Envolvido na corrupção, o governo continua fingindo ser cego, surdo e mudo

CONTRAMÃO - Alexandre de Moraes, Michel Temer e Eliseu Padilha: ações e inações que vão de encontro ao que a população demanda

Fotomontagem reproduzida da Veja

Daniel Pereira, Thiago Bronzatto
Veja

Na quinta-feira passada, agentes federais bateram à porta da casa de Márcio Lobão, presidente de uma subsidiária do Banco do Brasil, em busca de provas de que recebera propina em nome de seu pai, o senador Edison Lobão. Uma batida policial é sempre um constrangimento, mas o senador saiu-se do episódio com aquela indiferença olímpica tão própria de certos políticos. Em democracias mais maduras, um fato dessa grandeza teria implicações dramáticas.

Em Brasília, não aconteceu nada. Edison Lobão foi premiado com um silêncio generalizado e cúmplice. Continua no comando da Comissão de Constituição e Justiça do Senado e terá a honra de presidir a sabatina do indicado a ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. O suspeito vai questionar as intenções do seu futuro juiz.

ROUBALHEIRA – Parece que os políticos deixaram de enxergar e de ouvir as exigências de uma opinião pública que, desde 2013, dá sinais de exaustão com a roubalheira dos cofres públicos e os comportamentos abertamente imorais.

Eles não estão propriamente mudos, cegos ou surdos — estão, sim, em luta disfarçada para sobreviver aos próprios delitos. À luz da mensagem do presidente Michel Temer de que só afastará do cargo quem for denunciado – o que pode ocorrer só depois do fim do mandato -, os ministros sentem-se livres para se movimentar, alguns com desenvoltura, como Alexandre de Moraes, que confraterniza abertamente com investigados. Ou o ministro Eliseu Padilha, o “Primo” nas planilhas da Odebrecht, flagrado durante uma palestra admitindo abertamente que a escolha do ministro da Saúde foi apenas um toma lá dá cá – não foi nem admoestado pela confissão incômoda.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO posicionamento da Veja retrata com fidelidade a situação a que chegou a política nacional, em que os governantes revelam total desprezo pela moralidade, como ficou claro na palestra do chefe da Casa Civil sobre a nomeação de “notáveis” para o Ministério e também nas visitas de Alexandre de Moraes para pedir apoio a senadores notoriamente envolvidos com a corrupção. É deprimente, inaceitável e revoltante. (C.N.)

16 thoughts on “Envolvido na corrupção, o governo continua fingindo ser cego, surdo e mudo

  1. Chega ser um escárnio elegermos representantes que não fazem outra coisa que nos roubar e conspirar contra nós. O povo deveria ter o direito de exigir recall de políticos que em caso de corrupção. Nos EUA isso existe. O ator Schwarzenegger tornou-se governador porque o povo retirou do poder Gray Davis em 2003 através de um recall. Por que não aqui no Brasil? Se tivéssemos esse poder através de um movimento popular, ficaríamos livres da inação nefasta do STF.

  2. Governo, eta governo!…. é o próprio povo,…. vão para os palácios daí ficam deslumbrados e,…..

    “O povo é mui çábio”, é ele que se candidata, que elege, que indica, que cria as castas, que faz arrastão vitimando mais de “220” milhões 24 horas por dia, todos os dias, apenas apontando a caneta sem se preocupar com os efeitos colaterais.

    Nos três poderes só “çábios” embromando e no 4º poder a parcialidade e as meias verdades com os “çábios” vermelhos tocando um comitê eleitoral que funciona disfarçadamente 365 dias por ano.

  3. Finalmente ???

    A força-tarefa da Lava Jato no Rio negocia, em estágio avançado, uma nova delação premiada que revelaria detalhes de supostos envios de propinas ao exterior para o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB). Segundo fontes próximas às investigações, o doleiro Vinicius Claret, conhecido como Juca Bala, está em tratativas para assinar o acordo de delação premiada.

    A colaboração avança sobre repasses no exterior, que integrantes do Ministério Público Federal (MPF) acreditam que podem chegar a R$ 1 bilhão.

    Em outra ponta, os procuradores têm progredido nas apurações sobre fraude em licitações no Estado do Rio que podem atingir o ex-secretário estadual da Saúde Sérgio Cortes. O MPF suspeita da existência de irregularidades na conquista de licitações na área da Saúde.

  4. Votar no Brasil é o mesmo que dirigir embriagado, soltar rojão DENTRO do salão ou brincar de roleta.russa. Não basta apenas.educar a população, hà urge ência de meios.honestos para.eleger pessoas idôneas. Qualquer pessoa de inteligência mediana sabe que o estado, gerido por esses maus elementos, é inimigo da população. Será que as FA estão tão corrompidas a ponto de deixar isto tudo passar batido.? Talvez o tresloucado xerife do exército possa nos elucidar ..Acho que existem vários Otos ,travestidos de farda ,contaminando as FA…

  5. Todos somos apenas prisioneiros aqui do nosso próprio ardil, quando de dois em dois anos votamos nas caricaturas que invadem a nossa casa através da TV, Rádio, Jornais e Mídias Sociais.

    E terminado o pleito eleitoral, nas salas dos chefes eles se reunem para o banquete e apunhalam com suas facas de aço.

    Mas não conseguem matar a fera, que se recolheu e está pronta para voltar as Ruas com gritos mais feroz.

  6. Há de se encontrar um gênio da lâmpada que acabe com a farra dos políticos que, eleitos, se acham donos do poder…
    E, como donos não devem satisfação nenhuma a qualquer dos poderes, pois a Constituição já era…
    Como disse um deles, a gente faz e continua sendo eleito… lembram-se?
    Dureza…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *