Esta diplomacia irresponsável ameaça colocar o Brasil no roteiro do terrorismo islâmico

Resultado de imagem para mourao

Mourão não concorda com o posicionamento hostil ao Irã

Carlos Newton

Na gestão do chanceler Ernesto Araújo, o Ministério das Relações Exteriores vive uma fase de altíssima irresponsabilidade, com o Brasil voluntariamente se transformando em país-satélite dos Estados Unidos, sem que haja qualquer consequência benéfica, conforme já ficou claro nas posições do presidente americano Donald Trump.

Ao invés de dar reciprocidade e apoiar interesses do Brasil, que tenta se filiar à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, Trump fez exatamente o contrário, preferindo recomendar o ingresso da Argentina e da Romênia. Além disso, costuma ameaçar com sobretaxas as exportações brasileiras, sem dar qualquer satisfação a Bolsonaro.

NOTA DO ITAMARATY – Sobre o ataque que matou o general iraniano Qassim Suleimani, o Itamaraty emitiu uma nota oficial que exibe despudoradamente a submissão do governo brasileiro aos Estados Unidos.

“Ao tomar conhecimento das ações conduzidas pelos EUA nos últimos dias no Iraque, o governo brasileiro manifesta seu apoio à luta contra o flagelo do terrorismo e reitera que essa luta requer a cooperação de toda a comunidade internacional sem que se busque qualquer justificativa ou relativização para o terrorismo”, afirmou o Itamaraty nesta sexta-feira, classificando o Irã como uma de sedes do terrorismo islâmico, sem lembrar que se trata de um país amigo, parceiro comercial do Brasil.

O presidente Jair Bolsonaro também criticou abertamente o Irã, ao destacar que “países que dão cobertura a terroristas ficam cada vez mais para trás”.

BOLSONARO CONFIRMA – Sem entender que a melhor política externa é defender os interesses do Brasil, o presidente Jair Bolsonaro se precipitou e deu inacreditáveis declarações contra o Irã, chegando a afirmar que o general iraniano Qassim Suleimani foi responsável pelo atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA), que deixou 85 mortos em 1994.

“Do que levantamos até agora da vida pregressa dessa autoridade iraniana que perdeu a vida no dia de ontem, segundo informações aqui, pessoa que estaria envolvida em ataques à entidade judia que existia na Argentina”, disse sobre a carreira militar de Suleimani, considerado o maior herói do Irã, na atualidade.

MAIS BOBAGENS… – Bolsonaro falou bobagens, porque jamais ficou provado que o Irã tivesse sido responsável pelo atentado, porque naquela época o governo de Teerã estava negociando com a Argentina o prosseguimento de  importantes acordos de cooperação nuclear. Em função do atentado, houve pressão dos Estados Unidos e os acordos foram cancelados.

Em entrevista à Rede Bandeirantes, Bolsonaro defendeu o presidente americano, Donald Trump. “Acho que o Trump não está fazendo campanha política em cima disso, não. Quando o Bin Laden deixou de existir se aventou essa possibilidade, mas o americano tem uma linha muito séria no tocante ao combate ao terrorismo”, disse, infantilmente.

SURGE UMA PERGUNTA – A quem interessa esse tipo de posicionamento oficial do governo brasileiro? Na verdade, não interessa a ninguém, porque abala as relações brasileiras com o Irã e outros países árabes que importam produtos brasileiros. Aliás, essa atitude do governo brasileiro – bajuladora, vergonhosa e servil – não interessa nem mesmo aos Estados Unidos, pois Trump está pouco ligando para o Brasil, o objetivo dele é agradar aos eleitores norte-americanos e ponto final.

O pior de tudo, conforme o vice-presidente Hamilton Aragão alertou quando Bolsonaro e o Itamaraty passaram a prestigiar Israel e hostilizar os palestinos, é que essa política diplomática irresponsável ameaça incluir o Brasil no roteiro do terrorismo islâmico, uma possibilidade que jamais existiu de fato, em função da tradição de não-alinhamento do Itamaraty, desde a independência do país.

###
P.S. –
Como se vê, ao invés de calçar as luvas da diplomacia, Bolsonaro prefere as ferraduras da cavalaria. É uma rima rica, mas nunca será uma solução proveitosa. (C.N.)

15 thoughts on “Esta diplomacia irresponsável ameaça colocar o Brasil no roteiro do terrorismo islâmico

  1. Bom dia , leitores (as):

    Senhor Carlos Newton , esqueceu-se de mencionar que os Estados Unidos , Israel , Inglaterra e os países integrantes OTAN , são os verdadeiros país e patrocinadores do ” TERRORISMO INTERNACIONAL ” , que teve origem no ” TERRORISMO DE ESTADO ” , que infelizmente o Presidente Jair Bolsonaro e seus comparsas tanto se empenham em envolver o Brasil .

  2. Temos entonces carpideiras do general iraniano abatido.
    O míssil que explodiu o cara foi visto pelo porteiro do condomínio onde mora o Bolsonaro.
    O bom jornalismo é aquele que mete a ripa na cacunda do Trump, assassino de generais, e de Bolsonaro assassino de Marielle.
    Devemos ter cuidado com nossos desejos, vai que eles se realizem…
    A simpatia pelos regimes muçulmanos mostrado pela mídia pode ter o efeito bumerangue, estabelecido o califado grandes expurgos podem entrar na ordem do dia ditado pelo profeta Maomé.
    A jihad islâmica poderia colocar em extinção a terceira via sexual, hehehe, imagino a cara dos aiatolás vendo uma marcha gay no Brasil com mais de milhão desfilando em Copacabana.
    Quanto aos ímpios, os infiéis, ao redor do mundo a adaga sarracena se encarregaria de degolar para honra e glória de Alláh.
    Mas, por incrível que pareça, tem gente que aprova essa redução populacional.
    O saldo medido em cadáveres deixados como legado por Hitler, Stalin, Mao, Pol Pot e Fidel seria um mero abate de frangos perto da solução final a que se propõe a jihad islâmica e o califado.
    Viva o defunto do general persa da corte do rei Xerxes e matem logo esse Trump e de gorjeta o Bolsonaro

      • Marcos,

        Já viste algum árabe debochar, tripudiar, ironizar quem professa outras religiões?
        Até hoje não vi nada!

        Então por que os idiotas e imbecis malham o Profeta Maomé?
        Che, os caras são muito mais fiéis do que qualquer outro crente que existe no mundo.
        Se queres ver um árabe louco da vida é mexer com Maomé ou Alá, o Deus, que é também o do cristão e judeu.

        Logo, o assassinato de 13 pessoas na sede da revista Charlie Hebdo foi pelas ofensas ao Islã.

        Certo ou errado, a falta de respeito gera em cada pessoa reações diferentes.
        Certamente os chargistas da revista francesa deveriam saber desse detalhe.
        Caso quiseram provocar a ira dos árabes, pagaram com a própria vida o desafio, lamentavelmente.

  3. Os protestantes que acreditam que esse estado de israel e Israel da biblia ja podem comecar a se alistsrem e vao derramar o sangue devvoces la, longe daqui. Para quem nao e protesta, criaremos um modo de nao nos envolverem nessa palhacada, pois essa briga nao e nossa. Que morram os protestas.

  4. Esse artigo merecia estar em primeira página da mídia.
    Toda ação tem gera reação. Os países mais fracos, que não têm condições de uma luta igual com o poderio militar americano acabam apelando para o terrorismo, por isso, os EUA é o mais visado pelos terroristas. Os países que não invadem, nem apoiam o país invasor, não sofrem retaliação dos terroristas.
    O Brasil com Bolsonaro e Ernesto Araujo pode entrar no rol dos terroristas.
    Se a subserviência desavergonhada do governo brasileiro aos EUA com essa política de direita radical continuar durante 4 anos e quiça mais 4 anos, o Brasil pode se transformar numa colônia americana.

  5. JCS disse bem, mas o cara e o seu ministro das relações exteriores parecem adorar meter as ferraduras pelos pés. O correto não é este , mas não iria perder mais uma oportunidade de zoar com esta dupla de asnos.

  6. Boa noite , leitores (as):

    Senhor Francisco Bendl , esquecestes de mencionar que os ditos ” CRISTÕES ” da sociedade ocidental , são ” PERMISSIVOS , DEGENERADOS ,SANGUINÁRIOS , CORRUPTOS , MÁ INDOLE , MAL CARATER .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *