Esportivas, observadas e entre aspas

Button quase campeão, Fórmula 1 chatíssima

Nenhuma ultrapassagem, saíram e chegaram, os locutores ficavam “marrados” na disputa de 1 ponto entre o brasileiro e o inglês. Mas o alemão Vettel é que venceu, de ponta a ponta, excetuadas as paradas de reabastecimento. Duas mas podiam não fazer nenhuma. Como dizem que acontecerá em 2010. Tomara.

Ronaldo fora de posição

Pelo que vem jogando, e pelo que está faturando, o fenômeno está mais para gerente comercial e publicitário.

Flunimed sem salvação

Ganhou de um time do Peru, tão desleal e violento que teve três jogadores expulsos. No Brasileirão continua 120 por cento rebaixado. Perdão, mil por cento na Série B. Junto com o Sport. Botafogo, Náutico e Santo André, dois serão também rebaixados, um deles escapa, continua na A.

Sharapova, 18 meses depois

Campeã em Tóquio vencendo outra russa e faturando o título. 11 meses sem poder movimentar o ombro, e mais 7 de recuperação.

O delegado-treinador

Antonio Lopes delegado duro (agora aposentado) tirou o Atlético do Paraná da zona de rebaixamento. E consolidou a posição destroçando o já destroçado Corinthians.

O Flamengo quase no G-4, Adriano perto da seleção

Vem jogando bem, vencendo jogos e desconfianças. Garra nem se fala. Marcando gols, cada vez mais perto da Libertadores. Satisfação que será maior em dezembro, com a eleição que acabará com a Era Marcio Braga e a monótona interinidade.

A modéstia e a humildade de Pelé

Em Copenhagen, todos notaram e comentaram o desprendimento do jogador. Quando falou das possibilidades das cidades, foi taxativo: “Chicago tem Obama, o Rio tem EU e LULA”. Mais “EU” do que Lula. Esse é o Pelé definido tão bem por Romário.

Marta e Cristiani

As duas maiores jogadoras de futebol, têm dado espetáculo e vencido de goleada. O humilde e modesto Pelé, não fez por menos: não foi á apresentação delas no Santos, comentou: “150 mil para a Marta é exagero”.

Vôlei feminino invencível

A seleção do José Roberto Guimarães que assombra o mundo, aqui na América do Sul, é até uma catástrofe. (para as adversárias). Não perdeu um set sequer. Jogou duas vezes com a Argentina.

Eliminatória e final

Dois jogos-repetição, até no placar. No primeiro, 25/ 15, 25/15, 25/23, só um set difícil. Na final, 25/16, 25/16, 25/ 22, só um set difícil. Mas a Argentina tem duas jovens jogadoras que vão para o ranking mundial.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *