Escândalo do MEC comprova que Bolsonaro interfere nas investigações da Polícia Federal

Ribeiro contou a filha que "presidente ligou" alertando sobre buscas

Ribeiro contou à sua filha que foi avisado pelo presidente

Carlos Newton

Esse escândalo do Ministério da Educação mostra a que ponto chega a desfaçatez dessas autoridades no “novo normal” brasileiro. Mesmo depois da confusão armada em abril de 2020, quando o então ministro da Justiça, Sérgio Moro, pediu demissão e denunciou a interferência do presidente da República em investigações da Polícia Federal, nem mesmo assim Jair Bolsonaro resolveu mudar de atitude.

Após negar infantilmente que as reuniões do Ministério fossem gravadas, o chefe do governo foi obrigado a divulgar o video em que, ao palavrões, afirmava ser inaceitável haver investigações “para foder a família e os amigos”. Foi uma vergonha para o governo e o país, mas Bolsonaro não liga para essas formalidades, seu único objetivo é continuar no poder.

TUDO ÀS CLARAS – Seria de se esperar que o presidente da República mudasse de atitude, mas aconteceu exatamente o contrário. Além de continuar interferindo na Polícia Federal, ampliou esse comportamento ilegal para usar – em benefício próprio, da família e dos amigos – também a Receita Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o Gabinete de Segurança Institucional e a Agência Brasileira de Inteligência, inclusive com reuniões deliberativas realizadas acintosamente no Planalto.

Portanto, tudo o que está escrito neste artigo é rigorosamente verdadeiro e inquestionável. Essa atividade ilegal do presidente e do governo está inteiramente documentada, foram atos praticados em agenda oficial e se tornaram públicos e notórios, sujando a imagem do chefe do governo e da alta burocracia civil e militar.

Em qualquer país civilizado, haveria impeachment, processos e prisões. Mas no Brasil? Quem realmente se interessa, nesses três apodrecidos Poderes? É como se nada tivesse acontecido.

DISSE O EX-MINISTRO – Agora, mais um capítulo da novela sobre interferência do presidente na Polícia Federal e em outros órgãos de investigação e controle. Um grampo telefônico do Ministério Público Federal, instalado para desvendar o escândalo das propinas dos pastores no MEC, acabou por apontar mais provas da interferência do presidente Jair Bolsonaro nas investigações federais, conforme o então ministro Sérgio Moro denunciara em 2020,

A gravação mostra o ex-ministro Milton Ribeiro contando a uma filha que o presidente Bolsonaro lhe alertara sobre a possibilidade de uma operação de busca e apreensão.

“Hoje o presidente me ligou. Ele está com um pressentimento, novamente, de que podem querer atingi-lo através de mim”, disse Ribeiro a uma filha, no último dia 9 de junho. “Ele acha que podem querer fazer uma busca e apreensão em casa. É muito triste”, declarou o ex-ministro.

###
P.S.
– Aqui na filial Brazil, essa ocorrência nada significa. Mas se algo semelhante acontecesse na matriz U.S.A. ou em qualquer país importante, o mundo poderia vir abaixo. Mas aqui nos trópicos nada vai acontecer. Bolsonaro não é atingido e pode até ser reeleito, pois o principal adversário consegue ser ainda mais sujo do que ele e também é inatingível. A explicação deve estar naquela velha música de Chico Buarque e Ruy Guerra, que explicava não existir pecado do lado debaixo do Equador. (C.N.) 

7 thoughts on “Escândalo do MEC comprova que Bolsonaro interfere nas investigações da Polícia Federal

  1. O que diz o sr. Sergio Moro?

    Moro diz que não se arrepende de ter sido ministro de Bolsonaro
    https://pleno.news/brasil/politica-nacional/moro-diz-que-nao-se-arrepende-de-ter-sido-ministro-de-bolsonaro.html

    Moro também afirmou que nunca afirmou que Bolsonaro havia “cometido crime”.

    – Isso foi uma iniciativa do procurador-geral da República, que quis abrir um inquérito para apurar aquele fato. Eu disse que havia uma mudança na direção da Polícia Federal com a qual não concordava – ressaltou.

  2. O ex-ministro Milton Ribeiro, foi quem pediu investigação dos pastores junto a CGU e PF. Dificilmente um corrupto agiria desta maneira, praticamente impossível. O desembargador do TRF1 desfez todo esse absurdo pois não foi apresentado um mínimo de provas. O juiz militante perdeu de novo.

    • Eliel!

      O editor-compilador-comunista raiz-cristão e Budista, Carlos Newton, tudo pretende para que Bolsonaro Zero Zero seja derrotado por Lula ladrão.

      PS- É irresponsabilidade dele se alinhar aos canalhas da grande imprensa em propalar verdades que não se configuraram.

      PS2- Não tem jeito, a vitória do presidente Bolsonaro começará em 7 de setembro próximo, quando MILHÕES de patriotas (inclusive eu) estarão nas ruas de todo país, para referendar a o que o DATAPOVO registra por onde passa Bolsonaro Zero Zero.

      Aguardem e confiram!

  3. JUIZ SE INSPIROU EM ALEXANDRE DE MORAES
    https://terrabrasilnoticias.com/2022/06/mpf-arquiva-pedido-para-investigar-supostas-ameacas-a-juiz-que-se-inspirou-em-moraes-no-caso-milton/

    O Juiz Federal que determinou a prisão do Ex-ministro Milton Ribeiro justificou sua decisão de negar acesso do processo aos advogados com base em um precedente perigoso deixado por Alexandre de Moraes.

    Ao responder sobre a prisão do ex-ministro Milton Ribeiro ao TRF, o Juiz Federal Renato Borelli, justifica a negativa do acesso aos autos aos advogados baseado em jurisprudência do STF criada pelo Ministro Alexandre de Moraes, “com base na reclamação constitucional 29.958/2018 da relatoria do Exmo. Ministro Alexandre de Moraes segundo o qual o paradigma tido como violado não se justifica tendo em vista que haviam investigações em andamento”.

    Sendo assim e na prática, o Juiz descumpre a súmula vinculante e tem como derrubada uma decisão do colegiado do STF.

  4. É mais do que óbvio que a PF é subordinada ao Poder Executivo.
    Se o presidente usa sua autoridade para a PF não atuar como deve ele (o Presidente) deverá responder aos seus eleitores.
    Mas a PF não pode nunca se portar como uma Guarda Pretoriana isenta de comando do poder executivo.

  5. Eu acho que o inclito senhor Milton Ribeiro tem que ser reconduzido à ministro da educação. Assim seria reparada essa injustiça cometida contra esse homem de Deus , que foi traído por dois falsos profetas , que ele nem conhecia direito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.