Faltando pouco para o segundo turno, estão à solta os chatos eleitorais

Imagem relacionada

Charge do Duke (dukechargista,com.br)

Elio Gaspari
Folha/O Glbo

Faltando pouco para o segundo turno, está à solta o chato eleitoral. É um personagem que tenta transformar qualquer conversa em discussão política para defender seu candidato. Assim como sempre haverá gente que enfia o dedo no nariz, não há como evitar que ele exista. Pode-se limitar o alcance de sua chateação cortando-se polidamente o assunto. O general Alfredo Malan tinha uma fórmula: “Política e jogo de cartas me dão sono”. (Não era verdade, mas funcionava.)

Há dois tipos de chatos eleitorais. O primeiro, benigno, é o militante. Ele supõe que sua palavra iluminada pode conseguir um voto para seu candidato. Esse chato pode ser neutralizado com uma simples mudança de assunto. O melhor remédio é deixá-lo falar o tempo que quiser. Interrompê-lo será estimulá-lo.

CHATO MALIGNO – O segundo chato eleitoral, maligno, quer vender seu candidato, mas há nele algum tipo de insegurança. Fez sua escolha mas busca apoio, cumplicidade.

Esse é o tipo mais desagradável e perigoso, porque precisa de uma discussão. Afinal, só assim poderá se convencer que fará o certo, pois mais gente decidiu como ele. Quanto mais corda recebe, mas enfático ou radical se torna. Nesse caso o culpado pela chateação será quem lhe deu corda. (Trocar ideias com um eleitor de Bolsonaro tem uma complicação exclusiva, pois o candidato não quer debater as suas.)

Se nenhum recurso der certo, pode-se recorrer ao truque do deputado Temperani Pereira. Depois de ouvir uma exposição de um colega ele lhe disse: “Sua opinião me deixa incorrobúvel e imbafefe”.

Depois comentou: “Quero ver ele achar essas palavras no dicionário.”

MEDO MÚTUO – O pior sinal do tamanho do ódio e do medo que se espalharam pela política pode ser comprovado nas ruas. Não há carros com adesivos dos candidatos.

9 thoughts on “Faltando pouco para o segundo turno, estão à solta os chatos eleitorais

  1. Quem começou a queimar bandeiras do Brasil e vilipendiar imagens religiosas?

    Todos sabem a resposta. Foram eles que iniciaram esse clima de guerra. Não podemos nem colocar a bandeira do Brasil em nossos carros, imaginem adesivos de candidatos.

    Quem não respeita a bandeira nacional nem a religião dos outros, há muito mandou a democracia pro inferno!

  2. Jornalista Petista, o povo de bem do Brasil tá com medo de usar adesivos para não ser agredidos fisicamente e moralmente pelos “kamikazes terroristas do PT” com ódio e vingança por verem as mamatas no fim. Não usam adesivos temendo serem assassinadas e nunca assistirem os criminosos presos , aliás, são até soltos por “plausibilidade” com suas digitais fétidas de tantos crimes contra a Nação brasileira e seu Povo, e solto, visita seu chefe e igual na cadeia, participando de reuniões e comandando ataques ao povo que não os quer mais no comando do país ! A partir da segunda-feira 29 esse país vai ser outro, mas, evitaremos os confrontos ser presos ou assassinados pelos mesmos iguais de seu Partido que destruíram uma Nação inteira nos 3 Podresres que hoje soltam lama de desordem moral, ética, administrativa, social,econômica e financeira país afora tal é o nível de destruição que seus iguais deixaram de impressões digitais criminosas em todos os Órgãos Públicos da Nação, precisa de provas ??? Bastar ver e ler ou que o Ministério Público Federal, Policia Federal e Justiça Federal chamaram de se”Amado PT”…O PT é uma Organização Criminosa , precisa de tradução Chato Gaspari ????

  3. Grande parte desses chatos invadiu este blog como nuvem de gafanhotos invade uma plantação.
    Enchem o saco e são absolutamente impermeáveis a qualquer tentativa de diálogo.Se bem que não faço muita questão de dialogar com bolsonetes histéricas!
    São os “chatos de galocha” como se dizia antigamente!!!

  4. O problema desse mais um comentarista fake da Folha é que ele agora, perdido como está, se sente chateado por não ter mais um único argumento para se sustentar naquilo que ele sempre fez: militância para a esquerdinha.

  5. -Pela primeira vez não vi uma bandeira do PT no dia da eleição.
    -Raríssimas pessoas usavam a camisa da Seleção. Um casal que eu pode conversar disse que usava outra por baixo para tirarem a de cima no caso de verem alguma manifestação violenta.

    -Mas nem um lenço vermelho. Seria vergonha de votar em um PRESIDIÁRIO depois de passar treze anos reclamando da BANDIDAGEM?

  6. Eu tentei esgotar um colega petista militante. Depois de uma torrente com dezenas de posts em favor de Lula, ou seu poste, eu criticava alguma coisa e esperava outras dezenas de posts.
    Depois repetia o ciclo. Minha intenção era cansar o chato.
    Pena que fracassei. Essa gente nunca se cansa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *