Era melhor Temer ficar calado, do que chamar a chacina de ‘acidente pavoroso’

É preciso dizer a Temer o significado da palavra ‘acidente’

Catarina Alencastro
O Globo

O presidente Michel Temer quebrou o silêncio nesta quinta-feira e prestou pela primeira vez solidariedade às famílias dos 56 presos mortos no massacre que aconteceu há cinco dias no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus. Ele chamou o caso de “acidente pavoroso”. Ao abrir a reunião com o núcleo institucional de segurança do governo, Temer determinou que presos de alta periculosidade fiquem instalados em alas separadas dos detentos de menor potencial violento.

Ele invocou a Constituição para dizer que a situação atual, na qual presos de diferentes calibres e detentos provisórios se misturam a presos definitivos, é uma “inconstitucionalidade”. O presidente ainda minimizou a responsabilidade dos agentes públicos no massacre, dizendo que o presídio era privatizado.

“Quero mais uma vez solidarizar-me com as famílias que tiveram seus presos vitimados nesse acidente pavoroso” — disse Temer.

FAZENDO PLANOS – O presidente disse que está sendo detalhado um novo Plano Nacional de Segurança. E informou que serão criados cinco novos presídios federais para abrigar detentos perigosos. Em cada unidade haverá entre 200 e 250 novas vagas. Os gastos serão de cerca de R$ 200 milhões ou até R$ 45 milhões por unidade.

Também serão gastos R$ 150 milhões para instalar bloqueadores de celular para cobrir pelo menos 30% das unidades em cada estado.Temer repetiu que cabe aos estados gerir a segurança pública, mas que o problema extrapolou os limites dessas unidades da federação, preocupando o governo federal.

“Acho que a União há de ingressar fortemente nesta matéria, que hoje a questão de segurança, embora cabível aos estados, gera preocupação da União. Teremos recursos hipotecados para o problema, sem invadir as atribuições dos estados”, disse.

SUAVIZANDO… – Sobre a responsabilidade do massacre no dia primeiro de janeiro, Temer suavizou: “Lá em Manaus o presídio era privatizado e, portanto, não houve uma responsabilidade muito objetiva, muito clara, dos agentes estatais. É claro que os agentes estatais haveriam de ter informações, haveriam de ter acompanhamento”.

O presidente afirmou que dos R$ 1,2 bilhão liberados para os estados no fim do mês passado do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), cerca de R$ 800 milhões serão usados para a construção de pelo menos um presídio em cada estado e que nessas novas unidades já haverá divisão entre presos perigosos e presos de menor poder ofensivo.

Participaram do encontro os ministros Alexandre de Moraes (Justiça), Raul Jungamann (Defesa), Henrique Meirelles (Fazenda), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), José Serra (Relações Exteriores), Eliseu Padilha (Casa Civil) e os interinos da Advocacia Geral da União e do Planejamento.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Seria melhor Temer continuar calado. Chamar de “acidente” uma chacina desse tipo, com decapitação das vítimas e membros decepados, é uma declaração absurda e abominável. Demonstra uma insensibilidade e um distanciamento que não podem ser recebidos sem críticas. Temer parece tão insensível quanto o prefeito Crivella, que se recusou a socorrer um bebê de apenas dois meses. (C.N.)

24 thoughts on “Era melhor Temer ficar calado, do que chamar a chacina de ‘acidente pavoroso’

  1. E são compositores…

    O Estadão reproduziu o funk composto pelos criminosos da FDN depois da chacina em Manaus.

    É mais verdadeiro do que toda a MPB.

    Os criminosos não reclamam da penitenciária e dizem que são mais fortes do que o Estado:

    Vou passando outra visão para o Estado se ligar
    Nossa estrutura aqui é forte, jamais vão nos derrubar
    Pode anotar, escreve o que estou falando, a força da FDN só estava começando
    então não desacredita que é a guerra só começou

    Eles reconhecem que praticam atos de puro terrorismo:

    É a Família do Norte botando o maior terror

    E se vangloriam abertamente da degola dos rivais do PCC, exibida no mundo todo:

    Nós aqui é pelo certo e não aguenta safadeza
    Foi mídia no mundo todo arrancamos várias cabeças
    Um aviso eu vou dar então fica ligado
    Somos da FDN e CV lado a lado
    Respeito, bota o respeito, aos irmãos que é fechamento
    Aqui só os terroristas pesadão nesse momento
    Armamento de pistola, de 12 e de granada
    Jogamos no seguro e não sobrou mais nada

  2. Tem muita gente ganhando dinheiro com isso:

    Durante a crise, empresas de segurança privada crescem no Brasil.
    A escalada da criminalidade e a incapacidade do poder público de conter o avanço da violência cunham ao mesmo tempo as duas faces da moeda da economia. De um lado, oneram empresas e consumidores, que passam a pagar mais caro por produtos e serviços devido ao custo crescente da busca por proteção. De outro, são combustível para o avanço da segurança privada, que ocupa o vácuo deixado pelo aparato estatal e cresce a altas taxas no país, a despeito da recessão.
    Enquanto o PIB brasileiro derreteu 3,8% ano passado e deve ter nova queda acima de 3% em 2016, as companhias que oferecem serviço de vigilância e monitoramento parecem não ter sentido a crise. Dados da Federação Nacional de Empresas de Segurança e Transporte de Valores (Fenavist) mostram que o faturamento do setor, em 2015, chegou a R$ 50 bilhões, avanço nominal de 8,6% sobre 2014. Em 10 anos, o crescimento chega a 230%.
    Com a tecnologia como aliada, a Associação Brasileira de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese) também exibe números que passam longe da crise. O segmento avançou 6% sobre 2014 e, agora, espera aumentar as vendas entre 4% e 5%. Muito mais pujante foi o desempenho da indústria nacional de alarmes. Cresceu 15% ano passado, performance que deve repetir em 2016. Entre as razões listadas para o setor estar na contramão, cita a Abese, o principais são “os menores investimentos em segurança feitos pelos governos federal, estaduais e municipais, o que estimula os particulares”.

    http://abordagempolicial.com/2016/10/seguranca-privada-cresce-crise-brasil/

  3. Não gostei do presidente michel temer considerar a tragédia de manaus,como um “acidente pavoroso”. Acidente não é. São tragédias previsíveis,face à falta de medidas para impedir que os criminosos presidiários recebam armas de todo tipo e celulares às centenas para comandarem o crime,a partir dos presídio de todo o brasil. Dizer que a segurança é de competência dos estados,é ignorar a responsabilidade global dos que governam o país. Daqui algum tempo,tudo cairá no esquecimento,até que outra tragédia cubra de sangue nosso país. Pavoroso mesmo é o tipo de governantes que o brasil tem tido e,especialmente,nestes últimos anos.

  4. Caro Newton, NR resume o descalabro em que nos encontramos, o Temer deveria saber que: “Quem delega é o responsável”, portanto o governo (ou melhor desgoverno) é de sua atribuição, manter a vida do criminoso, condenado pela Lei, e Crivela, já está no caminho da hipocrisia, Dr. Béja, no artigo de hoje, põe, os pingos nos íii.
    Temer, e os que estão no comando do País, da área federal ao municipal, responderão por suas obras que infelicitam mais de 200 milhões, já tem lugar reservado no “Ranger de dentes”, sentença pós túmulo, pelas Obras da Dor.

  5. Desde quando batalha armada dentro de um presídio entre facções pode ser sinônimo de Acidente Pavoroso.

    Para pronunciar essas palavras seria mais honroso ter ficado calado.

  6. Mais um com folha corrida assumindo…

    Condenado a 12 anos de prisão por exploração sexual de menor, Nelson Nahim (PSD-RJ) assumiu na quarta-feira (4) uma vaga na Câmara dos Deputados. Ele é irmão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho.

    Nahim ocupará o lugar de Índio da Costa (PSD-RJ), que se licenciou do mandato parlamentar para comandar a Secretaria Municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio.

    Ex-presidente da Câmara de Campos dos Goytacazes, Nelson Nahim chegou a ficar preso por mais de quatro meses, mas foi solto em outubro do ano passado graças a um habeas corpus.

    Ele foi condenado a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável, coação no curso do processo e exploração sexual de adolescentes no caso que ficou conhecido como “Meninas de Guarus”.

    O G1 procurou, por telefone, o deputado em seu gabinete funcional, mas não conseguiu localizá-lo. O Poder Legislativo está em recesso até o início de fevereiro.

    Nahim já tinha assumido uma outra vez como deputado suplente no dia 15 de dezembro de 2015, mas se afastou no dia seguinte.

    O caso
    Ao todo, 14 pessoas foram condenadas no caso “Meninas de Guarus”, que começou a ser investigado desde 2009. De acordo com a denúncia, os réus mantinham e exploravam sexualmente crianças e adolescentes, entre 8 e 17 anos, em uma casa em Guarus, distrito de Campos.

    O lugar era mantido com as portas e janelas trancadas, sempre sob vigília armada, e as vítimas eram obrigadas a consumir drogas. Segundo o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, elas chegavam a fazer 30 programas por dia.

    Após a negociação do valor do programa, as vítimas eram levadas de carro até os “clientes” para realizar programas sexuais em diversos motéis e alguns hotéis da cidade.

    Pelos programas realizados, recebiam comida e drogas e, em alguns casos, uma parte do valor pago pelo “cliente”. O bando também firmou convênios com proprietários de hotéis e motéis locais, onde parte dos encontros era realizada.

  7. Desde quando Temer, o frouxo, afirma alguma coisa? Uma semana após o degolamento de quase 60 presos em Manaus o cara “convoca uma reunião”? Temer o frouxo, junte suas experiencias(poucas) do Largo de São Francisco em São Paulo, faça um canudinho e se divirta. IMPRENSA DE MERDA OS BRASILEIROS POSSUEM:

  8. Não se trata de um “acidente pavoroso” mas induvidosamente de uma “TRAGÉDIA ANUNCIADA”.
    Esse senhor que preside atualmente o país de boca fechada é um poeta.
    Mas esperar o que de um país cujo povo elege para vereador um preso por ter cometido o crime de EXTORSÃO.

  9. Do alto dos meus 67 anos, afirmo com absoluta convicção, e sei que terei adeptos que, JAMAIS, o Brasil teve nas últimas décadas uma coleção de governantes e parlamentares tão corruptos, desonestos, incompetentes, medíocres, deletérios, nocivos, nefastos, perniciosos, canalhas, torpes, inúteis, perdulários, irresponsáveis e traidores do povo e do país, JAMAIS!!!

    Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma e Temer, têm sido um carma que a população brasileira vem padecendo de forma cruel, humilhante, vergonhosa, e não sei o que fizemos de tão grave para merecer tamanho castigo!

    Talvez pela omissão do povo, sim, a sua alienação política, que atingiu o seu mais alto patamar mas, mesmo assim, o sofrimento tem sido insuportável!

    Eu venho pregando o fechamento do Congresso, o mal mais grave, que, se extirpado, temos chances de sobreviver. No entanto, quanto mais demora esta cirurgia, a doença espalha as suas metástases, contaminando órgãos até então intactos, hoje comprometidos.

    Consequentemente, assistimos do presidente, um zero à esquerda, uma pálida imagem de uma figura grotesca a nos comandar em direção ao precipício inapelavelmente, declarações como esta, que o massacre entre ops presos, em Manaus, QUE SERIA OBRIGAÇÃO DA POLÍCIA EVITAR, que foi um “acidente”, ou seja, os facões voaram e, sem querer, acertaram os corpos dos detentos, cortaram as suas cabeças, e os mataram “acidentalmente”.

    Temer quando disse essa besteira boca a fora, deveria ter feito o teste do bafômetro!

    • Bendl,
      Além do fechamento urgente desse Congresso podre e falido temos de fechar as Assembleias e Câmaras Municipais, onde são esconderijos de bandidos ladrões corruptos…….
      Já passou da hora…

      • Armando,

        Quando digo fechar o Congresso me refiro ao Legislativo em geral, portanto, concordo plenamente contigo, que este poder apodreceu, faliu ética e moralmente, a ponto de eu afirmar categoricamente que não existe mais qualquer possibilidade de recuperação!

        Um abraço.
        Saúde e Paz.

  10. Caro bendl,
    É verdade, esses personagens, são um verdadeiro carma da população brasileira.
    Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma e agora o Temer, são as heranças da ditadura , que cassaram os verdadeiro líderes, que tinham compromisso com a nação e deixaram esses oportunistas politiqueiros para comandar e destruir a nação brasileira.
    Um Forte abraço.

  11. Nahim não soa como Garotinho…
    Temer parece estar mais bolado que Dilma Roussef!!!

    A televisão deixou mesmo esse povo muito bobo demais… E “isto aqui, iô ô, não é mais “um pouquinho de Brasil iá iá” …

    Nosso país hoje chama-se ULTRAJE, a rigor…

    Somos um país governado por analfabetos funcionais no que diz respeito a politica social…

    O negócio, imitar os americanos e seu sistema carcerário lucrativo, ás custas dos menos privilegiados…

    “Não morreu nenhum santo lá”, disse um dos “nenhum santo” que sobreviveram do lado de fora …
    E lá se vai mais um dia….

    Um exército de 12 milhões de desempregados, morgando, ao sol desse verão …

    300 picaretas vestindo sandália de prata, e cabeças rolando como num fim de feira…

  12. a guerra nos presídios é lamentável e insana. mais grave ainda é o assassinato de trabalhadores, policiais militares e civis com armamento de guerra usados por bandidos em todo o país. quem atira e mata um policial também está nos matando, o congresso nada faz para garantir proteção para quem defende a população.

    se uma pessoa é morta por um projétil de uma arma restrita, por que não enquadrar o criminoso em crime de guerra e julga-lo em um tribunal militar estando sujeito inclusive a pena de morte conforme consta na nossa constituição. o que o congresso deveria fazer e demonstrar que não esta parado, conivente e omisso, ou seja, elaborar um projeto de lei para classificar o crime cometido contra um policial em serviço como ato de atentado a nação e entregar os criminosos para serem processados como criminosos de guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *