Ex-gerente depõe e confirma que Graça sabia da corrupção

Confirmado: Graça mentiu na CPI e continua mentindo

Deu na FolhaEm depoimento de cinco horas no Ministério Público Federal do Paraná nesta sexta-feira (19), a ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca apresentou documentos e alegações que confirmam que a presidente da empresa, Graça Foster, sabia das irregularidades na estatal desde 2007, segundo o advogado de Fonseca, Ubiratan Mattos.

Sobre alegações da Petrobras, divulgadas em nota na última terça (16), de que as afirmações de Fonseca eram vagas e de que ela só fez as denúncias por ter sido responsabilizada, Mattos vê uma inversão.

“Estão querendo transformar a vítima em vilã. Estão tentando desconstruir a figura da minha cliente. Hoje ela comprovou que não é a vilã da história”, afirmou.

4 thoughts on “Ex-gerente depõe e confirma que Graça sabia da corrupção

  1. Autoridade máxima de qualquer setor, ela é inocente, enquanto não sabe do “crime”, mas… a partir que é “alertada”que há crime, inclusive em andamento, se não tomar as “devidas providências” passa a condição de “CONIVENTE”.
    O que temos visto últimamente, são as chamadas “ortoridades”, transformar “cidadãos(ãs) que usam à CIDADANIA, denunciando o “crime”, em “REUS”, em verdadeira inversão de valores”, (exemplos: juizes, em abuso de poder, estuprando a Srª Justiça, transformando vitimas em “réus”, e ainda com a proteção “cortporativista” de tribunal superior, e só nos resta peguntar: “QUE PAÍS É ESSE”, EM RESPONDO: BRASIL.
    Queira Deus, que nosso “orgulho PETROBRAS”, consiga sair desse “oceano de lama”e sobreviver, voltando a nos “ORGULHAR”.
    CHEGA DE PODRIDÃO, PEÇO MAIS UMA VES: DEUS, PROTEJA O JUIZ MORO E EQUIPE QUE O AJUDA A “LAVAR ESSA PODRIDÃO” DOS LADRAVAZES, CHAMADOS DE EXCELÊNCIA.

  2. Se até os mais ingênuos dos brasileiros, sabem que a corrupção GRASSA por todos os cantos deste Brasil,
    Como é que a GRAÇA, não ia saber da roubalheira na petrobras? Seria ela então, uma ALIENADA?
    É impossível de acreditar na ignorância da senhora.

  3. É sempre assim, o denunciante acaba sofrendo uma campanha de descrédito, tal e qual o caseiro de Brasília.

    Entretanto, alguns denunciantes só aparecem quando seus interesses são contrariados, como exemplo a perda do cargo de confiança ou algum negócio que não foi adiante por culpa do chefe. Nesse sentido, o denunciante também deve pagar pelos seus atos. Quem sabe de algum ato delituoso e se cala para falar tempos depois, no mínimo atuou com falta de ética, quiçá uma tremenda omissão.

    Costa e Youssef só entraram na delação premiada, por medo de amargarem penas de 40 anos, a semelhança de Marcus Valério. É o medo do longo período na prisão, que está assustando todo mundo. O Marques de Beccaria (1738- 1794) tinha razão, quando escreveu em seu opúsculo;

    ” Dos Delitos e das Penas” : Quereis prevenir os crimes?: Fazei leis simples e claras e esteja a nação inteira pronta a armar-se para defendê-las…” pág. 126.

    Porém, a incisiva manifestação do prefácio da tradução, da lavra do eminente jurista Evaristo de Morais traduz o momento vivido pelo país, pág. 14:

    ” A perspectiva de um castigo moderado, mas inevitável, causará, sempre, impressão mais forte do que o vago temor de terrível suplício, em torno do qual se oferece a esperança da impunidade”.

    Traduzindo: Os criminosos e os corruptos/corruptores temem muito mais a prisão, por mais branda que seja, do que uma tortura ou a difamação de sua reputação com a consequente repatriação de seus bens amealhados ilicitamente e depositados nos paraísos fiscais.

    César Beccaria previu tudo isso. Seus exemplos são latentes, portanto, seu opúsculo transcende a ação do tempo. Não é por outra razão ( a certeza da prisão), que tantos criminosos do colarinho branco se apresentem ao Ministério Público, no afã desesperado de livrarem-se de longos períodos vendo o sol nascer quadrado.

    Aconteça o que acontecer, o Brasil dá sinais de um novo tempo. Ainda bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *