Entre as utilidades da tragédia, destaca-se a hipocrisia dos políticos

Diante do caixão, muitos envolvidos na Lava Jato

Bernardo Mello Franco
Folha

A política sabe ser hipócrita. Na tarde em que o avião de Teori Zavascki caiu no mar, parlamentares que tentam escapar da Lava Jato divulgaram notas consternadas e lacrimosas sobre a tragédia. “É uma grande perda para o país”, declarou o senador Romero Jucá, o “Caju” da lista da Odebrecht. “O Brasil, a sociedade e o mundo jurídico perdem um de seus maiores expoentes”, reforçou o senador Renan Calheiros, titular do codinome “Justiça” nas planilhas da empreiteira.

No velório, outros investigados disputaram espaço ao redor do caixão de Teori. Ao menos cinco foram citados nas delações, com seus respectivos apelidos : Michel Temer (“MT”), Eliseu Padilha (“Primo”), Rodrigo Maia (“Botafogo”), José Serra (“Careca”) e Geraldo Alckmin (“Santo”).

A política sabe ser cruel. Antes de o corpo baixar à sepultura, aspirantes já se insinuavam para a vaga aberta no Supremo. Alguns nem buscaram ser discretos. Julio Marcelo de Oliveira, o procurador das pedaladas, divulgou a própria candidatura nas redes sociais. “Extremamente honrado com a lembrança de meu nome para missão tão grandiosa”, escreveu.

PUXASAQUISMO – O advogado Heleno Torres se desmanchou em elogios a Temer, a quem caberá escolher o novo ministro. “Não conheço pessoa mais elegante e equilibrada”, disse à repórter Thais Bilenky. Ele acrescentou que o peemedebista é o “melhor presidente” que o país poderia ter. Se não chegar ao tribunal, talvez consiga uma vaga na comunicação do Planalto.

A política sabe ser oportunista. Figurões de todos os partidos, do PT ao PSDB, torcem para que o desastre atrase a Lava Jato. Isso ocorrerá se a ministra Cármen Lúcia não homologar logo as delações premiadas.

No governo, a tragédia ainda é vista como um imprevisto útil para acelerar votações no Congresso. “A morte, por certo, vai fazer com que a gente tenha, em relação à Lava Jato, um pouco mais de tempo”, sentenciou o ministro Padilha. Ele não parecia aflito com o prognóstico.

11 thoughts on “Entre as utilidades da tragédia, destaca-se a hipocrisia dos políticos

  1. É mentira que o Dr. Júlio Marcelo Oliveira tenha lançado seu próprio nome. Foi o Conselho do MP de Contas, a que ele pertence. E nós, gratos a ele por ter providenciado a base para a defenestração daquela senhora, apoiamos, mesmo sem chance.

  2. Se esses são os amigos que o nobre jurista conseguiu em vida… dá pra ver o tipo de caráter que ele tinha.

    “No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.” Martin Luther King

  3. Por falar em Santo,
    Hoje o Santo da Opus Dei teve uma surpresinha desagradável……
    Rebelião no Estado do EfeagacêQuistão.

    Chora, Japão, Suiça, Suécia, Noruega, Dinamarca……….
    Vocês pedem feio para as Estatísticas Zeradas no EfeagacêQuistão
    O Melhor Estado-Páis para se viver sem ‘violência.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *