Existe possibilidade de o Senado recusar a indicação de Kassio Marques para o Supremo?

Bolsonaro veta projeto que concede incentivos ao cinema brasileiro | Exame

Bolsonaro não esperava encontrar tamanha resistência

Carlos Newton

Esse pacto sinistro entre os três poderes da União é uma manobra indecente, que deveria ser proibida a menores. Significa um acordo de cúpulas apodrecidas e que têm contas a pagar junto à Justiça. Exatamente por isso, o objetivo principal é liquidar a Operação Lava Jato, para repetir o que aconteceu na Itália com a Operação Mãos Limpas e criou o deplorável premier Silvio Berlusconi.

Sabe-se que nem todos os ministros do Supremo estão envolvidos nessa negociação suja, assim como há muitos parlamentares e ministros do governo que estão fora desse acordo, porque são pessoas de bem e de moral inatingível.

AINDA HÁ ESPERANÇAS – No jornalismo, uma das primeiras lições que se aprende é que jamais devemos generalizar. Ou seja, não se pode considerar o todo pela parte. Portanto, a existência de cidadãos de bem na Esplanada dos Ministérios, assim como no Planalto, no Supremo e no Congresso, é uma circunstância que nos traz esperanças.

Não quero parecer ingênuo, nesses 54 anos de jornalismo político. Mas posso dizer, sem medo de errar, que não passou nem passa pela cabeça do presidente a possibilidade de ter cometido um pecado capital ao quebrar a promessa de indicar um jurista “terrivelmente evangélico”, que há aos montes neste país de tanta religiosidade.

PECADO MORTAL – Poderia ter sido Ives Gandra Martins Filho, por exemplo, mas Bolsonaro preferiu Kassio Nunes Marques, e isso é uma afronta às Leis de Deus, porque o objetivo é garantir o quórum no Supremo para destruir a Lava Jato, que tanto ajudou o candidato Bolsonaro a se eleger.

Agora, quase dois anos após vencer a eleição, Bolsonaro quer liquidar quem conduz o bom combate do apóstolo Paulo. E o objetivo do presidente é ter apoio do lado podre do Congresso e do Supremo.

“ENVIADO DE DEUS” – Terrivelmente vaidoso e delirante, Bolsonaro já declarou várias vezes que se considera um “enviado de Deus”. Outros pecados – mortais ou veniais, não importa – o presidente comete no dia a dia, ao deixar de usar máscara, defender o uso de um remédio com muitas contraindicações ou faltar com a verdade.

No entanto, como Deus escreve certo por linhas tortas, quem sabe ocorre um milagre e o Senado recusa a indicação de Kassio Marques para o Supremo?

São necessários 41 votos para obrigar Bolsonaro a indicar um jurista de verdade. É difícil, mas não é impossível, na graça de Deus.

###
P.S. –
Nos meus cálculos, já existem, pelo menos, 30 senadores contra a indicação de Kassio Marques. Ficam faltando apenas 10 votos entre os demais 51 membros do Senado. Se tiverem uma crise de bom senso, esses 10 senadores poderão evitar que um novo Dias Toffoli envergue o manto sagrado da Suprema Corte. E ao impedir que isso ocorra, esses 41 senadores estarão a um passo do paraíso aqui na Terra. (C.N.)

9 thoughts on “Existe possibilidade de o Senado recusar a indicação de Kassio Marques para o Supremo?

  1. Mais um 171:

    “O currículo acadêmico apresentado pelo desembargador Kassio Nunes Marques, indicado de Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF), traz um curso de pós-graduação que não é confirmado pela Universidad de La Coruña, na Espanha. Nos últimos dias, o Estadão consultou universidades citadas no currículo apresentado por Marques sobre os cursos que ele afirma ter feito.

    No documento que enviou ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), e publicado no site da Corte, Marques menciona que concluiu pós-graduação em “Contratación Pública”, pela Universidad de La Coruña. A instituição, porém, ao ser questionada pela reportagem, informou que não oferece nenhuma pós-graduação deste curso. “Informamos que a Universidade de La Coruña não ministrou nenhum curso de pós-graduação com o nome de Postgrado en Contratación Pública”, declarou a universidade, em resposta ao Estadão.

    Ao ser questionada diretamente se Kassio Marques participou, ao menos, de alguma atividade com o nome de “Contratación Pública”, a Universidade enviou uma cópia de um certificado de Marques, mostrando que o desembargador participou apenas de um curso de quatro dias, entre 1 e 5 de setembro de 2014. “Kassio Nunes Marques participou como ouvinte do “I Curso Euro-Brasileiro de Compras Públicas’, organizado pela Universidade da Coruña, o Programa Ibero-Americano de Doutorado de Direito Administrativo, a Rede Ibero-americana de Compras Públicas, o Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos de Infraestrutura e Grupo de Pesquisa de Direito Público Global, realizado na Escola de Direito da Corunha entre 1 e 5 de setembro de 2014”, informa o certificado.”(Estadao)

  2. Sim, existe possibilidades de Kassio ser fritado pelos senadores:
    1- Se o currículo dele for tão “autêntico” quanto os cursos de araque, feitos por Carlos Alberto Decotelli, ministro da educação descartado por falsidade ideológica.
    2- Se Bolsonaro perceber que a carga de pressão contrária à indicação de Kassio Nunes causar-lhe (a Bolsonaro) prejuízos políticos. Nesse caso, para salvar as aparências, o presidente finge que continua apoiando Kassio, e por trás orienta os senadores a rejeitá-lo.
    Dentre outras……

  3. Jornalista e Editor Carlos Newton ( Tribuna da Internet ) – ótima matéria, também usar aqui o material jornalístico do O Fluminense – Niteroi – Rio, ( ótimo jornal ) – Carlos – temos no Brasil o SJPRJ – Niteroi – Rio, que pode em breve ser para o sudeste e ate nacional ( louvável para todos os Jornalistas e a Imprensa ) – as ótimas coisas do Brasil 2020.

  4. Data vênia caro C.N. mas esperar milagre vindo do Senado da República, aí já é pedir demais? Fazer com que os senadores pensem no país é forçar a barra até quebrá-la. Com a nossa política e os nossos políticos nem Deus pode.

    • Kassio Nunes já está reprovado pois tudo tem um limite, apesar de ninguém acreditar no senado.
      Bolsonari não conhece economia, como declarou, e muito menos de política, ainda que esteja como parlamentar por 24 anos.
      Nada aprendeu, pois imagina que política é se servir da coisa pública para somente se deliciar com proveitos.
      Está muitíssimo enganado, pois ser político verdadeiro é saber representar todo o povo, e não ficar fazendo piruetas para tentar agradas aqueles incautos que o elegeram, e claro, nem isso consegue.
      Em verdade, não passa de um pulsilamine que vive cercado de seguranças e ameaçando os seus compatriotas, como se fosse um cão na coleira.
      Está perdido, e quem pagará pelas irresponsabilidades de suas condutas seremos nós que somos achacados por impostos, taxas e outras cobranças para bancar proxenet as.

  5. Uma solução que evitaria constrangimento ao seu Kassio, seria uma candidatura a presidente da República em 2022. Para esse cargo qualquer enrgúmeno serve (um exemplo tá no Planalto)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *