Entenda por que o corte anunciado pelo MEC nas universidades federais é de 3,5%

Ministro da Educação, Abraham Weintraub discursa durante sessão da Comissão de Educação do Senado Foto: ADRIANO MACHADO 07-05-2019 / REUTERS

Desde a semana passada, o ministro está desmentindo a ele mesmo

Deu em O Globo

Em vídeos didáticos, nos quais usou chocolates e um quadro branco para fazer cálculos, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que o bloqueio de verbas das instituições federais de ensino superior foi de 3,5% — percentual muito menor do que os 30% que o próprio MEC havia mencionado em nota oficial e que ganhou ampla repercussão.

A discrepância entre os percentuais se deu porque os 30% de bloqueio se referem não ao orçamento total das universidades, mas apenas à verba para despesas discricionárias — as não obrigatórias, que incluem pagamento de contas de luz, telefone e água, de terceirizados (como funcionários responsáveis por limpeza, segurança e manutenção) e investimentos (incluindo pesquisas).

SOBRE 20% – Segundo o governo , as despesas discricionárias correspondem a 20% do orçamento total das universidades — foi sobre esses 20%, portanto, que o MEC aplicou um bloqueio de 30%, o que correspondeu a R$ 1,7 bilhão congelados até que a economia melhore, segundo Weintraub vem argumentando.

Os outros 80% da verba das federais, que incluem os salários de funcionários e pagamentos de aposentadorias, não entram na conta do contingenciamento.

De acordo com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil, o MEC vem fazendo bloqueios desde 2014, mas nenhum teve essa dimensão.

CALCULO CORRETO – Gil Castello Branco, fundador e secretário-geral da Associação Contas Abertas, afirma que os 3,5% calculados por Weintraub estão corretos quando se considera o orçamento global das universidades federais. Ele lembra, no entanto, que o bloqueio de 30% das verbas destinadas à manutenção básica não é trivial, pois atinge despesas que mantêm o dia a dia das universidades, além de afetar a capacidade de investir em obras nos campi.

Em sua defesa dos contingenciamentos, Weintraub afirmou que foram preservadas “todas as áreas” em que governo avaliou que “não tem como cortar”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Vejam o resultado de uma declaração errada do ministro, com nota oficial do MEC e tudo o mais. Essa mancada ministerial levantou os estudantes contra o governo em diversas cidades, sem maiores motivos, e depois ainda reclamam do tal  “marxismo cultural”. (C.N.)

12 thoughts on “Entenda por que o corte anunciado pelo MEC nas universidades federais é de 3,5%

  1. C.N parabéns assim resultamos esclarecidos e informados.

    Mas e os que foram as ruas hoje?

    Alunos sabemos são massa de manobra mais dóceis que o mar. Mas e os professores? É as escolas e universidades que se levantaram em armas contra o desmonte????
    Como entregar nossos filhos e netos para eles “ensinarem e qualificar”????
    Só eu vejo como um tiro no pé e o desnudamento (sic) da farsa que se tornou a educação no país????
    Por que não zerar tudo e começar de novo???

  2. Que cara mais medíocre pro cargo!
    Pior era uma ruminante se empantufando de comer sentada ao seu lado na mesa da Câmara, uma verdadeira Dona Gorda em vias de explosão!

    Baicaria total! Incompetência geral!

  3. A mancada foi do jornalismo ativista que mente, mente, mente e nem sente…
    Querem quebrar a sociedade com mentiras e fakenews? Não se esqueçam que também estão dentro dela.

  4. Carlos Newton, sem motivo? Cortar 30% de despesas não obrigatórias é um motivo, sim. Porque nenhuma universidade vi funcionar se não pagar luz, telefone ou terceirizados. O orçamento já estava apertado.

  5. A TI foi obrigada a reconhecer a FAKE NEWS.
    Mas, não perde a mania de ser mordaz, verdadeiro despropósito…
    rsrs.. Simples assim, rsrs…
    Kkk Atenciosamente kkk.
    P.S.- Cadê a grana? Ora, pergunta ao NINE! rsrs… kkkk

  6. Lula, Dilma e Temer deixaram a educação no paraíso, aí chegou o ladrão do Bolsonaro e desgraçou com tudo.
    Esse cara tem que ser capado, onde já se viu tamanha perversidade, vai deixar nossos jovens sem cultura alguma, está matando o passado, o presente e o futuro.
    Ainda bem que nossa justiça permite importação de semente de maconha, (da boa) enquanto degustam lagostas e vinhos premiados.
    O nosso ciclo de ganhadores de premio Nobel foi enterrado por obra e graça do capitão malvado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *