Especialista diz que piloto deve ter se desorientado após duas tentativas de pouso

Resultado de imagem para jorge barros piloto

Barros explica o que pode ter acontecido

Juliana Castro
O Globo

O consultor Jorge Barros, piloto há 38 anos, aponta que, pelas informações disponíveis até o momento sobre o queda do avião que levava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki e outras quatro pessoas, o mais provável é que o piloto Osmar Rodrigues, uma das vítimas do acidente, tenha sofrido uma desorientação espacial, e por isso bateu no mar. A gravação de voz da caixa-preta do avião indica que o piloto fez duas tentativas de pouso no aeroporto de Paraty, no Sul-Fluminense. A análise preliminar indica que não houve pânico, pedido de socorro ou alarme sonoro na aeronave nos momentos que antecederam a queda. A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que a gravação não demonstrou “qualquer anormalidade” nos sistemas do avião.

“Quando você olha para fora da aeronave e vê as nuvens e o mar, um colado no outro, com cores praticamente iguais, não sabe o que é nuvem ou mar” – explica Barros.

AEROPORTO PRECÁRIO – O consultor ressalta que o aeroporto de Paraty é um dos piores do Brasil para pousar, primeiro por estar localizado numa região com grande formação de nuvens com baixa altitude e não ter aparelhos que informem ao piloto sobre as condições de vento, pressão do ar e visibilidade.

Outro fator é que, como é cercado por montanhas, o avião precisa vir necessariamente da direção do mar rumo ao continente para pousar no aeroporto. Ainda de acordo com Barros, como muitas vezes os pilotos levam pessoas com alto poder aquisitivo que possuem imóveis na região, sofrem pressão para conseguir pousar.

De acordo com a TV Globo, a gravação aponta que Osmar Rodrigues fez comentários sobre o tempo e comentou que esperaria a chuva passar para pousar.

TENTATIVAS FRUSTRADAS – Foram gravados os últimos 30 minutos do voo. Neles, o piloto informa “estou indo para o setor ‘Eco”. Na linguagem aeronáutica, “Eco” é uma referência à letra “E”. Segundo especialistas em aviação, significa que a aeronave estava vindo da direção leste (east, em inglês). Em aeroportos sem torre de controle, como o de Paraty, os pilotos têm que avisar uns aos outros de onde cada um está vindo para evitar acidentes. O consultor Jorge Barros afirma que esse procedimento é feito cerca de cinco minutos antes do pouso.

Sem relatar nenhuma alteração na aeronave, Rodrigues tenta pousar pela segunda vez e diz: “Tô na final”. Barros explica que isso significa que o piloto alinhou o avião com a pista e está pronto para o pouso. Pelas regras da aviação, é proibido o piloto dizer que “está na final” sem visualizar a pista. A gravação registra depois um forte barulho do impacto do avião com o mar.

24 thoughts on “Especialista diz que piloto deve ter se desorientado após duas tentativas de pouso

  1. Há quanto tempo existe e funciona o aeroporto de Paraty e quantos ” acidentes” graves do tipo morte de Teori aconteceram ali ? Quantas vezes o “Emiliano” e seu piloto já pousaram ali sem nenhum problema ? A impressão é que aquilo ali era o caminho da roça dos mesmos, muito difícil erro crasso nessas circunstâncias. Até o piloto automático seria capaz de encontrar a pista recorrente.

  2. O aviãzinho mixuruca estava equipado com High-resolution Synthetic Vision System (SVS). Esse equipamento desenvolvido pela NASA é simplesmente uma imagem em 3D que permite aterrisagens com “poor visibility” pois mostra o terreno, osbtáculos, veículos inclusive à noite, neblina, etc pois funciona com infravermelho. Mas como o piloto só utilizava esse aviãozinho há 6 anos apenas, eutilizava esta pista há 20 anos, não conhecia este recurso e preferiu voar às cegas, na intuição…
    https://en.wikipedia.org/wiki/Synthetic_vision_system
    http://beechcraft.txtav.com/en/king-air-c90gtx
    Menos paixão galera….

  3. Por tudo isso, e muito mais, preferido acreditar na hipótese de sequestro do Ministro, sob enganação do “empresário” , amigo da onça”, e falsos pretextos apoiados em possíveis pontos vulneráveis do Ministro, que, ao perceber a trama, e ante a possibilidade de morrer num cativeiro, reagiu ferozmente e partiu pra cima do “empresário”, à moda então vamos todos juntos para onde vocês querem me levar, houve confusão dentro da aeronave, o piloto ficou desorientado sem saber o que fazer e a quem acudir, Teori sofreu politraumatismo craniano com possíveis pancadas que lhe foram aplicadas para contê-lo e até matá-lo, e deu no que deu, resultado trágico para todos, infelizmente, principalmente para o país. Fora disso, seria o caso de fechar o país para balanço, soltar todos os presos, porque nada seria autêntico neste país, onde tudo não passaria de apenas armações.

    • Lá a Empiricus não tem filial, não se amplia apenas as notas do O Antagonista.

      O que aconteceu de fato é a chave para a investigação

      Jornais sugeriram que o horizonte cinzento pode ter levado o piloto a confundir a posição e a altitude do avião para que ele atingisse a água. Nas mídias sociais, no entanto, as teorias têm apontado em uma direção mais conspiratória, com muitos sugerindo sabotagem.

      O juiz tinha muitos inimigos influentes. Seu filho, Francisco Zavascki, disse em uma entrevista na TV no domingo que os membros da família estavam constantemente preocupados com ameaças.

      Na semana passada, a Corte Interamericana de Direitos Humanos instou o Brasil a realizar uma “investigação especialmente cuidadosa e oportuna” devido à posição de Zavascki.

      Antes de chegar a uma conclusão, a polícia e funcionários da aviação também precisarão estudar os destroços, os resultados de autópsias e declarações de testemunhas, incluindo um pescador que disse aos jornalistas que viu fumaça vindo das asas do avião antes de cair.

      Há também a questão do empresário que estava com o juiz ser sócio de um financista que está sendo investigado por promotores da Lava Jato. Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, que também morreu no acidente, foi sócio do BTG Pactual, um banco cujo ex-presidente André Esteves está entre os presos, embora já tenha sido solto, lembra The Guardian.

      http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/01/25/the-guardian-morte-de-teori-interessa-a-politicos-e-autoridades/

  4. E a entrevista do barqueiro que viu fumaça branca na turbina? Segundo ele, parecia aqueles aviões da esquadrilha da fumaça.
    Será que no tentar arremeter houve um problema na turbina que desestabilizou o avião e o fez perder empuxo e bater com a asa nas águas?

  5. Chamar aquilo de aeroporto é um grande equívoco.

    Os riscos de acidentes são altos, mesmo com aeronaves e pilotos de primeira linha.

    Construir um aeroporto de pequeno porte seguro e decente não custaria muito para os empresários que vivem por lá.

    A certeza é que não existe respeito as condições climáticas e o zelo pela vida para empresários que ignoram as regras de segurança.

    O preço a pagar em caso de violação é o que estamos vivenciando com esse acidente.

  6. O PILOTO VIA A PISTA.

    “Tô na final”. Pelas regras da aviação, é proibido o piloto dizer que “está na final” sem visualizar a pista”.

    Pra ter certeza que o piloto tinha o visual da pista basta checar os dados meteorólogicos da estação mais próxima.

    INMET Estação Automática Paraty-A619
    Codigo OMM: 86913
    Aberta em 06/12/2006
    Latitude: -23.223540
    Longitude: -44.726863
    Altitude: 3 metros

    A estação marcou 0 (zero)mm de chuva entre 10:00AM e 15:00PM

    Paraty (RJ) 19/01/2017 – Dados disponíveis: Hora, Temperatura (°C), Umidade(%), Pto. Orvalho (°C), Pressão(hPa), Vento (m/s), Radiação, Chuva.

    http://www.inmet.gov.br/sonabra/pg_dspDadosCodigo_sim.php?QTYxOQ==

    A estação Ubatuba – Ubatumirim -SP do CIAGRO tem também mais dados daquela hora…

    http://www.ciiagro.org.br/ema/index.php?id=223

    É óbvio que o piloto tinha o visual da pista!
    Ele mesmo declarou!

    Ta na hora desses tecnicos burocratas aprenderem um pouco mais com os nativos do local. Ali entre Paraty e Ubatuba ainda levamos em consideracao o que e “REAL”.
    Um nativo fala: “A chuva vai passar assim que a lua cravar” e, acredite, é justamente assim!

    Viví muitos anos como agricultor familiar plantando e observando o clima numa roça a 14km de distancia (em linha reta) do local da queda.
    Chuva forte a 1:30 da tarde por ali dificilmente fecha a visibilidade, ainda mais com o paredão que e Parati-Mirim.

    Fico com o depoimento do barqueiro Pelé, “Pela fumaça que vi, a queda nada teve a ver com o tempo. Houve um problema na aeronave”, disse.

    “Tô na final”. Barros explica que isso significa que o piloto alinhou o avião com a pista e está pronto para o pouso. Pelas regras da aviação, é proibido o piloto dizer que “está na final” sem visualizar a pista. A gravação registra depois um forte barulho do impacto do avião com o mar.”

    • A OMM a agência especializada das Nações Unidas para Meteorologia (tempo e clima), hidrologia operacional e as ciências geofísicas relacionadas.
      BASE em PARATY a 3 metros de altitude, proximo ao aeroporto,
      facilita o intercâmbio livre e irrestrito de dados e informações, produtos e serviços em tempo real ou quase real sobre as questões relativas à proteção e à segurança da sociedade, bem-estar econômico e a proteção do meio ambiente.

      INMET Estação Automática Paraty-A619
      Codigo OMM: 86913
      Aberta em 06/12/2006

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *