Estadistas dos EUA

João da Bahia: “O senhor escreveu que os EUA, em 222 anos de República, só tiveram 4 estadistas. Acredito que sejam George Washington, Abraham Lincoln, Franklin Delano Roosevelt. Não imagino qual seria o quarto. Seria o Thomas Jefferson? O senhor considera John F. Kennedy um estadista?”

Comentário de Helio Fernandes:
Por tudo que você tem publicado neste blog, mais uma demonstração de cultura e conhecimento. Mesmo no quarto estadista, sobre o qual você confessou que não tinha certeza, valeu digamos a intuição. Pela ordem de entrada em cena, sem qualquer predileção ou revelação de valor, a prioridade no tempo, apenas no tempo, seria a seguinte:

George Washington – Foi o comandante das tropas que derrotaram a Inglaterra, era chamado normalmente de “General” Washington. Durante 5 anos, de 1776 a 1781, quando os ingleses se renderam, foi absoluto. Primeiro presidente da República (eleito pelo voto direto, o indireto foi o grande erro da nossa República), governou de 1789 a 1797, 8 anos, não quis mais, se retirou para a fazenda.

Thomas Jefferson – Dos quatro estadistas, foi o segundo a ser eleito. Mas tinha enorme projeção e prestígio nas conspirações da então província da Filadélfia. Foi quem redigiu a “Declaração da Independência”, lida em 4 de julho de 1776, que ficou sendo a comemoração da Libertação, que só ocorreria em 1781.

A “Declaração da Independência”, mais tarde seria consagrada por intelectuais, historiadores e políticos, “como o que de melhor já se escreveu em língua inglesa”. (Todos concluindo: “Ressalvado naturalmente Shakespeare”).

Foi presidente de 1800 a 1808, eleito na primeira cisão do Partido Federalista. O Partido Democrata só seria fundado em 1829, 40 anos depois da eleição de Washington e Jefferson.

Abraham Lincoln – Para muitos o mito, ídolo e tido com a maior figura da História americana, presidente em 1860, bem distante da fundação da República. Governou 4 anos na Guerra Histórica, até 1864, reeleito.

Quando completava 1 mês do segundo mandato, com a mulher Mary Todd (extraordinária e polêmica) foi ao Teatro Ford, assassinado. Considerava que os dois partidos, Democrata e Republicano (o seu), estavam ultrapassados, queria fundar o terceiro. Por isso, escolheu para vice o governador do Tennessee, Andrew Johnson, Democrata, que assumiria em 1865. Não conseguiram por causa da mais longa e importante Guerra Civil de todos os tempos. Qualquer que seja a avaliação feita sobre ele, é um estadista puro, verdadeiro, o que não desmerece os outros. Mas ninguém teve que enfrentar as opções que Lincoln enfrentou. (Quando assumiu a presidência, apenas três países mantinham a escravidão: EUA, Cuba e Brasil).

Franklin Roosevelt – Política, econômica e administrativamente, foi quem assumiu nas piores condições. Em 1929 quando começou a GRANDE DEPRESSÃO, era governador de Nova Iorque, presidente o incompetente Hoover, que não fez coisa alguma.

Eleito em 32, 36, 40 e 44, foi presidente PÓS-DEPRESSÃO e PRÉ-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. No primeiro mandato, criou o New Deal, fator de recuperação completa. A partir do segundo e terceiro mandato, criou condições para possibilitar a união que se chamou de ALIADOS, tendo Churchill contra, que não admitia de forma alguma se encontrar e conversar com Stalin.

Numa injustiça de Deus, morreu com 61 anos, 1 mês antes de acabar a Segunda Guerra Mundial. Sem ele, não haveria a união dos Aliados, Hitler teria derrotado, mas demoraria mais tempo. (O mundo não poderia viver e se submeter ao proclamado “Reich dos Mil Anos”).

Em 1952, por causa dos 4 mandatos de Roosevelt, o Partido Democrata e o Republicano se uniram, e aprovaram a emenda constitucional número 24, restringindo os mandatos presidenciais a 8 anos, 2 mandatos, uma eleição e uma reeleição. Depois, mais nada.

Foi a grande renovação, (que defendo para o Brasil há muitos e chamo de RENOVOLUÇÃO). Obama, qualquer que seja a trajetória do seu governo, é consequência dos 4 mandatos de Roosevelt, e a modificação eleitoral certa e garantida.

***

PS – John Kennedy está longe, mas bem longe da comparação com os outros quatro, não é estadista, teve projeção apenas na mídia “socialaite” da época. Começou muito mal, perdendo a invasão da Baía dos Porcos, contra Cuba.

PS2 – Venceu Nixon por diferença mínima,  usando o dinheiro do pai (que fez fortuna contrabandeando bebida para a Europa) e o apoio da máfia, ligadíssima ao pai.

PS3 – Tinha boa formação intelectual, fez brilhante curso de jornalismo.

PS4 – O irmão Ted, que se elegeu senador aos 30 anos, teria sido muito melhor presidente. Teve a infelicidade do desastre de carro, a indecisão, catastrófica, do não socorro.

PS5 – O outro irmão, Robert, que ganhou em 1968 a convenção do Partido Democrata, incógnita. Basta dizer que logo depois de formado, foi assessor de Joseph McCarthy, (criador do “macartismo”), uma das mais tristes épocas da democracia dos EUA.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *