Entrevista de Roberto Setubal, do Itaú, mostra que terceira via já é pesadelo para Bolsonaro

A terceira via e o PSD entram no xadrez para 2022 | Blog da Denise

Ilustração reproduzida do Correio Braziliense

Alberto Bombig e Matheus Lara
Estadão

Alvo frequente dos ataques da esquerda, a chamada terceira via agora habita os piores pesadelos de Jair Bolsonaro. Em processo constante de encolhimento nas pesquisas de avaliação e de intenção de voto, o presidente sabe que o surgimento de uma alternativa consistente de centro-direita pode tirá-lo do segundo turno em 2022.

Portanto, o raciocínio inverso motiva Bolsonaro e sua turma. Sem esse candidato, o entorno do presidente acha que, a partir de meados do ano que vem, com a disputa aberta e polarizada, ele conseguirá atraira faixa anti-PT do eleitorado, mesmo sem ter sido obrigado a fazer grandes inflexões rumo à racionalidade, como, por exemplo, tomar a vacina contra a covid-19…

AH, NÃO… – A mesma turma que passou tempos falando em moderação do presidente (e que terminou desmoralizada com a radicalização do 7 de Setembro), agora voltou à carga para tentar inventar um “Bolsonaro de centro”.

Porém, integrantes mais lúcidos do Planalto acham que o melhor caminho de Bolsonaro será continuar fidelizando o apoio radical e apostando na incompetência do centro.

Senão, vejamos: com o País repleto de problemas urgentes e reais, o que fez Bolsonaro na semana passada? Avisou que não tomará a vacina contra a covid-19 e vetou uma homenagem a Jango. Os radicais foram ao delírio.

EFEITO ITAÚ  – O pesadelo de Lula quanto à terceira via foi traduzido por Roberto Setúbal em ótima entrevista ao Estadão: “se um candidato da terceira via chegar ao segundo turno, as chances de ganhar são muito grandes”, disse o banqueiro.

E aumenta a contestação a Bolsonaro no Congresso. Segundo levantamento da UnB, conduzido por Raphael Cittadino, do Instituto de Estudos Legislativos e Políticas Públicas, já foram apresentados 1.188 projetos de decretos legislativos (PDLs) no Congresso contestando decretos de Jair Bolsonaro: 174 no Senado e 1.014 na Câmara.

A título de comparação, no primeiro mandato de Dilma Rousseff, quase três anos depois da posse da então presidente, foram apenas 119 PDLs contrários aos decretos dela. Mesmo no segundo mandato de Dilma, quando ela estava em guerra aberta com o Congresso, foram somente 229 PDLs.

FORA DA CURVA – “O governo Bolsonaro é ponto fora da curva que revela o alto grau de conflito político existente nesse governo, em que tal medida foi acionada com mais do que o quíntuplo de frequência do que em governos anteriores”, afirma Cittadino, cientista político, referindo-se aos decretos legislativos.

Outro ponto de atrito será o Supremo. É importante não confundir: a trégua de Bolsonaro com o STF não envolve as eleições.

Por fim, cresce a campanha oposicionista #TemGenteComFome, que conta com a ajuda de artistas como Gilberto Gil, Elza Soares e Zeca Pagodinho para arrecadar ao menos R$ 18 milhões em doações durante seis meses.

9 thoughts on “Entrevista de Roberto Setubal, do Itaú, mostra que terceira via já é pesadelo para Bolsonaro

  1. O ‘tosco’ não vive exaltando o seu amor pelo país?!!!
    Então não deve chorar muito pela entrada da terceira via, no jogo pois será o melhor para o Brasil.
    Nos livramos de um ‘tosco doido’ e de um ladrão.

  2. Desde criancinhas os herdeiros do Itaú financiam o PT (partido dos traficantes). A terceira via defendida pelo dono do Itaú é uma extensão do crime organizado.

  3. A entrevista de Roberto Setúbal, muito boa por sinal, intui que o setor bancário, a Frebaban na verdade, que apoiou a candidatura de Bolsonaro, está debandando e costeando o alambrado em direção a Terceira Via.
    É preciso ler com cuidado, nas entrelinhas, toda a entrevista de Setúbal.
    Segundo ele, ainda não despontou no horizonte, esse terceiro.
    Na visão do banqueiro, ainda estão procurando, mas, Sérgio Moro é o candidato dos sonhos do sistema empresarial. Agradaria gregos e troianos.
    Quem seria contra, o xerife na aldeia.

  4. O Plano B dos Banqueiros, caso se inviabilize a candidatura Moro, o pesadelo de Bolsonaro, caminha para o candidato do PSDB, do maior Estado da Federação, o governador João Dória. Dória não tem a unanimidade no ninho dos tucanos. Leite o governador gaúcho está nos seus calcanhares, e a rejeição de Dória é alta no Estado de São Paulo, imagina angariar apoio nas unidades da Federação em uma campanha nacional. Acho, que não seria páreo duro para Bolsonaro.
    O sonho do presidente é ir para o segundo turno com Lula e vir com tudo nas fakenews, utilizando-se do medo da esquerda, que vai destruir a Família e a corrupção. Tudo falácia, porque Lula e o PT nunca foram de esquerda. Se fossem, não ficariam 14 anos ocupando o Palácio. Mas, esse discursos mentiroso cola nas mentes fracas ou interesseiras.

  5. como sempre a turma dona do dinheiro querendo fazer o presidente. Para esta gente não existe direita nem esquerda, só existe o interesse em ficarem ainda mais ricos do que já são. Se o governo é socialista, comunista ou terrorista tanta faz, o que conta é o lucro desmesurado dos banqueiros. Aí quem vier está ótimo, porque sabem que com o mito já ganharam muito dinheiro, com o Luladrão não perderam nada, muito pelo contrário. E, caso caia um meteoro na Terra e, aconteça o milagre de aparecer uma terceira via, vão continuar lucrando seja esta pessoa de que matiz político tiver. Não acredito em “preocupação” de gente rica, a única que ela tem é em ficar mais rica do que já é.

    • Só um reparo, se me permite: no governo do ex-presidiario os bancos “não perderam nada”. Segundo o próprio declarou à época ” os bancos nunca ganharam tanto dinheiro quanto no meu governo”. Dessa vez, talvez a única, ele falou a verdade.

  6. A Terceira Via hoje se tornou o pesadelo de Bolsonaro e de Lula.
    Se o candidato da Terceira Via o tertios da disputa vier do Centro da política tirará votos de Bolsonaro, que vive hoje seu pior momento de popularidade segundo as intenções de voto.
    Por seu turno, Lula, o ex- presidente, se for para o segundo turno com o provável candidato da Terceira Via, corre o risco dos votos do centro, da direita Bolsonarista e dos eleitores do Ciro, se juntarem para derrotar o PT.
    Os estrategistas do PT e o entorno de Bolsonaro, estarão unidos na tarefa de impedir esse terceiro aparecer para atrapalhar seus planos.
    Podemos atestar essa narrativa, no elogio feito hoje pelo Lula ao presidente Bolsonaro, aprovando a prorrogação do Auxiliar Emergencial no valor de 600 reais e do Bolsa Família de 190 para 400 reais.
    A política tem dessas coisas e é sempre imprevisível aos olhos distraídos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *