Ernesto Geisel, presidente da Repblica, da ativa ou da reserva? De acordo com as normas ou as regras impostas pelos que tomaram o poder, tinha que ser de 4 estrelas e estando ainda na ativa.

Helio Fernandes

De forma elegante, amvel, delicada, o leitor que usa apenas as iniciais G. B., me cumprimenta pelo texto, mas discorda de colocaes minhas, a respeito do general Geisel ter assumido a Presidncia da Repblica (em homenagem ao leitor, que presumo militar, no usarei as aspas habituais) estando ainda em servio. Ou seja, na ativa. Se diz PERPLEXO, vou tentar livr-lo desse sentimento, nada confortvel.

Apesar de primeiro aluno, Ernesto Geisel fez carreira lenta, com mais sucesso (inicial) na atividade pblica do que mesmo na carreira militar. S chegou a capito com 32 anos. (Prestes, por exemplo, aos 23 quase 24 anos, j estava nesse posto. Antes dos 30 deixou o Exrcito por VONTADE PRPRIA , se DEMITIU, em 1936 foi EXPULSO. Que Repblica).

Essa citao das promoes tem muita importncia, principalmente para a resposta e pela citao de G. B. de que Ernesto Geisel foi 4 anos presidente da Petrobras. E foi mesmo, explico depois. General de brigada em 1961, com 58 anos, logo em novembro do prodigioso movimento de 64, promovido a general de diviso, com 61 anos.

Agora a chave de tudo, que provocou a tua PERPLEXIDADE e o fato, que RARSSIMAS pessoas conhecem, que rigorosamente verdadeiro. Geisel e Golbery foram intimssimos. Golbery teve seu apogeu de 64 a 67. Em 1974, voltaria como Chefe da Casa Civil de Ernesto Geisel, mas no fez mais nada, Geisel pensava que fazia tudo.

(Contarei a genialidade da estratgia de Golbery, de maro/abril de 64 a novembro de 1966, quando cumpriu objetivos programados, internamente e exercitados no pas inteiro. Hoje, o espao do general Geisel. Mas no esquecerei de Golbery. Abandonarei anlise pessoal sobre sua vida, mostrarei as genialidades praticadas por ele dos 9 meses de 1964 at outubro de 1966).

Chefe da Casa Militar de Castelo Branco, o general Ernesto Geisel e Golbery eram amigos e fizeram essa amizade crescer pelo combate que davam a uma possvel candidatura de Costa e Silva sucesso de Castelo. Este, como sempre, no diretamente, estimulava os dois. Com isso, era mais do que conhecida a INIMIZADE entre eles.

Costa e Silva, que esperava assumir o Poder total logo em 1 de abril de 64, se considerou trado, aceitou o Ministrio da Guerra, para controlar tudo. No final de 1965, incio de 66, Costa e Silva era tido e havido como futuro presidente, embora o Planalto trabalhasse contra ele. Nessa poca, Costa e Silva resolveu viajar ao exterior, na verdade no era uma viagem e sim um desafio.

Como sua viagem era pblica e notria, apregoavam: Ser demitido na ausncia. Podem dizer tudo de Costa e Silva, menos que fosse covarde ou no participante. E mostrou e demonstrou isso no aeroporto, ao dizer: Embarco Ministro e volto Ministro. Que foi o que aconteceu. Quem teria coragem e fora para demiti-lo? Esses fatos so importantssimos, para revelar a ESTRATGIA perfeita de Golbery, para salvar a ele e Ernesto Geisel.

Convencidos (ningum tinha dvida, principalmente os dois, que manobravam tudo) que Costa e Silva ocuparia mesmo o Planalto, seriam atingidos e no teriam mais nenhuma importncia, Golbery ento traou o plano para fugir da presidncia Costa e Silva, hoje revelo apenas a parte que coube a Ernesto Geisel.

Era o seguinte, dividido em etapas. 1 Em junho-julho de 1966, Geisel ainda era general de diviso. 2 Com a concordncia e a cumplicidade de Castelo Branco, em outubro/novembro (ainda de 66), aos 63 anos (tardssimo) foi promovido a general de exrcito. 3 Era a primeira parte do plano de fuga.

4 Em dezembro, Ernesto Geisel foi nomeado ministro do STM (Superior Tribunal Militar), cargo privativo de general de exrcito, da ATIVA. 5 Sua inteno: assumiu com quase 64 anos, a expulsria era aos 70, iria para casa, Costa e Silva no poderia atingi-lo de maneira alguma.

6 Mas como hoje, muita gente faz planos para dentro de quatro ou at oito anos frente, o futuro favoreceu Ernesto Geisel. Costa e Silva teve um AVC em meados de 69, foi considerado incapacitado e morreria em dezembro desse mesmo 1969.

7 Geisel, que pretendia ficar no STM at 70 anos, saiu imediatamente, logo nesse 1969 foi nomeado presidente da Petrobras. (Ficou l os quatro anos rigorosamente certos, citados por voc). E mais teria ficado se mais lhe fosse necessrio.

8 Acontece que em 1973, sua candidatura presidencial j se fortalecera, se concretizara, se consolidara, at mesmo por causa do veto ao irmo Orlando para suceder Costa e Silva. (No muito ntimos, Ernesto era espartano, Orlando ateniense. Era tido e havido como o aristocrata do exrcito, o que no agradava a Ernesto. Tiveram uma briga at violenta, quando Orlando foi escolhido e nomeado presidente da ento multinacional Light, com salrio astronmico.

9 Portanto, G. B., tua perplexidade tem razo de ser, que a situao ficou dbia. Eu no estou errado, que ao fugir da realidade Costa e Silva, o ento Ministro do STM no podia imaginar que chegasse ao Alvorada por causa da irrealidade da morte do mesmo Costa e Silva.

Agora, desculpe, G. B., as reformas institucionais no foram feitas por Castelo Branco. O sistema militar, da forma como surgiu a partir de 1930, era um Prmio Nobel coletivo, principalmente para coronis e generais. Ocupavam os mais variados e importantes cargos civis, no passavam para a reserva, eram promovidos fora dos quartis, navios e aeronaves, um festival nunca visto.

A chamada oficialidade jovem, (prejudicada, no era promovida, e no saindo ningum l de cima, no havia promoo na parte de baixo da pirmide) pressionou os constituintes de 1945/46. Obtiveram vitria razovel, embora no definitiva.

Criou-se ento a Lei militar dos 8 anos). Qualquer oficial do Exrcito, Marinha ou Aeronutica s podia ficar fora da atividade militar por esses 8 anos, seguidos ou interrompidos. Mas isso s passou a valer a partir de 1947, dezenas ou centenas de generais s colocavam a farda para solenidades ou coquetis (Logicamente, no “Molotoves’).

Mais tarde que foi feita a reforma total e importantssima, que dura at hoje, a Lei dos 12 anos, que democratizou, que palavra, a permanncia dos generais na ativa. A aposentadoria ocorria quando o general atingia 64 anos. Fizeram ento o seguinte, com esquadro, rgua, recorrendo aritmtica, e que agradou (ou no desagradou) a todos.

Os generais continuaram a se aposentar aos 64 anos, ou ento nas condies que estabeleceram. S podiam continuar na ativa, como generais, 12 anos (a partir de brigada) ou quatro anos de general de exrcito.

Como os coronis geralmente eram promovidos aos 50/52 anos,chegavam aos 64 iam para casa, sem prejuzo ou preterio.

***

PS Houve um nico caso, precisamente com Ernesto Geisel. O general Euler Bentes Monteiro chegou a general mocssimo, aos 48 anos, com 60 caiu na expulsria. Geisel prometeu a ele a presidncia da Petrobras, preferiu nomear o japonesinho Shigiaki Ueki. (Hoje, com mais poos de petrleo no Texas do que a famlia Bush. Ueki e os filhos moram l, raramente voltam ao Brasil).

PS2 Ningum se aproveitou mais do Exrcito do que Ernesto Geisel. Fez duas carreiras, s-i-m-u-l-t-a-n-e-a-m-e-n-t-e, uma civil, outra militar. Segundo-tenente no Rio Grande do Norte, tambm secretrio da Fazenda.

PS3 Promovido a primeiro-tenente, (e no Exrcito, a cada promoo, um remanejamento) foi para a vizinha Paraba, o interventor Gratuliano de Brito nomeou-o secretrio de Desenvolvimento. E assim, praticamente at o ltimo e mais elevado cargo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.