Fachin enfrenta Bolsonaro e diz que ‘forças desarmadas’ são responsáveis pelas eleições

O presidente do TSE, ministro Edson Fachin, já havia respondido para o ministro da Defesa que não havia óbice para a divulgação Foto: Abdias Pinheiro / SECOM/TSE

Ministro Fachin subiu o tom no TSE, mas depois se arrependeu

Mariana Muniz
O Globo

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, afirmou nesta quinta-feira que a Justiça Eleitoral está “aberta a ouvir, mas jamais se curvará a quem quer que seja” e disse que “quem trata de eleições são forças desarmadas”. A declaração foi feita durante visita ao local onde a Corte promove uma nova rodada de testes públicos das urnas eletrônicas que serão utilizadas nas eleições deste ano.

— Quem trata de eleições são forças desarmadas, e, portanto, as eleições dizem respeito à população civil, que de maneira livre e consciente escolhe seus representes. Logo, diálogo sim, colaboração, sim, mas na Justiça Eleitoral quem dá a palavra final é a Justiça Eleitoral. E assim será durante a minha presidência. A Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais estará aberta a se dobrar a quem quer que pretenda tomar as rédeas do processo eleitoral —, afirmou Fachin, que falou ao lado dos outros seis ministros que integram o TSE.

SEM INTERFERÊNCIA – Ao citar as “forças desarmadas”, Fachin fez referência à participação nas Forças Armadas na preparação da disputa deste ano. Militares fazem parte da Comissão de Transparência Eleitoral (CTE), apresentando sugestões.

Embora nunca tenha ocorrido um só caso comprovado de fraude nas urnas eletrônicas em mais de 20 anos de uso, o presidente Jair Bolsonaro tem utilizado questionamentos feitos pelos militares ao tribunal para lançar suspeitas, sem provas, acerca do processo eleitoral.

—  Ninguém nem nada interferirá na Justiça Eleitoral. Não admitiremos qualquer circunstância que obste a manifestação da vontade soberana do povo brasileiro — disse o presidente do TSE.

TESTE DE SEGURANÇA – Ao lado de Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Mauro Campbell Marques, Benedito Gonçalves, Sérgio Banhos e Carlos Horbach, o ministro Fachin anunciou o inicio da última etapa do Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, quando investigadores examinam e avaliam as soluções desenvolvidas pela equipe técnica da Corte..

Ainda segundo Fachin, “quem vai ganhar as eleições” deste ano “é a democracia”, garantindo que isso certamente ocorrerá.

“No Brasil de hoje, quem duvida do processo eleitoral é porque não confia na democracia” — disse o presidente do TSE, que deixa o posto em agosto, quando passará a condução das eleições para Alexandre de Moraes. “Quem defende ou incita a intervenção militar está praticando ato de afronta à Constituição e à democracia. Não se trata de recado, é uma constatação”.

BOLSONARO INSISTE – Nesta quarta-feira,  o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a colocar em dúvida o sistema eleitoral. “Nós sabemos o que está em jogo. Todos sabem o que o governo federal defende: defende a paz, a democracia e a liberdade. Um governo que não aceita provocações, um governo que sabe da sua responsabilidade para com o seu povo”, disse o presidente durante uma viagem ao Paraná.

Na quinta-feira da semana passada, Bolsonaro afirmou que o PL iria contratar uma empresa para fazer a auditoria nas eleições desse ano. Ele, porém, não especificou qual tipo de auditoria seria feita. Em ocasiões anteriores, o presidente já pediu a contagem pública dos votos, ou que eles possam ser impressos para serem recontados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Fachin está cheio de moral por causa da fragilidade das supostas questões levantadas pelo representante das Forças Armadas. General Heber Portella. E o Exército agora está jogando a última cartada, com a contratação de uma empresa israelense de investigação cibernética. Vamos ver no que isso vai dar. Ainda é cedo para cantar vitória, como se dizia antigamente. (C.N.)

15 thoughts on “Fachin enfrenta Bolsonaro e diz que ‘forças desarmadas’ são responsáveis pelas eleições

  1. Disse Bolsonaro: “Todos sabem o que o governo Federal defende: defende a paz, a democracia e a liberdade. Um governo que não aceita provocações, um governo que sabe da sua responsabilidade para com seu povo”.
    Tudo exatamente ao contrário. Alguém, excetuando-se os bolsonaristas, tem dúvidas?

    • Sr. Nélio ,

      Olha aí as palavras do pacificador mentiroso.
      Doidinho pra virar um ditador de meia tigela e meteu essa.
      Quem acredita neste demônio?

      “Eu quero que todo cidadão de bem possua sua arma de fogo para resistir, se for o caso, à tentação de um ditador de plantão”
      Ass: Chorume.

      É INACREDITÁVEL!!!

      Um abraço,
      José Luis.

    • As urnas eletrônicas é quem faz a apuração, nada é manual. A apuração é acompanha pelos fiscais dos partidos políticos e a quem mais interessar.
      Os resultados das seções eleitorais saídas do computador ficam fixadas na parede para quem quiser conferir.

    • Quem criou essa narrativa que as urnas eletrônicas não são confiáveis foi Bolsonaro.
      O presidente já disse que não vai aceitar o resultado das urnas, só aceita se tiver voto impresso para, se perder á reeleição, que é o mais provável, com voto impresso pode melar e judicializar a votação e fazer como o Trump, que até hoje diz que foi roubado Isso é atitude antidemocrática.
      Nunca houve um caso de fraude das urnas eletrônica. voto no papel impresso, houve vários casos de fraude.
      Um abraço

  2. Incrivel essa bolsonárica conversa mole sobre as urnas eletrônicas. Desde sempre elas funcionaram , mas , de repente , não funcionam mais. É cômica , trágica e deprimente a maneira como algumas pessoas embarcam nessa. Inclusive , o bozo se valeu delas pra ser eleito 7 vezes deputado , onde teve aprovados a extraordinária marca de DOIS projetos de lei.
    Se o Simonal fosse vivo , ele diria com aquela caracteristica malemolência: É a pilantragem…

    • Sr. Zanardi,

      Bolsonaro abe que vai perder pra qualquer um.

      As urnas são boas quando o demônio ganha.
      Se ele perde, não são confiáveis

      Esse cara não presta!

      Como pude me enganar tanto?

      Um abraço,
      José Luis.

  3. Mariana Muniz é mais uma Magda do jornalismo tupiniquim. Acredita piamente que as urnas são invioláveis … o único dispositivo digital existente no mundo 100% seguro.
    Pare de escrever bobagem Magda!

    PS: no youtube tinha uma reprotagem antiga da rede bandeirantes com uma avalanche de denuncias sobre mau funcionamento das urnas eletrônicas no município de Caxias nas eleições de 2008 … o vídeo desapareceu … em seu lugar o Youtube exibe um vídeo desmentindo a longa reportagem da Band. Sumir com vídeos deve ser parte do combinado no acordo secreto, entre os marginais do TSE e as redes sociais.

  4. Cuméquié? Urnas eletrônicas em Caxias em 2008 , que sumiu…
    Então , dos 5.500 municipios brasileiros , teve um , em 2008 , que , supostamente , deu problema…
    Conta mais , conta mais , tô esperando..

  5. A lei não obriga ninguém a votar em candidatos impostos pelos donos dos partidos. Nulo, branco e abstenção, são as três opções democráticas e constitucionais reservadas ao eleitorado para dizer não ao continuísmo do sistema político, à moda basta, chega dos me$mo$, fora todo$, Democracia Direta Já, com Meritocracia, porque liberdade não é utopia e, sobretudo, porque evoluir é preciso. E daí, se a maioria da população votante, via votos nulos, brancos e abstenções, dizer que não quer mais o continuísmo do sistema político, e, por conseguinte, optar pela mudança do sistema o dito-cujo sistema vai ter que mudar e ponto final, porque em democracia a voz do povo é a voz de Deus, e, com Deus na Causa, não tem forças armadas e nem desarmadas que irá deter as mudanças de verdade, sérias, estruturais e profundas, que se fazem necessárias há trocentos anos, pela redenção da política, do país e da população, sendo certo que, de alguma forma, o povo, a fonte originária do poder, tem que ter o direito de dizer que não está satisfeito com a patifaria política reinante no país, à paisana e fardada, caso estejamos de fato numa democracia.

  6. E qual é a missão dada aos canalhas eleitos?
    ” O Iluminismo Criou o Comunismo Como a Antítese Dialética
    Outra premissa fundamental é que o mesmo Iluminismo que criou os EUA como a Nova Atlântida em 1776, também criou o comunismo entre 1846-48! Depois que você compreender este fato, entenderá inúmeras questões históricas que nunca fizeram sentido anteriormente. Por exemplo, entenderá:

    Por que a ação americana de “combater o avanço comunista” na verdade fortaleceu o comunismo;

    Por que enormes somas de dinheiro americano e europeu fluíram todas as décadas para a URSS para manter sua economia estável, muito embora a doutrina e a retórica comunistas declaravam inflexivelmente que sua meta era destruir todo o sistema capitalista;

    Por que o presidente Franklin Roosevelt cedeu a Europa Oriental aos soviéticos quando não existiam razões práticas para isso;

    Por que a superpotência EUA, liderada pelo presidente republicano Eisenhower, permitiu que Fidel Castro chegasse ao poder e se mantivesse nele, quando todos sabiam desde o início que Castro era comunista. Mais tarde, o presidente democrata Kennedy deliberadamente interrompeu a invasão da Baía dos Porcos, garantindo assim que Fidel Castro continuasse como ditador indefinidamente. Agora você aprenderá a verdade que os EUA queriam o comunismo em Cuba para prosseguir com o processo de conflito dialético.

    Para ilustrar que os mesmos Mestres dos Illuminati criaram tanto os EUA como o comunismo, Warner colocou o martelo do proletário comunista na garra direita da águia, junto com ramo de oliveira, e a foice comunista na garra esquerda, junto com as flechas. Demonstramos que os EUA são o sistema Tese do processo dialético, enquanto o comunismo é o sistema Antítese. O conflito resultante — conhecido no século 20 como Guerra Fria — foi projetado para produzir o novo sistema Síntese, a Nova Ordem Mundial, o reino do Cristo.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.