Existem amigos que se revelam na adversidade

Vicente Limongi Netto:
“O dia 20 de julho tem um significado especial para todos que gostam de exaltar a arte de viver. É o Dia do Amigo. Ele preenche o vazio da alma. O amigo não nos deixa faltar nada. É uma dádiva dos céus. Presente nos momentos difíceis. Espanta a melancolia, fortalece o espírito. Estimula a convivência, respeita a individualidade. Pondera com sabedoria. Amo meus amigos. Não vivo sem eles. No meu blog destaco Vitor Hugo, “um amigo pela metade é traidor pela metade”. Também são valiosas as palavras do italiano C. Dossi: “O falso amigo é como a sombra que nos segue enquanto dura o sol”.

Comentário de Helio Fernandes:
O difícil, Limongi, é a identificação. Amizade não se identifica pelo elogio e não resiste ao Poder. O presidente de Minas, (se chamava assim), descendente do Patriarca, adorava elogio e confessava isso.

Um intimíssimo, alertava, “ele não é teu amigo, assim que você deixar o Poder, vai desaparecer”. E o grande Antonio Carlos Ribeiro de Andrada, respondia: “Não me incomodo, faz bem na hora”. Mas também não adianta negar todos, existem os que se revelam na adversidade.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *