Está difícil acreditar nas confissões do supertorturador Riscala Corbaje, que parece estar delirando…

Carlos Newton

No decorrer da vida, a gente vai se defrontando com todo tipo de desequilíbrios e deformações sociais. Mas é difícil encontrar alguém como o coronel reformado Riscala Corbaje, da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que se intitula “ex-chefe de equipe de interrogadores” do tristemente famoso DOI-CODI, o Destacamento de Operações de Informações do 1º Exército (DOI-I), na Rua Barão de Mesquita, no Rio de Janeiro.

Em três horas de depoimento voluntário ao grupo Justiça de Transição, do Ministério Público Federal, cego e doente, Riscala fez revelações estarrecedoras. Disse que, de 1970 a 1972, durante o auge da repressão política no país, as sessões de interrogatório no DOI-I chegaram a mobilizar 20 torturadores para cada preso. Explicou que a brutalidade servia para arrancar informação em menos de 48 horas, a tempo de fazer novas prisões.

“Era um massacre”, definiu o coronel reformado, que usava nos porões da ditadura o codinome “Nagib”. E fez questão de revelar que torturou pessoalmente cerca de 500 presos, nos quase dois anos que esteve no DOI-I, supliciando as vítimas de preferência no chamado pau-de-arara, conforme sua confissão.

MUITOS EXAGEROS

Jamais um suposto torturador contou tantas barbaridades espontaneamente, nunca se viu tamanha sinceridade, mas nenhum dos integrantes do grupo Justiça de Transição, do Ministério Público Federal, desconfiou de nada. Na pressa de divulgar a sensacional matéria, os repórteres de O Globo também não levantaram dúvidas sobre esse estranho e espetacular personagem. Não lembraram, por exemplo, que policiais militares tinham funções subalternas e nenhum deles jamais poderia ter sido “chefe da equipe de interrogadores” numa unidade do Exército.

Já houve dezenas de depoimentos de militares que participaram das torturas e assassinatos. E nenhum deles jamais mencionou esse fato de que “as sessões de interrogatório no DOI-I chegaram a mobilizar 20 torturadores para cada preso”, possibilidade que representa um verdadeiro absurdo, pois não há a menor necessidade dessa mobilização de torturadores em massa para supliciar apenas um preso, jamais se viu isso em nenhum país do mundo. Mas ninguém desconfiou dessas afirmações sensacionalistas do estranho depoente.

Também não causou espécie o relato de que, em menos de dois anos, o tenente PM Riscala Corbaje teria torturado cerca de 500 presos políticos numa unidade do Exército. Ninguém considerou exagerada essa declaração.

UM VELHO FACÍNORA

Traduzindo tudo isso: não há dúvida de que Riscala Corbaje foi torturador. Ele já era conhecido, porque algumas vítimas já o tinham denunciado, como Cecília Coimbra, do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ, que é professora de Psicologia da Universidade Federal Fluminense.

Mas agora, cego e doente, perto de prestar contas ao Criador, tudo indica que o velho facínora resolveu revelar o que fez e também o que não fez. Só faltou confessar ter torturado Dana de Teffé, Aída Cury e Gregório Fortunato. É preciso filtrar um pouco esse tipo de depoente voluntário.

 

9 thoughts on “Está difícil acreditar nas confissões do supertorturador Riscala Corbaje, que parece estar delirando…

  1. Caro CN … confissão
    … … …
    Reencarnação ou Ressurreição
    … … …
    Carma ou Perdão
    … … …
    No Cristianismo temos Jesus como Sacerdote, Altar e Cordeiro … E o confessor???

  2. Estimado CN … Se apresentando a Batista para ser batizado, temos
    1 – Batista diz que ele é que devia ser batizado
    2 – Jesus diz que por enquanto seria assim, cumprindo toda a Justiça.
    3 – Batista então batiza Jesus.
    … … …
    E o por enquanto terminou quando? Visto que Jesus nunca teve pecado crime malfeito a confessar?
    … … …
    Cadê o confessor??? ??? ???

  3. Certamente algum caseiro, desempregado, fará o serviço final, observando os mandamentos do Manual de Guerrilha, do torturador, assassino e terrorista C. Marighela.
    Por que não há preocupação em convidar, para prestar depoimento/esclarecimento voluntário, o mais violento carniceiro comunista – verdadeiro democrata – que atuou criminosamente na tentativa de subjugar o povo brasileiro, impondo o totalitarismo vermelho, como regime de governo? Refiro-me ao DIÓGENES DO PT, radicado confortavelmente na bela Porto Alegre.
    É constrangedor verificar que a Comissão da (in)Verdade só consiga depoimentos voluntários de “agentes torturadores” em declínio mental e físico.
    KOMISSÁRIOS, vamos ouvir a Dilma Vânia Estela Roussef? Os pais ou familiares do Soldado do Exército KOSELL e do Tenente da PM MENDES? Ou, quem sabe, os familiares dos “cumpanhêros” justiçados pelas próprias organizações terroristas/guerrilheiras a que pertenciam, em seus esconderijos fétidos?
    Lembro que a Anistia foi proposição apresentada pelos vencidos comunistas em 1964. O Regime Militar adicionou – e foi aprovado – os termos TOTAL e IRRESTRITA.
    Quando a Lei servirá para os assassinos e torturadores de mais de 120 vítimas fatais, quando da tentativa de implantar o golpe comunista no Brasil?
    Só falta os komissários convocarem torturadores cegos, surdos e mudos. Não é apenas filtragem que falta: credibilidade dos inquisidores também.

  4. Prezado CN … se despedindo na Ceia, Jesus consola anunciando que enviará o Espírito da VERDADE, que convencerá o mundo sobre pecado juízo justiça … Pecado do Mundo confessado foi … ??? !!!

  5. Newton, tens razão em duvidar do depoimento do Coronel PM Riscala Corbaje. Quase sempre as pessoas que se prestam para o infame papel de torturadores, são psicopatas e se vangloriam, exagerando e fantasiando o que fizeram. É sabido porém, que o DOI-CODI, CENIMAR e CISA, convocaram delegados, PMs e Bombeiros de diversas patentes e graduações, para o infame papel de interrogadores, carrascos e outros serviços sujos como ocultação de cadáveres. Veja o caso Rubem Paiva que está há muito tempo na mídia, e agora são denunciados cinco oficiais como seus torturadores e assassinos. Não tenho como acreditar que esses militares tenham chegado a torturar Rubem Paiva. Rubem foi entregue no DOI-CODI agonizante, tinha sido barbaramente espancado pelo brigadeiro Burnier na 3ª Zona Aérea. Tanto é assim que noticiaram a farsa que Rubem tinha sido sequestrado. Aparece muitos anos depois um oficial dizendo que foi no Alto da Boa Vista, o que não deixa de ser uma bruta mentira. O Alto da Boa Vista fica a um quilomento e meio do DOI-CODI da Barão de Mesquita. Obrigatoriamente teriam que passar primeiro no DOI-CODI. Sem esquecermos que no Alto da Boa Vista tinha a “famosa” Delagacia da Alto da Boa Vista que servia de prisão para acusados de subversão. Só como exemplo: Lá ficou até “fugir” o tristemente famoso “cabo Anselmo”. Ali no Alto da Boa Vista é que foi entregue o cadáver de Rubem Paiva para ser ocultado. Eu escrevi para um senador dando o nome do delegado que comandava aquela delegacia, dizendo que bem interrogado poderia esclarecer o destino do cadáver de Rubem. O senador retornou dizendo mandara minha carta para Polícia Federal?. Escrevi porque ele em entrevista dissera que tinha interesse em descobrir o destino do corpo de Rubens. Depois disso escrevi para Cládio Fonteles que não demorou saiu da presidência da Comissão da Verdade. Não me propus a prestar depoimento e nem dei informação ou informe. Relatei como cheguei a entender de que o sendero que poderia chegar ao cadáver de Rubens poderia começar no delegado que chefiava a delegacia do Alto da Boa Vista. Fiquei quinze anos hesitando em escrever pensando em minha segurança e de minha família. É uma situação muito problemática, mas agora está feito. Mesmo que a Comissão chegue a outra conclusão eu particularmente acho que é uma farsa.

    • Esse Aquino pelo visto sabe muito mais do que isso. Será que sabe também das atrocidades praticadas pelos guerrilheiros. Se souber, solte o verbo que interessa também para a História do Brasil.

  6. Alvin Sil, por mais fechado que seja um regime, sempre escapa alguma coisa revelada pelos próprios atores das atrocidades, sejam militares ou não. Cabe a quem sabe ou ouve por interpostas pessoas e se interessa como é meu caso, ficar atento para no decorrer do tempo formar um juizo dos acontecimentes que, se bem aproveitados podem chegar a uma conclusão muito próxima da verdade. Documentos, fotografias, gravações eu não tenho. Acreditar ou não no que escrevo para mim não faz diferença. Uma coisa te digo: eu não invento nada. Posso até pintar o pavão com cores diferentes, mas o pavão existe. Quanto aos guerrilheiros, tenho muito mais conhecimento dos “falsos guerrilheiros” que desfilam na passarela da fama política”. Estão aí falando coisas que nunca fizeram. Quase todos cooptados(comprados) pelos militares. Uma perguntinha ingênua: Você acredita que Dirceu foi guerrilheiro? Cláudio Fonteles, insuspeito diz: Dos vinte e seis guerrilheiros que voltaram de Cuba vinte e três foram mortos pelos militares. Sem dúvida tinha entre eles um delator. Dirceu esteve em Cuba e não foi morto. É chato falar isso. não é? Mas é a pura verdade. Os militares podem ter sido tudo, menos burros. Todos os movimentos guerrilheiros ou de contestação ao regime, tanto no Brasil como no exterior, foram infiltrados por gente cooptada. Tenho 82 anos, o suficiente para saber de muita coisa acontecida no “período revolucionário de 1964” que até hoje nunca foi falada ou ventilada por ninguém.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *