Era só o que faltava: Odebrecht usava cervejaria Itaipava para subornar políticos

Resultado de imagem para walter faria grupo petrópolis

Em abril de 2015, a IstoÉ já denunciava a armação

Deu em O Tempo

Em acordo de colaboração com a Justiça, os executivos da Odebrecht vão revelar como utilizaram empresas dos donos da cervejaria Itaipava para distribuir dinheiro a políticos por meio de doações eleitorais e entregas de dinheiro vivo. As informações foram confirmadas pelo jornal Estado de São Paulo. Benedicto Júnior, o BJ, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, e Luiz Eduardo Soares, o Luizinho, funcionário do Setor de Operações Estruturadas, apelidado de “Departamento da Propina”, participavam as negociações e entregaram o esquema.

Conforme o jornal paulista, durante a depoimentos de delação premiada executivos da empreiteram irão contar, por exemplo, a Odebrecht depositou R$ 100 milhões em uma conta operada pelo contador do Grupo Petrópolis no Antígua Overseas Bank (AOB). A verba teria sido usada para construir fábricas em troca de dinheiro no Brasil disponível para campanhas eleitorais e pagamento de propina para agentes públicos.

No caso de doações, segundo informou o jornal, o Grupo Petrópolis utilizava algumas de suas empresas para efetuar os repasses para campanha de políticos por ordem da Odebrecht.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Há quase dois anos já se sabia das relações íntimas entre o ex-presidente Lula e o empresário Walter Faria, que ganhou apoio do BNDES para expandir suas atividades e crescer espantosamente na Era do PT. A grande novidade é saber agora que a Odebrecht usava a cervejaria Petrópolis para distribuir propinas aos políticos, algo realmente inimaginável. (C.N.)

7 thoughts on “Era só o que faltava: Odebrecht usava cervejaria Itaipava para subornar políticos

  1. Pessoas que leem tribuna, peço desculpas pelas prováveis ofensas que lhes cometi com meus comentários. Desde já, perdões!
    Pra mim, já deu por este ano as motivações que me levam a aqui escrever alguma coisa. Desejo bom fim de ano pros senhores!
    Bom descanso pra vocês!
    Se mudar de ideia, próximo ano talvez volte a escrever aqui.
    Se não, recebam meu Adeus! De coração!
    Foi muito proveitoso o que aprendi aqui. Mas estou indo pra outras atividades.
    Abraço e Luz no coração de vocês!

  2. O Partido da Odebrechis não só usava a cErvejaria para pagar o Partido dos Pelegos, mas para vários Partidos, inclusive o Partido PSDBrechi$, da Rainha da CorruPIssaum,.

    A Odebrecht abordou em seu acordo de colaboração com a Justiça detalhes de sua relação com a família Faria, proprietária do Grupo Petrópolis; a Lava Jato já havia identificado que executivos ligados à Odebrecht e o grupo eram sócios no banco Meinl Bank Antígua, utilizado pela empreiteira para operar as contas do departamento da propina no exterior; na delação, executivos da Odebrecht vão contar como utilizaram empresas dos donos da cervejaria Itaipava para distribuir dinheiro a políticos por meio de doações eleitorais e entregas de dinheiro vivo; entre os políticos que receberam as doações da empresa, por conta e ordem da Odebrecht, estão repasses em 2010 a Aécio Neves (PSDB-MG), no valor total de R$ 120 mil, Ciro Nogueira (PP) com R$ 200 mil, o tucano Arthur Virgílio (R$ 100 mil), Heráclito Fortes do PSB-PI (R$ 100 mil), o tucano Jutahy Magalhães (30 mil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *