Estratégia de Temer na sucessão do STF pode ter sido ‘cilada’ para Cármen Lúcia

Resultado de imagem para carmen lucia charges

Temer deixou toda a responsabilidade com Cármen Lúcia

Paulo Gama
Folha

A tentativa do presidente Michel Temer de não melindrar a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, na escolha do sucessor de Teori Zavascki já é questionada no tribunal. Ao optar por fazer sua indicação só depois da definição do novo relator da Lava Jato, o presidente acabou por criar uma “cilada” para a ministra, que demonstrou estar próxima do “limite do esgotamento”, observam pessoas envolvidas nas negociações. Cármen dedicou os últimos dias à costura de um consenso em torno da operação.

E o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cardeal Sergio da Rocha, enviou carta a Temer recomendando a indicação de Ives Gandra Martins Filho para o STF. Os arcebispos dom Odilo Scherer e dom Orani Tempesta também manifestaram apoio ao jurista.

No texto, Rocha diz que “a população brasileira, majoritariamente cristã”, encontrará em Gandra Filho “um referencial seguro para a interpretação e a aplicação da Constituição, assegurando os direitos fundamentais da pessoa humana”.

E Alexandre de Moraes segue “firme no páreo” para a vaga na corte, diz um aliado próximo de Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Boa colocação do jornalista Paulo Gama, da coluna “Painel” da Folha. O presidente Temer deixou o abacaxi com Cármen Lúcia porque, entre os quatro ministros restantes da Segunda Turma, três são contra a Lava Jato (Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes). E Celso de Mello é frontalmente contra a prisão de condenado em segunda instância, que é um dos principais pontos de apoio do processo de moralização iniciado pela Lava Jato. Portanto, a favor da Lava Jato só sobra o ministro Edson Fachin, que completará a Segunda Turma no lugar de Teori Zavascki. Como se vê, as chances de a Lava Jato sofrer resistência do novo relator são muito altas, do jeito que Temer e os caciques da política precisam, porque praticamente todos estão envolvidos na Lava Jato. (C.N.)

23 thoughts on “Estratégia de Temer na sucessão do STF pode ter sido ‘cilada’ para Cármen Lúcia

  1. Desobediência Civil já ! Vamos consumir o mínimo possível , pararmos de pagar todos os impostos , taxas, carnes, contas, etc possíveis, pois dívida não é crime.
    Vamos retirar o dinheiro dos bancos e comprarmos ouro físico e nunca entrarmos em fundos de investimentos fajutos, que prometem milagres, muito menos no conto do vigário da previdência privada !
    Essa horda que vá roubar sozinha !

  2. Como sempe a Igreja Católica se metendo na política, Deus vê tudo e acham que fazem bem ao povo, a função da igreja é levar a palavra de Deus e não interferir na política como sempre na história a Igreja Católica fez, quanto mais indicando este ministro do TST, já sabemos a posição dele.

  3. Qualquer um que o Temer indicasse iria ficar visado na relatoria e haveria desgastes.Deixando a indicação da relatoria para a presidente do STF, ele ficará a vontade para escolher aquele que lhe interessa, com menos desgastes. Temer sabia que na referida turma, qualquer um que fosse indicado, seria bom, talvez com exceção de um.

  4. Em alguns momentos na política, as pedras estão todas marcadas. Assim, não importando a jogada, os mesmos vencerão.
    Política, do jeito que é feita, não é lugar para crianças, inocentes ou tolos. Todos eles são usados e perdem, sempre.
    Acredito que qualquer um salvará o seu rabo e colocará nos daqueles que estão sob os holofotes.
    Uma parcela da sociedade voltará às ruas se algum deles “mijar para trás”.
    O resto, é conversa de bêbado.
    Fallavena

  5. Não sou jornalista, não tenho curso superior, não sou conhecido sequer na minha cidade, quanto mais pelo meu RS e Brasil!

    Dito isso, o artigo em tela NÃO É ORIGINAL!

    Não vou acusá-lo de plágio, evidentemente, mas posso dizer que o elogiado articulista pelo nosso Mediador, Carlos Newton, decididamente não merecia as loas publicadas!

    No dia 21 de janeiro, portanto, dez dias antes, EU, FRANCISCO BENDL, postei neste blog incomparável o seguinte comentário, postado na página cujo título é:
    Temer está tranquilo, porque o novo relator será mais “compreensivo” do que Teori, da lavra de Carlos Newton.

    Francisco Bendl
    janeiro 21, 2017 at 5:32 am

    A morte do ministro Teori Zavascki veio a calhar para os parlamentares e membros do Executivo denunciados na Lava-Jato.

    As manobras que faziam para se livrar do processo eram tão explícitas que não era mais necessário a confissão, pois o comportamento do criminoso bastava para comprovar a sua participação.

    Pois agora estamos diante da escolha de um novo ministro, que não será o Relator, haja vista que os processos de Teori vão ser distribuídos aos ministros da Corte, surgindo a possibilidade de o Revisor, o decano Celso de Mello, vir a ser este responsável, e o novo membro da Alta Corte não ter a atribuição tão pesada que lhe caberia naturalmente.

    No entanto, Temer pode ter feito uma jogada de mestre, ao decidir que a presidente do STF faça o que achar melhor com os processos que eram do Teori, no caso distribuí-los, porém a escolha do ministro poderá ser nos moldes de um Tofoli, alguém intimamente ligado ao presidente e ao PMDB, havendo mais um juiz com tendência política no Supremo, que poderá auxiliar os envolvidos na Lava-Jato a não terem nas condenações penas severas, nos mesmos moldes do mensalão, onde a injustiça foi clamorosa com quem não era do PT ou parlamentar ou político!

    Livre da pressão sobre quem seria o escolhido e depois sabatinado pelo Senado, onde quase a metade está envolvida na operação, Temer se livra de um pepino gigantesco, em princípio, mas prepara o terreno para anunciar um nome que vai ao encontro do que precisa, ou seja, aliviar as possíveis condenações dos envolvidos havendo um ministro “compreensivo” e amigo do Planalto!

    RATIFIQUEI O QUE ESCREVI, no dia 26 de janeiro de 2017, ao publicar o seguinte texto:

    Francisco Bendl
    janeiro 26, 2017 at 8:38 am

    Tô dizendo, tô dizendo …

    Temer jogou com o STF quando entregou à ministra Cármen Lúcia a decisão da Relatoria da Lava-Jato.

    No entanto, escolheria um ministro que estivesse poderosamente ligado a ele e ao PMDB.

    Nesse seu “direito” de decidir quem será o aliado na Alta Corte, Temer demorará o tempo que tiver à disposição para complicar a lava-Jato!

    E ainda temos de chamar esses ladrões de “excelências”!

    DESTA FORMA, PLEITEIO O MEU DIREITO de ser o comentarista que observou e denunciou esta estratégia do Planalto MUITO ANTES DE O CONSAGRADO PROFISSIONAL DA COMUNICAÇÃO, Paulo Gama, escrever o artigo em tela.

    Agradeço antecipadamente ao Mediador as providências que fará em nome da Justiça, e de constatar que seus mais simples e humildes colaboradores estão atentos às manobras palacianas, cujos textos postados posteriormente às observações feitas e registradas neste espaço democrático são corroboradas por jornalistas de renome ou, possivelmente, utilizam pessoas insignificantes, porém com boas ideias, para depois darem a devida embalagem e assinarem seus tópicos como se fossem legítimos, algo inaceitável, a meu ver!

  6. Não se faz justiça ao Ministro Lewandovsky quando o acusam de ser contrário à Lavajato. Não se pode confundir ser um juiz garantista, isto é, defensor da Constituição q, aliás, todos deveriam ser, com ser um juiz psdbista. É notório o abismo existente entre o comportamento e o caráter dos ministros Lewandovsky e Gilmar! Gilmar apoiou a Lavajato até que a operação fulminasse o governo Dilma e o PT. Agora, na medida em q a operação avança sobre os eternos e principais meliantes da república, pmdbistas e psdbistas, a fina flor da representação da carcomida elite nacional, o Gilmar coloca-se em sua conhecida posição de defesa dos seus comparsas. portanto, respeitem o Ministro Lewandovsky!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *