Entenda por que Rodrigo Maia até hoje não pediu o impeachment de Bolsonaro

TRIBUNA DA INTERNET | Impasse na Câmara impede avanço de PEC que legaliza prisão em segunda instância

Charge do Paixão (Charge Online)

Roberto Nascimento

Todo político precisa ter um olhar no passado e um instinto de sobrevivência altamente aguçado. E a política também é a arte da conciliação. No início do governo Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, flertou com o governo, principalmente com o ministro Paulo Guedes, aquele que odeia pobre e fez uma desconsideração com as empregadas domésticas, sobre a ida delas com as patroas em viagens à Disney.

Pois bem, Maia começou articulando com Guedes a tramitação das pautas econômicas, dentre elas a Reforma da Previdência, finalmente aprovada em 13 de novembro de 2019, com pesadas restrições aos aposentados e a tunga de 50% na pensão das viúvas, dentre outras monstruosidades.

AGRADOU AO EMPRESARIADO – Maia então, se tornou o queridinho do empresariado, segmento que não suporta regulação e carga tributária, sempre buscando mais lucros sem ônus.

Começou até a ser lembrado pelo sistema como um bom candidato para presidente em 2022. A partir desse momento, ficou carimbado como inimigo do governo e veio a ordem para Guedes se afastar dele.

Desde então, Maia foi boicotado e também não ajudou mais o governo na Reforma Administrativa e na Reforma Tributária, que o governo reteve, depois enviou fatiadas ao Congresso e até hoje não completou o projeto tributário.

PEDIDOS DE IMPEACHMENT – Nesse ínterim, a impopularidade de Bolsonaro na classe média e importantes parcelas do setor produtivo já deu origem a 61 pedidos de impeachment na Câmara. E a pergunta que não quer calar: por que Rodrigo Maia, não pautou nenhum pedido?

Primeiro, porque estava pactuado com o governo e o Supremo para desidratar a Lava Jato e impedir prisão antes da quarta instância. Além disso, não tinha certeza se conseguiria os votos de 2/3 dos deputados e senadores para sacramentar a cassação do presidente, o qual, escaldado como um gato, fez acordo com o Centrão (grupo de deputados fisiológicos do baixo clero, que votam pela quantidade de cargos que recebem do governo).

LEMBRANCA DE CUNHA – O terceiro motivo foi porque Maia, olhando pelo retrovisor, apareceu no espelho a imagem de Eduardo Cunha preso. Como presidente da Câmara na época do governo Dilma Rousseff, o deputado Cunha pautou um dos mais de vinte pedidos de cassação da presidenta, por ter feito as ditas pedaladas fiscais.

Depois, Cunha foi perseguido, acabou preso pela Lava Jato e perdeu o mandato. É disso que Maia tem medo, aliás, pavor.

Um político jamais pode morrer abraçado ao inimigo, afogados no mar. Os políticos brigam em público e se reconciliam em privado. Quem perde sempre é o povo eleitor. Até quando, hein?

O CASO DA VACINA – O calote que a Índia deu no Bolsonaro é uma bela lição. Será que ele achou, que o governo indiano iria priorizar um pedido do Brasil em detrimento da população (1 bilhão e 300 mil habitantes) do país asiático? Ledo engano. Primeiro os teus, depois os outros. É assim no mundo todo, menos aqui.

Nosso presidente fez tudo o que Trump quis e nada veio para nós em troca. Duvido que Trump, mesmo com toda a bizarrice dele, iria mandar a vacina da Pfizer para o Brasil.

Não tem saída para Bolsonaro: ou ele aceita a Coronavac da China ou a Sputnik da Rússia. Não se pode ter vacina, nem político de estimação. O importante é imunizar o povo através da vacinação, seja qual for a origem da vacina. Não há vacina de esquerda ou vacina de direita. Há sim, a vacina que salva vidas e evita a mortandade e o desespero dos amazonenses, sem ar para respirar.

30 thoughts on “Entenda por que Rodrigo Maia até hoje não pediu o impeachment de Bolsonaro

    • Prezado Bortolotto.
      Creio que não seja a questão do voto, o fator fundamental.
      O que pesa na queda de qualquer governo é a voz das ruas, que está, até o momento muda e a falta de apoio do empresariado, segmento que manda efetivamente em tudo
      Na queda de Getúlio, de Jango, de Collor e da Dilma, o sistema empresarial deu a senha para o presidente cair.
      Prestem atenção em Paulo Guedes. Este homem é o avalista do governo, apesar de incompetente na gestão da Economia. Se ele cair por osmose ou pela caneta presidencial, tudo irá mudar.

    • Pois é! Por quê em relação ao impeachment da Dilma, Maia, Paes, todo o DEM, MDB e o PSDB não tiveram medo.
      Não é nada relacionado ao Bocage e sim aos interesses partidários e individuais.
      Luiz, você acertou em relação ao telhado de vidro. Há um acordo de cavalheiros, que nós nunca saberemos em que termos foi firmado, apesar de intuirmos qual seja.

    • Caro Antônio
      Enquanto não houver uma revolução na Educação do Brasil, os eleitores não vão aprender a votar. Você percebeu que esse governo abandonou a Educação em todos os níveis? Já estamos no terceiro ministro do MEC.
      Ao invés de aprender, estamos piorando a cada eleição. O retrocesso é visível a olho nu.

  1. Sabe aquela do Bocage, de quem tem c., tem medo? Pois é a explicação para que o dito cujo nunca tenha tentado algo mais forte contra o Bolsonaro.
    Ibsen Pinheiro e Eduardo Cunha viram como é a “rebordosa”, então o Rodrigo Maia não quis arriscar, haja visto possuir também um telhado de vidro. É aquela velha verdade, prudência e canja de galinha, nunca fizeram mal a ninguém.

    • Pois é! Por quê em relação ao impeachment da Dilma, Maia, Paes, todo o DEM, MDB e o PSDB não tiveram medo.
      Não é nada relacionado ao Bocage e sim aos interesses partidários e individuais.
      Luiz, você acertou em relação ao telhado de vidro. Há um acordo de cavalheiros, que nós nunca saberemos em que termos foi firmado, apesar de intuirmos qual seja.

    • Obrigado Luiz Fernando. Fico feliz por ter gostado.
      Ele, Maia, voltará para o baixo clero, principalmente se não conseguir emplacar Baleia Rossi como seu substituto, o que acho muito difícil.
      Torço pelo MDB na presidência do Senado, pois o Partido de Ulisses Guimarães, tem história de resistência contra o autoritarismo e defesa intransigente das liberdades democráticas.
      O problema reside na candidata, a senadora Simone Tebet, que na eleição passada votou em Davi Alcolumbre e trabalhou contra Renan Calheiros.
      Agora s conta vai chegar. Que sirva como lição de vida.

  2. Pois é! Por quê em relação ao impeachment da Dilma, Maia, Paes, todo o DEM, MDB e o PSDB não tiveram medo.
    Não é nada relacionado ao Bocage e sim aos interesses partidários e individuais.
    Luiz, você acertou em relação ao telhado de vidro. Há um acordo de cavalheiros, que nós nunca saberemos em que termos foi firmado, apesar de intuirmos qual seja.

  3. Prezado Luiz Fernando
    Obrigado pela resposta.
    O Botafogo dificilmente escapará da ida para a segunda divisão.
    Já Rodrigo Maia se não emplacar Baleia Rossi como seu substituto, voltará para a segunda divisão da política, o baixo clero.
    Torço para Simone Tebet presidir o Senado. O MDB de Ulisses Guimarães tem histórico de lutas contra o autoritarismo e defesa das liberdades democráticas. O problema é que Simone na eleição anterior, votou em Davi Alcolumbre contra Renan Calheiros.
    Agora a conta está chegando. Evidente que será traída pela bancada.
    O P T com seis senadores sacramentou o nome de Rodrigo Pacheco, apoiado por Alcolumbre.
    A vida nos impõe as lições todo dia.

  4. O Pinóquio não se deu conta de que ele é o oposto do pestismo no Poder, mais nada. Quer implantar um governo diferente repetindo erros e as práticas dos governos anteriores. Esta coisa de invocar com a origem das vacinas é de uma estupidez sem tamanho. Torcer para que uma vacina dê certo e outra errado é mesmo de chorar. Ao povo não interessa quem fez a vacina, o povo quer ser vacinado porque nem todo mundo é atleta. Do Nhonho não digo nada, é tão inútil que nem merece consideração da minha parte.

    • Ele sempre foi negacionista e favorável a ideia de rebanho. Se todos fossem contaminados acabava o vírus, pois todos estariam imunizados. Sobre as mortes dos brasileiros, a ideia era de que algum dia todos nós vamos morrer.
      Falta de empatia com a vida humana.
      E ainda teve o Osmar Terra deputado federal, que dizia em março/2019, que as vítimas do coronavirus não passariam de 1000 infectados comparando com sua experiência de médico sanitarista no combate ao vírus influenza.
      Que tragédia

  5. FOLHA DE S. PAULO – 17 de janeiro de 2021

    GOVERNO BOLSONARO IGNOROU ALERTAS EM SÉRIE SOBRE FALTA DE OXIGÊNIO EM MANAUS

    O ministro da Saúde, general da ativa Eduardo Pazuello, foi avisado sobre a escassez crítica de oxigênio em Manaus por integrantes do governo do Amazonas, pela empresa que fornece o produto e até mesmo por uma cunhada sua que tinha um familiar “sem oxigênio para passar o dia”. Pazuello também foi informado sobre problemas logísticos nas remessas. Os avisos foram dados pelo menos quatro dias antes do absoluto colapso dos hospitais da cidade que atendem pacientes com Covid-19, inclusive um hospital universitário federal, o Getúlio Vargas. Ainda assim, e mesmo estando na capital do Amazonas nos três dias que antecederam o colapso, o ministro não tomou as providências necessárias para garantir o fornecimento de oxigênio.

  6. Blog GLOBO.COM – 17 de janeiro de 2021

    CÂMARA

    ARTHUR LIRA USOU DINHEIRO PÚBLICO PARA COMPRAR GADO E FAZENDAS, DIZ PF

    Por Amanda Almeida

    17/01/2021 • 06:20

    Luis Macedo | Câmara dos Deputados

    Candidato de Jair Bolsonaro ao comando da Câmara, Arthur Lira é famoso em Alagoas pela participação em leilões com seus bois gordos. A vida de empresário rural cresceu na época em que o deputado participou de esquema de desvio de dinheiro público na Assembleia Legislativa de seu estado.

    Pelo menos é isso que aponta o relatório da Operação Taturama, ocorrida no longínquo ano de 2007. Segundo a PF, Lira comprou duas fazendas em Pernambuco por R$ 3,8 milhões entre 2005 e 2007. O deputado foi condenado por improbidade administrativa em segunda instância. Mas está recorrendo no Superior Tribunal de Justiça. Por peculato e lavagem de dinheiro, foi absolvido em primeira instância.

    O Ministério Público apelou ao Tribunal de Justiça de Alagoas.

    • Não tem jeito Ednei. Mesmo assim, Lira será eleito e comandará a Câmara.
      A Justiça brasileira é muito lenta.
      Ele irá pautar o voto impresso, em troca do apoio de Bolsonaro do seu nome.
      O candidato de Maia está desitratando nos votos. Terá tempo de reverter? Haverá traições, pois o voto será secreto?
      Maia perdeu a liderança que tinha entre seus comandados. Em final de mandatos, o café começa a ser servido gelado.

  7. Ora prezado Ednei.
    Mas, ele foi nomeado para substituir o Nelson Teich por ser um especialista de Logística do Exército. Será que era mesmo?
    Os fatos não comprovam a afirmação.
    Uma coisa é a vida civil outra é a militar.
    Pazuello não tem independência para tomar atitudes na Saúde e ainda não entende nada da área médica. Tinha tudo para dar errado. Até torcia por ele, pois o povo não merecia essa falta de equipamentos, remédios, oxigênios e vacinas.
    Ninguém fica feliz com esse fracasso. Seria melhor para todos os brasileiros termos gestões eficientes.

  8. Caro Roberto Nascimento … permita a opinião pessoal de um emedebista dos históricos?

    1 – os impedimentos de Collor e de Dona Dilma não fizeram bem ao MDB … Collor foi absolvido pelo STF e Dona Dilma não teve até hoje nenhuma acusação de corrupção pessoal.

    2 – o mesmo se diga do Governo Temer – sem nenhuma denúncia de corrupção em seu Governo … nem contra o ex-Presidente – nem contra nenhum de seus Ministros.

    3 – Bolsonaro não faz nada de novo ao não haver denúncia de corrupção – simplesmente, dá continuidade a Dona Dilma e Temer …. não há mito nenhum a se constatar, né???

    4 – Reconheço o Direito de Bolsonaro exercer o Executivo por 4 anos, conforme decisão de eleitorado … porém, no Brasil, mesmo sendo Presidencialista, o Presidente da República não manda … e Bolsonaro começou editando Decretos que seriam meio lá -meio cá em relação às Leis.

    5 – há eleitores de Bolsonaro, mostrando-se desconhecedores da Constituição, em investigação pelo STF.

    6 – não sou contra o toma lá – dá cá … visto que os 3 Poderes é que Governam … prefiro Coalizão formada antes de se ter Plano de Governo … … … como a Ponte para o Futuro ainda vigente, certo???

    Sds.

  9. Concordo plenamente com os quatro pontos do seu enunciado Lionço Ramos. Sempre votei nos Autênticos do PMDB. Lamentei o falecimento semana passada de um dos mais combativos, o ex deputado paranaense Alencar Furtado.
    O melhor para o Brasil hoje, pensando no futuro da nação, nesse momento crucial da nossa rica história, seria o comando das duas Casas Congressuais ficarem com o MDB.
    Força para Baleia Rossi e Simone Tebet.

  10. Carlos, a Índia atrasou a entrega das vacinas, porque Bolsonaro divulgou o acordado com o presidente indiano sobre o sigilo da entrega.
    Após a divulgação pelo Planalto para se antecipar ao Dória e sua coronavac a oposição indiana fez um estardalhaço, afinal eles querem prioridade para os cidadãos indianos.
    Pintaram até o avião que iria decolar hoje com propaganda da vacina. Se chegasse ao aeroporto de Bumbai na Índia poderia haver manifestações e ser arrestado pelo governo.
    Não se brinca com um povo desesperado para tomar logo a vacina.
    É isso aí tá estimado leitor
    O resto é fake da pior qualidade.

  11. Só gostaria de entender porque tão sensível o articulista com as viúvas (????) “tunga as pensões”
    Ora, francamente. Deveria, sim, tem algum tipo de taxação sobre as pensões vitalícias, especialmente considerando o tempo de matrimônio/relação e idade da beneficiada. Só no Brasil ocorre de pensionista carregar consigo um benefício desses por 30, 40, 50, 60, 70, 80 anos ou mais – isso sem citar as filhas de militares e até netas adotadas pelos avós por militares como filhas para terem benefícios.

    • Leão, isso é questão de opinião. Se o marido e a mulher contribuíram para o INSS se um conjugue faleceu, o que sobreviveu seja o marido ou a esposa têm direito a totalidade do benefício. Reduzir a metade, os proventos da aposentadoria, significa cortar todas as despesas da família pela metade, principalmente das famílias pobres, o que o Guedes quis atingir, porque nas classes abastadas esse economista liberal, não tem coragem de se meter.
      Quanto as filhas de militares, isso é um problema das Forças Armadas, da qual não detenho o conhecimento das condições de pagamento das contribuições previdenciárias, que ensejam o direito para as filhas solteiras.
      Minhas escusas por não poder opinar nesse específico caso, mas, se você souber de algo, poderia esclarecer para nós. Abraços.

    • Também gostei da charge do Paixão.
      O Maia perdeu a grande chance da sua carreira, ao não pautar na Câmara, um dos 61 pedidos de impeachment do Bolsonaro. Mesmo se não prosperasse, igual ao processo de impeachment do Temer, pelo menos teria feito a sua parte neste latifúndio político.
      Perdeu o time, perdeu o protagonismo e a chance de disputar a presidência em 2022 ou mesmo o governo do Rio de Janeiro.
      Político fraco e indeciso, talvez tenha dificuldade para se reeleger deputado.

  12. Ricardo de BH
    O talvez não foi a toa. Rodrigo Maia, quase deixou de estar entre os eleitos para a Câmera Federal no RJ, em 2018.
    Para 2022, a disputa será ainda mais difícil.
    Maia começou sua carreira impulsionado pelos votos do seu pai, César Maia, que iniciou na politica pelas mãos do governador Leonel Brizola, que o nomeou no primeiro governo Brizola ao cargo de Secretário de Fazenda. Depois César abandonou Brizola e o PDT indo para o ninho do PFL, hoje DEM.
    César Maia com seu nome trouxe o filho e Eduardo Paes para a política. Paes depois traiu César Maia.
    Luiz Paulo Conde, o saudoso prefeito carioca, que sucedeu César Maia, ajudou Rodrigo Maia a entrar para a Câmara.
    Essas condições não existem mais, tanto, que os filhos de Sérgio Cabral e Leonardo Picciani não foram eleitos em 2018.
    Mas, em política e na vida, tudo pode acontecer, até não acontecer nada.

    • Muito bem colocado.Acompanhei também, toda esta negociação no Rio de Janeiro e jamais imaginei que tudo ia desaguar em um mundo de corrupção desta magnitude na maravilhosa Cidade Maravilhosa, como podemos comprovar atualmente… Neste caso, Sr. Roberto, infelizmente,aconteceu tudo… E o povo, como sempre paga o maldito Pato… Credo!

  13. Paga o pato sim Ricardo.
    Desemprego crescente, pessoas vivendo embaixo de viadutos, nas marquises e uma desordem urbana sem precedentes.
    A Pandemia também castiga o carioca, que teima em participar de pagodes na praia e aglomerar em qualquer lugar estimulados pelo Bolsonaro, que chama de maricas, quem usa máscaras.
    O Eduardo Paes, atual prefeito tá liberando tudo e ainda quer o carnaval em julho, ignorando a segunda cepa do corona e até a suspeita de uma terceira cepa. E tome-lhe cloroquina, remédio de verme e piolho, que não serve para nada.
    Quem não tem histórico de atleta está ferrado, como afirma nas livre de quinta feira, o presidente negacionista. E a Ciência? Para os bolsonaristas não serve para nada. Estamos diante de uma nova cepa da inquisição. Para esse vírus não tem vacina, não tem salvação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *