“Escutando o que é consciência, lógica ou absurdo”, num soneto inovador do inquieto Jorge de Lima.

Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status - Significado dos Sonhos e SignosPaulo Peres
Poemas & Canções

O político, médico, pintor, tradutor, biógrafo, ensaísta, romancista e poeta alagoano Jorge Mateus de Lima (1893-1953) em “Solilóquio Sem Fim e Rio Revolto”, conversa consigo mesmo e foge completamente da razão, num soneto de rimas absolutamente perfeitas.

 

 SEM FIM E RIO REVOLTO
Jorge de Lima

 

Solilóquio sem fim e rio revolto –
mas em voz alta, e sempre os lábios duros
ruminando as palavras, e escutando
o que é consciência, lógica ou absurdo.

A memória em vigília alcança o solto
perpassar de episódios, uns futuros
e outros passados, vagos, ondulando
num implacável estribilho surdo.

E tudo num refrão atormentado:
memória, raciocínio, descalabro…
Há também a janela da amplidão;

E depois da janela esse esperado
postigo, esse último portão que eu abro
para a fuga completa da razão.

One thought on ““Escutando o que é consciência, lógica ou absurdo”, num soneto inovador do inquieto Jorge de Lima.

  1. “Saber tudo!” “Ninguém pode saber tudo. Nem todo o saber da humanidade reunido, pode ter essa dimensão abrangente, por uma clara razão:
    Esbarra-se nas questões da origem do tempo e do espaço no mundo físico. A insondável eternidade, atributo divino sobrenatural e a impossibilidade de descrever com consistência os vários aspectos da outra alternativa, que seria o surgimento, que são: onde? como? quando? por que? para que? de onde? do que? Como elucidar cada etapa e cada transição? Os igmorantes, que acham que sabem tudo, privam-se de um dos maiores prazeres da vida: Aprender!” Busquem e assimilem conhecimento!
    Blog: Sociologia & Análise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.