Exército pode ajudar na busca dos corpos dos três homens sequestrados pelos índios

Carlos Newton

É uma notícia importante, não há dúvida. Os jornais informam que na terça-feira (7) o general de exército Eduardo Dias da Costa Villas Boas, comandante militar da Amazônia, vai sobrevoar a região onde três homens foram sequestrados dia 16 de dezembro, quando passavam de carro na rodovia Transamazônica.

Reportagem de José Maria Tomazela, enviado especial do Estadão, informa que o chefe militar vai decidir se autoriza a entrada na floresta da tropa de elite do Exército, especialista em combate na selva, para ajudar nas buscas, como querem familiares dos desaparecidos. Antes do sobrevoo, Villas Boas se reunirá com o general de brigada Ubiratan Poty, em Porto Velho.

SUSPEITA

Tomazela revela também que o advogado Carlos Terrinha, que representa as famílias dos desaparecidos, está pedindo à Funai que investigue a conduta do coordenador regional do Madeira, Ivã Bocchini, que teria usado o blog oficial do órgão para levantar suspeitas sobre a morte do cacique Ivan Tenharim, após acidente de moto, dia 3 de dezembro.

“As autoridades competentes devem ser capazes, agora, de dar uma resposta à altura da importância que o cacique tinha para os tenharim. A Funai irá cobrar a polícia para que haja uma investigação e seja apontada a verdadeira causa da morte”, escreveu.

O repórter do Estadão assinala que a suspeita realmente foi levantada por Bocchini antes do desaparecimento dos três homens na Transamazônica e levou a população a ligar os casos. E Bocchini alegou que acompanhou o velório do cacique e apenas relatou as suspeitas levantadas pelos próprios índios durante a cerimônia.

COMENTARISTA

Foi o comentarista Guido Batagglia que escreveu ao Blog da Tribuna da Internet revelando que o coordenador regional do Madeira, Ivã Bocchini, teria sido responsável pelo começo de tudo, com um comentário infeliz, pessoal, baseado sobre opiniões de outras pessoas.

“Utilizou um blog federal para expressar ideias próprias sem a autorização dos superiores dele. Ele, querendo ou não querendo, cometeu um crime. Teria, no mínimo, de ser despedido por justa causa”, salientou Battaglia, com toda razão.

11 thoughts on “Exército pode ajudar na busca dos corpos dos três homens sequestrados pelos índios

  1. Não temos competência para cuidar da criança, do adolescente, do velho, do presidiário. Como podemos esperar que cuidemos bem do índio ? Os índios foram dizimados por arma de fogo ou doenças como a varíola. A doença foi até usada como forma de matá-los, roupas contaminadas eram dadas de presente para eles.Minérios nobres, fauna e flora diferenciadas,terras agriculturáveis, integram as reservas. Não dá para conciliar os interesses dos índios, do agronegócio, das madeireiras e das mineradoras. Então toma problema pela falta de governo voltado para os interesses nacionais. As ONG’s, muito mais preparadas que o Estado Brasileiro, catequisaram os índios.

  2. Renato, estás certo ao falar em roupas contaminada principalmente com varíola para dizimar índios. Não devemos esquecer do primeiro movimento índigena contra a escravidão, feito por Cunhãbebe, gerando depois a “Guerra dos Tamoios”. Cunhãbebe, segundo alguns historiadores, baseados em registros dos idos de 1550, aventam a hipótese de ter sido contaminado pela variola, já que foi presenteado com roupas deixadas na ilha de Cunhãbebe,hoje Anchieta, antes de eclodir a revolta. Esse líder existiu segundo relato em seus escritos pelo própio Anchieta. Na verdade o problema dos índios é a demacarção e homologação de suas reservas. Isso está consagrado nos artigos 231/232 da Constituição. Feito isso e recebendo ajuda da EMBRAPA e algum financiamento, eles em pouco tempo se tornarão auto suficientes. Quanto ao desaparecimento das três pessoas comento a seguir.

  3. Renato, os índios sofrem influência de ONGs, mas, não na dimensão que falam. Naturalmente algumas devem ter-lhes dito o seguinte: Durante todos esses anos desde a criação do SPI em 1912, vocês tem sido representados pelos funcionários da hoje FUNAI, que enrolam, enrolam, roubam as verbas e não resolvem nada. Está na hora de vocês mesmos irem para luta exigindo o cumprimento das leis e dos direitos que lhs são devidos. Essa pode ser a influência maior. Quanto a querem separar-se do Brasil é MENTIRA AMAZÔNICA. Os índios são a fronteira humana do Brasil por 500 anos. No caso do desaparecimento das três pessoas existem muitas dúvidas pois aos índios não interessava a morte de ninguém.

  4. Agora com essa notícia que o funcionário da Funai Ivã Bocchini, teria aventado no velório do cacique morto, a possibilidade de assasinato é possível que alguns índios, por iniciativa própria tenham praticado tais atos. Entretanto, NÃO É DA CULTURA INDÍGENA SEQUESTRAR NINGUÉM PARA MATAR.

  5. Se o Comandante Militar da Amazônia general Villas Boas resolver empregar a tropa de elite do Exército, especialista de combate na selva, será de suma valia. (Não devemos esquecer que a tropa de elite é formada em sua maioria por índios aculturados que rastejam como cobras e farejam com cães, nada lhes passa despercebido na selva). Logo concluirá sobre o que aconteceu. Uma coisa digo: Esse crime tem tudo para ter sido encomendado ou instigado por madereiros que não queriam pagar o pedágio ao passar pela reserva indígena. Os Tenharim vivem naquela reserva desde antes da proclamação da República; sempre foram pacíficos. Os madereiros e os grileiros é que os estão pressionando sem resultado. Só um crime pavoroso envolvendo os índios é que pensam, pode mudar a situação favoravelmente a eles. “É uma faca de dois gumes.” A chave de tudo é o Bocchini.

    • Sr. Antônio, entendo a vontade de se expressar fogosamente, mas gostaria lembrar como o Batalhão da Selva, tb conhecido como Batalhão Amazonas é uma tropa de elite treinada para operar em condições extremas de sobrevivencia. Alguns militares são sim indígenos ou de origem indígena, mas ninguém deles rasteja ou fareja, menos ainda, feito bicho. Tropa de elite aplica o treinamento recebido. Sobre os suspeitos, como comentei com o autor da reportagem, penso ser uma boa conduta não se espalhar muito. Desse jeito até o “Mordomo” será suspeito.

  6. Estimado Carlos Newton, revelei pouca coisa, somente reportei uma noticia já confirmada a tempo. Mas, ainda, gostaria apontar a atenção sobre quanto seja inoportuno, nessa fase das investigações, abrir muito o leque das acusações e envolvimento de pessoas, sejam eles a etnia toda dos Índios, seja a população das cidades da área, seja madeireiros, ONG’s etc. Envolver muitos suspeitos só atrapalha e, em hipótese, poderia ser uma estrateja para chegar a conclusão nenhuma. Essa estrateja é muito utilizada no meu Pais, grande usuário daquela “Pizza” adotada tb no Brasil. O que seria útil hoje é se focar sobre suspeitos restritos a poucas pessoas. Os Tenharim querem colaborar para preservar as Aldeias, mas, não irão participar as investigações até quando serão culpados como etnia “Tout court”.

  7. Battaglia, você está cheio de gueri-gueri. Usei uma metáfora e você ficou sem entender. Pedir para que ninguém fale sobre o assunto é ridículo.

    • Antonio, militares não gostam de metáforas, preferem ir direito ao assunto, mais ainda quando essa metáfora engraçada compara uma tropa de elite a cobras rastejantes e cães farejadores. Sobre entender e não entender, penso que o Sr. deveria ler com mais atenção os comentários alheios e tentar entender antes de chamar os outros de ridículos e utilizar calão . A minha opinião foi não se espalhar em hipóteses que envolvem muitas pessoas nessa fase das investigações para não perder o rumo da procura dos culpados. Ou seja, para melhor explicar; quando tem muitos indiciados em um crime, o verdadeiro réu, acaba inocentado. Essa é tb uma estrategia da defesa em muitos processos. Nunca pedi para ninguém falar sobre o assunto. Vejamos se conseguimos manter um nível decente nesses comentários.

  8. Cassemos as metáforas da lingua protuguêsa, elas estão atrapalhando??????). Gostam de que? Atenção: sobre quanto seja inoportuno, nessa fase das investigações abrir muito o leque das acusações.????? Será que já tem alguém acusado? Ou seriam suspeitos? Essa também é uma estrategia da defesa em muitos processos…………..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *