Estratégia do Planalto é guerra de extermínio contra Janot, Fachin e Joesley

Janot e Fachin se divertem com o plano do Planalto

Carlos Newton

Desde o vazamento da gravação feita pelo empresário Joesley Batista, o clima no Planalto é de desespero e o chamado “núcleo duro” decidiu abrir uma guerra de extermínio contra o procurador-geral da República Rodrigo Janot, o ministro-relator da Lava Jato, Edson Fachin, e o grupo empresarial JBS. A estratégia bélica é traçada pelo presidente Michel Temer em conjunto com os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil), com apoio dos ministros Torquato Jardim (Justiça), Raul Jungmann (Defesa) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

O outro ministro que também participa das reuniões é Antonio Imbassahy, mas não é considerado do núcleo, porque sua missão principal é evitar que o PSDB saia do governo.

CAMPANHAS – Foram desfechadas três campanhas simultâneas, que envolvem notícias plantadas na grande mídia e espalhadas pela internet, através dos blogues e sites ainda simpáticos ao governo. O objetivo é desconstruir Janot, Fachin e Joesley, mesmo que seja necessário liquidar a JBS, o maior grupo empresarial do mundo em proteína animal, que tem o BNDES como um dos principais sócios. No caso de Joesley, o governo já soltou a Receita Federal, a Comissão de Valores Mobiliários e o Congresso (CPI) contra a JBS.

A matéria de capa da IstoÉ, lançada estrategicamente na quarta-feira passada, foi uma das peças de resistência para minar a credibilidade de Janot e Fachin, mas não teve maior repercussão devido à entrevista de Joesley Batista à revista Época, que funcionou como uma resposta à IstoÉ.

NÚCLEO DURO – A nomeação de Torquato Jardim para o ministério da Justiça reforçou o grupo de “advogados de Temer” para enfrentar a crise política, que continua a se agravar.

De fora do governo, o presidente conta o apoio do criminalista Mariz de Oliveira, advogado e amigo, do ministro aposentado Carlos Velloso, ex-presidente do Supremo, e dos atuais ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, todos eles seus amigos pessoais, além do advogado Gustavo Guedes, que defendeu o presidente nos processos do TSE e agora atua no Supremo, onde a decisão é contestada.

VÊM AÍ AS PROVAS – O problema maior da estratégia de defesa do presidente Temer é desconhecer o arsenal bélico dos adversários. O fato é que Janot e Fachin são cautelosos e não exibem todas as suas armas. A denúncia a ser apresentada contra Temer ao Supremo, pedindo a abertura de processo e o afastamento temporário do presidente da República por 120 dias, virá calçada com provas e documentos que o Planalto ainda desconhece, como os recibos de uma empresa offshore, apreendidos pelos agentes federais na casa do coronel Lima Filho, amigo íntimo de Temer.

Além disso, vem aí as delações do doleiro Lúcio Funaro, já em andamento, e do ex-deputado Rocha Loures, que envolvem Michel Temer diretamente. Sem falar na possibilidade de delação de Eduardo Cunha, depois que Joesley Batista cortou a mesada dele.

###
PS –
Este é o quadro atual da política nesta segunda-feira, dia 19 de junho, aniversário de Chico Buarque e Newton Ricardo, dois grandes compositores. A cada dia, o quadro político deve  piorar, mas o país pouco se importa e a Bolsa pode até subir hoje, porque ninguém consegue entender como funciona a Tropicália, é um mistério profundo para o resto do mundo. (C.N.)

15 thoughts on “Estratégia do Planalto é guerra de extermínio contra Janot, Fachin e Joesley

  1. Caro Carlos Newton,
    Não nutro a menor simpatia pelo Michel Temer, na verdade está muito difícil nutrir simpatia por quem quer seja que orbite a seara política.
    No entanto, o pt governou 13 anos e o chefão da quadrilha era o Michel Temer?
    Ou quem sabe capataz?
    Quem liberou o dinheiro do BNDES que transformou a JBS FRIBOI na maior processadora de proteína animal do mundo?
    Dinheiro pego no mercado a 14% ao ano e emprestado para a JBS FRIBOI a 4% ao ano.
    Certamente, Michel Temer está afundado na lama, mas essa de ser o chefão da ORCRIM não cola!

  2. Obtido do Estadão:

    “Os russos querem equilibrar a balança comercial, que historicamente é favorável ao Brasil. “Eles querem abertura do mercado do Brasil para trigo, peixes e frutas, para prosseguir abrindo mais espaços para as carnes”, informou ao Estado o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que está na Ásia e não acompanhará Temer. “Vamos nos abrir e ampliar nossa participação lá.”

    Entre os itens que o Brasil passará a importar, deve estar o bacalhau. Muito da produção russa já chega aqui por intermédio da Noruega e de Portugal. Em troca, o País poderá obter cotas mais generosas para exportar carnes bovina, suína e de frango. No ano passado, o Brasil respondeu por 60% das importações russas de proteína animal”.

    Ora, ora … Temer vai à Rússia para quem vender carnes ?

  3. O ex-ministro da Justiça, anterior a Don Serralho, defende a tese da cautelar, via pleno do STF, de afastamento do nosso velhote. Sou a favor. O próximo passo, afastar os outros dois, Rodrigo & Eunício, da mesma farinhada. Tanta coisa a acontecer, meu caro CN que profeta algum tem o dom de antecipar meia linha. (Nosso velhote? Deus me defenda, proteja e guarde! É apenas um modo de dizer do nosso Lulla, contra quem peço aos céus a mesma proteção. Em dobro).

  4. Caro CN … Bom dia!

    “virá calçadas com provas e documentos que o Planalto ainda desconhece” … provas à maneira do ilustre jurista Dr. Evandro que respondeu a uma jornalista que as provas contra Collor estavam nos autos … e, quando os autos chegaram ao STF, Collor foi absolvido por não terem conseguido vincular algum favorecimento do Governo Collor???

    Provas … cadê-las??? kkk KKK kkk

    Forte abraço!

  5. Janot cauteloso? O editor deveria ler melhor as suas colunas, pois o cara se precipitou em aceitar uma fita entregue por um bandido sem fazer uma perícia séria.Estou falando do Sérgio Machado que foi premiado com a prisão na sua mansão. Já os friboys foi pior a fita foi mal gravada para esconder palavras e a transcrição foi pior ainda. Os Friboys cometeram 2000 crimes de corrupção e ganharam imunidade penal.

  6. A Armada Brancaleone, comandada pelo Michel Temer Brancaleone, vai declarar guerra as “potências” que querem derruba-lo cargo.
    Para tanto, faz uma incursão a Russia em busca de apoio estratégico.
    Baseado no fato que corre la pelos “esteites”, que seria o Putin o grande vencedor da eleição americana, o Temer, grande admirador do saudoso Mané Garrincha, vai lá combinar com os russos, seguindo o receituário do “craque”, outra vez desaparecido.
    Seria bom dá uma olhada no “aeroTemer” e ver se os ossos desaparecidos, não estariam por lá.
    Ir a Russia na presente situação é uma “temeridade”, com todas estas denúncias, sera que o russos farão algum negócio?

  7. É biga de cachorro grande, como diz a gíria.
    Essa briga, no meu entender, vai além de ser somente contra a corrupção, é politica e ideológíca também, de acordo com os interesses das partes.

  8. Definição de propina: substantivo feminino, podendo ser, no sentido positivo, gratificação extra por serviço normal prestado a alguém; gorjeta, emolumento.; negativamente significa quantia que se oferece ou paga a alguém para induzi-lo a praticar atos ilícitos; suborno.
    No que se refere à Lava Jato, ou assemelhados, temos a propina no sentido negativo.
    A propina poder ser oferecida ou solicitada. O único que pode, efetivamente, evitar que ela ocorra é quem tem o “dinheiro para dar”, oferecido ou solicitado.
    Quando alguém pede propina, ou aceita, é culpado, também; mas aquele que oferece, ou aceita dar a propina, também o é. Claro que o pedinte, ou aceitante, da propina, poderia evitar que ela acontecesse, não pedindo ou não aceitando, tal como o que dá ou aceita dar, ante um pedido; mas, repito, quem tem o dinheiro é quem, efetivamente, pode impedir que ela ocorra. Aí os delatores, tipo Joesley Friboi, denunciam como se fossem inocentes coitadinhos, que foram achacados por aqueles que agora denunciam. Que se não dessem, não teriam conseguido contratos, empréstimos, etc. Ao serem solicitados a dar propina, deveriam negar e denunciar ao Ministério Público. Antes, não como fizeram agora. E aí mentem, dizendo, por exemplo, que financiaram 1.829 candidatos; foi divulgada uma relação dos candidatos que “teriam sido financiados pelos Friboi”, com dinheiro de caixa um, contabilizado nas prestações de conta dos mesmos; aí fui verificar a prestação de contas de alguns deles; receberam o dinheiro do Comitê Financeiro Nacional Para Presidente da República, da Dilma, no caso; aí na prestação de contas deve ser informado a origem do dinheiro doado pelo Comitê da Dilma – Fundo Partidário, Pessoa Física ou Jurídica que tinha doado para ela; aí aparece a JBS, dos Friboi; ou seja, eles doaram para a campanha da Dilma e ela, como o Aécio também, tendo interesse nas eleições por Estados, repassaram para candidatos com potencial de votos, grandes cabos eleitorais; os candidatos não foram financiados diretamente pelos Friboi; não tiveram contato com os Friboi; alguns nem eram deputados ainda (eleições proporcionais de 2014) e, portanto, creio, não poderiam ter praticado “atos ilícitos, suborno” em troca dos valores recebidos.

  9. Muito bom o texto, primando pela atualidade dos acontecimentos.
    Nota 10 mais uma vez, Moderador.

    Quanto a Tropicália ainda funcionar, insisto; o Brasil só anda à noite, quando os políticos dormem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *