Aécio deu aval ao pedido de auditoria das eleições

Carlos Sampaio (PSDB): “Clima de insegurança”

Deu em O Tempo

O deputado federal Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico do PSDB, disse que o senador Aécio Neves, candidato derrotado à Presidência, deu aval para o pedido de auditoria do resultado das eleições protocolado na quinta-feira pelos tucanos.

“Falei com Aécio pelo telefone. Disse a ele que fizemos uma discussão no grupo jurídico porque vimos que se instalou um clima de insegurança em relação ao sistema de votação. Ele disse que não se opunha e deu aval (para o pedido de auditoria)”, afirmou Sampaio.

Em petição ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o partido pediu abertura de um processo para verificar o sistema de votação e de totalização dos votos com a criação de uma comissão de especialistas indicados pelos partidos políticos.

O resultado oficial das eleições para a Presidência da República foi proclamado pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, na terça-feira. A candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, obteve 51,64% dos votos válidos, e Aécio Neves recebeu 48,36%.

Com a homologação do resultado, Dilma poderá ser diplomada pela Justiça Eleitoral. A data ainda não foi definida pelo TSE, mas a diplomação tem que ocorrer, no máximo, até 19 de dezembro, prazo estipulado pela Lei Eleitoral.

NA REDE. Na última quinta-feira, Aécio divulgou um post em seu perfil no Facebook agradecendo a marca de mais de 4 milhões de seguidores – curiosamente, pouco mais do que os 3,5 milhões de votos que garantiram a vitória de Dilma nas urnas. A página oficial da presidente na rede social tem 2,1 milhões de seguidores.

Sobre o pedido de auditoria no resultado das eleições presidenciais, Aécio e sua equipe de comunicação comentaram no Facebook: “O partido requer a análise de cópia dos boletins de urna de todas as seções eleitorais do país e todos os documentos que contenham dados da apuração. Tenham certeza de que Aécio está ciente das manifestações que se espalharam pelas redes sociais com denúncias de possíveis fraudes e continuará lutando para que sejam esclarecidas”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO deputado Carlos Sampaio precisa reforçar o pedido de auditoria, anexando as novas provas surgidas, inclusive o anúncio da vitória de Dilma feito na internet pelo dirigente petista José Eduardo Greenhalg às 19h26m, quando Aécio ainda estava vencendo a apuração. E o site do PT divulgava o número final de votos de Dilma às 19h35m, com incrível precisão, proclamando que ela teve (teria) 51,57%, com um erro mínimo, de apenas 0,7%. (C.N.)

 

7 thoughts on “Aécio deu aval ao pedido de auditoria das eleições

  1. Qual o motivo para o TSE não conceder esta auditoria das urnas eletrônicas, fica a dúvida o eleitor que pensava que a urna era segura, caso não autorize a auditoria, ficará esta dúvida e as próximas eleições não terão mais a credibilidade no cenário nacional e internacional, será que tivemos uma Proconsult novamente?

  2. Senhores.

    Desde quando introduziram essas urnas eletrônicas cubro as fraudes nas eleições municipais, na Região Serrana do Rio de Janeiro.

    Em 2000, quando concorriam os candidatos Celso Dalmaso e Mário Tricano (do caso Misaque-Jatobá), em Teresópolis, Dalmaso era dado como vencedor por todas as pesquisas e no dia da eleição a boca de urna dava como certa a sua vitória dilatada, mas um apagão de energia mudou tudo e quando retornou os números foram invertidos e Tricano esmagou seu concorrente. Anos depois foi cassado e teve a prisão decretada, mas nunca foi localizado pela polícia.

    Em 2008, em São José do Vale do Rio Preto, vizinha à Teresópolis, o candidato Manoel Folhão praticamente estava eleito e por volta das 14h um apagão inexplicável de energia e comunicação isolou o município e quando o fornecimento retornou, já quase 18h, o vencedor foi Adilson Faraco, por ampla margem, que concorria sub judice, desacreditado, condenado e cassado por corrupção (só foi afastado em 2011). Tricano e Faraco eram apadrinhados de dois caciques políticos fluminenses e em seus municípios faziam curral eleitoral no pleito estadual, em favor dos padrinhos.

    Curiosamente, em ambos casos, buscamos dos juízes eleitorais e do MP Eleitoral, seus posicionamentos diante das possibilidades de fraude e por pouco não fomos presos pela autoridade judiciária.

    Se manipulam votos na esfera municipal, onde os votos são praticamente previsíveis, o que dizer do pleito nacional? Essas máquinas são o nosso maior adversário no sufrágio universal e devem ser auditadas, sim, para dar transparência ao que acreditamos ser nossa arma contra os maus representantes.

  3. BEM VINDOS OS NOVOS CRÍTICOS DAS URNAS ELETRÔNICAS

    Há quase 20 anos desde que o sistema eletrônico de votação foi implantado, em 1996, o Pdt de Leonel Brizola vem denunciando a vulnerabilidade das urnas e até projetos de lei apresentou propondo impressão dos votos para possibilitar auditagens dos resultados eleitorais. Poucos ou quase ninguém, além de técnicos especializados da área ou mesmo acadêmicos e professores da Universidade de Brasília, davam ouvidos à tese de que as urnas eletrônicas são efetivamente inseguras.

    Depois de proclamados os resultados não há previsibilidade de recursos e mesmo os que forem protocolados morrem no âmbito da própria Justiça Eleitoral, isto vale para as eleições presidenciais (dois turnos) ou de quaisquer outras (governadores, senadores e deputados). As cúpulas do PSDB sabem disso e foram coniventes endossando esse sistema contra o qual agora se voltam com pretensão direcionada a tumultuar o campo político depreciando a reeleição de Dilma Rousseff. Por quê não falam da reeleição de Geraldo Alckmin e outros?

    Se há estudos concluídos por especialistas em informática afirmando que o sistema é falho e uma vez proclamados os resultados, por outro lado, não há previsão legal para recontagem dos votos, que afinal tanto podem ter beneficiado petistas quanto tucanos assim como favorecido ou prejudicado outras legendas na disputa, seria bem mais coerente rever essas regras impostas, denunciando-as ao mundo! Do contrário, da forma como agem, a coisa não passa do terreno das especulações e do oportunismo político e tudo seguirá como antes.

  4. Absolutamente pertinente a nota da redação do blog Tribuna da Internet. Permita-me:

    “NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O deputado Carlos Sampaio precisa reforçar o pedido de auditoria, anexando as novas provas surgidas, inclusive o anúncio da vitória de Dilma feito na internet pelo dirigente petista José Eduardo Greenhalg às 19h26m, quando Aécio ainda estava vencendo a apuração. E o site do PT divulgava o número final de votos de Dilma às 19h35m, com incrível precisão, proclamando que ela teve (teria) 51,57%, com um erro mínimo, de apenas 0,7%. (C.N.)”

  5. Lógico que ele não deu aval nenhum,ele já esta preocupado como vai encarar o Alkimin e o Serra para 2018.Político infelizmente é assim, acabou uma eleição e o mesmo já está pensando na próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *