Essa, não! Guedes acha que trabalhadores podem abrir mão de férias e do 13º?

Resultado de imagem para paulo guedes

Paulo Guedes faz afirmações muito estranhezas e despropositadas

Pedro do Coutto

A afirmação do ministro da Economia é espantosa, porque é praticamente impossível que alguém por iniciativa própria vá propor abrir mão do direito às férias e ao 13º salário, que vigora no país desde 1962. O ministro Paulo Guedes afirmou, segundo reportagem de Eduardo Rodrigues, em O Estado de São Paulo de ontem, que o governo não vai mexer em direitos do trabalho, mas é possível que os trabalhadores e trabalhadoras façam uma opção em abrir mão dos dois fatores em troca do aumento da empregabilidade no país.

Francamente, nada me surpreendeu tanto ao longo de 60 anos de jornalismo do que essa formulação do ministro Paulo Guedes, cujo comportamento causa estranheza.

CONFLITO DIRETO – Em primeiro lugar, dá a impressão de que a atitude pode ser singular, o que criaria um conflito direto entre os que abrissem mão do 13º e das férias e aqueles que desejam manter esses direitos trabalhistas.

Paulo Guedes afirmou também a Eduardo Rodrigues que a reforma da Previdência deve vir antes da reforma trabalhista. Mas não se referiu ao conteúdo final nem do projeto da reforma previdenciária nem da proposição de alterar direitos do trabalho.

Se a reforma previdenciária ainda se encontra à base de três alternativas, entre as quais o presidente Jair Bolsonaro escolherá a que considerar melhor, muito menos pode-se vislumbrar uma reforma dos direitos dos assalariados, incluindo os celetistas e funcionários públicos, para, digamos, se concretizada a médio prazo.

EMBARALHANDO – Com suas declarações tenho a impressão que o Ministro Paulo Guedes embaralhou as questões que têm como alicerce alguns direito sociais há muito tempo implantados no Brasil.

Quanto à consulta prevista aos sindicatos sobre o texto final do projeto da reforma previdenciária, tal providência somente se realizará quando concluído pelo governo o texto final da proposição pelo Presidente da República.

Julia Lindner e Idiana Tomazelli, em outra reportagem do Estadão, focalizaram este lado da questão, pois o problema tem de ser analisado como um todo. Sobretudo, por causa das declarações surpreendentes do titular da Pasta da Economia.

Na mesma edição de ontem Andrea Jubé e Carla Araujo publicam matéria ressaltando uma atmosfera de mal estar junto a pessoas ligadas a Jair Bolsonaro em consequência das últimas declarações do vice-presidente Hamilton Mourão. Esta seria a razão de o presidente da República ter optado, apressadamente, por despachar decisões de governo no centro semi-intensivo do Hospital Albert Einstein. Entretanto, como tudo é relativo, a relatividade entre o presidente e o vice pode se basear na tese do nome do hospital em que o presidente encontra-se em recuperação.

31 thoughts on “Essa, não! Guedes acha que trabalhadores podem abrir mão de férias e do 13º?

  1. O Presidente e o Ministro falam e o jornalista é especulador.

    Qual a vantagem que você terá nesse governo?

    Empregados sem 13º, sem férias e sem FGTS?

    Fala sério!

  2. Nenhum epregado abriria mão de féria e 13º por iniciativa própria, mas poderia fazê-lo por livre e espontânea pressão gerada pelo medo de perder o emprego, ainda mais nestes tempos ultramodernos em que praticamente não há mais nenhum trabalho que não possa ser substituído para alguma tecnologia. As pessoas acabarão tendo apenas a opção de, por “livre escolha”, trabalharem nos piores trabalhos pelos menores salários e sob as piores condições imagináveis, e rezarem para não serem trocados por alguma máquina dotada de AI.

  3. Este é um louco que está a frente da economia, porque não taxar grandes fortunas, tudo é em cima de quem não tem, ou seja, o trabalhador, mas para taxar e cobrar de quem tem muito e que sonega, tem que ter muito peito, mas isso eles não fazem, vai sempre em cima do mais fraco, o trabalhador brasileiro, país desumano e desigual.

  4. Porque não combater os sonegadores como empresas privadas, bancos, orgãos de imprensa, etc?

    O governo FHC promoveu o programa de demissão voluntária e muitos funcionários públicos aderiram. Porque não se pode oferecer a opção de algo semelhante para aqueles que quiserem abrir mão de 13 salario e férias?

    Faz quem quiser, concordo que muitos não concordarão, ambos os lados tem os mesmos direitos, de aderir ou rejeitar.

  5. Louco é quem votou nisso para chegarmos a esse ponto, ele muito do espertalhão.

    Falar em espertalhão, ele já foi depor sobre os fundos de pensão?

  6. Quando Bolsonaro diz “Deus acima de todos!” deve estar se referindo a Paulo Guedes.
    E o pior é que este acredita!
    Mas há que ter ponderação e muito cuidado, pois as grandes maldades, quando engendradas, costumam ser fiscalizadas e contidas pelo Deus verdadeiro.

  7. Quem sai daqui para viver com mais qualidade nos Estados Unidos ou Canada não reclama da falta de 13° ou férias.
    O problema é que ainda somos um país muito pobre.

    • É verdade.
      Querer melhorar a situação do trabalhador com leis não funciona, e isso tem a ver com um estado que não deixa a iniciativa privada livre de regulamentações absurdas e por isso a nossa pobreza, ao contrário da americana, não é solução em nenhum lugar do mundo.
      Nada protege mais o trabalhador que o emprego, o resto é demagogia.

      • texto corrigido:

        É verdade.
        Querer melhorar a situação do trabalhador com leis não funciona, e isso tem a ver com um estado que não deixa a iniciativa privada livre de regulamentações absurdas e por isso a nossa pobreza, ao contrário da americana.
        Nada protege mais o trabalhador que o emprego, o resto é demagogia.
        Emprego só existe com produção e o Brasil, com esse estado socialista (Getulio, 1935 – Estado Novo), a inibe.

  8. Me impressiona como as pessoas esquecem.

    Será que ninguém se lembra mais que o FGTS, cuja remuneração é inferior à Inflação, é opcional?

    Que ninguém é obrigado a abrir mão da estabilidade no emprego em troca do FGTS?

    Pois bem. Hoje, “todos” estão satisfeitos com o FGTS. Amanhã, estarão satisfeitos com a possibilidade de serem explorados em troca de algum dinheiro.

    Karl Marx, foi gênio genial por ter destrinchado os meandros desta relação capital x trabalho.

  9. Paulo Guedes :
    Segundo o MPF , este cidadão é suspeito de obter benefícios econômicos a partir de possíveis crimes de gestão temerária e fraudulenta de investimento de Fundos De Pensão.
    Segundo as investigações , o guru do presidente deixou prejuízos milionários aos aposentados da
    Funcef , Petros e Previ .
    Questionado , o presidente Jair Bolçonaro , pai do famoso Senador Flávio Bolsonaro disse não ter conhecimento sobre os fatos .
    Quando convidado a depor Perante o MPF, fez uso do mesmo modus operandi de Queiros , se debandou .
    Outra , até este instante , qual foi o projeto apresentando por estes cidadãos que ascenderam ao poder , que visa baixar juros ou taxar com os astronômicos lucros dos Bancos. Até este instante , todos projetos apresentado por este falacioso governo , são voltados à tirar direitos e cortar benefícios da sociedade, a empobrecendo ainda mais .

  10. Depor ou não perante o MP é uma opção de cada um. Resta ao MP denunciar e crer que a justiça acatará como réu o, como diz a mídia oficial, suposto meliante.

    Mas até agora, nadinha de pitibiriba.

  11. Sou aposentada, mas não abro mão do 13º. Só se os parlamentares abrissem mão de todas as mordomias, trabalhassem de 2ª a 6ª. 8 horas por dia. Tivesse trabalhando, não abriria mão das férias que é um periodo de descanso que o trabalhador merece por ter trabalhado 12 meses.

  12. ricardo miguel,

    Infelizmente o Brasil terá que importar arreios , antolhos e esporas. Como a produção nacional não estava preparada para a demanda, tal medida será inevitável. Tal medida ocasionará um desequilíbrio na balança comercial e tu , terás uma parcela de culpa.

    • Não terei problema em carregar esta culpa. Mais uma ou menos uma…

      Trabalhando desde formado em 1976 em engenharia civil pela UFRGS, já comi (e quem não?) o pão do diabo, continuo na ativa com 67 anos e, pasme, não requeri ainda minha aposentadoria pelo INSS.

      Parece uma insanidade, não?

      Meus filhos que moram na Alemanha há muitos anos, não se importam por não terem um 13º, mas tem as férias divididas em até 3 vezes ao ano. Mas não dá pra comparar, não é mesmo?

      Abraço.

  13. Acho, sim, que o 13º deveria ser revisto e incorporado ao salário do empregado…

    Mas, antes, uma coisa mais importante caberia:

    Acabar com a volumosa verba de gabinete e o elevado número de cargos que um senador/deputado/vereador tem “direito” e demais “penduricalhos” e gratificações que estes como outros agentes públicos, como ministros, juízes, desembargadores, promotores, procuradores, conselheiros de contas etc. recebem engordando seus rendimentos sem que signifique uma obrigação a mais em contraprestação.

    O que faz um promotor/juiz que deixa de atuar numa promotoria/vara para exercer uma função exclusivamente administrativa que justifique uma gratificação no salário por esta nova função?
    Exerce cumulativamente as duas funções? Não.
    Estão sujeito ao controle de ponto e as horas de atividade superam as 44 horas semanais a que estão sujeitos todos os trabalhadores? Não.

    Então, que vá o governo, antes, equilibrar todo o Estado, partindo da racionalização dos recursos de cima para baixo, e não o contrário.

    • Obs.: incorporar é diferente de abrir mão, como quer o ministro, que na verdade pretende mesmo compulsoriamente acabar com direitos do trabalhador.

  14. ricardo miguel ,
    mil desculpas , este comentário, não foi direcionado à sua pessoa . Na realidade, este comentário, foi direcionado para os capachos e servis comentarista pagos para defender o insano governo de Bolsonaro neste blog. Alias, este governo é um circo, repleto de palhaços malfeitores no picadeiro e um bando de espectadores insanos na plateia.

  15. Prezado Vicente,

    Em absoluto me senti no alvo.
    Contudo confesso que é deveras difícil escolher o executivo.

    Não escolho partido, mas sim pessoas, aquelas que me tocam e que oferecem segurança nas promessas ou que tem convergência naquilo que acredito.

    Podes imaginar que já acreditei em várias direções e todos os quadrantes, e agora acreditei em mais um (sou tenente da 2ª reserva…rsrs).

    Sou ateu, mas tenho fé – em tese – nas pessoas. E um enorme pé atrás com o paulo guedes (minúsculo, ele tem que provar que será maiúsculo!).

    Grande abraço.

  16. Senhor Pedro, longe de mim, confrontar comentários dos que aqui comparecem.

    Mas, na minha santa “ingnorância”, tenho quase convicção que esse cara será o primeiro a cair, neste governo.
    Ou cai ou vai ter que colocar o rabo dentre as pernas, e pisar com mais cuidado.

    Aguardemos…

  17. Direito de Opinião; não se pode pegar trechos de um projeto, ou fala, sem analizar todo um contexto; O ministro está certo no projeto da Reforma, compete aos nossos Parlamentares terem responsabilidade com nós o Povo; não adianta ter direitos mas não ter recusos, é utopia; A triste realidade é que temos 13 milhões de desempregados, 45 milhões na informalidade no micro empreendedor que já abriu mão de tudo isso ora criticado. O que precisamos é cair na real, cobrar de nossos parlamentares que abram mão das suas mordomias, se não der para postar aqui, em seguida posto o que os pilantras eleitos por nós não abrem mão. se abrir este Link, veja na minha visão o que tem que ser feito https://drive.google.com/drive/folders/1uTee_s0QJF9el2FM9JzxrM9KSkOa4eGv?fbclid=IwAR3xBbVe_pMxKsoNEZHbm_Jy69PUkIPLLhZsj1e9l2Vzf-Wwpor0J7LSf9M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *