Escândalo patrocinado pelo presidente do Jóquei Clube. Sem autorização dos sócios e sem que a prefeitura tenha sido consultada, quer construir o Jockey Club Boulevard. E inacreditavelmente já contratou a Odebrecht para a obra.

Antonio Aurélio: “Desculpe, mas não entendo a razão de você não ter dado uma linha ou uma nota sobre a “luta sangrenta” no Joquei Clube. Sei que você é sócio antigo. Não é sócio do Fluminense, mas acertadamente escreve sobre sua eleição. Vou esperar que você tome posição entre os dois grupos, como é o seu hábito e tradição.”

Comentário de Helio Fernandes:
A questão do Jóquei Clube é muito mais complicada e indecifrável do que a do Fluminense. Aqui, dois candidatos, duas tendências, duas ambições a serem satisfeitas, puro exibicionismo. O Fluminense tem dívidas de mais de 330 milhões, exatamente como o Flamengo. Portanto, é escolher um dos dois candidatos, o resto está na superfície mesmo. Sem falar nos 6 milhões MENSAIS, que o Fluminense paga de juros.

Enquanto no Fluminense tudo termina no mesmo dia, (30 deste mês), com a contagem dos votos, a discussão é apenas interna, no Jóquei o próprio presidente afirma: “Este é um projeto que ficará pronto em 6 anos”. Vejam a diferença.

Além do mais, estão sendo disputados interesses colossais, de dezenas e dezenas de milhões, e nada é INTERNO, a repercussão é EXTERNA. E além dos interesses financeiros, pode atingir (e certamente atingirá) o ritmo de vida de toda a Zona Sul, com reflexos na Zona Norte. (O Rio é uma cidade construída entre o mar e a montanha, não há saída).

Como esse projeto-mudança do Jóquei da Lagoa, irá alterar todo o trânsito (já alterado), de uma enorme área, a repercussão em toda a cidade será altamente prejudicial a multidões. Estamos fartos de ver acidente numa zona, complicar o trânsito de áreas inteiramente distantes. Mas deixo o exame dessa situação (que não tem solução) para depois. Vejamos as manipulações que estão sendo feitas pelos dois grupos que querem se apossar do patrimônio dos associados.

O Jóquei Clube tem 6 mil e duzentos sócios, que não sabem de nada. Estão perdendo todos os DIREITOS, não podem intervir. O presidente do clube mandou circular aos sócios (muitos me falaram e estranharam), ficaram surpreendidos.

Nessa circular, o presidente do Clube deixa os sócios perplexos, ao explicar (?) o que chama de projeto JOCKEY CLUB BOULEVARD, (em três palavras, duas inglesas e a outra francesa) que dá a impressão de que será modificação ou sucessão. O Jóquei Clube (em português) desapareceria ou seria ofuscado. A grande e colossal jogada seria o Jockey Club Boulevard, como ele chama.

Nessa “comunicação”, o presidente do Jóquei coloca 20 intens, e pretende “explicar”, um a um, dentro da sua ótica, mas não da ética. Alguns desses itens são puramente divagações, ilações, ficam longe de conclusões. E parecem destinados à enganação de 6 mil e 200 sócios (e suas famílias), pois não têm a menor base.

Por hoje, citação e análise de itens que se chocam com a realidade.

Do item 1 até o 9, nada poderá ser avaliado, analisado, examinado, não passam de enganação ou de “reflexões” dos que têm o Poder de FAZER e DESFAZER no clube.

O estarrecimento começa no item 10, quando o sonho (da diretoria) se transforma em realidade. Aí, confessam numa síntese rapidíssima: “O projeto precisa ser aprovado pelos sócios em assembleia geral”. (Omitem que essa assembleia geral, tem que ser extraordinária, convocada com antecedência).

E mais, no mesmo item; “”DEPOIS DE APROVADO pelos sócios, PRECISARÁ ser aprovado em todos os órgãos municipais competente e seguirá o trâmite normal de qualquer empreendimento COMERCIAL DESSE TIPO”.

Portanto, além da confissão de que o Jóquei servirá para a conclusão de uma jogada COMERCIAL, que está fora de suas atribuições, duas outras, ESCANDALOSAS, VERGONHOSAS, ESTARRECEDORAS.

Nem precisam de análise, está dito com todas as letras pelo próprio presidente, que fez questão de colocar a CONFISSÃO no papel e em DVD. Por que não na internet, twitter, celular, blog?

1 – O presidente diz que os sócios ainda não foram consultados. 2 – Depois de consultados e APROVANDO o projeto (com nome em inglês e francês), a Prefeitura e outros órgãos dirão se podem executar o projeto.

3 – Se os sócios aprovarem e a Prefeitura negar a licença, o que acontecerá? Ou não existe essa possibilidade, tudo está AGENDADO e GARANTIDO, nas duas instâncias?

***

PS – Dessa forma, usando apenas a palavra do presidente do clube, a conclusão; tudo está sendo tratado, encaminhado e executado sem autorização de quem pode autorizar:  SÓCIOS, internamente, PREFEITURA, externamente.

PS2 – Apesar de tudo estar apenas na cabeça do presidente, uma decisão ESPANTOSA, que já é realidade, está no CONTRATO assinado pelo presidente do Jóquei: a Odebrecht vai CONSTRUIR A OBRA.

PS3 – Gostaria de ver esse contrato, as restrições que certamente a Odebrecht colocou, para realizar uma obra que NÃO TEM AUTORIZAÇÃO. Logicamente, qualquer movimento da Odebrecht para a CONSTRUÇÃO, pode ser EMBARGADO na Justiça. O presidente não tem o mínimo Poder para fazer o que fez e CONFESSOU.

PS4 – Enquanto não existe AUTORIZAÇÃO, precisam examinar outro item importantíssimo: as exigências do contrato de doação da área da Gávea para o Jóquei Clube.

PS5 – Em 1931, Pedro Ernesto, interventor no Distrito federal, (depois seria o primeiro prefeito eleito) doou terrenos para que fossem beneficiadas atividades esportivas. O Jóquei, Hípica, Flamengo, ganharam terrenos nessas condições.

PS6 – Há dois anos, o Flamengo quis construir um shopping nesses terrenos, este repórter (sócio-proprietário há mais de 60 anos e membro do Conselho Deliberativo) se juntou ao deputado Gerson Bergher e sua mulher, vereadora Tereza Bergher, e não permitiu a construção típica “marcianabraga”.

PS7 – Como você diz corretamente, sou antigo (antiquíssimo) sócio do Jóquei. Só que isso não me impede de examinar e condenar o que for feito I-L-E-G-A-L-M-E-N-T-E.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *