Escândalo na Petrobrás pode servir de freio à corrupção

Pedro do Coutto

A presidente Dilma Rousseff, em uma entrevista a Deborah Berlinck, O Globo, e Clóvis Rossi, Folha de São Paulo, na tarde de domingo ainda na Austrália, publicada nas edições de segunda-feira 17 dos dois jornais, afirmou que as investigações sobre os escândalos na Petrobrás vão mudar o país para sempre, na medida em que representam o fim da impunidade, acrescentou.

Concretamente não se pode sustentar que causa uma mudança eterna para o país, porém é fato que representa um marco na história brasileira, erguendo um divisor na história de nossa principal empresa em seus 61 anos de existência. Pois de 1953, quando entrou em vigor a lei 2004, até hoje, nada ocorreu na dimensão do que hoje veio à superfície em matéria de corrupção, com o envolvimento exposto de empresários, lobistas, operadores cambiais, administradores públicos e políticos. E o montante dos valores comprometidos? E as obras superfaturadas?

O impacto foi tão forte, sua repercussão enorme, sobretudo porque, isso sim, pela primeira vez executivos e sócios de grandes empresas tiveram sua prisão decretada e se encontram presos na Polícia Federal do Paraná. Tão intenso que a própria presidente da República sustentou que mudará para sempre a relação entre a sociedade brasileira, o Estado e a empresa privada. Vai acabar com a impunidade, mudará o Brasil para sempre, acrescentou.

UM FREIO

Pode não mudar para sempre, mas, sem dúvida, representará um freio à onda de corrupção no país. Passou dos limites. A prova está no fato de somente um dos acusados anunciar a disposição de devolver 23 milhões de dólares, dos quais é possuidor na rede bancária suíça. Mas quando se pensava que Paulo Roberto Costa fosse um exemplo isolado, a Folha de segunda-feira publica que p ex gerente da estatal, Pedro Barusco, fechou um acordo de delação, através do qual prontifica-se a devolver 97 milhões de dólares aos cofres da empresa. Como é possível que uma pessoa tenha se apoderado de tal quantia?

Individualmente impraticável, impossível. Só mesmo um conjunto articulado dentro do triângulo reunindo representantes da administração pública, grandes empresas e políticos poderia ser capaz de bater um recorde desses. Além do mais uma triangulação atuando através de vários anos, principalmente porque grandes obras, mesmo numa empresa do porte da Petrobrás, não ocorrem sem intervalos de tempo. Uma estrutura foi ao que tudo indica montada em detalhes para o objetivo comum de praticar fraudes em escalas.

CADA VEZ MAIS VORAZES

Foram escalas crescentes porque, ao encontrar flexibilidade e facilidade para agir criminosamente, os personagens principais foram em frente, a cada momento mais vorazes. A Petrobrás foi claramente vítima de portentosos saques, os quais só contribuíram para ampliar suas despesas e não suas receitas. Estas, ao contrário, diminuem proporcionalmente à medida em que os assaltos aconteciam. Porém como não existe crime perfeito, tampouco segredo duradouro, os fatos vazaram e romperam a sombra do silêncio e foram se tornando cada vez mais visíveis.

Até que chegaram ao ponto de hoje, tornando-se do conhecimento de toda a opinião pública. Atingiu, digamos assim, o limite do possível. Se fatos ocultos já há tempo acabavam surgindo à tona, quanto mais agora com a internet e as redes sociais? Manter algo em segredo, se já era difícil antes da era moderna, veloz por excelência, agora tornou-se impossível.

Acabam surgindo, como ocorreu, com o nome de todos os atores e seus respectivos na trama. Presos, foragidos, expostos ao julgamento coletivo. Nunca esperaram que tal desfecho os aguardasse. Enganaram-se. Aconteceu. Não se pode iludir a todos durante todo o tempo. Esta frase do presidente Lincoln pertence à eternidade da história universal.

14 thoughts on “Escândalo na Petrobrás pode servir de freio à corrupção

  1. A certeza da punição, vai travar o desejo de enriquecer através da corrupção,
    dos corruptos e dos partidos. Devemos agradecer a Polícia Federal e ao Ministério
    Público, porque se dependesse desse governo que aí esta, a corrupção, não teria
    limites, nem terminaria, a história de 12 anos desse governo, diz tudo.

  2. Quando da cassação do ex-presidente Collor e da CPI dos Anões do Orçamento, pensei que o país daria um basta na corrupção. Infelizmente não diminuiu, muito pelo contrário. É uma nuvem de gafanhotos que vem devorando o nosso Brasil.

  3. Como sempre, o brilhante artigo do experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, analisa as declarações da Presidenta DILMA sobre os “Malfeitos” na Petrobras SA, desencadeados pela Polícia Federal, e isso tudo dará uma freada nos Malfeitos. Pior é que os Malfeitos não se restringem somente a Petrobras SA. Infelizmente a necessidade de “Recursos” para movimentar nossa POLÍTICA, sustentar 32 Partidos Político, outros +- 50 em formação, inclusive o REDE da Sra. MARINA que quase foi para o 2º Turno, etc, Eleições Proporcionais, Presidência de Coalizão que torna a Presidenta(e) refém dos Partidos para ter GOVERNABILIDADE, 2º Turno que é quando a coisa fica como o Diabo gosta, etc,etc, enquanto o Povo não entender que é preciso mudar tudo isso, por algo mais SIMPLES e BARATO, ( Eleições Distritais Puras ), recall de maus Representantes, Candidatos Independentes, etc,etc, como diz nosso Colega, Fundador de “CAPITALISMO SOCIAL”, o brilhante Sr. MARTIN BERTO FUCHS, “não há perigo de melhorar”. Com esse SISTEMA POLÍTICO, de um jeito ou de outro, freando agora mas acelerando depois, o RECURSO tem que vir de algum lugar, E VEM. As Eleições são muito CARAS no Brasil.

  4. Prezado Pedro Coutto, não consigo ser tão otimista. Veja que quem entrou no lugar do Paulo Costa, já estava levando também. O fato dos mensaleiros já estarem em domiciliar incentiva, aliás, os principais mensaleiros residiam em São Paulo, mas trocaram de endereço para cumprirem domiciliar em Brasília, seria por causa do clima? Se não tivermos umas penas sérias, sei lá, uns 30 anos vamos continuar na mesma.

  5. Comentar as afirmações de Dillma é querer descobrir o fundo do poço!
    Não consigo acreditar em uma única manifestação della. Por que será?
    Considerados os fatos, seus desdobramentos e os desdobramentos das manifestações da presidente (entendam como afirmações, recuos, avanços, recuos…), a leitura que fiz da afirmação de que ” as investigações sobre os escândalos na Petrobrás vão mudar o país para sempre, na medida em que representam o fim da impunidade, acrescentou.” não passa de confetes e serpentinas. Enganará, mais uma vez, os mesmos idiotas que batem palmas e jogam votos na urna.
    As férias e o carnaval estão chegando. Em março, quando o país iniciar suas atividades, tudo poderá estar esquecido.
    Mesmo com todos os veículos de comunicação e as redes sociais (com todas as contaminações possíveis), a parcela atingida pelas notícias e com a compreensão dos fatos e dos malfeitos é muito pequena.
    Deveriam realizar pesquisa de opinião perguntando o que os “cidadãos” sabem, compreendem e como avaliam e se posicionam.
    Talvez não façam para não escancararem o verdadeiro, triste e fatídico quadro sde ignorância da sociedade. os resultados mostrarão as razões pelas quais Dillma foi reeleita e Lulla, voltando, também.
    No entanto, se a PF e MP continuarem atuando, LIVREMENTE, e a oposição melhorar um pouquinho, a leitura será outra: tudo mudará, inclusive a chefia da nação.

  6. Enquanto tiver estatais num país cujo estado, fascista e poderoso, graças a Getúlio, em que o cidadão faz o papel de seu escravo, a corrupção nunca terminará.
    E pior, o país, engessado por este tipo de governança ideológica, sentimental, infantil, enganadora, criminosa, jamais chegará a uma Coreia do Sul ou a uma Austrália.

    PS. Quem aqui sempre defendeu as privatizações e foi chamado de traidor, entregador, americano, etc?

    Já pensaram se a Vale, a EMBRAER, a Telefonia ainda estivesse nas mãos do estado e com o PT nesses 12 anos?

    Enfim, estatal só em país atrasado e o atraso dos seus apoiadores vem de suas convicções fundamentadas no sentimentalismo ideológico. Ou seja, numa obsessão como denomina a psicanálise.

    Assim, enquanto houver os inocentes úteis para gritar o Petróleo é Nosso, a malandragem faz a festa.

  7. e no meio dessa Putifaria toda, ainda tem gente perguntando

    Quando é que o BARBA-DELATOR-DEDODURO – o FUJÃO – e o seu sacrista – o anacronizado – vão processar o Delegado Tuma Júnior? O Brasil inteiro, ansioso, quer ver o Júnior, sem delação premiada, nas barras dos tribunais.

  8. Excelente coluna de Lucio Martins Costa resgata a imagem de Paulo Francis, narrando. pequena passagem do drama vivido pelo jornalista após denunciar a prática de diretores da Petrobrás de engordarem contas na Suiça, no ano 1997.
    Parabéns ao jornalista por trazer à lembrança fatos recentes do cenário nacional, que culminaram na morte de quem ousou denunciar escândalos na era tucana honrando o diploma e sem entregar as fontes.

    http://tribunadaimprensaonline.blogspot.com.br/2014/11/paulo-francis-nao-morreu.html

    • É Jean Pierre, a questão não é a origem mas quem fez e quem faz. Agora, é estranho que se fale tanto na corrupção da época do FHC e que o PT não tenha feito nada. Faltou o quê? Vontade política, preparo para enfrentar a situação ou apenas pensaram em fazer o mesmo e com maior intensidade?

  9. Senhores, espero que com “essa”, o País fique sério.
    Nesta área federal, o Tribunal de Contas da União, tem agido, pelo que se lê na imprensa, vigilante sobre a regularidade; mas, o Lula e Dilma se queixando que o TCU atrapalha as obras, com paralisações por questionar indícios de crime financeiro, contra o erário.
    Controladoria Geral da União, Tribunais de Contas Federal e Estadual, tem dever funcional, de zelar pela lisura das “receitas e despesas”, com suas “auditagens”, o problema são os ministros indicados pela politicagem dos governos executivos e legislativos. Cremos que essas Entidades, deveriam ser geridas por funcionários de carreira, sob as penalidades da LEI, em caso de prevaricação, neste caso, caberia aos MP, fiscalizar o cumprimento da Lei.
    O Brasil, tem que mudar com urgência, a “burocracia” judicial, e por na “prescrição do roubo” 50 anos, aí, evitaria as petições, que em pouquíssimos anos , o ladrão fica “fagueiro” rindo em nossas caras de idiotas e palhaços, nos dando uma “banana”.
    Acorda de vez Sr. Brasil, chega de seres vilipendiado pelos canalhas.
    Mudar a forma de eleição, é o “passo principal”, para moralizar à Administração pública. Da maneira que está, o hoje é pior do que o ontem, e o amanhã será pior que o hoje, e a “vaca vai pro brejo”, Por um Brasil decente e justo.

  10. Quanta babaquice num único artigo…
    Já condenaram os vagabundos? Já devolveram o que roubaram?
    “Marco na história brasileira”, “divisor na história” ?
    Já ouvimos tudo isso antes, no julgamento do mensalão…E a maioria dos mensaleiros já está praticamente livre.
    Executivos de grandes empreiteiras foram presos? Ora, 11 dos 24 já estão em liberdade…
    Freio na corrupção? Como ele sabe disso?
    A presidente falou? Ele deve ser a única pessoa que leva a serio a fala de uma inepta como Dilma.
    Por fim, a frase de Lincoln se aplica a nações que possuem instituições sólidas, não a um puteiro em que excrementos de toga se consideram deuses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *