Estabilidade institucional, sim, mas quanta encrenca!

Resultado de imagem para fora temer

Na oposição a Temer, o PT usa argumentos basicamente teatrais

Percival Puggina

Quem diria, não? Nosso país acaba de proporcionar a nós mesmos e ao mundo uma clara demonstração de que alcançamos estabilidade institucional em um cenário antagônico a isso. Reflitamos. O governo da República foi afetado por profunda crise moral. Os abracadabras e confessionários da operação Lava Jato labutam para elucidar e resgatar, de um sem-número de grutas, os bilhões entesourados pela quadrilha que operou no poder.

O segundo mandato presidencial de Dilma Rousseff nasceu maculado por mistificações, pela publicidade enganosa, pela ocultação da verdade sobre a situação do país aos eleitores e às instituições (causa final do crime de responsabilidade).

As investigações promovidas a partir de Curitiba trouxeram à luz, adicionalmente, gravíssima denúncia sobre a origem de recursos usados na campanha vitoriosa em 2014. O país entrou em insólita recessão, com efeitos dramáticos na economia, nos empregos, na renda e na adimplência das famílias. A inflação galgou dois dígitos. A população, aos milhões, nas ruas e praças, conclamou as instituições a cumprirem seu dever.

DIVERSIONISMO – A estratégia de transformar o processo de impeachment numa jogada do senhor Eduardo Cunha é manobra diversionista que, em vão, tenta escamotear milhões de pessoas na Paulista, no Parcão, em Copacabana, na Praça da Liberdade e em centenas de outros pontos de concentração, gerando imagens de empolgante beleza plástica e energia cívica.

Ao apontar suas baterias contra Cunha, o governo findo tentou dissimular o clamor popular da mesma forma que, em suas manifestações dos últimos meses, omitiu qualquer referência aos milhões de desempregados, às empresas que fecharam suas portas, a tantos sonhos destruídos.

Incontáveis vezes, desde que a crise não mais pode ser ocultada, o governo e os que por ele falavam, mirando a própria cavidade umbilical, queixavam-se da queda da arrecadação federal e da falta de dinheiro para as despesas do governo. E nada era dito sobre a receita das famílias e das empresas, exauridas por uma crise pela qual não precisavam estar passando.

ECONOMIA MUNDIAL – Apesar da queda do crescimento chinês, a economia mundial tem se expandido na ordem de 2,5% em média, desde 2012 (data.worldbank.org) e deve ficar em 3% positivos neste ano. Mais uma vez, as coisas não são como a ex-presidente falou ao Senado e à nação. O desempenho negativo da economia brasileira é o segundo pior no cenário mundial.

Num procedimento minucioso e constitucional, as instituições brasileiras agiram, até a undécima hora, com autonomia e correção. Nada expõe mais nitidamente a ausência de ânimo golpista do que o acolhimento, também com maturidade política, de três consecutivas vitórias petistas nas eleições presidenciais anteriores.

O PT não teria tolerado três derrotas sucessivas sem reproduzir a enxurrada de requerimentos de impeachment que lançou contra seus antecessores na presidência. O caldo entornou em 2014 pelas razões elencadas acima.

FORAM 17 MESES… – Entre o povo na ruas, dando origem aos primeiros requerimentos de impeachment, e o 31 de agosto de 2016, transcorreram 17 meses! Entre o 2 de dezembro de 2015 (data em que foi despachado um dos requerimentos de impeachment) e o juízo definitivo do Senado, foram nove meses.

Permanentemente escaneado pelo STF, acompanhado ao vivo pela nação, cumprindo rito constitucional e legal, procedeu-se uma sequência que pareceu inesgotável de votações e escrutínios. E na undécima hora, contudo – solitária irregularidade! -, foi aprovado o escandaloso fatiamento da pena. Numa solicitação de quem? Do PT.

8 thoughts on “Estabilidade institucional, sim, mas quanta encrenca!

  1. Senhores,

    O Brasil é um exemplo de um PAÍS SEM JUSTIÇA ante o mundo evoluído! Aqui o bandido se gaba por ser bandido… pois sabe que tem um amigo do STF para passar a mão da cabeça dele…

    Vejam esta reportagem:

    “A filha de Joaquim Roriz entregou a gravação à Procuradoria-Geral da República, por conta da vinculação com a Lava-Jato. No momento da conversa, Estevão era aliado político de Liliane e comandava o PRTB, partido pelo qual ela chegou à Câmara Legislativa.
    Com essa liberdade para falar abertamente com Liliane, o empresário se auto-intitula o “único bandido diplomado de Brasília”. Ele se referia ao fato de estar cumprindo pena em regime semi-aberto e ter condenações que somavam mais de 30 anos de prisão. Estevão diz que, em Brasília, “de cada 100 caras, 90 são bandidos”. “VIVEM DE BANDIDAGEM, PUTARIA E SACANAGEM. Vivem roubando, tomando dinheiro, cobrando comissão, entendeu? Fazendo negócio fajuto com o governo local, com o governo federal. Agora, o que acontece? Todo mundo é santo. A cidade só tem um bandido que é conhecido, com diploma pregado na parede. Quem é o único bandido diplomado de Brasília? Diga, pode falar o que o seu sorriso tá dizendo”, disse Luiz Estevão à deputada. “Pode dizer, quem é? É Luiz Estevão”, admitiu o ex-senador.”
    “Num dos trechos mais contundentes da conversa, Estevão dá a entender que os recursos usados na campanha de Liliane, doados pela UTC Engenharia, saíram de extorsões lideradas pelo ex-senador Gim Argello, pela condição de vice-presidente da CPI da Petrobras.”

    Artigo completo:
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/09/07/interna_cidadesdf,547629/conversa-entre-estevao-e-liliane-roriz-conecta-utigate-a-lava-jato.shtml

  2. “As investigações promovidas a partir de Curitiba trouxeram à luz, adicionalmente, gravíssima denúncia sobre a origem de recursos usados na campanha vitoriosa em 2014. ”

    Sr. Puggina,

    Recursos usados também na campanha do derrotado Efeagaécio Nevers, com milhares de denúncias gravissimas do dinheiro público pelo Partideco da Rainha Francesa Dona fernandetta henriquetta I,II.
    Todas as Empreiteiras faziam o “Duplo” investimentos em seus dois Partidecos, PT E PSDB,
    Efeágaecio Nevers é o campeão de denúncia, ao ponto de um Delator-Ladrão dizer que uma parte das propinas era para o Nacional, uma parte para São Paulo do Efeagaécio alckimini e a outra parte ia direto para os cofres do Efeagaecio Nevers.
    Fora várias outras denúncias de corrupção envolvendo outras celebridades do Partideco do Efeagáecio,..
    Parece que o dinheiro é o mesmo, vem da mesma conta tanto das Empreiteiras como dos Cofres Públicos, só o sentido das corrupções são diferentes……..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *