Esquema montado para destruir a Lava Jato tem alto nível de profissionalismo

Resultado de imagem para lava jato charges

Charge do Sponholz (sponholz.com.br)

Carlos Newton

Já afirmamos diversas vezes aqui na TI que, na política, as aparências realmente enganam. Por isso, muitas notícias necessitam de tradução simultânea, que somente levem em consideração fatos verdadeiramente concretos, porque não há dúvida de que está em marcha um sofisticado esquema de contrainformação, destinado a inviabilizar a Lava Jato, libertar Lula da Silva, José Dirceu, Michel Temer, Eduardo Cunha e muitos outros envolvidos.

Esse esquema foi montado sob o falso pretexto de evitar a “criminalização da política”.

TENTATIVAS – Já houve várias tentativas para inviabilizar a Lava Jato, a começar pela sessão-surpresa convocada no governo Temer pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), numa segunda-feira à noite, para aprovar um projeto destinado a anistiar todos os políticos envolvidos com Caixa 2. O mais curioso é que se tratava de uma proposta sem autor conhecido, era um projeto antigo que o senador Renan Calheiros (MDB-AL), desencavara no Arquivo do Congresso.

A iniciativa só fracassou porque dois experientes deputados de oposição, Miro Teixeira (Rede-RJ) e Ivan Valente (PSOL-SP), armaram uma revolta em plenário e Maia teve de recuar.

LEI DO ABUSO – A segunda tentativa foi a manipulação do importante projeto dos procuradores federais, que sugeriram Dez Medidas contra a Corrupção, com mais de um milhão de assinaturas de eleitores. Mas o esquema antiLava Jato habilmente introduziu uma emenda para anistiar o Caixa 2 e incluiu também a possibilidade de processar magistrados, procuradores e promotores por crime de responsabilidade (Lei do Abuso da Autoridade).

Houve fortíssima reação popular, as propostas não foram à votação e até hoje as dez medidas estão engavetadas. Agora, já se fala abertamente em ressuscitar a Lei do Abuso de Autoridade.

SOFISTICAÇÃO – Desde então, as tentativas de inviabilizar a Lava Jato foram se sofisticando, através da manipulação de “notícias” frequentemente plantadas contra o juiz Sergio Moro e os principais procuradores, que chegaram até a ser denunciados perante o Comitê de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, com acusação de “lawfare”, uso indevido de recursos jurídicos para perseguição política”.

Ao mesmo tempo, foram acionados líderes políticos estrangeiros para denunciar a “perseguição política” contra Lula, como Perez Esquivel, Pepe Mujica, Noam Chomsky, Rafael Correa, Cristina Kirchner, Eduardo Duhalde e Romano Prodi, entre outros, mas todas as iniciativas fracassaram.

ERRO DE MORO – O esquema antiLava Jato somente se fortaleceu devido ao erro estratégico de Sérgio Moro, ao aceitar o Ministério da Justiça. Recebeu muitas críticas e a resistência à “criminalização da política” voltou à moda. Aliás, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, não fala em outra coisa.

E de repente, sobrevém essa “blitzkrieg” contra a Lava Jato, uma guerra-relâmpago iniciada com a recauchutagem da denúncia do grampo a advogados de Lula (na verdade, somente o compadre Roberto Teixeira teve sigilo telefônico quebrado, por ser cúmplice no caso do sítio), seguida pelos pedidos de regime aberto para Lula e atingindo o ápice com o ataque do site “The Intercept”, notoriamente ligado ao PSOL.

E na sequência imediatamente surgiram as declarações de “juristas” amestrados e sem medo do ridículo, a insistirem que todos os processos da Lava Jato são anuláveis de pleno direito etc. e tal.

PROFISSIONALISMO – É preciso reconhecer o elevado profissionalismo do esquema montado para destruir a Lava Jato, descriminalizar a política e inocentar os corruptos que dominaram este país e sonham em estar de volta para o futuro.

A articulação dessa investida liderada pelo site The Intercept foi primorosa. O principal objetivo é levantar dúvidas sobre a condenação de Lula, destacando que as mensagens atribuídas a Dallagnol e Moro sugerem dúvidas dos procuradores sobre as provas para pedir a condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá, poucos dias antes da apresentação da denúncia.

Acontece que jamais houve nenhuma mensagem a esse respeito, entre os dois. A mensagem fora dirigida por Dallagnol aos procuradores, para acertar os ponteiros, algo absolutamente normal, porque em poucos dias haveria a célebre apresentação do power point mostrando que Lula era o chefe da organização criminosa.

MANIPULAÇÃO – A minuciosa reportagem do The Intercept  é uma manipulação bem feita, mas facilmente desmontável. Foram vasculhados dois anos de uso do celular de Dallagnol e só conseguiram encontrar meia dúzia de troca de mensagens com Moro, e em nenhuma delas há a menor “ilegalidade”.

As três acusações do site são as seguintes:

1. Em um dos contatos, Moro, responsável por autorizar as operações, sugeriu mudar ordem de fases da Lava Jato. Ora, como juiz de instrução cabia a ele autorizar as operações, era ele quem decidia quando as provas já justificavam a intervenção policial.

2. Moro teria cobrado a realização de novas operações. Bem, quando o juiz de instrução conclui que já há  base para as operações, era preciso fazê-las.

3. Moro antecipou uma decisão judicial. Negativo, o juiz apenas avisou o procurador que não precisava mais enviar um certo documento para arquivar uma denúncia, porque já havia provas suficientes para justificar o arquivamento.

Não há trama nem tramóia nos diálogos selecionados escandalosamente. Portanto,  é assim, através da manipulação de fatos, que está sendo montado o dossiê contra Moro e Dallagnol, e a mídia promove um carnaval fora de época, ao invés de arrancar a máscara dos farsantes do site The Intercept Brasil.

###
P.S.
Aqui na TI esse esquema da “descriminalização da política” não vai se criar. O Brasil deve muito aos juízes federais, procuradores, delegados da PF e auditores da Receita que atuam na força-tarefa da Lava Jato.  São pessoas competentes e honradas, que sofrem ataques injuriosos por defenderem o interesse público. Pense nisso. (C.N.)

32 thoughts on “Esquema montado para destruir a Lava Jato tem alto nível de profissionalismo

  1. A turma criminosa e seus defensores (sabe-se lá por qual motivo) comemora qualquer coisa que lhes dê um filete de esperança. A forma como isso foi conseguido pouco importa. Está fora de contexto, sem problema!

    Estou esperando um dos grandes veículos de mídia criticar o roubo de informações sigilosas, conseguidas através de ação criminosa. Divulgar esse tipo de informação é tão criminoso quanto adquiri-las. Dar voz a bandidos dessa forma faz tais veículos cúmplices das barbáries.

    PS: também estou esperando o resto do iceberg, porque até agora, não vi nada preocupante ou que desmereça o trabalho da força tarefa.

  2. Se Lula fosse o passado, literalmente…
    Ricina no cafezinho.
    Lula já era.

    Passem mais um cafezinho desses no setor VIP do velório.

    Um bem gigantesco, para todos os brasileiros, num simples bule de café!

    Incrível!

  3. Também aqui se faz presente essa gente que quer sabotar a lava-jato que usam o velho truque de se dizer anti-petistas e até metendo o pau em Lula.

    Como disse bem o editor, ela tem alto gru de profissionalismo e sabem que derrubando Moro e Paulo Guedes, derrubam este governo.

    Mas dessa vez o tiro saiu pela culatrae o Brasil inteiro está como Moro, pois nos diálogos entre ele e Dalagnoll não havia nenhuma atitude política e sim uma ânsia em capturar criminosos, o que é muito normal entre ocupantes da justiça e até uma obrigação.

  4. Newton,

    Abaixo, um dos comentários que postei hoje, onde afirmo a existência de uma conspiração contra o atual governo e, especificamente, contra o arqui-inimigo das esquerdas, Sérgio Moro!

    Para eu salientar mais ainda a minha tese, lembro que, se Bolsonaro tem um inimigo visceral, chama-se Jean Wyllys.

    Se nos detivermos com mais atenção, ocupou a vaga do covarde ex-deputado com nome de jipe, fujão, nádegas frouxas, nada mais, nada menos, que o esposo ou esposa deste crápula e criminoso americano!

    Não precisamos de maiores exercícios mentais para montar esse quebra-cabeça, essa conspiração, onde não afasto a participação de Wyllys, um indivíduo sujeito a qualquer atitude em razão do seu mau caráter e personalidade doentia!

    Ou, por acaso, cuspir em alguém é uma atitude que deve ser compreendida e aceita???!!!

    “Caso eu não estiver dizendo a verdade, por favor, peço que me corrijam.

    Mas, o substituto de Wyllys, que deu no pé, igualmente defensor da causa LGBTQRSUVXAB … seria o marido do Greenwald, e foi feito um acordo no sentido de Wyllys detonar com o País lá fora, o homossexual americano faria este tipo de trabalho abjeto de vazar informações, afim de prejudicar mesmo o Brasil interna e externamente.

    Considerando a amizade inclusive com Lula, e proximidade com Zé Dirceu deste pseudo jornalista, tais vazamentos seriam determinantes para o STF soltar Lula, contemplando o plano sórdido contra Moro, o arqui-inimigo petista e muito mal visto pelas primas-donas do STF!

    Convenhamos, um plano muito bem feito, esbarrando apenas na ilegalidade da execução, onde Mendes e apoiadores querem ver Moro pelas costas, então dizem que tais provas serão aceitas contra o Juiz e Procurador (Lewandowski votou pela liberdade de Lula no dia de hoje, votação adiada para o dia 25).

    O amor é impressionante no seu poder de tanto construir quanto destruir.

    • Uma conspiração das bichas internacionais contra o governo misógino e homofóbico de Jair Bolsonaro!
      Agora falando sério, essa gente é capaz de tudo! Desde cusparadas em pelno plenário até tentativas de assassinatos como o atentado frustrado de Juiz de Fora, passando pelo passado criminoso dessas organizações criminosas, que o digam (se pudessem é claro) os ex-prefeitos Celso Daniel de Santo André e Toninho de Campinas, bem como as dezenas de queimas de arquivos. Esse mundo que acolhe esses marginais do tipo Jean Willys e Greenwald é de uma hipocrisia sem tamanho. Haja visto que passou batido por esses supostos defensores dos direitos humanos o asilo dado pelo Lula ao terrorista Cesare Batisti e até mesmo os assassinatos à luz do dia e das camaras na socialista Venezuela do ditador Maduro, apenas para ficarmos em casos mais recentes.
      Por isso tudo, Bolsonaro e Sérgio Moro neles. Quero ver o Gilmar Mendes ter coragem de mandar prender o Moro. Por que é que essa corja do Supremo não tenta isso? Não são machos, estão com medinho? E a partir de 2021 terão que aceitar a presença de Moro entre eles.

  5. Esta gente é capaz de tudo. Só agora descobriram que a organização não é nacional, ela é internacional, seus tentáculos vão longe. Tem gente que acha que eles se resumem em PT, PSDB, DEM, PCB e afins. Tem muito mais por trás, os interesses financeiros são enormes. Claro que vão meter o pau no Lula e PT, no fim é jogo de cena. Lula deve ter dado o ultimato, ou me tirem daqui ou vou abrir o bico.

    • Prezado Jaco,

      Até tu??!!

      Denominas de jornalismo a prática de crimes?

      De um desclassificado estrangeiro se meter no que é nosso, nossos problemas, nossas encrencas??!!

      Repito:
      Se Moro está sendo acusado de condenar o ladrão e genocida sem provas e, agora, mediante acordo com o MPF, este tipo de “prova” contra Moro ser aceita é crime da mesma forma!!!

      Ou, então, me explicas, se quiseres, lógico, que documentos ou vazamentos de celulares possam ser criticados furiosamente contra Lula, porém o mesmo contra Moro, aplaudido delirantemente??!!

      Abraço.

      • “De um desclassificado estrangeiro…”
        Ao que parece tu não o conheces.
        Fique tranquilo, comentaremos as cenas dos próximos capítulos.
        Verá do é capaz o tal desclassificado.

  6. Mas eles vão ver a reação do povo brasileiro. Será duro, pois a gangue tem tentáculos internacionais. Mas, vale a pena a luta pelo Brasil. Inimigos do país em todos os cantos e os principais são: Gilmar, Tófoli, Leva, Botafogo e Alcolumbre.

  7. Parece que alguns estão se portando exatamente igual aos que criticam. Aos inimigos as críticas ferozes, aos amigos os aplausos, não importa o que seja. Reafirmo que mal feitos devem ser criticados, nunca aplaudidos. E o jornalista, quando tem um material na mão deve divulgá-lo, é sua obrigação, mesmo que muitos não gostem por atingirem seus ídolos..

  8. Meus entusiasmados parabéns, caro Carlos Newton, das raríssimas vozes a erguer-se contra essa descarada e fantasiosa lorota. É certo que, do pouco que o conheço (conheci-o do blog), não ia esperar outra coisa. Mas eu também não esperava outra coisa de outros (prefiro não os nomear) que, agora, se escandalizam (dizem escandalizar-se) com essa bobagem. O trabalho desses rapazes do MPF (e o de Moro, em seu tempo de Magistratura), apesar de pequenos deslizes, é dos mais importantes e vem incomodando muita gente dita boa. Quem não acha que a corrupção no Brasil é coisa pouca tem de continuar a dar-lhe todo o apoio.

  9. Concordo com o comentário, nobre CN, registrando-se apenas um porém, quanto ao equívoco do MP ao querer criar um fundo próprio de centenas de milhões com o dinheiro público da devolução da corrupção.

  10. Excelente análise desse absurdo todo. Agora é preciso reconhecer esses organismos virtuais, Intercept, Wikileaks, Panama Papers, etc., que se põem como custódios da virtude humana, são tudo menos transparentes, justamente o que eles mais exigem do mundo todo. Quem os financia? Em nome de quem agem? Porque parecem perseguir só alvos específicos?

    • E você acha que as entidades internacionais não são formadas por gente amestrada? Não viu o que aconteceu com o Bustani, quando entrou em conflito com os americanos? Ou com o Boutros-Ghali, o último secretário-geral da ONU que teve diferenças com o governo americano?

        • Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, como dizia o Carlos Chagas. E mesmo assim, o que mais contou em Watergate foi a vontade do Establishment em se livrar de um personagem incômodo, como agora estão fazendo com Trump. Caso se se tratasse de um político com um bom círculo protetor, ilegalidades teriam sido abafadas, como dizem teriam sido abafadas fraudes estaduais que teriam favorecido Kennedy em 1960.

Deixe uma resposta para Francisco Bendl Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *