Esvaziar Lava Jato pode ser parte do projeto para aproximar Lula e Jair Bolsonaro?

Iotti: prodígios | GaúchaZHPedro do Coutto    /   Charge do Iotti (Zero Hora)

Merval Pereira, em artigo na edição de O Globo, destaca que o procurador-geral da República Augusto Aras está agindo para esvaziar a Lava Jato e suas consequências, entre as quais principalmente as sentenças de Sérgio Moro que condenaram (digo eu) o ex-presidente Lula. Um caso concreto já ocorreu. A sentença contra um doleiro do processo Banestado foi anulada pela 2ª turma do STF. Houve empate e nesse caso o réu é favorecido.

O ministro Edson Fachin quer alterar esse entendimento. Na Folha de São Paulo, Marcelo Rocha assinala que iniciativas de Aras ameaçam na prática a continuidade da Lava Jato, inclusive com apoio do STJ. Diz Marcelo Rocha que existem pautas pendentes a serem debatidas, entre elas a discussão sobre se deve ou não ser prorrogada a força tarefa de Curitiba.

PARCIALIDADE – Os advogados de Lula, como é público, estão preparando recurso para anular a condenação do ex-presidente fixada por Sergio Moro. Alegam parcialidade. A dificuldade creio eu é que tal sentença foi confirmada pelo TRF e pelo STJ. Entretanto a hipótese de anulação não deve ser descartada, uma vez que a segunda turma continua composta por quatro ministros, com Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votando sempre juntos, contra a Lava Jato.

Como Lula em entrevista recente publicada pelo O Globo, referiu-se ao fato de a ex-presidente Cristina Kirchner ter se candidatado à vice-presidência na Argentina, para mim ficou no ar uma proposta política que poderia se concretizar se ele tivesse a sentença contra si anulada. Mesmo se ele não fosse o vice de Bolsonaro em 22, na linguagem cifrada da política seu apoio à reeleição ficaria condicionado a perspectiva de ser reintegrado nos direitos políticos.

DECISÃO ABSURDA – A juíza Cristina Serra Feijó assinou decisão absurda de proibir a TV Globo de mostrar qualquer documento ou peça das investigações sobre a ação em que o senador Flávio Bolsonaro é acusado. Caso da chamada “rachadinha”.

O despacho, a meu ver, é totalmente inconstitucional, porque se choca com a liberdade de expressão e de imprensa. Claro que o ato será revogado, mas fica escrito como um dos grandes equívocos do universo jurídico do país. Afinal de contas qual o interesse de um acusado em bloquear fatos do processo? É estranho porque o lógico seria desmentir os crimes a ele atribuídos.

8 thoughts on “Esvaziar Lava Jato pode ser parte do projeto para aproximar Lula e Jair Bolsonaro?

  1. Lula e JB juntos? Tenha só um pouco de decência. Jamais. Um tosco como JB, só não foi expulso do exército por um conjunto de situações e numa época em que o exército pregava mais do que nunca a sua imagem. Já Lula que terminou seu mandato com uma brutal aprovação tanto que elegeu Dilma sem problemas e ainda foi agraciado com dezenas de títulos honorïficos!
    Mas é claro, a Lava Jato cumpriu o seu papel, retirou Lula para possibilitar JB. Tem q acabar. O MPF saberá continuar e possivelmente não se envolverá politicamente para perseguir o PT.

  2. Bolsonaro aliado com Lula? Loucura, loucura. Lula, tem um passado de ladroagem, um presente de condenado em 1ª, 2ª e 3ª instâncias e o seu futuro é a lata de lixo da história ou, pior, a cadeia. O Presidente Bolsonaro tem passado, presente e futuro, não vai se sujar.

    Gostei da defesa da liberdade de expressão. Pena que, quando outros jornalistas foram foram perseguidos e presos, não escutei um só muxoxo do colunista.

  3. O PT ao assumir o poder em 2003 não se juntou ao que de pior existia na política brasileira? Então qual é o absurdo da coisa? Pela sobrevivência o molusco faz qualquer negócio, até chamar o Bolsonaro de “meu deus”.

  4. Sr Pedro, meus aplausos pela sua intuição, se o senhor é doido, eu já estou caçando moscas. Talvez, há uns dez dias, quando tiver um tempinho vou procurar no arquivo para reproduzir, eu tracei o mesmo prognóstico, incerto, mas provável baseado não existem na política brasileira dua almas mais semelhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *