Especialista explica influência do Papa na reaproximação EUA/Cuba

Silvio Queiroz
Correio Braziliense

A Santa Sé acumula uma vasta experiência histórica de arbitragem e mediação de conflitos, mas não ocupava um papel tão central como pivô do diálogo entre dois países desde que João Paulo II intercedeu para evitar uma guerra entre Argentina e Chile na crise do Canal de Beagle, no início dos anos 1980. “Essas mediações — ainda mais quando têm sucesso, como essa última — têm o efeito colateral de relançar a Santa Sé no plano internacional”, avalia Anna Carletti, professora de relações internacionais da Universidade do Pampa e colaboradora do Programa de Pós-Graduação de Estudos Estratégicos Internacionais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Autora de “O internacionalismo vaticano e a Nova Ordem Mundial”, ela falou ao Correio sobre o peso exercido pelo papa Francisco na reaproximação histórica entre Estados Unidos e Cuba.

Qual foi o interesse do Vaticano em mediar os contatos diplomáticos entre EUA e Cuba?

Um dos meios de atuação internacional da diplomacia vaticana é a arbitragem ou medição de conflitos entre Estados. Ao longo da história, foram registradas 14 intervenções importantes, a primeira durante a guerra franco-prussiana, em 1870. Uma mediação que ganhou destaque internacional foi na disputa chileno-argentina sobre o canal de Beagle, de 1978 a 1984. A mediação operada nas difíceis relações entre EUA e Cuba se insere e se explica na esteira de uma tradição e grande experiência acumulada pela Santa Sé na mediação e na tentativa de resolução de conflitos. O atual secretário de Estado, o cardeal Parolin evidenciou mais de uma vez que os objetivos da diplomacia vaticana são justamente construir pontes, apoiar as negociações e o diálogo como meio para resolução de conflitos. Fez questão de reiterar que não existem outros interesses ou estratégias por parte do papa. Eu acrescentaria que, mesmo a Santa Sé afirmando não ter outros interesses, essas mediações — ainda mais quando têm sucesso, como essa última — têm o efeito colateral de relançar a Santa Sé no plano internacional e revitalizar aquela autoridade moral própria e única, que nos últimos anos foi bastante ferida pelos escândalos de pedofilia, além dos financeiros.

Havana tem aperfeiçoado as relações com o Vaticano desde a visita histórica do papa João Paulo II. Também a Santa Sé tem olhos na evolução futura de Cuba?

As relações diplomáticas com Cuba foram as únicas que permaneceram ininterruptas entre a Santa Sé e um país socialista. Temos hoje quatro países comunistas: a China, cujo tema das relações com a Santa Sé é ainda um tema não resolvido; o Vietnã, que ainda não tem relações formais, mas cujo estágio de negociações se encontra mais avançado do que o da China e da Coreia do Norte. Portanto, Cuba sempre esteve entre as prioridades do Vaticano. Pelas características peculiares do governo castrista e do contexto regional e internacional, foi possível manter essas relações. A abertura de João XXIII ao diálogo com os governos comunistas facilitou tais relações. Não obstante os problemas entre o governo castrista e a Igreja cubana, principalmente nas décadas de 1960 e 1970, a Santa Sé fez de tudo para mitigar os desentendimentos e manter canais abertos para o diálogo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O Papa Francisco nem precisou visitar Cuba, como fez seu antecessor Bento XVI.  Apenas trocou correspondências nos últimos meses com Barack Obama e Raúl Castro, convidando-os a resolver questões humanitárias, como a situação de alguns detidos. E em outubro o Vaticano acolheu as delegações de ambos os governos, para fechar as negociações. Dois meses depois, surgiu o acordo. E tanto Obama como Castro, fizeram questão de agradecer publicamente a mediação do Papa Francisco, que se consolida como a maior liderança mundial. (C.N.)

13 thoughts on “Especialista explica influência do Papa na reaproximação EUA/Cuba

  1. Peraí, mas o Marco Aurélio Garcia afirma que foi participou ativamente das negociações. SERÁ MAIS UMA MENTIRA PETRALHA ?????

    PS.:
    Bento 16, que teve seu caráter moldado na SS nazista foi um “equívoco” da igreja.

  2. Estimada Dorothy … Parabéns a Francisco Pedro e a todos que batalharam pela reaproximação Cuba-EUA. Ainda não sabemos em que resultará tal entender entre nações … uma, líder econômico-militar-cultural do Planeta … outra, líder ideológica das Latinas Américas e das Sul Planetárias!!!
    … … …
    Quanto ao Emérito … é preciso entender o Pontificado anterior de São João Paulo II, de quem foi seu braço direito na Doutrina Católica … quanto à Política de São João Paulo II, há um artigo do antigo colaborador da Tribuna da Imprensa, o Argemiro Ferreira: https://groups.yahoo.com/neo/groups/profecias/conversations/messages/2646

    http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/homilies/2005/documents/hf_ben-xvi_hom_20050424_inizio-pontificato_po.html tem: SANTA MISSA … IMPOSIÇÃO DO PÁLIO E ENTREGA DO ANEL DO PESCADOR PARA O INÍCIO DO MINISTÉRIO PETRINO DO BISPO DE ROMA
    HOMILIA DE SUA SANTIDADE BENTO XVI
    Praça de São Pedro … Domingo, 24 de Abril de 2005
    Senhores Cardeais … Venerados Irmãos no episcopado e no sacerdócio … Distintas Autoridades e Membros do Corpo Diplomático … Caríssimos Irmãos e Irmãs!

    Significado da entrega do anel do pescador: conquistar os homens para o Evangelho
    Uma das características fundamentais deve ser a de amar os homens que lhe foram confiados, assim como ama Cristo, a cujo serviço se encontra. “Apascenta as minhas ovelhas”, diz Cristo a Pedro, e a mim, neste momento. Apascentar significa amar, e amar quer dizer também estar prontos para sofrer. Amar significa: dar às ovelhas o verdadeiro bem, o alimento da verdade de Deus, da palavra de Deus, o alimento da sua presença, que ele nos oferece no Santíssimo Sacramento. Queridos amigos neste momento eu posso dizer apenas: rezai por mim, para que eu aprenda cada vez mais a amar o Senhor. Rezai por mim, para que eu aprenda a amar cada vez mais o seu rebanho vós, a Santa Igreja, cada um de vós singularmente e todos vós juntos. Rezai por mim, para que eu não fuja, por receio, diante dos lobos. Rezai uns pelos outros, para que o Senhor nos guie e nós aprendamos a guiar-nos uns aos outros.

  3. Cara Dorothy … destaco: “Rezai por mim, para que eu não fuja, por receio, diante dos lobos.”

    Se o entendimento é que a renúncia foi fuga … então, os lobos derrotaram Bento XVI!!!

    http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2013/february/documents/hf_ben-xvi_spe_20130211_declaratio_po.html tem: “DECLARATIO … (Vídeo) … Caríssimos Irmãos, … Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado.

  4. Estimada Dorothy … conferir???

    1 – em sua Missa de Posse, Bento XVI declara: “Apascentar significa amar, e amar quer dizer também estar prontos para sofrer.”

    2 – em sua Renúncia, está lá: “Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando.”

    3 – Também o braço direito de Ratzinger, dirá em http://fratresinunum.com/tag/cardeal-tarcisio-bertone/: “Bento XVI foi um reformador das consciências e do clero, que entregou o ministério petrino como o Senhor o inspirou, depois de uma intensa meditação e uma oração e, especialmente, depois de uma trajetória pontilhada com fortes projetos pastorais e com o sofrimento. Ele estava profundamente triste pelos males que desfiguram o rosto da Igreja e por isso adotou uma nova legislação, relativa à decisão com o fenómeno vergonhoso de pedofilia entre o clero.”

  5. E qual foi o sofrimento de Bento XVI??? o Cardeal Bertone deu a dica: pedofilia eclesiástica … … … este mesmo Bertone: http://www.ggb.org.br/cardeal%20tarcisio%20bertone%20homosexualidade%20e%20pedofilia.html
    … … …
    E qual foi então o sofrimento de Ratzinger e Bertone??? ??? ??? Bertone dá as dicas: Bento XVI adotou nova legislação!!! !!! !!! e por quê??? ??? ???

    Tanto o Cardeal Ratzinger quanto o Cardeal Bertone trabalharam na Congregação para a Doutrina da Fé … também encarregada da disciplina do clero … é lá que são resolvidos os casos de pedofilia e de mau uso do dinheiro … … … existe uma página na Santa Sé com todo histórico http://www.vatican.va/resources/index_po.htm

    Começa com São João XXIII http://www.vatican.va/resources/resources_crimen-sollicitationis-1962_en.html:

    INSTRUCTION OF THE SUPREME SACRED CONGREGATION OF THE HOLY OFFICE ADDRESSED TO ALL PATRIARCHS, ARCHBISHOPS, BISHOPS AND OTHER LOCAL ORDINARIES “ALSO OF THE ORIENTAL RITE”
    ON THE MANNER OF PROCEEDING IN CAUSES OF SOLICITATION
    Vatican Polyglot Press, 1962
    INSTRUCTION
    On the Manner of Proceeding in Causes involving the Crime of Solicitation
    TO BE KEPT CAREFULLY IN THE SECRET ARCHIVE
    OF THE CURIA FOR INTERNAL USE.
    NOT TO BE PUBLISHED OR AUGMENTED WITH COMMENTARIES
    PRELIMINARY MATTERS
    1. The crime of solicitation occurs whenever a priest – whether in the act itself of sacramental confession, or before or immediately after confession, on the occasion or under the pretext of confession, or even apart from confession [but] in a confessional or another place assigned or chosen for the hearing of confessions and with the semblance of hearing confessions there – has attempted to solicit or provoke a penitent, whosoever he or she may be, to immoral or indecent acts, whether by words, signs, nods, touch or a written message, to be read either at that time or afterwards, or he has impudently dared to have improper and indecent conversations or interactions with that person (Constitution Sacramentum Poenitentiae, §1).

    74. Against clerics guilty of these crimes, if they are exempt religious – and unless the crime of solicitation takes place at the same time – Religious Superiors also can proceed, according to the sacred Canons and their proper Constitutions, either administratively or judicially. However, they must always communicate a sentence rendered, or an administrative decision in those cases which are more grave, to the Supreme Congregation of the Holy Office. The Superiors of a non-exempt religious can proceed only administratively. In the case where the guilty party has been expelled from religious life, the expulsion has no effect until it has been approved by the Holy Office.
    FROM AN AUDIENCE WITH THE HOLY FATHER, 16 MARCH 1962
    His Holiness Pope John XXIII, in an audience granted to the Most Eminent Cardinal Secretary of the Holy Office on 16 March 1962, graciously approved and confirmed this Instruction, ordering those responsible to observe it and to ensure that it is observed in every detail.
    Given in Rome, from the Office of the Sacred Congregation, 16 March 1962.
    L.+S. A. CARD. OTTAVIANI

  6. Prezada Dorothy … Conclusão:

    Os lobos NÃO DERROTARAM Bento XVI nem Bertone … hoje os pedófilos e outros bandidos que se infiltraram na Igreja Católica podem ser processados e presos para cumprirem pena … e não só serem transferidos de paróquia!!! !!! !!!

    Falta o Brasil seguir o exemplo de Bento XVI e acabar com a IMPUNIDADE POLÍTICA!!! !!! !!!

    E Francisco Pedro pode ter agenda diferente … após o Emérito ter reformado a Igreja … visto que Ratzinger e Bertone puniam os eclesiáticos conforme a legislação vigente, que era muito branda – transferir os criminosos e em silêncio; para não escandalizar!!! !!! !!!

  7. Dorothy,
    Acusar Bento XVI de ter sido nazista porque na juventude pertenceu a este movimento, creio ser exageradamente severo com o Papa que renunciou.
    Ou desfilava pelo partido e desfraldava a sua bandeira ou, então, sofreria as consequências do autoritarismo do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.
    Ratzinger foi obrigado, sob pena de colocar a sua vida em risco, diante da avassaladora atuação dos simpatizantes da ultra direita alemã.
    Deve ser compreendido.
    Mais a mais, os profundos conhecimentos teológicos de Ratzinger, o colocam entre os cem mais influentes homens do mundo, que fala e escreve seis idiomas, lê em grego antigo e hebraico!
    Autor de dezenas de livros sobre a religião Católica, o ex-Papa é considerado como uma das maiores autoridades em Teologia, um estudioso em nível de Tomás de Aquino e Santo Agostinho.
    Renunciou, tendo em vista que o seu corpo não acompanhava mais os movimentos de um homem com uma função tão importante, e porque seu espírito entrara em litígio consigo mesmo neste particular.
    A História fará justiça a Joseph Aloisius Ratzinger, um Sumo Pontífice intelectual, escritor, homem reservado, que teve uma infância em pleno período da Segunda Guerra Mundial, e que viveu a tragédia alemã quando foi derrotada pelos Aliados, ingressado na Igreja em meados de cinquenta.
    Vale a pena conhecer o caminho de Bento XVI até chegar a ser Papa, saber um pouco da sua história, da sua vida religiosa e pessoal.
    Ratzinger só não tinha o dom para a política, como Pio XII e João Paulo II, o carisma de João XXIII, e a vontade férrea que vemos em Francisco, de atuar como mediador nas relações interrompidas entre Cuba e Estados Unidos, espraiando a sua liderança religiosa para assuntos que dizem respeito aos Direitos Humanos, a tolerância, o perdão!
    Francisco candidata-se como o peregrino da Paz, legítimo representante de, “Pedro, tu és pedra, e sobre ela edificarei a minha Igreja”!
    Pois a Igreja de Cristo é essa, do perdão e de amor ao próximo;
    É de Bento XVI, e seus estudos meticulosos sobre a obra de Cristo, a sua paz interior, a sua calma, e de reconhecer as suas limitações para exercer a contento a sua peregrinação.
    O Papa Francisco repete os caminhos de seus antecessores, Pedro e Paulo, quando levaram ao mundo a Boa Nova, e já faz parte dos Papas mais importantes e grandiosos que a Igreja nos apresentou.
    Inegavelmente estamos diante de uma Igreja que se reabilita perante os injustiçados por governos impiedosos, e cuja atuação do Santo Padre se faz sentir como de esperança e reconhecimento que os filhos de Deus estão acima das questões mundanas, de regimes e sistemas políticos e sociais, e cabe a este homem, o líder dos católicos, a missão sagrada de reconduzir o homem para o caminho certo, ele que vem trilhando por atalhos e trechos que somente o conduzem a conflitos, à desesperança, ao ódio, à intolerância e, desta forma, se distancia de Deus, e dá início à sua infelicidade permanente!
    Benditos Ratzinger e Bergoglio, homens que renunciaram a si mesmos em prol da Humanidade!
    Um abraço, querida Dorothy, sempre atuante e dona de comentários pertinentes e pontuais neste blog incomparável.
    Lembra, tu és imprescindível para este espaço democrático.
    Sou teu admirador, confesso.

  8. Cuba e Coréia do Norte representam hoje o que restou do comunismo. Entre os escombros da ideologia nefanda, responsável pelo extermínio de cem milhões de seres humanos mortos no século XX, restou estes dois países símbolos do ideário socialista-comunista.
    Cuba representa o estado-policial onde a família Castro se apossou do poder, submetendo a todos a toda sorte de privações materiais e espirituais, ao mesmo tempo que lotearam o poder, transmitindo o comando político de irmão para irmão, na forma de uma capitania hereditária.
    Cerca de 17 mil cubanos foram mortos pela repressão comunista. Milhares de pessoas, aproximadamente 20% da população fugiu do país, se lançando ao mar em pequenas embarcações, tentando escapar das perseguições perpetradas por Fidel Castro, em nome do socialismo. Aqueles que ficaram em Cuba enfrentaram privações materiais, salários irrisórios, privação das liberdades (liberdade de expressão, liberdade de ir e vir, controle da vida privada, liberdade econômica).
    Cuba é o maior símbolo do ideal socialista preconizado por K.Marx, onde a “vanguarda socialista” toma de assalto o “estado burguês”, implanta a “ditadura do proletariado”, avança as ideias socialistas pavimentando o caminho para o comunismo.
    O fracasso de Cuba representa exatamente o fracasso do socialismo, pois em Cuba ou em qualquer outra parte nunca foi possível cercear as liberdades, sem que houvesse completo aniquilamento das forças econômicas. Em parte alguma a engenharia social produzida por socialistas produziu cidadãos empreendedores, criativos, pelo contrário, o socialismo só consegui produzir miséria, dor.
    O fracasso econômico e moral de Cuba deve servir como exemplo para a Humanidade, no sentido de se precaver e buscar erradicar a praga do socialismo.

    “Se abrir relações diplomáticas e comerciais com uma ditadura comunista pudesse fomentar a liberdade, a China seria hoje uma democracia. Obama repete o erro criminoso de Richard Nixon, adquirindo para os EUA “o melhor inimigo que o dinheiro pode comprar”. Em poucos anos, Cuba será uma potência econômica e militar invejável, sem democratizar-se no mais mínimo que seja – excetuada, é claro, a hipótese de uma revolução popular, que é exatamente o que o governo americano tenta evitar mediante a tábua de salvação atirada in extremis a uma ditadura moribunda.

    Além do Brasil e das Farc, o Foro de São Paulo terá agora mais um patrono bilionário: os EUA, por intermediação de Cuba.

    Os políticos conservadores e os refugiados cubanos em Miami podem se esforçar para dar outro rumo ao encadeamento das causas e efeitos, mas isso será como colocar rédeas num dragão.

    Ao apoiar a iniciativa do governo Obama, o Papa Francisco prova mais uma vez sua completa falta de discernimento político.”

  9. Esta estória de premio nobel da paz, não tem qualquer valor.
    Obama ganhou este”honraria” no primeiro ano do seu mandato, sem ter pacificado por… nenhuma, sem ter contribuído com nada mais nada ao quadrado.
    Premio Nobel só de Física, Química, Economia, Biologia, Ciências,que refletem esforço intelectual, brilho.
    E mais, premio nobel de literatura também não tem valor, depois que escritores de quinta como Dario Fo foi agraciado.

    • Prezado Antonio F. Valente, vejo os citados Prêmios Nobel de Física, Química, etc como contribuições para a saúde da humanidade. O de Literatura, uma reflexão sobre a Arte. Entendo não gostar do Dario Fo, talvez por ele ser Anarquista; mas houve grandes e importantes escritores(as) a meu ver. Quanto ao presidente Obama foi uma questão política da Academia Sueca, mas antes dele já premiaram o Dalai Lama, os representantes de Israel e da Palestina, uma ex-presa política da Birmânia que ficou anos confinada em casa, sem poder sair. Agora a jovem Malala, do Afeganistão… respeito o seu ponto de vista, mas continuo torcendo pelo Papa.

  10. Augusto Nunes (VEJA )

    Nossos socialistas de galinheiro ainda não perceberam que, com o fim do bloqueio, os cubanos logo vão descobrir o tamanho da tapeação: o inferno capitalista é muito mais agradável que o paraíso caribenho

    Não batem bem da cabeça devotos de uma seita que tem em Lula seu único deus, enxerga em FHC um demônio disfarçado de sociólogo e debita na conta da elite golpista (entidade formada exclusivamente por loiros de olhos azuis) todos os males do Brasil, passados, presentes e futuros. Só mentes em desordem conseguem berrar amém a todas as cantilenas cafajestes dos celebrantes de missas negras, concebidas para ensinar que, como os fins justificam os meios, não existem pecados nem abaixo nem acima da linha do equador. Só ovelhas com defeitos de fabricação insanáveis podem ser tão subservientes a sinuelos sem siso e pastores sem vergonha.

    Nada que venha de gente assim deveria surpreender brasileiros ajuizados. Mas o rebanho não para de expandir as fronteiras da vigarice e do oportunismo com manifestações de idiotia que surpreendem seres normais. O surto da semana foi provocado pela iminente normalização das relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos, tema da reportagem de capa de VEJA. Para o início do carnaval temporão da companheirada, bastou que o presidente dos EUA prometesse lutar pela imediata suspensão do bloqueio econômico ─ uma velharia que, se a decisão da Casa Branca for aprovada pelo Congresso, enfim descansará em algum museu da Guerra Fria.

    Na terça-feira, os stalinistas de galinheiro que rosnam por aqui continuavam sonhando com a destruição do imperialismo ianque e a globalização da maravilha comunista inaugurada pelo ditador de Adidas e aperfeiçoada pelo caçula mais velho do planeta. Na quarta, todos os adoradores da ilha-presídio festejaram o noivado de Barack Obama com Raúl Castro. De um dia para o outro, o que era o Grande Satã norte-americano virou o vizinho que todo país pede a Deus. Nada como a reconciliação entre o socialismo revolucionário e o capitalismo selvagem para abrir um sorriso de orelha a orelha na cara de todo marxista de galinheiro.

    Nos anos 50, quando Fidel Castro lutava pelo poder, havia em Cuba um ditador cleptocrata a derrubar, uma economia asfixiada pela monocultura da cana e prostitutas demais em Havana. Na segunda década do século 21, há prostitutas demais na ilha inteira, um oceano de canaviais asfixiando a economia e uma ditadura comunista a sepultar. Vai cair de madura com o fim do bloqueio. Acabou o prazo de validade da última desculpa para as misérias da ilha algemada desde 1959 pela hegemonia dos liberticidas.

    Os cubanos não demorarão a descobrir que o inferno capitalista é infinitamente mais agradável que o paraíso dos irmãos Castro. Se a ditadura resolver enquadrar os seduzidos pelo mundo civilizado, ninguém terá de fugir de Havana e enfrentar a perigosa travessia do Caribe. A embaixada americana estará logo ali.

  11. Caro Sr. Antonio Rocha:
    Grandes escritores como Pirandello, E.Hemingway, Herman Hesse, Steinbeck ganharam o premio Nobel de literatura de forma convincente, inquestionável. Mas a academia sueca falhou miseravelmente quando deixou de premiar escritores como Jorge Luis Borges, W. Somerset Maugham, entre outros.
    O premio Nobel da Paz outorgado ao presidente Barack Obama não teve qualquer justificativa aceitável. Obama estava no primeiro ano do seu primeiro governo e não tinha realizado qualquer ação no sentido de promover a paz, ou qualquer outra de envergadura mundial visando a melhoria da vida dos homens.
    Na minha visão, prêmios de natureza politica são questionáveis.
    Cordiais Saudações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *