“Escola Sem Partido é a assombração errada”, afirma o ministro Barroso

Resultado de imagem para escola sem partido charges

Charge do Mário (arquivo Google)

Mônica Bergamo
Folha

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal afirmou em uma palestra na procuradoria-geral do Rio, há alguns dias, que “quem pensa que o problema da educação no Brasil é Escola Sem Partido, ideologia de gênero ou saber se 1964 foi golpe ou não, está assustado com a assombração errada”.

“Os problemas são outros: não alfabetização na idade própria, evasão no ensino médio, déficit de aprendizado e capacitação de professores”, disse o magistrado, que é o relator de ações que questionam a implantação da Escola Sem Partido em estados e municípios e concedeu liminar suspendendo as medidas.

NÃO PODE – A escola Liceu Santista, de Santos, proibiu um aluno de criar o perfil no Instagram @MBL_Estudantil_Liceu_Santista. Segundo a instituição, o conteúdo contrariava “o apartidarismo adotado pela escola” e não deixava claro que era feito por alunos.

A criação de perfis em redes sociais é uma das instruções do MBL Estudantil para seus adeptos. O movimento afirma que “organiza de forma independente os alunos de instituições de ensino médio e superior, propondo o debate e a divulgações de livros, ações e ideias liberais” e que pede apenas que os estudantes identifiquem a escola em que estudam.

22 thoughts on ““Escola Sem Partido é a assombração errada”, afirma o ministro Barroso

  1. O Brasil tem uma multidão de jovens marginalizados na faixa dos 12 aos 20 anos. Presas fáceis das facções, tendo um sistema penal leniente e pouco eficiente, sem perspectivas e sem escolas decentes, ainda convivem com serviços públicos completamente falidos. Este exército cresce e é um dos grandes problemas do país.
    A pergunta que não quer calar:
    Todos estes jovens entraram na escola a partir de 2003 (com 5 anos de idade pelo menos).
    Todos foram (des)educados pela esquerda.
    Aonde estava o PT e deus-lula, sua inclusão social e sua inclusão escolar em todos estes anos? Este exército é fruto da péssima escola que o PT implantou no país. Quando gritam que para diminuir a violência é preciso escola, por que ninguém questiona aonde estava a escola na formação destes marginalizados? Aonde estavam as oportunidades de desenvolvimento mental e intelectual? Farsa escolar. Escola só para constar em números. Novamente a mídia-ativista finge que não é com ela este debate.

  2. Desculpoe mas nao entendi.

    Alguém em sã consciência defende que a limitação da ideologia de esquerda , é a unica aspiração de quem quer uma educação minimamente razoável no Brasil?

    Quer dizer que temos que optar: ou ajustamos a educação destruída por décadas de ativismo de seus professores e profissionais, especialistas, ideólogos, burocratas socialistas e loucos de todo o gênero ou colocamos um freio minimo na doutrinação massiva que sofremos?

    Quer dizer que o douto ministro, garimpa com lupa uma escola que alega “o apartidarismo adotado pela escola” e deixa de citar os milhares, sim milahres de exemplo de partidarismo, para justificar sua tese e todos temos que segui-lo?

    esta critica ao movimento escola sem partido nao é uma reptição exasutiva das ações de esquerda para garantir seus espaços e suas politicas , mesmo rechaçados nas urnas ??

    Qual é a opiniao da imensa maioria dos pais responsaveis ( desconsiderar os porra loucas e esqueroides) quando tomam conhecimento claro de como seus filhos sao catequizados e usados nas escolas?

    Esta politica de lavagem cerebral é tão real, tão efetiva, tão danosa, que o ministro mostra o exemplo pratico:
    Seu uso intensivo ou envia sado, determina que quase todos os formados nas áreas humanas (professores, filósofos, advogados etc) incorporem estas teses, às vezes sem sentir ou perceber.

    Aí quando chegam ao cargo de professor vão consolidar o ciclo formando novos militantes

    Quando chegam ao judiciário são as teses e sentenças liberais e paternalistas com as ” vitimas da sociedade” e com a crença de estão agindo de modo isento e equidistante.

    Como a fala do ministro.

    Para mim a fala do ministro e o artigo da “isenta” Monica Bergamo (estranho este assunto vir dela não??) mostram e comprovam a urgente necessidade de além de revisar TODA a politica de deseducação do Brasil, a retirada da ideologia dominante e aplastante da esquerda é imperiosa.

    Risco de uma guinada à direita?

    Claro que existe, mas vamos lutar para o equilíbrio.

    Mas se pequenas limitações do quadro atual são monstros devoradores da capacidade de pensar e formadora de novos fascistas, comprova a tese que o uso da atual politica forma levas de comunistas

    Ou não??

      • Duarte e Denisar
        ótimas colocações e questionamentos.

        Quanto ao ministro Barroso, por vezes parece bom e em outras parece fora da casinha.

        O ministro deveria trabalhar mais – ganha muito para isto, e expor mais seus colegas que atgem em campos opostos!

        Afirmo-lhes, com um nível de conhecimento bem grande que, sobre o escola sem partido e sobre o que acontece na escola, o ministro Barroso sabe quase nada!

        Em breve poderei demonstrar.

        Abraço e saúde aos dois.

        Fallavena
        .

  3. Eu vejo exatamente o inverso. Quantas vezes não senti ameaças veladas que se eu falasse algo contra o Lula ou contra o PT teria a nota diminuída.
    Claro que poderia ter peitado o professor, mas quem tempo e ânimo para brigar com tantos por tanto tempo.
    Aliás, esse cartunistazinha de m…., digo, de Mário, onde estava? Onde estava essa Mônica Bérgamo, mais petista que Zé Dirceu?
    Se garantirem o direito dos alunos em não serem oprimidos há uma gritaria que jamais houve quando apenas um lado poderia falar.

    • Correção do último parágrafo:
      “Ao garantir o direito dos alunos em não serem oprimidos criou-se agora uma gritaria que jamais houve quando apenas um lado podia falar”

      • RIcardo

        Perfeito

        De um lado pode tudo e são só virgens ideológicas cheias de boa intenção

        De outro fascistas, nazistas, torturadores e similares.

        Não sei como o Brasil virou nação antes da esquerda tomar conta da educação e seus correlatos

        Não sei como eu, (pre PT no poder) pude incorporar noções basicas de cidadania, civismo, cultura e amor ao proximo…

        Devo ter sido abduzido

    • Os canhotos são canhotos, quem na verdade deveria estar lutando com unhas e dentes por essa lei deveriam ser eles, pois já que pode partidarizar a escola, o que impede do atual governo de faze-lo em beneficio próprio? nada, a cadeira é dele e a caneta também, e pelo andar da carruagem até as duas câmaras já sinalizam a tradicional subserviência e sem o dá cá.

  4. Escola é o princípio do ser humano em direção a sua liberdade. Eu queria saber como funcionam as escolas no Japão, Dinamarca, USA e demais paízes desenvolvidos. Na escola tem que haver disciplina, ordem e responsabidade de todo o corpo (docente e discente). Enquanto o professor tem a responsabilidade e o dever de ensinar, o aluno tem o direito de aprender. Só que em tudo isso existe o que se chama de Bipolaridade Universal – pesos iguais nos dois pratos da balança – equiparando os extremos com o meio. Quem tem um direito tem um dever correspondente e vice-versa.

    É esta a função da escola

    ” A ALMA DE TODA CULTURA É A CULTURA DA PRÓPRIA ALMA ” Olavo Bilac

  5. O ministro Barroso é um esquerdista manhoso e presunçoso, grande representante da “escola com partido (comunista)” nos cursos jurídicos. Será o maior inimigo do governo Bolsonaro junto com o “comunistério público”.

    Já a Mônica Bergamo é somente uma agitprop da FSP, uma espécie de Pravda do PT e do PSOL.

  6. Mais uma vez contesto um título, desta vez, “Escola sem Partido”.

    A meu ver, deveria se chamar Escola sem Ideologias.

    Não pode um professor deixar de lecionar que existem, na política, dois segmentos antagônicos: esquerda e direita.

    Concomitantemente às explicações que tornam essas tendências tão diferentes, apesar de ambas divulgarem que se preocupam com o ser humano – porém existem controvérsias -, o aluno deve aprender e discutir as ideias de cada lado:
    Por que deram certo;
    Por que erraram;
    Suas maiores falhas;
    Seus maiores acertos.

    No entanto, fundamental será adicionar o irrealizável da esquerda e direita, em face da falibilidade do homem, seu egoísmo, sua vaidade, sua determinação pelo poder, seu sentimento de superioridade perante seus semelhantes.

    Que se ensine Marx, Enggels, Freud, Nietzsche, Adam Smith, capitalismo, comunismo, socialismo, democracia, democracia-socialista … o aluno precisa e deve saber, menos que o professor incuta nas mentes ainda tenras, inexperientes, sedentas por aprender, o que ele pensa, o que ele desejaria para o país, quem ele segue em termos de movimentos sociais, políticos, religiosos e econômicos.

    Neste particular, o professor deve se mostrar muito acima do aluno, quando se mostra imparcial, isento, apenas e tão somente ensinando o que se tem no mundo como escolha e, depois que se formar, então que esta pessoa siga o que lhe aprouver.

    Lembro que o regime militar impediu a discussão em sala de aula de qualquer tema ou personagem ligado ao comunismo, ao socialismo.

    Saíamos dos colégios e Universidades ignorantes em episódios cruciais à humanidade no seu crescimento, na sua evolução, no seu conhecimento, nas opções existentes na política.

    Na razão direta que o homem é um animal político, conforme dizia Aristóteles, gente da minha época saía dos estudos para enfrentar a vida como uma aberração.

    Se éramos mesmo animal, porém racional, politicamente éramos irracionais, diante do desconhecimento que nos foi imposto pelo regime de exceção.
    Logo, uníamos a razão com a emoção, onde jamais se estudou o comunismo de forma racional, e nunca analisamos o capitalismo de maneira sentimental, humana, a sua frieza, perante as dificuldades do próximo!

    Pois esta retenção de conhecimentos ergueu uma série de professores que, em sala de aula, quiseram compensar o que lhes havia sido negado no passado, quando alunos.

    Desconsideraram a função principal do mestre, que é ensinar, para serem uma espécie de orientadores políticos, e ênfase ao comunismo e socialismo pelo boicote que sofreram, e também porque havia chegado o momento da revanche, da desconstrução de uma direita cerceadora das liberdades coletivas e individuais, de modo que desse passagem aos … progressistas!

    Mas, mediante o que eu disse acima, o ser humano é falível, erra, tem a sua visão turvada pela paixão, pelo sentimento, pelo que gosta.

    O professor passou a lecionar com a cartilha da esquerda na mão porque imaginava ser a melhor maneira de contentar os desiguais, no entanto, jamais viajou para os países que haviam implantado tais regimes para se assegurar que estava com a razão, pois os fatos e seu testemunho iriam corroborar que a esquerda era a melhor opção.

    Ledo engano.

    O erro crasso dos mestres foi discutir e debater em sala de aula o comunismo e socialismo somente em TEORIA, haja vista que, a prática, mais os exemplos de países comunistas, a democracia não existia, assim como cerceava a liberdade de ir e vir, que se somava à extirpação de direitos coletivos e individuais, ou seja, absolutamente igual à ditadura que tivemos, inclusive e até mesmo no totalitarismo!!!

    Se, a democracia, direitos, enaltecimento da pessoa humana são palavras usadas pelos comunistas brasileiros, a bem da verdade a realidade é completamente diferente do que apregoam, então o conflito, as ofensas de nazistas, fascistas, para aqueles que discordam dos métodos onde todos devemos ser avaliados da mesma forma, o ser humano sendo aplainado igualmente, e cometendo o crime de sabotar a nossa criatividade, a mola-mestre do nosso desenvolvimento humano ao longo dos tempos, e impulso à Ciência e Tecnologia!

    Capitalismo e comunismo têm falhas porque os homens são falíveis, imprevidentes, e muitas vezes agem de improviso, sem qualquer planejamento, em consequência, a derrota, a frustração, a decepção.

    Concordo com o ministro Barroso, que os fantasmas que nos assombram não é a Escola Sem ou com Partido, mas a possibilidade de o ensino público TERMINAR, ACABAR, em razão da péssima valorização que os governantes têm dado à Educação/Ensino.

    Principalmente nesse momento, que está sendo tratada e analisada politicamente, menos de forma PEDAGÓGICA, como deveria ser!!!

    • Caro Francisco

      Seu artigo , como sempre, é brilhante e amplo.

      Mas seu texto final reforça (como afirmas alias) a tese do ministro.

      que eu posso resumir assim:

      “Temos que mexer na educação pois está uma droga, mas não inventem de qualquer mudança na ideologia implementada ”

      Então , também resumindo:

      Se quisermos mudar a a educação podemos tentar, mas mudar todo o conceitual e lavagem cerebral não podemos (porque não é importante).

      Mas tanto é importante que todos esquerdistas concordam em entregar os anéis para salvar os dedos, mas nunca em retirar a luva que esconde a doutrinação histórica e futura.

      Garantindo a doutrina, é só uma questaõ de tempo, voltar ao poder:

      Afinal os exércitos de MST escolares e culturais estão a espera para entrarem em ação.

      E os poucos velhos que sabem que pode ser diferente estão mortos e os poucos jovens que conseguem enxergar alem do , serão facilmente sufocados.

      Aliás como sempre foram.

      esta é a fala do ministro e da isenta Monica;

      “No máximo os anéis e por tempo limitado, pois como ficaremos com os dedos e as mãos, cobertos pela luva da ideologia, retornaremos ”

      E aí acertaremos as contas….

  7. Chê, Duarte,

    Longe de nós um retorno da caça às bruxas, estilo Macartismo ou do nosso regime de exceção, de 64 até 85, por favor!

    Temos de descobrir as razões pelas quais a esquerda dominou as Universidades e o Ensino Médio, pois conforme citei no meu comentário acima, existem componentes históricos e pessoais, políticos e revanchistas.

    Eliminar por decreto que a ideologia deixe de ser influente em sala de aula é impossível hoje em dia, saliento.

    Até porque o professor se sente desconsiderado, desprezado, traído pelos governantes!!!

    Logo, se temos uma categoria ampla e nacional contra a direita, chama-se Magistério, e com sobrados motivos!

    Ora, bolas, um parlamentar corrupto, desonesto, vagabundo, incompetente, venal, perdulário e irresponsável, receber um salário QUARENTA VEZES MAIOR DO QUE um mestre, decididamente estaremos lidando com um servidor público não só descontente quanto injustiçado, revoltado e indignado pelo desprezo à sua função!!!

    Também somos obrigados a levar em conta esse detalhe pessoal, e não somente a questão partidária e ideológica em sala de aula mas, um contexto, que abrange a família, os alunos, mestres e governantes.

    Como o professor já está sendo humilhado pelos alunos que, volta e meia, enchem de sopapos o mestre ou um parente do estudante, cairmos de pau sobre os professores como responsáveis pela esquerda ter tido esse crescimento no Brasil, e influenciando decisivamente que o aluno adote o comunismo como política ideal, o erro que estamos cometendo é absurdo, imperdoável!

    Simplesmente estaremos deixando de lado os sindicatos, os partidos, muitas ONGs, associações, a mídia, que diariamente divulgam os problemas capitalistas, evitando mencionar os males do comunismo!

    Não mesmo, Duarte, o professor não pode ser o Judas a ser malhado neste momento nacional, onde a esquerda foi temporariamente derrotada, e agora queremos aniquilá-la de vez!

    O resultado, meu conterrâneo, será um estímulo vigoroso para o fortalecimento do comunismo e socialismo, em razão dessas perseguições contra nossos compatriotas, jogando no lixo a nossa tão frágil e manipulada democracia!

    O professor deve e tem o direito de lecionar, pois ele é a autoridade máxima em sala de aula, logo, cabe ao governo mudar esse pensamento do mestre, e não vejo outra medida que não seja a valorização da categoria.

    Abração.

    • Caro Francisco

      Concordamos em quase tudo mas…..

      Tenho três irmãs, cunhadas, sobrinhas professoras, então conhecemos um pouco a realidade dos professores.

      Mas…..também sou do RS terra em que os professores pintam e bordam desde 1978 (Primeira greve com Zilah Tota) inviabilizando alquerque rumo para a educação.

      Os índices aqui do estado mostram bem o resultado da politização da educação x qualidade

      Então esta discussão da valorização do professor, do professor desrespeitado, da escola sem rumos, para mim deve ser tratado como namoro de porco espinho: com muito cuidado.

      Para mim isto é assunto para artigos e muita, muita discussão.

      O professor , pelo menos na rede pública do RS e muitos da privada e quase todo ensino superior é sim agente ATIVO da ideologização da educação e o ensino está em segundo ou terceiro lugar.

      Aqui temos o CPERGS oo maior sindicato de professores da AL (dizem) que fez muita força para transformar os professores em ” trabalhadores em educação”……usam Paulo Freire, Piaget, Rubem Alves, fazem greves TODOS os anos contra todos os governos menos o do PT, usam alunos como massa de manobra, elegem diretores alinhados ideologicamente com eles e….

      Depois se queixam que “professor não tem mais a consideração de antigamente ”

      É tao baixa a qualidade do ensino que até os professores não conseguem estabelecer uma relação de causa e efeito.

      Então devemos rever sim, toda educação e também a politização do ambiente escolar, acadêmico …

      Engraçado , vejo poucas manifestações dizendo o que a escola sem partido quer ensinar para que possamos temer ( talvez , cantos guerreiros, manual de torturas, como dizimar seus oponentes, retórica fascista, tomada do poder pela intimidação, lógica de acumulação capitalista e a exclusão necessária, a falácia dos programas sociais etc)

      Mas sempre vi , tentativas de limitar a ação dos que atualmente ensinam o que querem e comprovadamente , em muitos caso com uma logica e direcionamento de esquerda…

      Então a pergunta simples:

      Por que a escola e a educação devem ser um campo privativo da esquerda?

      Se o objetivo é igualdade, liberdade, acesso a todas as ideias, não temos nada a discutir.

      Se para chegarmos a este estagio temos que mudar o que está ai é porque o que está ai está num dos lados da ideologia e nao quer largar o osso.

      Simples, para mim

      Grande abraço

  8. Colegas

    Os debates sobre o tema ESP precisam continuar.
    No entanto, sugiro que nos profundemos no tema, no que está sendo debatido em vários campos e, principalmente, sejam buscados dados e informações com os que fazem depoimentos.

    Conforme já escrevi/comentei em outros textos, não que deseje coordenar o debate ou direcioná-lo, é preciso, URGENTEMENTE, que se definam alguns pequenos detalhes, a saber:
    – escola educa ou escolariza?
    – educar e escolarizar é a mesma coisa?
    – professor é educador ou professor?
    – quando se fala que temos de educar
    – existe educação laica?
    – é papel do estado (nos tres níveis) educar?

    E, finalmente, qual o papel dos pais/família diante desta confusão?

    Diariamente, leio inúmeros textos com estes temas. A maioria trás uma mistura do que seja educação e ensino. As ideias, se cruzam, se confundem, direcionam caminhos e quando chega na hora de identificar os responsáveis, bem, a confusão é maior ainda.

    Repito o que disse dois dias atrás. O ESP apenas abriu uma janela para aqueles que desejam entender por que nosso país está deste jeito, que descaminhos nossa escola tomou e os resultados que estão sendo produzidos.

    É bom começar identifica esta confusão e depois, rapidamente, apontando o dedo para os responsáveis.

    Se quisermos deixar ou ampliar a situação como esta, bastará apenas apontar o dedo para os governos e dizer que a culpa é deles!

    Fallavena

  9. O problema que ocorre nas escolas é que foram tomadas por apenas um partido, que não aceita a democracia, a alternância de poder, o pensamento diferente,etc.

    E o pior: com agressão dessa gente àqueles que não compartilham de suas ideias, tanto por parte de professores como de alunos.

    O que se quer na verdade é escola com liberdade de manifestação de todas as correntes de pensamento, escola sem a censura que existe hoje, que já está comprovado parte das esquerdas que julga a escola como sua propriedade.
    E por aí vai.

    • Prezado Mário Jr
      Na verdade, o problema da escola é que deixou de ser um local de ensinamentos e virou um depósito de crianças abandonadas pelos pais/família.

      Um dia, espero não muito distante, conseguiremos enxergar, claramente, que a “nova família” só sabe fazer as crianças. Educá-las, criá-las e ajudá-las a crescer, aprender e se tornarem adultos responsáveis, tudo foi terceirizado, e uma terceirização de má qualidade.
      mas isto é um papo muito mais profundo!
      Abraço
      Fallavena

      • Prezado fallavena, concordo plenamente com a consideração que faz da situação escolar neste país.
        A coisa está mesmo dramática e os pais também tem responsabilidade nisso.
        O que resta é torcer para que isto seja sanado, porque muito desse ensino das nossas escolas é responsável por este país estar na contra-mão do mundo civilizado.

        Abraços.

  10. Escola Sem Partido logo agora que a direita chegou ao poder? Acho isso desproporcional final, a esquerda está há mais de três décadas dando sua versão dos fatos aos estudantes sem o contraponto. Agora é o momento de Escola Com Todos os Partidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *