geografia antes de acusar Bolsonaro de fechar fronteira com o Chile, pra ela não importa a divisa, importa em desconstruir seu desafeto ideológico, se isso é jornalismo eu sou o Capitão James Tibérius Kirk comendante da nave Enterprise assistindo Dilma estocar vento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *