Existia um menino que sempre revivia em Manuel Bandeira na véspera de Natal

Resultado de imagem para manuel bandeiraPaulo Peres
Poemas & Canções

O crítico literário e de arte, professor de literatura, tradutor e poeta Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho (1866-1968), conhecido como Manuel Bandeira, no poema “Versos de Natal”, evoca a passagem do tempo numa dimensão metafísica, em que o adulto ainda permanece menino.

VERSOS DE NATAL
Manuel Bandeira

Espelho, amigo verdadeiro,
Tu refletes as minhas rugas,
Os meus cabelos brancos,
Os meus olhos míopes e cansados.
Espelho, amigo verdadeiro,
Mestre do realismo exato e minucioso,
Obrigado, obrigado!

Mas se fosses mágico,
Penetrarias até o fundo desse homem triste,
Descobririas o menino que sustenta esse homem,
O menino que não quer morrer,
Que não morrerá senão comigo,
O menino que todos os anos na véspera do Natal
Pensa ainda em pôr os seus chinelinhos atrás da porta

One thought on “Existia um menino que sempre revivia em Manuel Bandeira na véspera de Natal

  1. 1) O Natal é uma festa bonita, até na Ásia, países de maioria budista fazem as decorações natalinas.

    2) Conheço algumas famílias na Baixada Fluminense, RJ, membros de Igrejas Neopentecostais que não comemoram mais o Natal, pois originalmente era uma Festa Pagã, do Deus Mitra. Alegam que a Bíblia não fala nada sobre a data de nascimento de Jesus.

    3) Quanto ao Manuel Bandeira, bem escolhido pelo Peres, grandes poetas: o Bandeira e o Peres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *